História Aqui é o seu lugar! Agora e sempre~2 Temporada - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys
Exibições 17
Palavras 2.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ahahaha mais um
Boa leitura

Capítulo 8 - Missão — Parte 2


Fanfic / Fanfiction Aqui é o seu lugar! Agora e sempre~2 Temporada - Capítulo 8 - Missão — Parte 2

Jeon On~

- Nam onde ela está? – Jeon

- Espera, estão indo com um batalhão ai... SAI AGORA DAI POR FAVOR – Nam

- Ok estamos saindo.... – Tae

Como Nam disse, havia um batalhão se formando atrás da porta, porem Tae foi mais astuto e jogou algumas bombas e depois se escondeu e eu fazendo o mesmo, não demorou muito para elas explodirem e pedaços de corpos serem arremessados a nossa frente, senti nojo daquela cena, entretanto devia ser forte

- Pronto Nam onde ela está? – Jeon

- Bom, ela se encontra numa das alas direitas, com vários corredores e salas a uns 300 metros, vocês devem entrar pela porta que se encontra a esquerda e depois seguir em frente até um pequeno corredor ali vira a direita e vocês entram finamente na ala – Nam

- TA me dizendo que ainda não estávamos na usina? – Jeon

- Mais ou menos – Nam

- Ok, vamos Jeon – Tae

Assenti com a cabeça e seguimos caminho fizemos exatamente o que Nam tinha falado, até entrarmos em um corredor totalmente branco, dava até umas coisas só de olhar para as paredes. Estávamos seguindo em frente quando escutamos passos rápidos vindo em nossa direção, não tivemos outra escolha a não nos escondermos em uma sala

- Me solta – S/n

- Eu já disse que voce vai ser minha agora CALA BOCA – Mk

Era ela, e aquele monstro, ela estava pálida além do normal com olheiras e seu cabelo estava sujo, portava um vestido não muito lindo e estava sendo segurada por aquele babaca, meu sangue ferveu na hora quando iria me levantar tae me segura e sussurra em meu ouvido

- Calma homem – Tae

- Não dá porra – Jeon

- Escuta – Tae

- Ok – Assim voltei onde estávamos e escutei a conversa – Jeon

- Me solta já disse – ela se debatia, porem ele a segurava com força – Deixa eu ir, se quiser o poder, pega é todo seu eu não ligo para isso mais deixe eu ir p-por f-avo-r – ela já estava chorando – S/n

- Nunca! Eu não vou deixar voce ser daquele policial de 5° categoria – nessa hora meu sangue subiu – JAMAIS – Mk

- Por favor – ela se desprendeu de seus braços e partiu para cima com socos e chutes, que não deram muito certo por que ele conseguiu agarrar seus cabelos – ME SOLTA RESTO DE ABORTO – S/n

- Nem pensar! – se abaixou e obrigou ela a olhar em seus olhos com as mãos no cabelo conseguia fazer esse feito – Nós vamos passar nossas feria, como uma lua de mel o que acha? – sorria perverso – Mk

- Não – ela consegue dar um chute no rosto dele e livra seus cabelos também, ela se levanta e parte para cima com mais chutes, so que dessa vez mais preciso, parecia uma profissional lutando quando ele aponta sua arma para ele dizendo – S/n

- Pare ou te mato – estava serio – Mk

- Me mate então! Prefiro a morte do que estar com um resto de aborto como você – S/n

Ele atirou no ombro dela, fazendo a cair no chão e logo foi até ela segurando pelo cabelo e arrastando pelo chão, dava para ver as marcas do seu sangue, não pude me conter parti para cima, porem outra vez Tae me segurou

- Me solta – Jeon

- Calma, vamos seguir e agir na hora certa – Tae

Assim fomos seguindo sem dar muito na cara até pararmos em outra sala, dessa vez S/n estava amarrada e ensanguentada na maca quando Min Kyung estava tratando de seu machucado

- Por que eu? – S/n

- Porque eu te amo, não entende – dizia ele tirando o projétil de bala de dentro dela – Não precisava disso, mais não me deu outra escolha - Mk

Assim ele deixou a arma do lado e foi até a pia se limpar e quando se virou S/n estava com a arma apontada para ele, o mesmo tremeu e disse

- S/n não faça isso – dizia com as mãos levantadas como sinal de rendição – Não faça o que está pensando – disse se aproximando mais – Mk

- CALA BOCA – S/n

- S/n calma – mais um passo quando ele parte para cima numa briga, o maior tinha sua vantagem porem S/n também era habilidosa, foram golpes primorosos até que ela acerta um chute no seu rosto fazendo o mesmo cair – S/n não por favor – Mk

- Apenas uma resposta – S/n

- Qualquer coisa – disse com a voz tremula – O que quer?

- O assassino da minha família – disse apontando para o mesmo – Quem ele é? Por que matou minha família? ONDE ELE ESTA ME DIGA SEU DESGRAÇADO! – S/n

- NUNCA – então ele foi acertado por um único tiro na cabeça, no meio da testa - Mk

- Queime no fogo do inferno – ela largou a arma e foi até a porta abrindo, quando ela me viu pulou em meus braços chorando – Jeon me perdoe – S/n

- Ok estou aqui não chore – apertei em meus braços – Vamos para casa Noona – fomos interrompidos por Tae – Jeon

- Mas antes devemos lutar contra esse pequeno exército – dizia apontando para o fim do corredor, que tinha vários subordinados de Min Kyung – E agora Nam? – Tae

- Desculpa gente vocês estão encurralados – dizia num tom bem preocupante – Não sei o que fazer pessoal – Nam

- Sem saída e agora? – Jeon

- Espera – ela nos puxou para dentro da sala onde estava antes e trancou a porta colocando alguns moveis que tinha no mesmo para impedir a passagem deles – Aqui vamos – disse abrindo a janela – Vamos por fora agora – S/n

- Nam, quantos metros tem isso? – Jeon

- Uns 50 metros é a melhor escolha – Nam

- Qual o plano s/n? – Tae

- Se pularmos a janela, será mais fácil de sair do andar e ir para outra ala, foi a mesma coisa que eu fiz quando sai pela primeira vez, assim nós vamos encontrar uma corda que vai para o outro complexo que é o mais alto daqui – S/n

- Então voce vai – Tae

- Sozinha? Não vamos juntos – S/n

- Você precisa S/n – disse olhando para ela – Suga esta te esperando lá, nós vamos fugir por outro lugar e nos encontramos em casa – Jeon

- Como assim? Suga? Os meninos estão aqui? – S/n

- Sim estão! Pegue isso – o tae deu um ponto para ela – Ele vai te ajudar a termos comunicação uns com os outros assim e mais fácil de nos localizarmos – Tae

- PEGUEM ELES – diziam tentando abrir a porta – Dok

- Quem é esse? – Jeon

- Longa história – ela saiu para fora da janela – Vamos – S/n

Assim saímos para fora e fomos nos equilibrando quando escutamos alguns tiros em nossa direção mais nenhum projetil nos acertou, que chegarmos na corda onde ela mencionou

- Tirem o casaco e usem para fazer uma tirolesa com ele até a outra Ala – S/n

- Ok – tiramos o casaco e assim eu o Tae fomos primeiro, estávamos lá nos equilibrando quando chegamos no outro lado e vemos S/n Lutando com um Homem, não podíamos ajuda-la, até que ela grita – Tae e Jeon

- Vão está tudo bem, encontro vocês em casa – S/n

- Ok – pedimos ajuda para Nam e comunicamos suga sobre ela está no local combinado – se cuida meu amor – Jeon

Jeon Off~


S/n On~

- Vão está tudo bem, encontro vocês em casa – S/n

- Ok – assim eles saíram e me deixaram lutando com Dok – Jeon

- Ora vejo que matou Min Kyung, garota de sorte cumpriu com sua promessa, agora vejamos se vai escapar de mim – Dok

- Me deixa em paz, não basta um quer ser o outro para visitar o satanás – S/n

Ele partiu para cima, com um jab na região da clavícula, fazendo eu ser arremessada na parede que estava próxima. Não deixei barato e dei dois diretos e uma rasteira na sua perna fazendo o maior cair no chão, não perdi temo e dei uma chave de braço no mesmo, entretanto ele na chave de braço ainda conseguiu morder minha perna com força fazendo eu o soltar e ir para o outro lado

- Queria morder outra coisa – Dok

- Vai se fude – olhei para o lado e vi sua arma no chão, sai correndo para pega-la e consegui no mesmo instante aponto para o mesmo e atiro deixando jogado no chão – Toma distraído – S/n

Assim eu vou para a corda tiro meu casaco e me lanço de lá de cima indo para a região mais alta da usina. Chegando lá eu me comunico com suga

- Suga está na escuta? – S/n

- Estou sim pode falar – Suga

- Estou aqui pode aparecer – S/n

- Ok, estou atrás de voce – assim me viro e vejo o grande helicóptero com ele dentro pilotando, dei um leve riso e ele disse – Surpresa? Vou posar assim voce entra – foi o que ele fez, pousando o helicóptero ele sai e vai ao meu encontro me dando um abraço – Que bom que esta vivas, agora vamos – Suga

- NÃO MESMO ELA VAI FICAR AQUI – disse apontando uma arma para mim e atirando para mim, mas Suga por um golpe de “sorte” para em minha frente e leva o tiro que eu deveria ter tomado – MENOS UM – Dok

- Suga nãoooo – disse com ele em meus braços, ele estava ferido não conseguia se mexer então ele olha para mim e diz – S/n

- Vamos logo – tossiu – pilote o helicóptero agra – tossiu mais uma vez, porém com sangue – Vamos – Suga

- Ok - eu levo ele para o helicóptero e me sento onde ele estava então olho para Dok estava muito machucado para atirar novamente por causa que usou suas próprias mãos para se atirar na tirolesa – Suga eu não sei pilotar e agora? – S/n

-Ok vamos começar pontos básicos:

O controle coletivo é a alavanca montada no assoalho da cabine para o lado esquerdo do banco do piloto

O acelerador está colocado no punhal do controle coletivo

O controle cíclico é a alavanca localizada diretamente em frente ao banco do piloto

E os pedais no chão controlam o leme. – ele foi me dizendo algumas coisas e eu estava prestando atenção nele - Suga

- Ai suga não complica não – S/n

- Continuando com o controle coletivo voce vai operar ou manusear com a mão esquerda, elevando e retrocedendo ele assim o helicóptero vai subir e descer, mas voce precisa ajustar quando suspende o controle coletivo, para aumentar a altura voce aumenta a potência, quando vai abaixar voce diminui a potência entendeu? – olhei e já coloquei minha mão no controle coletivo assentindo com a cabeça – Ótimo, segundo passo o controle cíclico voce opera com a mão direita ele é muito sensível, por isso movimentos suaves, para manusear leve-o para frente, para trás e para os lados assim ele se locomove e por último tem os pedais que voce vai operar com os dois pés eles servem para mostrar e direcionar o helicóptero para onde voce quer chegar – AI MEU DEUS DO CÉU –Compliquei? – Suga

- Para a primeira vez... sim – S/n

- Eu sei, mas agora preste atenção para decolar puxe o controle coletivo gradualmente para cima, assim o helicóptero vai subir consequentemente pise no pedal esquerdo, continue puxando e pisando, ajuste o pedal se estiver se virando para a esquerda ou direita – Fiz tudo o que ele me mandou e a aeronave começou a sair do chão eu o olhei e ele dei um sorriso dolorido – Agora voce vai usar o controle cíclico, continuando com o controle coletivo e pisando no pedal esquerdo, voce vai nivelar com o controle cíclico para ele se estabilizar no ar, assim agora voce pode levemente empurrar para frente, consequentemente ele vai tremer então voce precisa passar com movimento vertical para o horizontal, assim não treme tanto – Suga

Estava prestando toda a atenção quando notei que já estávamos voando, estava muito feliz pelo feito ainda um pouco receosa mais dava para relaxar, assim ele me deu um tempinho para me acostumar quando ele foi dizendo

-Agora reduza o controle coletivo e aplique menos pressão no pedal, empurre o cíclico para frente evitando uma alta atitude do nariz e redução da velocidade, agora a aeronave vai subir e ganhar mais velocidade nessa hora voce com os pedais vai estabilizar ela no ar e as maiorias das manobras e so uma combinação do coletivo com o cíclico, agora podemos voar com um pouco mais seguros – ele tossiu e respingou um pouco de sangue em mim – Suga

- Suga precisamos de um hospital – virei o helicóptero para a esquerda e direcionei para frente até um hospital mais próximo, porem antes de fazer esse feito Suga me interrompe e diz – S/n

- S/n temos companhia – olhei no radar e vi mais dois helicópteros atrás de nós – precisa fugir – como Suga? E agora o que eu vou fazer? – Calma S/n eu sei que consegue – vejo que ele colocou a mão no seu ferimento, olhei para o radar e segui com força máxima para frente – Eu sei que consegue – Suga

- Espero – S/n

Peguei o controle coletivo e o cíclico ara uma manobra direcionada a esquerda, pois acabaram de atirar um míssil em nossa direção, desviei porem eles ainda estão em nossa cola, o que eu vou fazer olhei o radar e me lembrei de Nam

- Nam na escuta? – S/n

- Fale S/n – Nam

- Me diga um, jeito de fugir de dois helicópteros sendo que voce nunca piloto na vida e ta quase morrendo com um amigo ferido do lado? – S/n

- S/n eu não to te ouvindo.... S/N... S/NNN – Nam

- Droga – meu deus o que eu vou fazer – Suga alguma ideia? – S/n

- Calma pequena, ta vendo aquele cata vento gigantes? Vai lá e tente fazer algumas manobras – ele disse com os olhos fechados – Eu sei que está difícil aia... mais tente pequena – Suga

- Difícil uma missão impossível, eu não sou como voce suga, eu não sou – Disse quase chorando, me contive e fui até onde eles mandaram, olhei os painéis e vi algumas coisas escrita quando vejo metralhadora, dou um leve riso e sigo em frente até os cata-ventos gigantes, chegando lá eles começaram a atirar em nosso helicóptero, tento desviar mais não consigo olho para os lados e vejo o céu – Suga se segura – direciono para cima o helicóptero e os outros fazem o mesmo, me lembro de um filme que eu assisti e tento fazer o mesmo – S/n

- AI CARALHO VAI SE FUDEU! QUE DOR DO CÂO – Suga gritava de dor – Suga

Com o helicóptero para cima, eles lançam mais alguns misseis em nossa direção estava acompanhando pelo radar quando vejo que estavam bem próximos, não tinha escolha desliguei o motor e assim o helicóptero entrou em ponto morto fazendo despencarmos de mais 3 mil metros de distância, em queda livre os misseis vieram em nossa direção mais acertaram os outros por causa do sensor de calor. Assim eu voltei com o comando faltando alguns metros para a colisão quando suga grita

- S/N CUIDADO COM A HÉLICE ... – Suga

Olhei para o lado esquerdo e vi que os helicópteros tinham sidos destruídos, porem uma das hélices vieram em nossa direção acertando em cheio a calda do mesmo, perdi a estabilidade da aeronave e começamos a ir de um lado para o outro, tentava de qualquer maneira sair de lá e consegui mas não muito longe, estavam em queda quando suga segura minha mão e me olha dizendo

- Aguente firme – Suga

- Suga...... – o helicóptero despenca a mais de 800 metros do chão sendo arrastado pelo gramado até parar em uma arvore – Su-uga? Vamos sair – olhei para ele estava inconsciente, passei a mão em meu rosto e vi sangue – SUGA ACORDA, NÃO MORRE SUGA – fechei meus olhos com o cinto de segurança me prendendo no ar – S/n

- S/n? S/n? S/NNNN.... – escuto alguém gritar e depois apaguei com os olhos na fumaça que tinha no ar e logo em seguida uma chuva – Jeon


Notas Finais


Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...