História Aquela noite.... - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Lector, Levy McGarden, Loki, Lucy Heartfilia, Mavis Vermilion, Michelle Lobster, Minerva Orland, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Yukino Aguria, Zeref
Exibições 306
Palavras 1.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Mistério, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Self Inserction, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello fofuchos!!! Como vão? Vamos conhecer novos personagens? Então fiquem com mais um capítulo, beijão 😘

Capítulo 5 - Noite agitada...


Fanfic / Fanfiction Aquela noite.... - Capítulo 5 - Noite agitada...

- Por que seu gato é azul?

Na hora que ouvi sua pergunta e observei sua expressão, não pude deixar de rir. Ela não era a primeira à me perguntar isso, afinal não é todo dia que se encontrava um gato azul. A questão é, por que ela não tinha me perguntado antes?

- Por que está rindo? -me perguntou sem graça.

- É que você não é a primeira pessoa que faz essa pergunta, mas por que não tinha perguntado antes?

- Bom, eu fiquei com vergonha, e quando vi ele só de vista achei que fosse uma roupinha.

- Na verdade o Happy é um gato de raça comum, porém a minha mãe trabalhava em um laboratório onde eles estavam fazendo modificações genéticas em gatos. Muitos morreram, outros ficaram doentes ou deformados, e o Happy ficou azul. Eles tentaram doa-lo, mas ninguém queria, então quando iam jogá - lo fora, minha mãe viu e trouxe levou pra casa. Ele sempre foi muito apegado comigo, mas quando eu fui me mudar o meu irmão e o meu pai queriam ficar com ele também. Mas eu não deixei.

Ela me olhava com um olhar cabisbaixo...

- Por que estavam fazendo essas experiências com eles?

- De acordo com Oque minha mãe ficou sabendo, oque não foi muita coisa, já que ela não era dessa área, eles queriam lucrar mais criando uma nova raça de animais,  modificando seu material genético para criar animais de todas as cores possíveis 

- Entendi! Que crueldade.... 

- Pois é... ela sempre foi contra esse projeto, e à todos os outros que pudessem fazer mal aos animais, mas não deixavam ela interferir.

- Você sente falta dela não é mesmo? 

Ok! Poucas coisas que surpreendiam ou me abalavam, mas aquela pergunta me fez arrepiar todo! Como ela sabia ler os pensamentos e sentimentos das pessoas assim? De uma forma tão natural, como se soubesse oque a pessoa sente. Aquelas dúvidas apenas rondavam a minha cabeça e minha expressão permanecia vazia.

- Eu sei como se sente! -disse mais uma vez como se pudesse ler meus pensamentos. -Eu também perdi a minha mãe quando tinha 10 anos, e eu nunca superei, porque era ela que sempre estava do meu lado, que brincava comigo e com meu irmão, e que nos protegia do nosso pai... E pelo jeito que você fala dela, com tanto carinho e orgulho, mas com pingos de saudade, é como eu me lembro da minha mãe também... -ela disse isso logo me surpreendendo com um abraço apertado. Ficamos assim por alguns minutos, logo ela se soltou e foi em direção ao gato que permanecia esparramado no sofá, e eu me direcionei ao banheiro.

~~~~~~~~~~~《》~~~~~~~~~~~

Depois do meu banho, ainda esperamos uns dez minutos para que o pessoal chegasse, e logo a minha sala estava cheia de pessoas escandalosas e exageradamente animadas.

- Bom, deixe que eu apresente - os. -disse apontando para aqueles que já estavam sentados no sofá -Essa é a Erza, a doida que você teve o azar de encontrar -comecei pela ruiva logo recebendo um tapa na cabeça e ouvindo risadas escandalosas -esse aqui é o sonso do Jellal, namorado da Erza, o Gray que você também conheceu no restaurante também conhecido como gelinho, e essa é a Juvia, namorada dele. -Lucy apenas ria das minhas descrições e dos tapas e olhares ameaçadores que eu levava.

- Prazer Lucy-san, Juvia espera que sejamos boa amigas. -a Juvia era a mais gentil de todos nós, ela tinha cabelos azulados e curtos, usava vestidos enfeitados e normamente azuis, quem à visse de longe poderia jurar que virá uma boneca. O Gray, seu namorado e meu melhor amigo, um cara com cabelos quase negros, tranquilo mais ao mesmo tempo agitado, teve muito trabalho para conquista - lá, afinal a Juvia é muito tímida.

- Obrigado Juvia, eu também espero! -Lucy retribuiu com um sorriso.

- Olá, eu sou o Jellal, é um prazer. - O Jellal como eu já havia dito, é um cara super tranquilo, e não se estressa por nada, super inteligente e cauteloso com suas decisões e atitudes, ou seja, totalmente o contrário de uma certa ruiva, que é agitada, estressada, explosiva, e impulsiva. Mas, devo admitir que eles formam um casal perfeito.

- O prazer é meu. -respondeu ela novamente.

- Bom, chega de apresentações, vamos pedir a pizza. -Erza inteferiu animada, como sempre.

- Só um minuto, vou atender a porta, deve ser o Gajeel e a Levy. 

Fui em direção à porta, e logo abri a mesma confirmando minha hipótese. Eram nossos amigos, Gajeel e Levy.

- Alguém pediu pizza??? -disse a baixinha animada na porta mostrando umas quatro caixas de pizzas, fazendo com que todos (menos eu) presentes no apartamento gritassem eufóricos.

- E ae Salamander! Traquilo?

- Traquilo! E vocês? Como foi a viagem?

Gajeel e Levy foram os primeiros do nosso grupo à se assumirem e à quase uma semana estavam fora, porque tinham ido ver os pais da Levy, que moram nas montanhas. Eles sempre foram muito próximos, mas pro Gajeel, um cara enorme, cheio de piercings, com o cabelo grande e espetado, foi bem difícil conquistar uma certa baixinha dos cabelos azulados e curtos, que adora ler. Ou seja, com a gente, os opostos se atraem mesmo.

Passado mais ou menos uma hora, já tínhamos comido, até demais, conversado de todos os tipos de assuntos possíveis, a Lucy por incrível que pareça conseguiu acompanhar todos eles. Ela não era tão certinha como parecia. E nessa altura do campeonato descobrimos que ela e Levy tinham muitas coisas em comum, uma delas era o amor por leitura, ou seja, já pareciam se boas amigas.

- E Então, no que vocês trabalham? -a loira decidiu então quebrar o silêncio que havia se estabelecido por alguns segundos.

- Juvia e Levy trabalham numa biblioteca que também é uma lanchonete, que fica localizada no centro da cidade. -a azulada maior respondeu, e Levy apenas assentiu sorrindo, enquanto Lucy ouvia apaixonada, afinal deve ser incrível para pessoas que amam livros trabalhar com eles.

- Eu trabalho com o dono da empresa Dragon Cars, ajudando ele com a organização dos negócios e negociações. -respondeu Jellal com seu jeito calmo de sempre.

- Eu e o gelinho somos os advogados gerais da mesma empresa! -afirmou Erza com um olhar orgulhoso, enquanto o Gray apenas assentia.

- Eu administro os negócios exteriores da empresa. -resolvi me manifestar também.

Quando me voltei para a Lucy ela estava com olhos brilhando nos observando admirada.

- Como conseguiram emprego em uma das maiores empresas do mercado mundial, e ainda por cima em cargos tão altos e importantes!! -exclamou a loira 

- Estudando pra caralho, e também porque meu pai é dono da empresa, e já que ele insistia que eu trabalhasse lá, a minha condição era que eles também fossem escravizados. -respondi naturalmente.

- E a Juvia e a Levy? -mais uma pergunta da Lucy...

- Não gostamos nem de longe desse negócio de administração ou advocacia! Eu não largo minha biblioteca e meu café por nada! -inteferiu a azulada menor um tanto exautada, fazendo com que todos ali rissem.

- E o Gajeel trabalha como designer gráfico dos carros da empresa. -respondeu o Gray pelo moreno que já dormia no meu sofá. 

- Uau!!! Vocês são tão legais!! -exclamou a loira animada.

- Você é formada em que Lu-chan -perguntou Levy, que já tinha dado esse apelido à ela (quanta intimidade!).

- Jornalismo, e também tenho pós graduação em advocacia - respondeu gentilmente.

- Que incrivel Lu-chan!

E assim continuamos a noite, todo mundo foi embora já muito tarde, mas eu cofesso que me diverti muito, descobri coisas novas sobre a Lucy, e pecebi que ela é mais incrível do que eu imaginei.

Eu me sinto diferente, me sinto vivo, feliz... faz tempo que eu não me sinto assim... será que é culpa dela, de uma certa loira? Será tudo consequência daquela noite?










Notas Finais


Bom fofuchentos, vou ficando por aqui, não foi um capítulo tão longo, mas foi bom para conhecermos um pouco mais os personagens certo. Eu irei fazer mais pra frente um especial de todos os casaia para sabermos mais desses lindos casais da Fairy Tail. Eu ainda não seu se postarei outro capítulo hoje, pq amanhã tenho prova de matemática 😣, então tenho que estudar. Mas amanhã trarei pelo menos dois capítulos novos. Beijão, até a próxima. Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...