História Aquela noite.... - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Lector, Levy McGarden, Loki, Lucy Heartfilia, Mavis Vermilion, Michelle Lobster, Minerva Orland, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Yukino Aguria, Zeref
Exibições 100
Palavras 1.501
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Mistério, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Self Inserction, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!! Tudo Bom?
Espero que gostem do capítulo, ficou bem fofinho, então espero que gostem!
Uma última pergunta: "Eu estou indo rápido demais com a relação deles?"
Me respondam por favor 😂😊😘

Capítulo 15 - Que tipo de relacionamento é esse?


Fanfic / Fanfiction Aquela noite.... - Capítulo 15 - Que tipo de relacionamento é esse?

Ótimo! Segunda feira novamente, e eu estava doente... maldita chuva misturada com sorvete!

No sábado depois que tomamos banho, pedimos uma pizza e depois brincamos um pouquinho na cama. Eu já disse o quanto é bom transar com a Lucy? Ela tem o corpo tão perfeito, o cheiro dela é tão doce, e eu nunca consigo sentir que a dominei. Os gemidos que ela dá, quando chama meu nome, quando tem seu orgasmo, tudo isso é lindo nela, e me encantam demais. Enfim, Foca! Ontem eu acordei super mal, com o corpo pesado, garganta doendo, estava um verdadeiro pedaço de bosta. O que eu ganhei com isso? A Lucy me deu banho! E ainda nos divertimos bastante na água. Mas, oque importa agora é que eu não consegui me levantar hoje, estava com frio, tossindo, espirrando, só queria ficar com minhas cobertas. Mas, e a Lucy? E o trabalho? 

- Natsu? Você está ai? Está bem? -fui despertado ao ouvir aquela voz que eu tanto amava me chamando, mas eu estava totalmente sem voz e sem forças pra responder. 

Mas, a Lucy é meio desesperada, então quando ficou sem respostas logo entrou no quarto e me viu naquele estado deplorável. Ei estava com o nariz escorrendo, e quase não dava pra me achar no meio das cobertas. 

- Natsu!! Você está péssimo! -Jura? Nem tinha me dado conta ainda.

- Consegue me responder? -continou, mas eu apenas balancei a cabeça negando e apontando para a garganta. -isso é ruim! Você não pode ficar aqui sozinho, mas também não posso deixar a empresa na mão...

- Não se preocupe comigo Luce... Você precisa ir lá. -disse com a voz fraca. 

- Quer que eu ligue pro seu irmão? -O Zeref? Cuidar de mim? Olha... se bem que não é uma má ideia, hoje ele está de folga, e ele sempre faz oque eu quero quando eu tô doente. E a Lucy com certeza ficaria mais tranquila se ele estivesse aqui. 

- Pode ser... 

- Ok. Enquanto isso vou comprar alguma coisa pra você comer. -apenas assenti com a cabeça. Falar naquele momento havia se tornado uma tortura. 

Não demorou muito e ela já havia chegado com algumas frutas, um chocolate quente com chantilly (ela já sabia meus gostos) e comprou também um Waflle. 

- Toma. Coma tudo. Agora eu preciso ir, estou atrasada. Seu irmão já deve estar chegando. Mas antes Natsu, tire um pouco dessas roupas, você está queimando de febre, assim não vai melhorar. Tome um banho com água morna Ok? Se cuida. -assenti com um sorriso, e ganhei um beijo na testa. Aquilo me deixou triste, mas também não queria que ela ficasse doente.

Fiz oque ela pediu e fui tomar um banho. Ajudou bastante, também vesti um bermuda moletom, e uma regata. Eu estava com frio? Magina! Tava ótimo. Nem abracei meu irmão quando ele chegou. 

Sim, eu abracei o Zeref quando ele chegou. Se tinha uma coisa que eu ficava quando estava doente era carente e manhoso. E nessa ocasião eu ainda estava com frio, então foda-se, abracei ele mesmo. 

- É maninho, ninguém te aguenta assim não! -disse ele ainda abraçado a mim. -Posso pelo menos entrar em casa Primero?

Me afastei dele e dei espaço pra que ele entrasse, logo em seguida fechei a porta e fui pro sofá assistir desenho. Nada melhor que assistir desenhos enrolado no cobertor quando se está doente.

- Abre a boca. -escutei ele falando e sem tirar os olhos da TV fiz oque ele mandou. Ele só enfiou um termômetro na minha boca e foi fazer alguma coisa na cozinha. -Até que você é organizado. Tem todos os principais remédios necessários em uma casa. -eu não podia falar então só olhei pra ele e pisquei. Eu não era de ficar doente, mas eu era prevenido. 

- Me dá, deixa eu ver. -retirou aquele treco da minha boca e olhou a temperatura. -É... tá meio alta, mas você vai sobreviver. -logo depois ouvi a companhia tocar e ele foi abrir, e voltou de lá com a pequena ameba loira. 

- Yo Mavis! -falei acenando a mão e dando um sorriso de canto.

- Oi Natsu. Como se sente? -perguntou com retribuindo o sorriso. 

- Um pedaço de bosta rosa, Como pode ver. -falei arrancando uma risada dela e do meu irmão, depois voltei a focar no meu desenho. 

- Nee maninho... -chamou Zeref 

- Hum? 

- Que tipo de relacionamento é o seu com a Lucy? -ao me perguntar aquilo eu o encarei, ele queria uma reposta.

 - Ah sei lá. A gente se pega todo dia, e a gente se ama também. 

- Natsu! Que tipo de relação é essa?

- Ué, foi você que quis saber. Agora pega meu celular lá em cima por favor. Você me lembrou de algo importante que eu tenho que fazer.

A Mavis só ria da situação, enquanto meu irmão subia bufando lá pra cima.

- Aqui. -me entregou o objeto se sentando novamente. 

- Toma. -entreguei o celular pra ele que me olhou com uma cara de dúvida. 

- Oush! Pra que que eu quero isso?

- Liga pra floricultura e pede pra eles entregarem um buquê de rosas coloridas com o recado que eu vou mandar por mensagem prs eles. -ele ficou sem entender nada, mas fez mesmo assim.


         ~~~~~~~~~~《》~~~~~~~~~~
LUCY ON 

Lá estava eu tranquila na minha sala, já estava quase na hora de ir pra casa, eu queria ver o Natsu, queria cuidar dele. Fui tirada dos meus pensamentos por alguém batendo na porta.

- Pode entrar! -disse erguendo a cabeça pra ver quem era. 

- Oi maninha! 

- Sting! Oque faz aqui? 

- Vim te levar pra casa, já que o Natsu não veio.

- Ah! Obrigado. Só estou terminando de arrumar minhas coisas e já estou indo.

- Ok. Ah, aqui! 

- Oque é isso? Outro Sting? -disse pegando um buquê de rosas de suas mãos.

- Esse não é meu. Estava na recepção e era entrega pra você. Tinha acabado de chegar, ai a moça pediu pra eu trazer pra você. 

- E de quem é? 

- Não sei. Tem um cartão. 

- E você não deu nem uma espiadinha maninho? -olhei pra ele com olhos investigativos, fazendo-o soltar uma risada.

- Nem preciso. Já se de quem é.

- Quem seria então? 

- Você sabe Lucy! Agora lê logo e vamos embora. 

Ignorei ele e me sentei pra ler o cartão, as flores eram tão lindas, cheirosas e coloridas. Ele tinha razão, eu já sabia de quem era, só não queria acreditar. Por que ele faria isso? Ainda mais agora. Sem mais delongas abri o cartão e comecei a ler o mesmo, que dizia:

"Querida Luce,
Escrevo esse cartão, lhe entrego esse buquê de flores, para marcar eles em nossas vidas se você disser SIM.
Venho pedir carinhosamente, que você continue fazendo parte da minha vida, da minha mudança.
Venho pedir que continue sendo o motivo dos meus sorrisos toda manhã, dos pequenos gestos que tenho praticado à cada dia como prova da minha evolução.
Venho pedir que daqui pra frente, esteja ao meu lado nos momentos ruins e de minha fraqueza.
Venho pedir que esteja ao meu lado nas minhas conquistas e sorrisos.
Que esteja ao meu lado quando cada lágrima cair. Quando cada sorriso bobo surgir.
Venho pedir, que me deixe fazer parte da sua vida como algo à mais.
Que eu possa tornar sua vida tão colorida como esse buquê. Porque você... é como as rosas que alegram e dão vida para os meus dias.
E que nossa relação estranha se torne algo oficial! Acho que você já entendeu onde eu quero chegar. Então fica pra você a resposta. Estarei te esperando em casa...
Com amor.... Natsu!"

Terminei de ler aquele cartão e quando percebi já haviam lágrimas escorrendo pelo meu rosto. A sorte é que o Sting tinha desistido de me esperar e foi pro carro. Limpei meu rosto rapidamente, guardei o cartão, coloquei ad flores em um vaso que havia na sala, e desci ao encontro do meu irmão.

Agora mais do que nunca eu queria vê-lo, queria abraça-lo e dizer minha reposta. Fiquei o caminho inteiro boiando, e nem percebi quando chegamos. Desci do carro, me despedi do meu irmão, e corri pra dentro daquele prédio. Eu queria muito ver ele!

Toquei a campanhia, e quando ele abriu e me olhou com aquele sorriso manhoso, eu larguei minhas coisas no chão e pulei nos seus braços, havia esquecido totalmente que ele estava fraco e doente.

- SIM, Natsu! Eu quero ser o sol da sua manhã, o motivo do seu sorriso, a razão da sua evolução, eu quero tornar isso oficial! Eu Te Amo Natsu! -falei ainda abraçada à ele, passava a mão em seus fios rosados enquanto ele beijava meu pescoço. 

- Eu não podia estar mais feliz por ouvir isso Luce! Eu também te amo! Demais! -ele falou, agora me olhando nos olhos, e quando ele terminou apenas depositamos um beijo calmo e necessitado. Nos separamos do beijo pela maldita falta de ar, e depois fomos pro quarto.


Notas Finais


Bom, pessoal é isso! Eu espero que tenham gostado. Tadinho do Natsu tá dodói.
Mas que fofinho ele né?
Me digam oque acharam por favor!
😊😘🤗💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...