História April e Alaska:O Vampiro e a Lobisomem - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 9
Palavras 900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Bom, me desculpem pela demora, eu estava sem ideia do que escrever, isso acontece bastante T-T e também eu percebi que os capítulos estão bem confusos, sinto muito por isso.Então a partir de agora eu vou demorar para escrever,porque quero me sentir satisfeita com o que estou escrevendo e também não deixar ninguém confuso.

Me perdoem por qualquer erro,falta de acentos e/ou pontos.

Boa Leitura \o/

Capítulo 3 - Treino e Calma


Fanfic / Fanfiction April e Alaska:O Vampiro e a Lobisomem - Capítulo 3 - Treino e Calma

    ~ Sete Anos Depois

 

    Alaska senti o vento morno bater em seu rosto, finalmente o verão havia chegado e assim o garoto poderia se aproximar da vila de April sem se preocupar com a segurança da sua amada,já que os vampiros não gostam de sair ou caçar nessa época.Ele olhava a ruiva treinando com o irmão.April parecia estar em desvantagem, já que a cada investida que dava seu golpe era bloqueado e ela era empurrada sem o menor esforço.

 

    -April,tenha mais cuidado quando for atacar. -Claus anda para o lado sem olha-la. -Assim como quando caçamos, numa luta você deve ser cuidadosa. -Ele olha nos olhos de April. -Afinal você não quer que a sua presa escape, quer?

 

    Ela se agacha e começa andar como se estivesse espreitando sua presa.Seus olhos estavam diferente, Alaska podia sentir isso, fazendo círculos em volta de Claus, o mais velho finalmente podia ver que o pequeno jogo estava ficando sério.

 

    Em uma investida rápida April ataca o braço esquerdo do irmão que cai pela surpresa, ela aproveita a que e fica sobre ele e então finalmente guia sua mão até a barriga de Claus e faz cócegas nele até o homem empurra-lá com certo esforço fazendo a pequena punição parar.

 

    -Q-que bom que...você entendeu...o que eu queria dizer. -Claus diz tentando normalizar a respiração. -Não tínhamos...combinado que a punição seria um tapa,eu realmente odeio cócegas. -Ele termina a sentença dando um tapa leve na cabeça de April.

 

    -Desculpe. -Ela ri do desconforto do irmão e o segue de volta á vila.

 

    Alaska suspira e fica em pé no galho se virando na direção do castelo e então sai do local.

 

----------------

 

    Os dois irmãos andam pisando sobre a grama verde, aquela era a estação que April menos gostava, já que não podia brincar na terra e sempre que caia se machucava ou se sujava.Quando finalmente chegam os dois são recebidos com o sorriso gentil de uma garota.

Ela tinha cabelos castanhos longos,vestia um vestido e tinha a mesma idade que Claus.

 

    -Bem-vindos. -Diz simpática. -Não vou nem tentar adivinhar que ganhou. -Ela olha dos dois de cima abaixo e suspira.

 

    -Hoje a vitória foi minha,Aurora. -A ruiva diz feliz abraçando a mulher. -Uma vitória doce como...como...algo doce. -E ri novamente da infelicidade do irmão.

 

    -Você ganhou apenas uma das lutas e todas vezes que você errou? -Claus também abraça Aurora e a beija, se vira para April esperando a resposta.

 

    -O que importa numa luta é quem sai vivo e empurrões não vão me matar. -Dessa vez Aurora ri e concorda com a garota.

 

----------

 

    Chegando ao castelo Alaska é recebido como sempre, com muito elogios e sendo tratado como um rei, e ele acha que seu incômodo acabou, uma mulher vestindo um longo vestido preto com um laço amarelo amarrado delicadamente em seu pescoço,a chefe das empregadas, para a sua frente.

 

    -Jovem mestre seu pai não gosta que você saia, muito menos em dia tão ensolarados. -Ela diz e vê Alaska desviar-se e continuar sua caminhada.

 

    -Então faça o de sempre, -Ele vira o rosto pra ela. -Não conte a ele. -E sorri seguindo seu caminho.

 

    Alaska finalmente chega ao seu quarto, que havia sido trocado de lugar e espera calmo a chegada da garota que iria ouvir os acontecimentos de hoje.

 

    -Jovem mestre. -Lilith faz uma pequena reverência e Alaska tenta não rir.

 

    -Por que tão formal? -Devolve a reverência.

 

    -Minha mãe está de olho em você, se ela me ver o tratando de forma normal vai começar a dizer que deveríamos nos casar, e eu prefiro tomar banho de sol a isso. -Fala baixo olhando em volta.

 

    -Concordo, você não faz meu tipo mesmo. -Ele sorri sarcástico.

 

    -É claro que não, afinal você prefere algo mais perigo, não é mesmo? -Os dois começam a rir de forma desafiadora, mas param ao ouvir passos.

 

    Alaska puxa Lilith para dentro do quarto e fecha a porta, segurando a respiração até a os sons se afastarem.

 

    -E também. -Ele se vira para Lilith que apontava para seu pescoço que tinha uma fita azul amarrada. -Hoje eu terminei meu treinamento e fui oficialmente nomeada sua empregada pessoal. -Ela bate palmas alegre e Alaska a acompanha.

 

    -Finalmente ninguém mais vai me incomodar no meio da noite para ver se eu não fugi.

 

    Lilith então se senta na cama e bate levemente ao seu lado chamando o garoto.Alaska se senta do seu lado e conta o pequeno acontecimento do dia.

 

    -Então é verdade, eles caçam. -Ela olha para o teto pensativa. -Eu não entendo isso, se eles conseguem matar algo, por que eles não conseguem nos derrotar facilmente? -Ele pergunta a ele.

 

    -Bom...nós somos mais rápidos e também podemos simplesmente sugar o sangue de e mata-los, eles tem que nos atacar de perto e tentar não ser atacados por mais de nós, já que normalmente, estamos em maior número. -Ele suspira um pouco triste ao pensar nessa possibilidade.

 

    -Você iria matar algum lobo se ele te ataca-se? -Alaska se arrepia.

 

    -Mataria assim como mataria um vampiro.

 

    -Você não pode matar um vampiro, não sem morrer também. -Ela fala séria olhando nos olhos de Alaska.

 

    -Eu sei, eu sei, podemos mudar de assunto? -Ele se levanta e Lilith concorda.

 

    -Tomara que o inverno chegue logo, o sangue guardado não tem um gosto bom e também com todos saindo apenas a noite, é mais fácil perceber que você sumiu.

 


Notas Finais


Obrigada por todo o apoio e até o próximo.
=^-^=


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...