História Aprisionado - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Jungkook
Tags Bts, Fanfic, Imagine, Imagine Bts, Imagine Jin, Jin
Visualizações 25
Palavras 1.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente tive uns problemas aí e não pude postar, obrigada a vocês q estão me ajudando e lendo a fic
BOA LEITURA BOLINHOOSS

Capítulo 5 - Não era


Fanfic / Fanfiction Aprisionado - Capítulo 5 - Não era

- Hyung?- Jungkook abriu a porta deixando somente a cabeça para dentro verificando o local.

- Pode entrar- já havia se passado um dia, Seokjin ainda não tinha falado com seu irmão.

- Você está melhor?- sentou-se ao  lado do irmão e pôs as mãos no cabelo- ela te machucou muito?- empurrou a língua contra a própria bochecha, ato que ele sempre faz quando está nervoso.

- Não se preocupe com isso, Eleanor está vindo refazer os curativos, e eu já me sinto bem melhor- com cuidado foi se aproximando dele e encostou a cabeça em seu ombro, já que seus braços e costas ainda estavam muito machucados.

- Agora acredita que ela é uma boa pessoa?- passou suas mãos - que já continham calos - em seus cabelos.

- Como você está?- desviou do assunto, não queria se desentender com Jungkook por causa de uma mulher.

- Eu deixo você fugir do assunto só porque está aí todo machucado- riu sem humor, ainda sentia seus músculos tensos, ele ainda estava nervoso- estou bem- se remexeu um pouco encolhendo as pernas.

- Mas não deveria estar aqui- tomou a coragem necessária para tocar no assunto, ele devia estar livre agora.

- Eu não podia te deixar aqui hyung, como acha que eu me sentiria sabendo que estou livre e você aqui sofrendo- abaixou a cabeça deixando-a encostada em seus joelhos, ele sabia que Seokjin iria reclamar.

- Jungkook, eu morreria para você ser livre, eu gritei dizendo 'pra você correr, porque não me obedeceu?- elevou um pouco o tom de voz tirando a cabeça de seu ombro.

- Eu já disse, não te deixarei Seokjin, se for para um de nós morrer, morreremos juntos- continuou com a voz baixa, ele sabia que em qualquer situação  devia ao irmão mais velho respeito acima de tudo.

- Moleque burro- reclamou levando minhas mãos aos cabelos, se arrependendo segundos depois ao sentir a ardência em sua palma- você tem um vida inteira pela frente Jungkook, eu já perdi tudo, não posso te perder, não perderei a única familía que tenho para esses malditos- esbravejou,  não aguentava mais essa teimosia dele, será que não entende que Seokjin não tem mais vida- eu morri Jungkook, morri quando tiraram minha familía e minha esposa de mim, você tem uma vida inteira para viver, não é justo se juntar a alguém que já não tem mais nada como eu.

- EU NÃO VOU TE DEIXAR, NÃO ADIANTA, EU SÓ TENHO VOCÊ HYUNG, NÃO SEI VIVER SEM MEU IRMÃO- gritou com os olhos marejados e se levantando, tentou andar rápido mais acabou caindo quando as correntes enroscaram-se em seus pés.

- Vocé está bem?- tentou tocá-lo porém sua pele queimava como fogo. Ficou desesperado, sem saber o que fazer.

- Estou- sentou normalmente mais seu rosto estava muito vermelho. A porta abriu e duas pessoas entraram, usavam mantos longos e capuz.

- São esses?- uma voz rouca chegou aos  ouvidos de Seokjin e ele sentiu uma estranha sonolência.

- Sim- uma voz serena, seus olhos pesavam e a cabeça rodava.

- Qual é o mais novo?- pelo pouco que conseguiu ver com a visão embaçada, viu o corpo de Jungkook cair no chão, tentou ir até ele, porém acabou caindo ainda mais sonolento.

- N-não- sua voz não saia, estava fraca, não sentia nada além do sono imenso que invadia seu corpo. A única coisa que viu antes de apagar foi o corpo de seu irmão sendo levado.








Sentia seu corpo relaxado, era uma leveza incrível, não queria abrir os olhos, não queria sair dessa paz que o rondava. Seus olhos abriram-se sem a sua vontade.

Olhou seu corpo e surpreendeu-se ao ver que todos os seus ferimentos estavam curados, sua pele recuperada e macia, sem nenhuma marca, sem cicatriz, parecia que nunca havia sofrido golpe algum.

Levantou rápido e olhou ao redor, estava no mesmo quarto escuro, pelo que se lembrava não via o sol à alguns dias, sentia-se tão bem. Então a porta abriu em um baque, forte e chocando-se contra a parede com uma força desconhecida. E então ela estava alí, frente a frente consigo, com seus traços delicados, o rosto fino, e o sorriso que o conquistou, a mulher de sua vida, sua esposa.

- Senti sua falta meu amor- sua mão macia percorreu todo seu rosto fazendo carinho, Seokjin  fechou seus olhos aproveitando a sensação nostálgica de senti-la.

- O que aconteceu com você quando eu estava aqui? Como chegou aqui?- ela apenas sorriu e segurou sua nuca aproximando os rostos, ao sentir o toque suave de seus lábios em contato com os seus não pode evitar sorrir, puxou seu corpo para que ficasse mais próximo do seu, o beijo era suave, as línguas se acariciavam em uma mistura de sentimentos puros, estava tudo perfeito. Derrepente o Kim sentiu um puxão forte em seus cabelos e a velociade do beijo ser maior, seu coração acelerou e ele retribuiu da mesma forma ainda de olhos fechados, mas uma coisa o intrigou, não era o mesmo gosto, era selvagem e rápido tirando todo seu fôlego. Abriu os olhos e se assustei ao ver alí, ao invés de sua mulher amada, viu a sua carrasca, a mulher que o agrediu ao ponto de deixa-lo inconciente.

- CADÊ MINHA ESPOSA?- um sorriso enfeitou seu rosto bonito e sua imagem apenas se desfez em uma névoa densa e clara, carregava paz e tormento ao mesmo tempo.









Ao acordar no dia seguinte, assim que abriu os olhos procurei seu irmão, e tentou convencer-se de que tudo aquilo foi apenas um sonho estranho. Mas ao não encontrar Jungkook consigo, e nem os ferimentos em seu corpo, se convenci de que era tudo real. Antes que seus pensamentos se organisassem com mais clareza revivendo a noite ou dia -já nem sabia- anterior. Eleanor entrou com o semblante sério.

- Já que seus ferimentos se curaram você vai voltar ao trabalho hoje- tentou falar em tom duro, porém logo após ele a olhar confuso ela baixou o rosto- nunca mais tente fugir- olhando atentamente podia-se ver os diversos tons em seu rosto que variavam do roxo ao azul com a extremidade amarelada.

- Você foi…agredida novamente?- engoliu em seco a fitando preocupado, ela negou com a cabeça e pegou a mão de Seokjin após isso.

- Você é importante para mim, não faça nenhuma besteira, da próxima vez ela não te deixará vivo- seus olhos possuiam um brilho inexplicável, ela estava feliz?!

- Sabe onde está meu irmão?- sua postura enriqueceu e ela ficou novamente séria, parecendo desta vez ser tomada por algum tipo de crueldade não pertencente a si.

- Apenas trabalhe, é para isso que está aqui, logo chegará sua vez, assim como chegou para seu irmão- virou as costas e saiu. Seokjin  Arrepiou-se apenas de lembrar a maldade repentina que surgiu em seu olhar. Aquela não era Eleanor.

Todos voltaram ao trabalho normalmente, era como se nunca tivessem sido abrigados a nada, eles pareciam não sentir nada, pareciam mortos. Estavam todos soltos, uma atimosfera obscura pairava sobre todos, e ele se assustava cada vez mais. Tudo que  queria era apenas achar seu irmão e ir embora com ele, mais isso, era algo que ele já perdia as esperanças de que um dia acontecesse.

Após o meio-dia, depois de cada um tomar um copo de água, e parecerem recuperar novamente sua humanidade, era hora de plantar os grãos, estavam plantando algo totalmente desconhecido. Sementes ásperas e escuras, era como se já estivessem podres.

Foi em meio a todo o processo, que ele viu, saindo de dentro da casa, com roupas escuras, e postura autoritária. Jungkook, tinha um chicote em mãos e vinha em sua direção, tentou expressar algo. Mas estava perplexo, aquele não era seu irmão, depois de um tempoo fitando Jungkook  se dirigiu a outro escravo.

- Trabalhe direito escravo- ditou rude agredindo um senhor idoso que trabalhava bem, apenas com um pouco mais de lentidão do que os outros. Seokjin jogou todas as sementes que tinha em suas mãos no chão e correu até eles segurando o braço de seu irmão antes que ele iniciasse os golpes contra o senhor de idade.

- Jungkook o que pensa que está fazendo? O que aconteceu com você?- quando seus olhos escuros lhe fitaram com desprezo foi que percebeu.




Aquele não era Jungkook.


Notas Finais


Me digam oq estão achando, pfvr, espero q estejam gostando, eu sei q tá tudo meio sem sentido, porém, isso vai ter um desfecho bem louco assim como eu kkk
Bom eu estou com uns probleminhas de saúde, então se eu não postar é por causa disso e tbm os estudos estao puxados, e ainda tem esse problemas de saúde né, mais enfim
ATÉ OUTRO DIA BOLINHOOSS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...