História Aquatic - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Exibições 28
Palavras 1.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


VOLTEEEI

Capítulo 11 - DEZ - Nada de jogos, Faith Spilberg


Fanfic / Fanfiction Aquatic - Capítulo 11 - DEZ - Nada de jogos, Faith Spilberg

''Nós estamos queimando
               Estamos queimando
                Nós somos cinzas no chão.''

 

Capitão Bieber's POV's 

3 semanas depois

Eu tenho dormido bem desde que consegui fazer o que esperava a vida toda. O navio não aportou desde que saimos de Paris, mas já temos nosso próximo destino. O meu único problema agora é Faith e seu novo amigo, o filho da puta, Mason que a essa altura devem estar passeando de novo do convés do navio, e os pesadelos que venho tendo desde a morte daquele homem, eles não acontecem toda noite, mas vêm em uma frequência que me deixa irritado. Eles são sempre iguais, eu estou sozinho no navio, olhando o mar e sinto uma mão em mim, quando olho pra trás vejo minha ex mulher, Mariah, vestida de branco, com olhar pálido, e quando eu me vê ela grita, e corre e eu acordo. A próxima parada do navio vai ser em um país que nem mesmo eu já visitei, Brasil, ouço muito sobre as mulheres de lá.  

Já é noite, quase hora de dormir, mas antes preciso checar se ainda há algum passageiro que não respeitou o toque de recolher, está tudo muito quieto em todas as classes do navio, ouço apenas as ondas fracas batendo no casco do navio, mas na primeira classe eu vejo duas pessoas sentadas num dos bancos, tento me aproximar sem fazer barulho, e quando olho bem vejo que são Faith e Mason, eles estão se beijando, mas não como um casal em um navio, eles parecem um casal de adolescentes de dezesseis anos que estão conhecendo o próprio corpo, as mãos dele percorrem todos o corpo dela,com sagacidade, ele a aperta tanto, eu meteria uma bala nele se o garoto não tivesse família.

-Boa noite crianças, passaram da hora do toque de recolher, não quero que isso se repita novamente, vocês estão no meu navio e eu gosto de manter a ordem. Mason vá até sua cabine, Faith, você fica, não é a primeira vez que você não cumpre os horários e eu exijo que regras sejam estabelecidas. Na minha cabine, agora.

-Deixa eu te contar um segredo Capitão, você não manda em mim, vou com o Mason.

-Sem joguinhos Faith, vamos.

A puxei pelo braço com brutalidade, alguém precisa colocar uma rédea nessa garota, não quero uma égua selvagem no meu navio.

Fomos até minha cabine, e Mason foi para a sua com cara de pirralho assustado, Faith gosta de jogos? Bem, vamos jogar.

''Ele diz que lhe ama
Quando você menos espera?
Ele faz seu coração palpitar
Quando beija seu pescoço?
Nada de cientista, ou biologia
É obvio quando ele me pega
É natural que isso me afete tanto.'''

-Faith, garotinha má, você acha que está lidando com quem? Acha que sou como Mason? Você está brincando com o diabo, não vai querer conhecer o meu inferno.

-Não tenho medo de você Justin, não tenho medo de nada.

-Não me chame de Justin, eu sou o Capitão Bieber, e você é minha Faith, mas você foi má, garotas más merecem ser punidas. 

Começo a desabotoar meu cinto, ela diz que não mas vejo medo em seus olhos, Faith sabe o que vai acontecer, sabe que vou deixar boas marcas. Isso a permite lembrar que ela é minha e  nenhum outro homem deve tocá-la. 

''Está no DNA dele
Ele simplesmente tira meu fôlego
Sinto isso todos os dias.''

-Se debruce na mesa e abaixe o short Faith.

E ela o fez, então bati a primeira vez com o cinto, e outra, e outra, até que a contagem chegasse em dez. Faith estava em silêncio, não chorou, não reclamou, apenas fechou os olhos e sentiu. Abri meu zíper, e disse a ela para que continuasse naquela posição, eu a quero em mim, quero senti-lá, isso não é amor, eu não amo ninguém, mas ela vai ser minha. Penetrei nela devagar, e ela soltou um gemido baixo, me pediu pra ir mais rápido e eu fiz, as marcas começavam a parecer mais roxas na bunda dela, e eu dei tapas, Faith não reclamou, só gemeu. Depois que acabei, ela se levantou, arrumou suas roupas e olhou para mim, ela esperava um beijo mas não o teria. 

-Pode ir agora Faith. 

Ela foi, sem reclamar, sem dizer nada. Essa não é a Faith que conheço, devo esperar por uma vingança?

''Não é difícil de entender
Perfeito em todos os sentidos
Vejo no rosto dele
Nada mais á dizer

Está em seu DNA.''

Faith Spilberg POV's

Justin me bateu, e me tocou do pior jeito possível, nenhum homem deveria me bater, não vou acabar como minha mãe, eu vou me vingar.

Liguei para Sam e Katrina, nos encontramos no café do navio e contei pra elas tudo o que aconteceu com exceção da morte do homem. Elas ficaram horrorizadas, querendo denuncia-lo, mas eu não queria, quero fazer pior. Fui na loja do navio, e comprei o melhor vestido que encontrei, completamente preto, colado, longo, salto preto, batom vermelho, o jantar dessa noite será o pior da vida dele.

Cheguei com meus pais e Charlotte no jantar, e parece que o meu jogo se virou contra mim, Bieber estava acompanhado de uma garota da segunda classe do navio, deve ter vinte e seis anos.

''Um menino triste e cansado vem na minha direção
Segurando a mão de uma garota
Aquela vadia sem graça finalmente vai embora
Agora eu posso tomar o homem dela

Alguém me disse pra ficar longe do que não é meu
Mas ele era mesmo seu se me queria tanto?''

Bieber anunciava no jantar que vamos parar no Brasil, ele tenta se concentrar na sua nova vadia, mas não consegue desviar o olhar de mim, e ele não é o único, ela me olha também, mas não com o desejo dele, e sim com ódio. Um a zero pra mim.

''Acalme-a
Ela está me dando nos nervos

Você não a ama,
Para de mentir com essas palavras
Acalme-a.''

Estou ansiosa para estar no Brasil, espero provocar tanto o Bieber, eu tenho um plano, quero uma garota brasileira comigo, e quero que Justin veja, posso lidar com as consequências depois.

''Não suporto ouvir ela reclamando
Cadê a chupeta dela?
Amá-la deve ser cansativo
Então garoto, vem me amar até o fim

Acalme-a
Ela está me dando nos nervos
Você não a ama
Pare de mentir com essas palavras

Acalme-a.
 


 

 


Notas Finais


C'mon to Brazil!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...