História Aqueça suas mãos com meu Sangue - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Karin, Naruto Uzumaki, Pakura, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Naruto, Nejihina, Policial, Sasuhina, Suspense
Visualizações 80
Palavras 1.677
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sou muitooo ansiosa, por isso estou postando hoje hehe. (era pra postar amanhã)
Bom, eu espero que gostem desse capítulo, eu gostei até, apesar do pesares hehe.
Tentei fazer um capítulo maior mas não consegui, é como se tivesse que parar num certo momento, sabe, pra dar um "mistério", não sei...
Enfim, apreciem, e não me matem <3

Capítulo 4 - Aqueça suas mãos com o inesperado


 

Era madrugada, 3h, o celular de Sasuke gritou incessantemente até que ele acordasse irritado, mas, ao ver o nome “Lee” escrito na tela, sentou-se na cama e atendeu sem pestanejar.

“Pronto, Lee”

Venha na delegacia, é extremamente importante

E desligou.

Soube que era muito mais que importante ao perceber que Lee nem ao menos despediu-se. Vestiu qualquer roupa que achou e saiu do quarto gritando por Naruto, por vias das dúvidas, era bom levar o loiro. Ele saiu no mesmo instante, já vestido e com uma expressão de quem já estava acordado.

— Lee me ligou, vamos logo. — disse e Sasuke assentiu o seguindo para fora do apartamento.

Foram no carro de Naruto, o mesmo dirigindo, em alta velocidade. Konoha era movimentada pela madrugada por causa das inúmeras boates e casas de festas que tinham, isso a fazia uma cidade conhecida também. Mesmo correndo o caminho pareceu mais longe que nunca, a ansiedade atrapalhava tudo.

Rock só fez um sinal para que o seguissem, a face séria, diferente de sempre que está brincalhona, por vez nem parecendo que é um delegado bom e que cuida de uma delegacia.

Estranhou ao pegarem as escadas, direção ao necrotério. As paredes brancas e frias, a luz branca refletindo nos azulejos e dando uma visão meio seca e sombrias. Passaram alguns corredores e pararam num corredor vazio, apenas um corpo usando a maca da última fileira, um lençol branco-amarelado cobrindo, mostrando a silhueta da cabeça, barriga e pés.

O Uchiha olhou para o amigo moreno que apenas balançou a cabeça e saiu, deixando os amigos para trás confusos. Sasuke chegou perto do corpo e puxou o lençol sem rodeios.

O mundo parou. O corpo congelou e os olhos arregalaram-se ao máximo, o lábio inferior começando a tremer ao reconhecer Itachi. Nem ao menos ouviu o silvo de susto de Naruto e nem seus passos pesados para perto do amigo.

Itachi estava com os olhos fechados e inchados, como se tivesse chorado antes de estar ali, a boca machucada, os cabelos soltos caindo para fora da maca fria. Sasuke desceu os olhos pelo corpo pálido e cadavérico, notando com horror um profundo e grande buraco onde deveria estar o coração. Um ódio percorreu seu corpo ainda paralisado ao ver riscos pelo torso, “P” e uma concha-do-mar feitos ao lado do buraco no peito do irmão.

Uma lágrima solitária desceu bochecha abaixo, os lábios comprimidos numa linha reta, prendendo um soluço.

Sasuke sentia sua vida, seu mundo, sua alma, seu tudo ruir cada vez que piscava os olhos e os mesmos captavam a imagem do irmão inerte.

Um Naruto choroso tocou o ombro do amigo mas o mesmo o afastou e saiu do corredor em pisadas pesadas e rápidas. Subiu as escadas e bateu a porta corta-fogo com força, fazendo um barulho ecoar na delegacia. Os funcionários que trabalhavam ali naquele horário, nenhum ousou direcionar o olhar para o delegado encarregado de comandar aquela merda toda, o mesmo nem olhou para ninguém, só se direcionou para fora daquele lugar.

[...]

Naruto ficou algum tempo ali, fazendo carinho nos cabelos do homem que um dia foi sua paixão platônica, e sempre seria.

Sempre foi apaixonado por Itachi, desde que foi jogar videogame na casa dos Uchihas, na sua adolescência. E Itachi continua com a mesma aparência, suave e másculo, lindo e elegante.

Secou as últimas lágrimas e passou o lençol por cima do corpo, mas antes deixou um demorado beijo na testa alheia. Encarou o cadáver mais alguns segundos e deu as costas, sentindo seu coração quebrado, mas nem querendo imaginar como estaria o do melhor amigo, já que Itachi parecia ser a única família de Sasuke que realmente se importava com ele.

Despediu-se de Lee e pegou seu celular, pensando em ligar para Hinata e pedir para que ela voltasse para casa, e como ela trabalhava a essa hora era de se esperar que ela estivesse acordada. E bom, Hinata era uma garota tão doce que só sua presença já amenizava qualquer situação.

“Oi, Naru, tudo bem? Aconteceu algo?” A voz delicada e gentil invadiu seus ouvidos, sorriu minimamente, melancólico.

Sim, Hina, aconteceu. Será que você pode voltar pra casa agora? Posso falar com o seu chefe?

“Oh! É muito sério?”

Sim

“Tudo bem, vou passar para o Kakashi”

Depois que conversou com o Gerente da Farmácia, pediu para que Hinata o esperasse que iria buscá-la. Alguns minutos logo Hinata estava entrando no carro. Assim que ela olhou no  rosto do amigo se assustou pelo mesmo estar com os olhos inchados e o nariz vermelho.

— Hinata… Sabe o Itachi?

— Sim! O que aconteceu com ele? — indagou preocupada, as mãos na frente da boca, temendo o pior.

— Ele… ele morreu, Hina.
O loiro não se aguentou e ruiu em lágrimas. Hinata arregalou os olhos e abriu as mãozinhas delicadas em frente a boca. Ao lembrar-se de seus poucos - porém importantes e alegres - momentos com o Uchiha mais velho os olhos lacrimejaram e encheram-se de prantos. Ficou estática por minutos, até que saiu do transe ao ouvir um soluço do loiro ao seu lado. Ainda desestabilizada ela ajeitou-se no banco e puxou a cabeça do Uzumaki para si junto do seu corpo, logo o mesmo estava com o corpo atravessado no banco e os braços envolto da pequena mulher. Ao sentir-se abraçado ele chorou mais, junto com Hinata, que pelo pouco que conhecera o moreno, sentiu que uma linda amizade nascia ali.

Ao chegarem no apartamento o loiro foi para seu quarto e Hinata ficou no meio da sala, perdida sem saber o que fazer. Ela estava tão triste! Algumas lágrimas desciam vez ou outra ao lembrar que agora não veria mais o seu recente amigo. Ia voltando para seu quarto, mas travou na frente da porta do Sasuke.

Se ela estava triste, imagine o Sasuke!

Sabia que o moreno não havia dado tanta intimidade pra ela, mas naquele momento Hinata só queria consolar o Uchiha mais novo.

Respirou fundo e tirou coragem do fundo do seu coração e se pôs a abrir lentamente a porta do moreno, assim teve a visão do mesmo deitado na cama de bruços. Ele nem ao menos se mexeu. Hinata ignorou a tremedeira que deu em suas pernas e andou até a cama, sentando-se vagarosamente.

— O que quer? — a voz do mais velho estava embargada, sinal do choro presente.

— E...e...eu….

Respirou fundo novamente. Ok, ela não era boa com palavras, nunca foi. Mordeu os lábios em dúvida, até que se curvou sobre o homem e o puxou para seus braços, o abraçando. Sasuke tentou se afastar mas a moça tinha os braços bem presos envolta de si. Se ele quisesse ela a tiraria dali, afinal, Hinata era quase uma borboletinha, não tinha força alguma, porém ele queria aquele abraço, ele precisava. Sem resistir mais retribuiu o abraço, afundando a cabeça no busto farto e sentindo o cheirinho que exalava da colega.

Hinata passo a fazer carinho nos cabelos negros e passar as mãos pelos braços coberto pela roupa social do homem em seu colo. Algum tempinho depois Sasuke dormiu embalado pelo carinho e o cheiro doce.

[...]

Quando Sasuke acordou, Hinata ainda estava em seu quarto e sua cama, e ele ainda estava nos braços pequenos da moça. Ela também dormia. Apreciou a face delicada e sonolenta e acabou se esquecendo por alguns instantes do fatídico desastre que sua vida aos poucos se tornaria sem seu irmão.

Seus olhos ardiam e o nariz escorria, a garganta estava apertada e sua cabeça doendo mais que o normal. Não queria levantar, por isso, deixou que sua cabeça caísse novamente sobre o busto macio e fechou os olhos.

 

O dia continuou uma grande merda. Sasuke voltou a acordar por volta das 7h e já tinha vontade de voltar a dormir. Quando despertou, Hinata não estava mais no quarto e sim na delegacia, já que o Uzumaki a levou, o mesmo preferiu ocupar a cabeça vazia com o trabalho e vê se conseguiria achar mais pistas sobre o paradeiro do serial-killer. Sasuke ficou em casa, naquele momento, depois do choque inicial, só queria ficar sozinho, mas não negou que o calor do corpo de Hinata o acalmou bastante.

Depois que tomou banho não escorreu mais nenhuma lágrima. Talvez fosse melhor assim, mesmo que ele ainda não acreditasse que Itachi havia mesmo o deixado, e mesmo após ver o corpo pálido do irmão no necrotério da delegacia justamente onde trabalhava, ainda acreditava piamente que o mais velho estava feliz e vivo.

Foi para a cozinha pegar algo para comer e viu a mesa ainda posta.

Depois de comer, pegou os papéis da delegacia e sentou no chão da sala silenciosa. Hoje ele não iria para o trabalho, e eles entenderiam isso mesmo que não quisessem. Não se sabe ao certo quanto tempo permaneceu lá na sala, os olhos pregados em cada letra e palavras escritas. Ele tinha que se concentrar! Quando os olhos passaram na ficha de Itachi, Sasuke cedeu. Desceu mais lágrimas, mesmo que dissesse que não iria mais. Porra, era Itachi! Quis rasgar todos aqueles papéis e tacar fogo neles. Não era justo, com ele.

[...]

O namorado de Itachi, Deidara, apareceu em seu apartamento um dia depois, para buscá-lo para irem ao enterro. Estavam todos na sala sentados em silêncio, vestidos de preto quando o loiro normalmente espalhafatoso e barulhento bateu na porta.

Deidara foi dirigindo, Sasuke no banco do passageiro e Hinata e Naruto foram atrás. Ao chegarem lá, a Capela não estava muito cheia, Itachi nunca foi sociável, afinal. Os pais de Sasuke ao menos se deram o trabalho de ir até o mais novo e confortá-lo, apenas viraram a cabeça. Suspirou.

Só realmente acreditou que Itachi não estaria mais entre eles quando desceram o caixão. Foi tão mais triste… Lágrimas desceram umas atrás das outras. Deidara estava abraçado à ele, tentando se consolar, mas nem Sasuke estava aguentando consigo mesmo, mesmo que não saíssem soluços descontrolados como era o caso do loiro. Naruto e Hinata estavam abraçados mais ao longe, chorando também. Itachi era um bom homem.


Notas Finais


ISSO MESMO EU MATEI O ITACHI MUHAUMUAHUAMUHA
Sei que não deve ter sido muito impactante pois eu só citei ele uma vez (no primeiro capítulo, se não me engano) então vocês provavelmente não criaram muita intimidade com o Tachi ainda :´(
mas mesmo assim espero que tenham gostado.
Ah, e também teve um contato mais íntimo Sasuhina EBA!
E então, alguém já tem um palpite de quem pode ser "P"?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...