História Aqui é o seu lugar! Agora e sempre 02 - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys
Exibições 46
Palavras 2.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá....
Desculpem os erros e boa leitura

Capítulo 10 - Viagens – Parte 1


Fanfic / Fanfiction Aqui é o seu lugar! Agora e sempre 02 - Capítulo 10 - Viagens – Parte 1


- Algum lugar em mente – Chong aparece na porta com as malas prontas me olhando – Chong

- Os países sim, mais as cidades não – olho novamente as fichas – Mais acho que alguns telefonemas iriam ajudar e muito para encontra-las – me levanto e vou em direção a sala olhando em volta – S/n

- A qual país nós iremos? – Chong

-Brasil, EUA, Coréia do Norte e do Sul – S/n

- CORÈIA DO NORTE? Tem certeza senhora, esse lugar é muito complicado para entrar imagina para sair – Chong

- Eu sei, mais precisamos primeiro saber onde elas moram e depois colocar o plano em pratica, preciso que todas elas venham até aqui, mais sei o quanto e arriscado eu sair assim sem proteção – comecei a andar de um lado para o outro para encontrar alguma solução – Nós temos contatos com alguns desses países não é? – S/n

- Sim no Brasil temos contato com o PCC, nos EUA contato com a INZ, na Coréia do Sul com os Oshiro e na Coréia do Norte nada a relatar – Chong

- Ótimo, converse com eles... Em quanto tempo consegue contato? – S/n

- Alguns minutos são suficiente – Chong

Nisso somos interrompidos por um dos meus subordinados que estava responsável pelo o roubo que iriamos executar nessa madrugada no Banco central de Madri

- Senhora trago mas notícias – Henri

- Diga logo de vez – estava com uma expressão muito séria – Vamos Homem – S/n

- A Interpol estragou nossos planos e se infiltrou no Banco Central até segunda ordem e agora estão procurando algum vestígio seu naquele local – ele estava nervoso – Entretanto, deixamos nada a mercê daqueles investigadores e você saiu ilesa, mas agora precisamos de um outro plano – Henri

- E isso estraga minha viagem – S/n

- Vá a senhora e deixe comigo esse pepino – Chong

- Fazemos melhor, Chong vá encontrar elas, e eu fico aqui resolvendo esse pepino o que acha? – S/n

- Tem certeza senhora? Não quer que eu faça isso? – Chong

- Tenho sim, não se preocupe comigo, agora vá e faca seus telefonemas procure e as encontre – dou um riso e ele sai para longe até sumir do meu campo de visão – S/n

S/n Off~


Chong On~


Sai da casa e fui até o carro pegando rumo ao aeroporto, mas antes disse fiz alguns telefonemas e consegui achar elas, mas são de lugares tão diferentes, preciso ir primeiro aonde? Já sei irei primeiro até o Brasil e dela sigo o mesmo plano de voo de S/n, assim será mais fácil de encontra-las... E como eu sei, Alice ela vive no Texas, Cho Hee vive na Coreia do Sul em Busan, Kim Shay vive na Coréia do Norte, mas seu paradeiro é no Campo 14, Maria flor vive na favela da 22 , São Paulo – Mauá, Brenda vive na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, para ser bem exato em Uruguaiana extremo sul da região e Glenda vive na Amazônia, bem escondida por sinal
Assim, fui em direção ao aeroporto particular, por que se eu aparecesse não de verdade era presa na mesma hora, porque? Bom para começar, roubar 10 milhões de euros, de uma única vez, faz com que os policias sintam raiva de você. Assim peguei o avião particular e segui rumo ao Brasil

Dia 1 de Julho 14:50 p.m. 

Horário de Brasília


Chegando no Brasil, tive que sair rapidamente do local onde iriamos pousar pois a polícia estava nos esperando do lado de fora da pista, então precisamos fazer uma manobra e parar em outro local, por isso contamos com a ajuda de Tiago, um dos comandantes da área do tráfico, antigo conhecido meu

- Foi por pouco Chong– dizia Tiago que estava do, lado de fora do avião – Tiago

- Sim, muito pouco mesmo – disse saindo do avião – Sabe por que estou aqui não é? – Chong

- Sim eu sei, conversamos antes e como eu disse achei a localização das meninas aqui no Brasil, mas se não e incômodo queria saber o porquê delas 3? – Tiago

- Foi elas que S/n escolheu, apenas obedeço ordens – Chong

- Ok então, quer alguma ajuda para isso? – Tiago

-Já que pediu, quero encontrar com Maria Flor primeiro e depois com Glenda e Brenda, sabe onde encontrar elas, certo? – Chong

- Sim, me acompanhe por favor – assim fomos em direção à Favela da 22, para encontrar Maria Flor – Sabe com quem está li dando né? – Tiago

- Sim e não tenho medo, e como seu sei a única coisa que pode acontecer e ela implantar um dispositivo na minha cabeça fazendo a mesma explodir – ele engoliu o seco – Fora isso estou tranquilo – Chong

A viagem seguiu até chegarmos na entrada da Favela, e como eu imaginava os traficantes barraram minha entrada pois estavam desconfiados de mim, então Tiago explicou a situação porem eles não cederam, e no último momento tive que ligar para |S/n

Ligação On~


- Não liberaram a entrada? – S/n

- Não – Chong

- Quero conversar com o chefe dele agora – S/n

- Ei ela quer conversar com voce – entreguei o celular e eles começaram a conversar, so consegui ver o medo em seu olhar, e conclui que ela devia ter ameaçado da pior forma possível, deu um riso e continuei o caminho, pois eles me liberaram – Precisava ser tão dura? Qual foi a tática que voce usou? – Chong

- Sexo, pinto pequeno, muita dor e piranhas – S/n

- Doeu até em mim – Chong

- Agora prossiga vou desligar – S/n

Ligação Off~


Assim o carro prossegui um trajeto até parar num beco

- Ela mora naquela casa – disse apontando para a mesma – Cuidado e boa sorte – Tiago

- Muito obrigado – desci do carro e segui o restante a pé, olhei num vidro da janela e continuei caminhando até chegar na última casa, quer dizer que casa, era enorme com vários códigos de segurança que so um belo hacker poderia decifra nessa hora, cheguei mais perto – O de casa – disse quando apertei a campainha – Tem alguém ai? – nada – Alguém? – andei em volta da casa e nada – Onde será que ela foi? – Chong

- Olá – Flor

- Olá, Meu nome é Alberto e gostaria de falar com a dona da casa, ela se encontra – escapada de mestre Chong, escapada – Chong

- A eu sou a dona, prazer me chamo Maria Flor mais pode me chamar apenas de flor – sorriu – O que gostaria de falar? – Flor

- Bom uma amiga minha me deixou essa mala e disse que era para te entregar assim que você chegasse em casa, então vim apenas te trazer o que ela me pediu – sorri e entreguei a bolsa – Tudo o que voce precisa saber está nessa bolsa, espero que aceite o convite – Chong

- Mais que é voce? – Flor

- Digamos que logo saberá, preciso ir tenho mais algumas coisas para tratar até o dia 7 de Julho – sorri e sai de lá, deixando um pouco confusa, creio que eu ta, em, fiquei assim, entrei no carro – Chong

- Bom você manja das coisas, mas para onde agora? – Tiago

- Rio Grande do Sul, quero ainda hoje falar com ela e amanhã, vamos para a Amazônia e assim vou seguindo viagem até encontrar as outras meninas – olhei a janela – assim seguimos viagem para o RS, precisamente Uruguaiana – Chong

Dia 1 de Julho 21:55 p.m.

 Horário de Brasília


- Ai que frio – dizia Tiago cheio de casacos, para mim estava agradável o clima estava agradável, além do mais por que eu estava acostumado ao clima frio de Londres, Paris, Madri lugares fantásticos – Então Chong o que me conta da vida – disse me entregando um café – Nada demais? Ou apenas seguindo S/n como sempre – Tiago

- Minha vida continua a mesma desde que eu perdi Larissa, nada mudou e sim continuo seguindo ela, pois fiz uma promessa e não irei descumpri-la tão cedo – olhei o nada, quando o carro chega perto de nós – Vamos? – Chong

- Sim, pois a mesma deve estar no restaurante da Praça– Tiago

- Ok, vamos nessa – disse entendo no carro e esperando ele me levar ate o local do encontro – Como voce disse que era meu nome? – Chong

- Maicon Nunes – ele riu – É o nome do meu irmão caçula, não se importa? – Tiago

- Não – voltei minha visão a estrada e seguimos até uma pequena cidade ao sul, onde percorremos mais alguns km até chegar no restaurante, peguei a bolsa e segui para fora, quando avisto Brenda sentada no lado de fora com uma xícara de café em suas mãos levando até sua boca, me aproximei e olhei em seu semblante, parecia triste – Olá linda moça, por que está com essa cara? – Chong

- Algumas coisas que aconteceram comigo, nada de mais – ela me olhou e sorriu – Você é o Maicon Nunes? – Brenda

- Sim sou eu, posso me sentar? – Chong

- Pode sim, então o que faz aqui? Com uma estranha? – Brenda

- Digamos que estou fazendo um “recrutamento” e voce está na lista – dei um gole do café – A que café delicioso – olhei para mesma estava apontando uma arma para mim, sem pensar duas vezes faço o mesmo – E com certeza você tem uma ideia de quem eu seja – olhei em seus olhos – Chong

- Já ouvi falar em pessoas como voce, porém o que me surpreende é eu estar nesse “recrutamento” – Brenda

- Acredite menina, eu estou mais surpreso do que voce, apenas obedeço ordens – Chong

- De quem? – Brenda

- Descobrira se aceitar o que tem nessa bolsa – mostro a bolsa para a mesma que olha desconfiada – Acredite a uns anos atrás eu também fui assim – Chong

- Ok, e seu eu não aceitar – Brenda

- Te vejo no dia 7 de julho – disse saindo e indo para o carro, a mesma estava confusa porem saiu do local e foi para sua casa – Chong

- Ok Chong, a última da parada se encontra na Amazônia, quer dormir e descansar ou quer ir direto? – Tiago

- Vamos direto, ainda tenho parada em 3 países antes do dia 7 de julho – Chong

- Por que 7 de julho? – Tiago

Flashback On~


- S/n posso te perguntar uma coisa? – Chong

- Sim o que quer saber? – disse concentrada na lareira, em um dia frio de Londres, segurando uma xicara de chocolate quente e sentada em uma poltrona de coro com uma manta em volta da cintura – S/n

- Por que o dia 7 de julho lhe faz tão mal? Porque toda vez que chega perto dessa data voce sempre fica diferente? – Chong

- Digamos que nesse dia algo terrível aconteceu com meu coração, e nesse dia eu me transformei no que sou hoje – ainda olhava para o fogo – Dor, tristeza, amor, tudo o que eu menos queria aconteceu e agora não posso fugir da culpa, do remorso da dor que sinto aqui – disse com frieza – S/n

- Se arrepende de algo? – Chong

- De ter sobrevivido – senhora o que aconteceu com você? – Chong


Flashback Off~


- Nada – segui olhando a estrada até chegarmos em outro mini aeroporto – Não poderá me acompanhar? – Chong

- Nessa loucura não! Preciso resolver alguns problemas, mas fique com o avião e continue seu trajeto, te desejo tudo de bom e que nos reencontremos nessa estrada em que seguimos, manda um abraço para aquela doida – Tiago

- Pode deixar e muito obrigado por tudo – sai do carro e segui viagem para a Amazônia, espero que essa seja mais tranquilo de conversar, porém esse nome não é estranho, Glenda, sei que a conheço de algum lugar mais onde, pense – Chong

- Senhor Chong, estamos quase chegando na Amazônia, por isso peço para que ponha o cinto estamos passando por uma pequena turbulência – Aeromoça

-Ótimo, ninguém merece – Chong

Dia 2 de Julho 06:28 am 

Horário de Brasília 


- Muito bem, depois que eu voltar para casa eu não vou viajar por um bom tempo – disse olhando o aeroporto de Ajuricaba /Base aera de Manaus – Chong

- Senhor Figueira? - *

-Sim, quem é você? – Chong

- Digamos que eu sou Glenda, sua guia por essas bandas – deu um sorriso fofo, acredite no que eu vou dizer elas não parecem nada da pesada, são gentis, foco Chong foco – O senhor precisa de ajuda com a bolsa – Glenda

- O sim, quero que você leve para casa e abra assim que chegar nela, depois me diga o que achou no dia 7 de julho ok? – ela não entendeu – Chong

- Como assim? – Glenda

-Relaxa, apenas compareça nesse dia ok, bom tenho que ir preciso continuar minha missão – entrei novamente no avião e segui rumo Texas – Que dê tudo certo – Chong

C.O.N.T.I.N.U.A


Notas Finais


O que estão achando???
Obg bjos até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...