História Aprendiz de Herói. - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Chouji Akimichi, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Inojin Yamanaka, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Konohamaru, Kurama (Kyuubi), Metal Lee, Mitsuki, Naruto Uzumaki, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikamaru Nara
Tags Ação, Boruto, Chouchou, Drama, Inojin, Mitsuki, Naruto, Saino, Sakura, Sarada, Sasuke, Shikadai
Exibições 14
Palavras 3.591
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Visual Novel
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Yo minna, perdão a demora, mas a preguiça estava muito e a inspiração pouca, mas ta aí um cap saído do forno pro cês. Boa leitura.

Capítulo 8 - Compartilhando laços.


Para Mizuki, o dia estava lindo, mesmo com algumas nuvens insistindo em permanecer sob o céu, mas nem uma possível chuva, nem mesmo uma tempestade mudaria o que ela estava sentindo naquele momento, nada mesmo, menos é claro, o despertador que sua mãe comprara, aquilo sim era realmente, irritante.

Ainda conseguia lembrar das palavras do Nanadaime para elas, depois de ambas pegarem os sinos.

 

“ – Bom, segundo Shikamaru e Sakura, vocês foram aprovadas, mas eu realmente estou meio chateado com vocês, isso foi golpe baixo. – Mas mesmo chateado, o sorriso que se instalara no rosto do Nanadaime, fora de veras impressionante.

– Foi justo sim, o senhor tinha a Kurama-sama, e nós não tínhamos nenhum trunfo na mão, então foi justo sim. – Fora a resposta de Mizuki, para logo, todos caírem na gargalhada, até mesmo Kurama.

– Certo. Então, amanhã teremos o primeiro treinamento, ele se dará da seguinte forma, como sabem não tenho muito tempo, então quando disponível, estarei treinando vocês, mas quando não puder, Shikamaru, Sakura e até mesmo o Lee, vão ajudar vocês, ok? Cada um deles, vai ensinar algo, de acordo? – Para Mizuki, já teria concordado sem ele ter falado, imagina treinar com os melhores, isso sim não tinha preço.

– Hai. – A resposta foi dita em coro pelas meninas, logo ambas se despediram, e foram para suas casas, para um descanso necessário. ”

 

E finalmente, ela iria começar o seu treinamento, não conseguira dormir direito, e o café da manhã, parecia doer para descer, aquela sensação tinha significado, era ansiedade.

Hoje o treino não seria com o Nanadaime, pois o mesmo fora para Sunagakure, por conta de um pedido do Kazekage, então o treino tinha ficado para Sakura Uchiha, a mãe de Sarada.

 

 

 

Alguns instantes depois, ela se despedia de sua mãe indo para o terceiro campo de treinamento, lá começaria a longa caminhada até seu sonho se tornar realidade, era o primeiro de muitos passos, mas estava pronta e determinada.

Não demorara muito, e Sarada e Sakura, caminhavam em sua direção, ambas conversavam e sorriam, podia notar as semelhanças de ambas, o formato dos olhos, e o quão grande eles eram, até mesmo a testa que Sarada cobria com a bandana e a franja eram parecidas, Mizuki deixou apenas um sorriso de canto se formas em seus lábios, lembrando de sua mãe.

– Bom dia, Mizu-chan. – Sarada a cumprimentava com um sorriso de lado, típico dela.

– Bom dia, Mizuki-san. – Agora fora a vez de Sakura, a cumprimentar, Mizuki apenas assentira para ambas, entrando logo atrás dela no campo de treinamento. – Bom, primeiramente, vamos aprender a controlar e concentrar o chacra em lugares específicos do seu corpo, entenderam? Isso lhes dará mais força, e também maior agilidade.

De repente, Sakura ficara em silêncio, Mizuki pode sentir o chacra de Sakura palpitar, sentindo cada vez mais alto e mais forte, de repente ela começava a caminhar em direção a uma árvore, logo seus pés se fixaram no tronco da árvore, e a mesma começava a caminhar através do tronco da mesma, subindo cada vez mais alto, ambas as garotas olhavam para ela, Mizuki já havia tentado fazer aquilo, mas nunca conseguira concentrar chacra em um lugar específico. Sakura apenas apontara para o chão, elas já sabiam o que fazer.

De repente, ambas as garotas se encontravam sentadas no chão, como se estivessem meditando, podiam sentir o chacra ir se acumulando por todo o seu corpo, acumulando-se em seus pés, logo ambas estavam de pé, sorrindo uma para outra.

– Aposto que eu venço de você, até porque, eu faço isso desde sempre! – Sarada provocava Mizuki, a fim de gerar uma pequena competição entre as duas.

– Ah é? Quer apostar então? Quem subir mais alto na árvore, paga o lamén, feito? – Sarada concordara de imediato, sem hesitar.

– E se vocês duas não conseguirem, terão que pagar para mim, certo? – Ambas assentiram, quando a Sra. Uchiha se pronunciara, agora novamente concentradas. – E se vocês empatarem eu pago para vocês.

Ainda se encontravam concentradas, novamente ambas as meninas começavam a reunir e concentrar o chacra em pontos estratégicos, para então desvia-los para a sola do pé, quando ambas abriram os olhos, uma pequena quantidade de chacra pareceu evaporar de seus pés, de repente ambas se encontravam correndo contra duas árvores, logo começavam a subir a árvore, mas apenas um momento de distração das duas, foi o suficiente para fazer ambas caírem para trás, batendo as costas no chão.

– Vocês estão bem? – Sakura agora se aproximava, das garotas, sacudindo a cabeça de um lado para o outro, dando um breve sorriso. – Vocês duas estão parecendo o Naruto, a primeira vez que fizemos isso, ele caiu de cabeça no chão. – Ambas as meninas agora começavam a prestar atenção na mulher de cabelo rosas. – Vamos lá, se vocês conseguirem, além de pagar o lamén, eu vou contar alguma coisa sobre as aventuras do antigo time 7, o qu... – Antes que ela pudesse terminar de falar as meninas já se encontravam correndo em direção a árvore.

Vários minutos depois, e de várias tentativas falhas, elas caiam no chão exaustas, Sakura, uma vez e outra ria com vontade, ao ver as meninas caírem de bumbum no chão, e o quando as mesmas ficavam bravas com ela, por ela rir. De repente algo se passou na cabeça dela, lembrando da competição entre seus antigos companheiros de equipe, o que parecia se refletir naquelas duas, podia ver uma cuidando até onde a outra havia chegado, Sarada se encontrava na frente, por questões óbvias.

Mas as duas pareciam dispostas a ir até o fim, já haviam se passado horas e horas, desde que começaram o treinamento, e ambas só haviam atingindo um pouco mais que a metade da árvore, a noite começara a cair, Sakura sabia que estava na hora de se recolher, mas não conseguia evitar, ver as garotas a sua frente, dando o melhor de si, era algo motivador até para ela mesma.

– Vocês não estão concentrando direito, parem de prestar atenção uma na outra, e tentem manter o chacra de vocês no lugar especificado, vamos lá, é a última vez para ambas agora, se não conseguirem, eu vou comer um lamén, que vocês iram pagar, ou.. – Sakura fez uma pequena pausa, teria que encontrar as palavras certas agora, para motivar a ambas. – ...Bom, do jeito que vocês estão, não poderão treinar diretamente com o Naruto, então, sugiro que vocês façam algo, antes que ele desista ao ver que vocês não são nada. – Pôde ver o olhar incrédulo das duas garotas, logo viu o olhar delas brilhar forte, sabia o nome daquilo.

As duas novamente fecharam os olhos, concentradas e se preparando para o que viria a seguir, alguns instantes depois as duas garotas se encararam, e começaram a correr em direção as árvores, ambas subiam, e subiam, até finalmente pararem no topo da árvore, ambas comemoraram gritando.

 

 

Agora se deliciavam com o lamén que haviam ganhado, de fato, aquilo estava indo muito bem, a primeira parte do treinamento estava concluída, pelo que as garotas souberam que o próximo seria com o próprio Hokage, o que deixava ambas imensamente feliz, agora elas poderiam descansar, mas ambas ouviam atentamente o que Sakura contava sobre o passado dela com Naruto, e com o pai de Sarada.

As histórias que a mulher de cabelo rosa contara, as fizeram chorar e rir ao mesmo tempo, Mizuki havia gostado de ouvir a história do porquê o Hokage havia ganhado uma ponte com seu nome, aquela história fora de longe uma das melhores, Sakura também havia contado para elas, o dom especial que o Hokage tinha de mudar o coração das pessoas, aquilo deixara Mizuki, com um sorriso idiota nos lábios.

O portão da casa da Mizuki ficava a apenas uma quadra da onde se encontravam caminhando, de repente ela desviara sua atenção para a lua, e uma pequena dor em seu peito, fez com que uma lágrima escorresse nos seus olhos, de repente desviou o olhar para o lado, podendo ver Sarada a encarando de maneira surpresa.

– O que houve? Você está bem? – Não queria contar, tinha receio de contar, mas sabia que a garota estava com a curiosidade ativada.

– Outro dia eu te conto pode ser? Agora estou cansada, e você também precisa descansar. – Havia forçado um sorriso para Sarada, o que sabia que não adiantaria muita coisa, pois Sarada agora a encarava um tanto chateada. – Sarada-chan, Sakura-sama, tenha uma boa noite, até mais. – Logo Mizuki correra na frente, passando pelo portão, dando um leve aceno antes de fechar a porta atrás de si.

 

 

Desde que vira aquela lágrima nos olhos de Mizuki, não conseguia parar de pensar qual fora o motivo, que a deixara tão triste repentinamente, dentro de si pode sentir um pequeno aperto, sabia que começava a sentir as dores da garota, isso por um lado era viável, já que as mesmas se encontravam muito próximos, até mesmo ChouChou, havia ficado um pouco enciumado com a aproximação que ambas tiveram.

Havia criado um laço com a garota de cabelos lavanda, e os mesmos começavam a ficar cada vez mais fortes, não sabia se aquilo era bom, pois assim que as mesmas terminariam o treinamento, Mizuki iria partir, e provavelmente, não se veriam com tanta facilidade, seu peito novamente apertou, mas decidira ignorar, iria aproveitar esse novo laço que começava a ficar mais forte, um breve sorriso agora aparecia em seus lábios, havia pensado em algo.

– Mama, quero fazer um encontro com as meninas, nas águas termais, você viria conosco? Podia convidar a tia Ino, a tia TenTen, a tia Hinata e a tia Temari, e eu convidaria as garotas, o que acha? – Sarada encarava a mãe com um enorme sorriso nos lábios, enquanto via sua mãe balançar a cabeça para os lados, com um sorriso no rosto.

– Tudo bem, faz tempo que a gente não se reúne mesmo, amanhã a gente resolve isso, agora está na hora de irmos descansar, ok? – Sarada apenas balançara a cabeça concordando.

Ela sabia que não tinha lugar melhor para um bom descanso, do que as águas termais, aquilo sim era relaxante, e no mais, poderia conversar com Mizuki, sobre aquela lágrima que havia escorrido de seu rosto, ainda estava preocupada com a amiga, faria o possível para faze-la se sentir bem, não importando o que precisava fazer. Ela havia cativado Sarada, a garota de cabelos lavanda havia ganhado um espaço no coração da Uchiha, isso a deixara feliz, sabia que Mizuki precisava de amigos, até porque era triste demais estar só, ela não sabia que sensação era essa, mas sua mãe havia contado a história do Nanadaime, e aquilo tinha deixado Sarada de coração partido, passar a infância sem amigos, não desejava isso a ninguém.

 

 

O dia amanhecera, e Mizuki já havia sido contatada para ir à sala do Hokage, provavelmente teriam uma missão pela frente, pois sabia que o Nanadaime ainda não estava em Konoha, mas provavelmente ele já se encontrava no caminho de volta, graças a tecnologia que agora existia, se deslocar de um lugar para o outro era mais fácil e rápido.

Mas já haviam se passado dois dias desde que ela treinara com Sarada e a mãe dela, no dia anterior, todas as garotas tinham ido as fontes termais, incluindo as mulheres, ela sabia que aquela ideia havia partido de Sarada, pois a mesma ficou o tempo todo fazendo perguntas para ela. Mizuki sabia da insistência de Sarada, por isso resolvera contar logo de uma vez.

 

Fontes termais, um dia antes.

“Todas as garotas se encontravam reunidas dentro da sala, arrumando-se para adentrar nas fontes, isso incluía até mesmo as mulheres mais velhas. De longe, Mizuki podia ver a mãe de Sarada, a mulher do Nanadaime, e mãe de Boruto, podia ver uma mulher de cabelos castanhos com dois coques amarrados no alto, podia ver a mãe do Inojin, que havia conhecido alguns dias depois de sua chegada a Konoha, já que sua mãe era do tipo que adorava flores, e viu também uma mulher alta de cabelos amarelos, que Sarada havia dito ser mãe de Shikadai, ao lado de Sarada, se encontrava ChouChou  e Himawari, ambas conversavam e riam juntas, o que fez Mizuki se sentir uma intrusa no meio.

Quando resolvera das as costas para as garotas e as mulheres, ouvira uma voz familiar a chamar, desviava o olhar para trás, e podia ver todas olhando para ela, o que fez com que suas bochechas ruborizassem fortemente, Sarada apenas sorria de lado, enquanto as outras voltavam a conversar.

– Ei, onde você pensa que vai? – Sarada, ChouChou e Himawari, agora vinham em direção a Mizuki, sabia que não tinha como escapar agora.

– Bem... Eu só ia pegar uma toalha... – Se condenou assim que via as meninas rirem, não entendendo o porquê, de repente viu Himawari apontar para o lado, onde havia várias toalhas penduradas, o que a faz abaixar a cabeça, ruborizando novamente.

– Vem, vamos aproveitar! – Sabia que não adiantaria nada, então decidira aproveitar aquela situação, quem sabe poderia fazer ainda mais laços com essas pessoas que agora a acolhiam, era isso que iria fazer.

Alguns instantes depois, Himawari e ChouChou, juntos das mulheres se encontravam dentro das fontes, Sarada pedira para as outras kunoichis irem na frente, que ela só conversaria rapidamente com Mizuki, e logo estariam indo também, ambas cederam e saíram. Logo Mizuki se encontrava sozinha com Sarada, ambas sentavam num dos banquinhos da sala que dava para as fontes, encararam-se por instante, até por fim, Sarada quebrar o silêncio.

– Porquê estava chorando naquele dia? Não era exatamente chorando, mas vi uma lágrima rolar no seu rosto, vai me contar não é mesmo? – Mizuki apenas olhava para a garota ao seu lado, nada passava despercebido daquela garota de óculos, nada mesmo.  Sarada apenas viu Mizuki assentir, então relaxou suas mãos sobre o seu colo, pronto para ouvir.

– Eu tenho um irmão, sabe? – Podia ver a expressão de surpresa no rosto da garota ao seu lado, e com um sorriso de canto, continuou. – É, pois é, mas não gosto de falar muito dele. – Sabia que a garota queria saber o porquê, então resolvera contar tudo de uma vez. – Bom, eu era pequena, e ele sempre me treinava, treinávamos com katanas, nossa família é muito boa em manusear katanas... – Fizera uma pequena pausa, lembrando-se do incidente que ocorrera naquela época.

– Oh, isso é sério? Por que não te vejo com uma, agora? Meu pai adoraria te conhecer, ele é ótimo com katanas. – O sorriso orgulhoso no rosto de Sarada, ao falar do pai era inconfundível, Mizuki tinha aquela mesmo sorriso quando falava do seu irmão para os outros.

– Bom, por causa de um pequeno incidente que ocorreu. – Logo Mizuki começara a contar sobre o incidente que ocorrera, o incidente que fizera a mesma nunca mais pegar uma katana na mão. Podia ver a expressão de Sarada, havia uma mistura de surpresa e incredulidade, enquanto Mizuki lhe contava a história. – Por fim, acabei não pegando mais numa katana desde então, só sei que depois disso, meus pais viviam insistindo para mim voltar a treinar, mas toda a vez eu recusava, porque acabava por lembrar da cicatriz no rosto do meu irmão.

– Entendo. Mas mesmo assim, você disse que até mesmo seu irmão havia dito para você voltar a treinar, certo? Se ele mesmo disse isso, porque você não voltou? – Sarada começava a entender um pouco mais da garota que começava a se abrir para ela.

– Depois daquele dia, eu não consegui mais pegar numa katana, minha mão treme toda a vez que eu toco em uma, meus pais por várias vezes me obrigaram a tocar em uma, meu irmão sempre me defendia, e isso fez com que eles diariamente entrassem em uma discussão por minha causa, aquilo me machucava, ver meu pai e meu irmão brigando, por várias vezes eu fugi de casa. Um dia eu estava no telhado de casa, e meu irmão se sentou ao meu lado, e disse para mim sempre olhar para a lua, que independentemente de onde ele estivesse, ele sempre me protegeria, e sempre me apoiaria em tudo. Desde daquele dia eu nunca mais o vi. – Mizuki agora estava com os olhos marejados de lágrimas, amava o seu irmão, amava mais ele do que sua mãe e seu pai, sentia orgulho do mesmo, sempre o exibia para as pessoas da vila, ele era o seu herói. – Bom, agora me responde... Como eu poderia tocar em algo que machucou a pessoa que eu mais amo nessa vida?

Depois daquela pergunta o silêncio havia tomado o local, Sarada e Mizuki, estavam quietas, apenas observando as duas garotas e as mulheres conversando nas fontes logo a frente. Elas não falaram por minutos, nem mesmo haviam trocado olhares, Sarada parecia tentar entender a dor da garota, mas não conseguiria, sabia que uma dor só era compreendida quando se passava por ela, e ela ainda não sabia como era a dor de machucar alguém que se ama, não poderia nem pensar nisso, mas de algum modo seu coração se apertava ao ver a garota ao seu lado, podia ver a mesma desviar o olhar para o lado, passando a mão sobre o rosto, provavelmente, tentando limpar o rosto, onde as lágrimas haviam escorrido.

Sarada não sabia o que fazer naquele momento, então ela simplesmente se virou para Mizuki, puxando-a para si, a envolveu em seus braços, e ali a abraçou fortemente. Naquele instante ela apenas queria tirar um pouco da dor que a garota de cabelos lavanda sentia, não poderia compreender a dor, mas poderia ajudar a ameniza-la, por enquanto era isso o que ela poderia fazer. Sentiu a garota a abraçar em resposta.

– Obrigada! – Só conseguira dizer aquilo, a garota de óculos que parecia querer conforta-la, só tinha essa palavra para ela, não mais que isso, não encontrava outras palavras, por um segundo pensou em se afastar, mas ela precisava daquilo, precisava se sentir protegida, como era quando seu irmão estava por perto, e pela primeira vez em anos, voltava a sentir aquele aconchego, aquela proteção, então mais lágrimas rolaram pelo seu rosto, até por fim, amenizar a dor que estivera por tanto tempo em seu peito.

 

Ainda podia lembrar de como se abrira consideravelmente para Sarada, não era de fazer isso, não havia chorado no colo de sua mãe, nem quando a mesma a contou que seu irmão havia ido embora de Amegakure, não entendia o que aquela garota tinha de tão especial que fazia se sentir protegida, aconchegada, não entendia o porquê dela se sentir tão feliz perto da garota, ou talvez sabia e simplesmente não se permitia sentir totalmente.

Sabia que depois de terminar o treinamento com o Nanadaime, ela iria partir para Amegakure, sabia que isso significaria se afastar das pessoas que a haviam cativado em Konoha, mas não podia se permitir ficar, tinha estabelecido uma meta para si mesmo, e iria cumpri-la, independente de como, quando ou onde, ela iria se tornar líder de Amegakure, e faria de tudo para conseguir tal coisa.

Ao entrar na sala do Hokage, pode ver várias pessoas lá, incluindo Sarada, ambos apenas sorriram uma para a outra, e então ficaram em silêncio por um tempo, ouvindo as palavras do conselheiro Shikamaru e da mãe de Sarada, encontravam-se no local um homem de cabelos brancos com uma máscara que cobria quase todo o rosto, e outro homem com uma roupa verde esquisita que andava de cadeira de rodas, não sabia que era aqueles homens, mas logo fora cutucada por Sarada, que a fez desviar a atenção para o conselheiro.

Recebemos várias denúncias de algumas vilas turísticas do País do Fogo, parece que um grupo de mercenários está causando o terror nessas respectivas vilas. Já tenho a autorização do Nanadaime, para manda-los para uma missão de identificação, os grupos como vocês podem ver já se encontram formados. Sarada, Mitsuki e Boruto, vocês irão para o lado sul, da vila, enquanto Shikadai, Inojin e ChouChou, irão para o norte, Mizuki, Metal Lee e Akira, vocês irão para o leste. De repente, um ‘entendido’ foi dito em coro, mas algo parecia matutar na cabeça de Mizuki.

E quanto ao oeste, Shikamaru-sama? Mizuki podia ver o sorriso do conselheiro e dos dois homens desconhecidos que se encontravam ao lado do mesmo, não entendia o porquê daqueles sorrisos, até por fim, ouvir a resposta.

– Achei que ninguém notaria esse detalhe, bem, o Nanadaime já foi avisado sobre o grupo, ele própria cobriria a região oeste. Então, quando vocês estiverem verificados as localizações de vocês, deverão todos se reunir em um local especificado pelo próprio Nanadaime, ele avisara vocês, provavelmente com um bunshin, entendido? – Ambos os ninjas presentes na sala concordaram.

Alguns minutos depois ambos os três grupos se encontravam no portão principal, junto de Shikamaru e Sakura. Eles estavam prontos, Mizuki se sentia feliz, sairia em mais uma missão, fazia semana desde a última, finalmente poderia mostrar mais de si, poderia se tornar ainda mais experiente e mais forte, mesmo que fosse uma missão simples de identificação.

– Dispersar! – Assim que os grupos ouviram tal palavra, começaram a correr na mesma direção, até por fim, desviarem para diferentes direções.

Logo os grupos começavam a sumir da visão de Shikamaru e Sakura, fazendo ambos sorrirem, entrando em momentos nostálgicos, e relembrando de quando seus respectivos times saiam em missões. Sabiam que já haviam ficado para trás, sabiam que a nova geração estava mais preparada do que nunca, mas mesmo assim algo dentro deles fez com que pedissem para que os nove ninjas ficassem bem, e voltassem logo para casa, sãs e salvos.


Notas Finais


Peço perdão se tiver algum erro, como fiquei devendo para vocês, nem consegui reler e corrigir, e o tempo tbm tá curto kkk enfim, não esquecem de comentar se gostaram do Capítulo e de favoritar se gostaram da história, arigato.

E no próximo capítulo teremos nossos vilões de volta, e um possível encontro, rá kk, até lá.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...