História Aprendendo a te amar - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Alice Campbell, Ally Brooke, Ana Júlia Campbell, Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Camren Não, Dinah Jane Hansen, Dinally, Elena Campbell, Fifth Harmony, Ian Somerhalder, Irmãs, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Laurice, Laurice G!p, Laurinah, Shawn Mendes, Sofia Cabello, Veronica Inglesias
Visualizações 526
Palavras 2.383
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Alooooooo meus amores lindos e cheirosos.
Eu voltei hahaha.
Vamos de um capítulo muuuuito amorzinho e cheio de sentimentos?
Porque chega de tanta confusão e mágoas.
Gentem, a música do capítulo é Hallo da Queen B, mas eu alterei o que estava no masculino para feminino.
Espero que gostem e o que está em itálico a a música.

Capítulo 21 - Meu anjo.


Fanfic / Fanfiction Aprendendo a te amar - Capítulo 21 - Meu anjo.

Capítulo 18 – Meu anjo.

P.O.V. Alice Campbell.

Corra e apenas corra sem olhar para trás, Alice.

Era a única coisa que minha mente gritava para eu fazer naquele momento. Correr para longe daquela casa, para ficar o mais longe possível dela.

Corra e apenas corra sem olhar para trás, Alice.

A chuva não cessava momento algum e as gotas misturavam-se as minhas lágrimas, lavando a dor do meu coração. Era possível uma pessoa morrer por dentro, mas continuar respirando? Porque era assim, que me encontro no momento, uma morta-viva. Lauren matou o meu interior e eu apenas continuo respirando. Estou dilacerada e destruída, há um vácuo no lugar do meu coração agora. Um espaço que era preenchido pelo amor que sinto por ela.

Corra e apenas corra sem olhar para trás, Alice.

Ama-la é como cometer o próprio suicídio e eu estou cometendo o meu lentamente. Lento e dolorosamente, mas continuo amando-a e isso é irônico, um sentimento louco. Ninguém pode amar por duas pessoas e sinto que a amo por nós duas.

Corra e apenas corra sem olhar para trás, Alice.

Minhas pernas já não aguentavam correr mais e o ar já estava me faltando, fazendo meus pulmões protestarem em busca dele. Cheguei em uma pracinha desconhecida, que estava completamente vazia, e logo avistei os balanços infantis, então, resolvi me sentar lá. Segurei fortemente nas correntes e comecei a me movimentar para frente e para trás enquanto eu olhava para frente e deixava as lágrimas rolarem livremente por meu rosto. Até que ponto choraria? Eu ficaria seca e sem lágrimas de tanto chorar? Quanto mais me lembro dela e das suas duras palavras, mas me sinto triste e o nó na minha garganta fica maior.

Não sei que horas são porque minhas coisas ficaram na casa dela e agora estou sem celular para ligar, além de não fazer menor ideia de onde estou, entretanto, não preciso olhar mais nos olhos verdes e frios de Lauren. E por milagre, a chuva tinha se transformado em gotas fracas e bem menos intensa, mas minhas roupas ensopadas me fazia tremer de frio.

‘’ Ela riu debochada.

- E você, Alice? Se arrependeu de ter dado para ele ou não?

Neguei balançando a cabeça para os lados.

- Não posso me arrepender de algo que nunca fiz – Dei uma pausa e respirei fundo – Eu só me arrependo de te amar. É, a vadia aqui – Apontei para mim mesma – Te ama, Lauren – Revelei arrancando o colar do meu pescoço, que ela me deu um dia anterior, e joguei aos pés dela.’’

Institivamente, levei a mão no pescoço a procura do colar e não encontrei nada, fazendo o vazio dentro de mim ficar maior e mais doloroso. O que ela tem no lugar do coração? Uma pedra? Ou exatamente nada? Entendo, que Lauren tenha passado por coisas difíceis e horríveis por causa de pessoas ruins, mas o mal que me causa não justifica a dor dela. Um dia verei a doce e amorosa Lauren, que Verônica afirmou que um dia existiu? Ou apenas verei a face daquela que é horrível?

‘’- A primeira vez que vim aqui, eu tinha apenas 10 anos e acabado de chegar a cidade – Sussurrou repentina com a voz baixa e naturalmente rouca.

Sorri pela a iniciativa dela e o assunto mais leve.

- Desculpe, mas vou ter que quebrar o seu encanto – Deu uma pausa e pisquei para ela, marota – Mas, nenhuma praia no mundo inteiro se compara as do Brasil – Afirmei convicta.

Ela riu alto, me pegando de surpresa e me deixando extasiada por vê-la tão livre da fachada fria.

- Você diz isso porque é brasileira, Alice.

Nunca amei tanto o meu nome como agora, ele soou perfeitamente bem saindo dos lábios dela.

- Não – Neguei com um sorriso torto – Sou carioca e as praias do Rio de Janeiro são lindas, mas maravilhosas mesmo são as do interior.’’

Um sorriso fraco escapou em meios as lágrimas com a lembrança da única vez em que a vi de verdade, uma Lauren relaxada e sem os muros que a cercam, e a forma de como amei meu nome saindo dos lábios dela, entretanto, foram pouquíssimos minutos que tive isso e o final da noite fora trágico. Ela está sempre me magoando, mas o meu amor continua firme e forte por ela.

Mas, por que amar outra pessoa dói tanto?

Mesmo olhando para frente ainda, percebi o balanço ao meu lado movimentar-se quando, alguém sentou-se e começou a balançar-se.

- Não sei por onde começar – Ela confessou com um sussurro quase inaudível.

- Veio conferir o estrago? – Perguntei ríspida e ainda sem olha-la.

- Não – Balbuciou parecendo envergonhada.

Soltei uma risada sem humor

- Vá embora, Lauren – Mandei.

- Não – Negou com a voz firme – Eu quero o seu perdão, Alice.

Soltei uma risadinha sarcástica.

- Quer mesmo o meu perdão depois de sempre me magoar por exatamente nada como pouco tempo atrás, Lauren? – Gritei irritada enquanto me virava para ela, que estava olhando para frente – Vamos me diga, porra.

Quando, ela fitou-me com os olhos vermelhos e inchados fiquei em choque. Ela tinha chorado novamente?

- Não só por essa noite, mas sim por todas as vezes que te magoei deste a primeira vez – Sussurrou intensamente.

Fiquei em choque e sem saber o que falar.

- O que falei para você hoje foi imperdoável, Alice – Continuou sem desviar o olhar do meu – Não justifica o que fiz, mas eu estava cega de ciúmes e vê-la abraçada ao Shawn despertou em mim esse sentimento que jamais senti antes, acabei virando um mostro possessivo.

- Nunca tive ou terei algo com ele – Retruquei exasperada.

- Eu sei. Como eu disse antes: fiquei com ciúmes – Repetiu.

Me levantei exaltada. Ela me magoa por ciúmes?

- Você é absurda – Murmurei me afastando.

- Aonde você vai? – Questionou me seguindo.

- Para qualquer lugar o mais longe possível de você.

Apertei meu passo e já estava chegando na calçada, mas fiquei paralisada pelo o que veio a seguir.

- Eu te amo, Alice – Lauren gritou.

Ela me ama?

- Você não me ama – Retruquei virando para ela e chorando novamente.

- É claro, que te amo e amo muito – Sussurrou parando a poucos centímetros – Eu amo tanto, Alice – Repetiu parecendo falar a verdade – Você ainda me ama?

Lembra daquelas paredes que construí

Bem elas estão desmoronando

Elas nem tentaram ficar em pé

Nem fizeram um som

Eu achei um jeito de deixa-la entrar

Mas eu nunca tive dúvida

Sob a luz de sua auréola

Eu tenho meu anjo agora

- Eu...eu... – Tentei dizer algo, porem acabei gaguejando e ela me interrompeu.

As mãos de Lauren me puxaram pela a cintura e pescoço, fazendo-me pensar que ela estava me erguendo do chão e minhas mãos continuavam inertes ao lado do meu corpo. Nos encaramos sem piscar. Era verde misturando-se no azul. Ela me beijou e passei a retribui-la intensamente. Estávamos nos beijando na chuva. Subi minhas mãos pelos os braços dela e abracei pelo o pescoço, colando ainda mais nossos corpos.

Nosso beijo parecia tão certo, tão bom e acolhedor, entretanto, ele era urgente e gritava em desejo. Fiquei nas pontas dos pés para aprofunda-lo ainda mais enquanto Lauren deslizava as pontas dos dedos da minha nuca para meus cabelos e enrolou-os nas mechas, fazendo-me arrepiar.

É como se eu estivesse despertando

Todas as regras que eu tinha você está quebrando

É o risco que eu estou correndo

Eu nunca vou te calar

Parei o beijo para olha-la. Seus olhos estavam escuros e ardiam de desejo, eles eram como reflexo dos meus próprios olhos. Desci o olhar para a sua boca vermelha e inchada entreaberta, voltei a beija-la. Eu sentia algo inexplicável crescendo dentro de mim e ao mesmo tempo queria respirar de alivio por, enfim, estar sentindo os lábios macios movendo-se contra os meus depois de tanto tempo. Esse beijo não era um qualquer e nós duas sabíamos muito bem disso.

Em todo lugar que eu olho agora

Estou rodeada pelo seu abraço

Baby eu posso ver sua auréola

Você sabe que é minha graça salvadora

Você é tudo que eu preciso e mais

Dá para ver no seu rosto

Baby eu posso sentir sua auréola

Ore para que não desapareça

Ela quebrou o beijo e segurou meu rosto entre as mãos. O sorriso que iluminou o rosto de Lauren, deixou-me extasiada e deslumbrada. Os seus olhos verdes brilhavam tão intensamente e estavam lindos, que me tirou o resto do fôlego e meu coração perdeu uma batida. Isso será amor fletido neles?

- Eu te amo, Alice – Sussurrou sorrindo.

Quando, menos percebi eu estava retribuindo uo gesto, que poderia parecer tão simples e comum para outras pessoas, entretanto, o sorriso verdadeiro de Lauren significa tantas coisas.

- Mesmo sendo irracional – Murmurei dando uma pausa – Eu amo você, Lauren – Afirmei com tanta convicção, que o sorriso dela tornou-se maior.

Quantas vezes eu poderia me apaixonar por ela?

Eu posso sentir sua auréola, auréola, auréola

Eu posso ver sua auréola, auréola, auréola

Eu posso sentir sua auréola, auréola, auréola

Eu posso ver sua auréola, auréola, auréola

- Eu sei que terei um grande caminho a percorrer até merecer o seu perdão, mas estou disposta a fazer tudo para conquista-lo – Lauren falou fitando-me dentro os olhos - Nunca pensei que um dia eu amaria alguém de verdade, mas graças a Deus eu estava enganada e encontrei você.

- Laur...Shhh – Calei-a colocando dois dedos contra os lábios dela.

- Alice, eu preciso dizer tudo – Ela se interrompeu e respirou fundo como se estivesse tomando coragem - Antes de você, minha vida era como uma noite sem lua. Muito escura, mas haviam estrelas, pontos de luz e de razão. E depois ela atravessou meu céu como um meteoro. De repente tudo estava em chamas; havia brilho, havia beleza. Quando ela se foi, quando o meteoro caiu no horizonte, tudo ficou negro. Nada mudou, mas meus olhos ficaram cegos pela luz. E não havia mais razão para nada – Sorriu – Agora eu tenho você, meu anjo.

Atingiu-me como um raio de sol

Queimando na minha noite escura

Você é a única que eu quero

E estou viciada em sua luz

Eu jurei que não cairia de novo

Mas nem sequer sinto que estou caindo

Gravidade não pode se esquecer

De me puxar de volta para o chão

- Eu quero ser tudo para você, Lauren – Sussurrei fechando os olhos e encostando meu rosto no dela – Mas, tenho medo. Medo de você me destruir – Confessei pesarosa.

Ela passou os braços ao meu redor, apertando-me fortemente e enfiou o rosto entre meus cabelos ensopados de chuva, que agora voltava a cair com mais forças.

É como se eu estivesse despertando

Todas as regras que eu tinha você está quebrando

É o risco que eu estou correndo

Eu nunca vou te calar

- Eu não a mereço, pois você é um anjo lindo e que deve ficar intocável, longe de toda a minha bagunça, entretanto, sou uma criatura imensamente egoísta – Ela afastou de mim e fitou-me com tanta certeza nas próprias, que eu acredito nela – Mas, eu te amo e quero ser merecedora de todo o seu amor. Quero ser outra Lauren, não a que mataram a dois anos, mas aquela que era feliz e alegre, Alice.

- Lauren...

- Você aceita? – Fez uma pausa – Aceita entrar ainda mais no meu coração? Porque eu quero te dar ele e não o aceito de volta.

Arregalei meus olhos. Eu aceitaria? E se eu fosse magoada novamente?

Uma vez li tais palavras de Dalai Lama: Só existem dois dias no que nada pode ser feito. Um se chama ontem e outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.

Em todo lugar que eu olho agora

Estou rodeada pelo seu abraço

Baby eu posso ver sua auréola

Você sabe que é minha graça salvadora

- Sim, eu aceito o seu coração e nunca mais o devolverei, Lauren.

Ela sorriu torto enquanto me soltava um pouco e enfiava a mão no bolso da jaqueta de couro. Franzi a testa confusa.

- Era da minha mãe – Explicou colocando algo dentro da palma da minha mão e a fechou – E meu pai disse que era para eu dar para a mulher da minha vida.

Eu posso sentir sua auréola, auréola, auréola

Eu posso ver sua auréola, auréola, auréola

Eu posso sentir sua auréola, auréola, auréola

Eu posso ver sua auréola, auréola, auréola

Ohhhh auréola

Auréola ohhhhhhhhhhh

Abri a mão e encontrei o colar de prata com a pedrinha verde, que ela havia me dado antes. Ergui meu olhar para ela, sentindo um misto de encanto e confusão.

- Não posso aceitar, Lauren – Neguei tentando devolver o colar a ela.

O sorriso dela morreu dando o lugar a uma expressão séria.

- Por que não, Alice? – Perguntou aparecendo ter ficado magoada com a minha recusa.

Dei um pequeno sorriso e toquei a bochecha dela.

- Porque é seu e deve permanecer com você – Respondi – Eu o amei de verdade, mas acho que você deveria o usar.

Em todo lugar que eu olho agora

Estou rodeada pelo seu abraço

Baby eu posso ver sua auréola

Você sabe que é minha graça salvadora

Você é tudo que eu preciso e mais

Dá para ver no seu rosto

Baby eu posso sentir sua auréola

Ore para que não desapareça

- Alice, você é o meu amanhecer no mundo sombrio e de trevas que eu vivia. Você é a minha luz e esperança, que me trouxe de volta a vida – Murmurou rouca e com os olhos brilhando em lágrimas – Você é a mulher da minha vida, então, por favor o aceite como símbolo do meu amor por você.

Acabei dando uma risadinha emocionada em meio as lagrimas. Quem diria que Lauren Jauregui seria tão intensa em fazer declarações?

- Está bem, eu aceito – Concordei.

Ela voltou a sorrir.

- Eu te amo, meu anjo.

Eu posso sentir sua auréola, auréola, auréola

Eu posso ver sua auréola, auréola, auréola

Eu posso sentir sua auréola, auréola, auréola

Eu posso ver sua auréola, auréola, auréola

Eu posso sentir sua auréola, auréola, auréola

Eu posso ver sua auréola, auréola, auréola

Eu posso sentir sua auréola, auréola, auréola

Eu posso ver sua auréola, auréola, auréola


Notas Finais


Eu amo Laureci 😍😍😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...