História Aqueles Seus Olhos Azuis - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Homestuck
Personagens Bro Strider, Dad Egbert, Dave Strider, Jade Harley, John Egbert, Karkat Vantas, Rose Lalonde, Terezi Pyrope
Tags Homestuck, Humanstuck, Johndave, Pepsicola, Striders Com Sardas, Woc Jade
Exibições 54
Palavras 1.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


COMEÇOOOOOOO

Capítulo 8 - Que os jogos comecem!


Aqueles Seus Olhos Azuis

Capítulo VIII - Que os jogos comecem!

Certo, agora a porra havia oficialmente ficado séria. Com o conselho infalível de Rose e a motivação oferecida por Terezi, Dave estava confiante e pronto para laçar o coração de John Egbert.

....ah, merda, a quem ele está tentando enganar?

Dave estava nervoso. Muito nervoso. Além da ansiedade – o maldito Egbunda não o chamava! -, havia o medo de dizer algo que o afastaria, a vergonha por mais cedo, a pressão de seus amigos que sabiam se sua paixonite, e que acreditavam que ele conseguiria. Ou melhor...mostravam que acreditavam.

Mas, mesmo com todo aquele apoio, Strider estava visivelmente aflito. Não queria que John o repelisse novamente, mesmo a chance dele fazer isso sendo grande, nem desejava que o melhor amigo deixasse de ser seu melhor amigo. Bem, pelo menos, perdendo a paixão, ele conservaria a amizade, certo? Era assim que ele queria que as coisas ficassem se tudo desse errado. Era assim que as coisas deveriam ficar. E era assim que John queria que permanecessem.

Mas advinha o quê? Dave Strider não concordava com isso. E quando Dave Strider não concorda com alguma coisa, é porque é algo realmente não-legal. E é por isso que ele mudaria as coisas – era apenas um degrau, afinal de contas, passar de melhor amigo para namorado.

Ok, um degrau bem alto. Ou melhor, talvez não fosse um degrau. Uma pilastra? Algo assim, e ele tinha que passar por “ficante” antes. Mas tudo bem, porque Dave Strider tinha uma escada portátil! E essa escada levava direto ao coração de John, e se chamava romantismo. Porra, sim, ele seria o cara mais romântico na face da Terra. Agiria do modo mais cavalheiro que John jamais vira alguém agir, e seria tão fodidamente gentil que John não teria escolha senão aceita-lo. Afinal, estaria com o cérebro derretido de tão doce que Dave agiria com ele.

Ah, sim, agora ele estava confiante! Tinha uma ideia básica do que fazer, aprendera tudo com os shoujos do irmão, que ele o fizera assistir quando era criança – digamos apenas que muita fita adesiva era gasta cada vez que Bro o tentava fazer assistir algo assim -, e se tivesse dúvidas, era só correr para Lalonde ou Harley. Espere, correr não, crianças legais não correm; ele andaria calmamente, ao ritmo de algum rap doente, com as mãos nos bolsos de modo desleixado. Isso. Bem legal.

De qualquer modo, era hora de testar seu romantismo: o celular e o computador produziram o mesmo bipe simultaneamente, avisando que uma mensagem chegara, e ele logo abriu o Pesterchum, não sem antes arrumar-se em sua cadeira e ajeitar os óculos, é claro. Mas...de novo, não era John. Era apenas Jade, a gardenGnostic, o chamando para desejar-lhe boa sorte com John. Deus, mas as notícias corriam rápido, hein? Após momentaneamente surpreender-se com a velocidade que Rose transmitia uma fofoca, ele observou mais uma mensagem chegar, e dessa vez sim, era seu alvo. Dave estralou os dedos das mãos e as colocou sobre o teclado, pronto para escrever. E que os jogos comecem!

–-ectoBiologist [EB] began pestering turntechGodhead [TG] at 17:10—

EB: hey dave!

EB: desculpe a demora. encontrei a jade no caminho pra casa e tive que parar pra conversarmos um pouco :B

TG: é, fiquei sabendo que vocês conversaram

EB: :?

TG: esquece

TG: enfim, cara, hoje foi um dia meio esquisito, né?

EB: é...toda essa coisa de terezi e karkat e pegadinhas...hehe. foi um dia meio fora dos meus padrões.

TG: pra mim também

TG: e sabe, por causa disso mesmo eu queria me desculpar

TG: eu te causei um pouco de confusão com a pegadinha

EB: oh, dave, não vai ser necessário! :o

EB: quer dizer, nos metemos em confusões o tempo inteiro. estou acostumado.

TG: não, não, eu insisto

TG: eu quero te levar num encontro, john

TG: e o que você quiser comprar, vai ser por minha conta

EB: um...encontro?

TG: isso

EB: você quer dizer, como bros, né?

TG: não mesmo

TG: encontro romântico

EB: ...uh

.

Aquelas reticências eram um mal sinal. Aquelas reticências definitivamente eram um mal sinal. Dave começou a ver o plano todo desmoronar na frente dos seus olhos, e em sua mente, um pequeno Dave caía em um avião em chamas, gritando, “ABORT, ABORT!”. Ele pensou em cancelar tudo e dizer que era brincadeira, mas não, não podia desistir agora. Apenas começara! E como Terezi dissera, ainda viriam muitas bolas-fora. Dave respirou fundo e aliviou a situação:

.

TG: quer dizer, não vamos ter que nos beijar na porta da sua casa nem nada do tipo

TG: a menos que você queira, é claro

TG: eu não iria ligar

TG: e seria até bom se nos pegássemos loucamente em algum beco, porque serviria de treinamento pra você, caso alguma garota com quem você fique no futuro não tenha a cara arrancada por seus dentes enormes

EB: dave, não está ajudando.

TG: desculpe

TG: enfim, é um encontro mas eu não vou fazer nada estranho

TG: prometo

TG: vamos só...sair de bicicleta e skate como nos velhos tempos, pode ser?

TG: um passeio até o parque

TG: eu e você, sozinhos, curtindo o dia

TG: que tal?

EB: hum...apesar da palavra “romântico” nessa proposta, acho que vou aceitar. faz tempo que não saímos assim, só pra curtir! normalmente as garotas saem com a gente.

EB: então, é, vai ser legal!

.

Dave girou em sua cadeira e socou o ar. Ah, vadias, ele tinha aceitado! Um ponto para o Dave, e mais um passo em direção ao degrau dos namorados. Mantendo um sorriso bobo, ele voltou a encarar o computador, ajeitou os óculos escuros e escreveu:

.

TG: foda

TG: quando está livre?

EB: meu pai queria que tivéssemos um momento pai e filho hoje à noite, então...amanhã de tarde está bom pra você?

TG: perfeito, cara

TG: te pego em casa depois do almoço?

EB: sem problemas, dave :B

TG: fechado, então

EB: hehe, fechado!

TG: nos vemos amanhã?

EB: claro. boa noite!

TG: boa noite, Egbert

TG: e oh, antes que eu me esqueça

EB: ?

TG: <3

EB: dave, isso foi muito gay.

TG: gay não, cara, foi irônico

EB: hehehe, ok, dave.

EB: coração irônico pra você também <3

–-ectoBiologist [EB] ceased pestering turntechGodhead [TG] at 17:20—

Depois dessa, Dave se deu ao luxo de sentar-se calmamente em sua cama, pegar um travesseiro, pressionar contra o rosto e dar o gritinho mais feminino e agudo que já dera na vida. Ele deixou-se cair na cama, ainda com o travesseiro cobrindo sua face completamente rubra, sorrindo como um idiota. Como se não bastasse aceitar seu convite para um encontro claramente romântico, Egbert devolvera seu coração! Repetindo, ele lhe digitara um coração! Meu Deus. Se ele aceitasse fazer tais coisas sempre que Dave dissesse que eram irônicas, sexo seria fácil. Mas não, ele não deveria pensar nisso agora – ao invés disso, deveria arquitetar o encontro no dia seguinte. Certo, iria encontrar John em seu skate, pegá-lo em casa por volta de uma da tarde...o moreno levaria sua própria bicicleta, é claro. Ele tinha que lembrar de pegar dinheiro no cofre da gaveta. Levaria John até o parque, dariam algumas voltas, e quando parassem pra descansar...oh, merda, o que ele iria vestir?! Não podia ir com aquela camiseta de disco de pixels chata. Era sempre a mesma! Ele pulou da cama e foi até o armário, procurando alguma roupa mais decente e nova. Mal acreditava que em algumas horas, teria um encontro romântico com o amor de sua vida! Ok, não era pra tanto, John ainda não o aceitara, mas Dave tinha certeza que se tornaria o garoto de sua vida se eles chegassem a namorar. Meu Deus, como o amava.

–Ah, sim, vadias, encontro com o Egbert. –ele murmurou pra si mesmo- E eu vou ser mais romântico o possível.

 


Notas Finais


:3c


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...