História Are You Crazy? Because I am! - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias My Chemical Romance
Personagens Frank Iero, Gerard Way, Mikey Way, Ray Toro
Tags Automutilação, Drama, Frerard
Exibições 44
Palavras 1.184
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi pessoal 0/
Cap 40 O.O como as coisas passam rápido, eu não sei se isso e um bom sinal, parece até que ata chegando no fim T.T
Mas num ta, num se preocupe, eu amo e ela não pode acaber tão rápido, nunca estarei pronta pra o fim dessa fic T.T *abraça o pc*
Bora lê

Capítulo 40 - Everything Has To Have A Defect?


O caminho para casa pareceu uma eternidade, sem a companhia do Frank e com a chuva que começou do nada, as coisas pareciam demorar mais do que o de costume — eu não conseguia ver mais a minha vida sem ele, quando estávamos longe um do outro, queríamos estar perto, ele me fazia-me sentir bem como se nenhum problema existisse, era como se tudo fosse perfeito e eu simplesmente queria ficar com ele para... Sempre? Eu olhei para frente tentando sair da minha fantasia, eu não acreditava que eu; Gerard Way queria ficar com alguém pelo resto da vida... Eu estava mudando, estava realmente me entregando a alguém.

Eu estava me entregando há ele dia a apos dia, ele estava me conquistando como se uma hora eu não conseguisse mais escapar de seu amor, porque cada vez mais ele me consumia e isso era bom, eu estava aprendendo a criar confiança em alguém além do meu irmão, mas quando isso iria deixar de ser bom? Quando isso seria ruim? Quando Frank ia-me... Deixar?

Eu não sabia nenhuma resposta dessas perguntas ou ate mesmo se essas perguntas um dia iriam existir, só sabia o quanto isso me atormentava, pois sempre que algo estava bom, eu tentava achar um defeito, mas por que deveria ter um defeito? Porque não poderia ser bom do jeito que estava? Obrigatoriamente deveria existi um defeito? Talvez eu apenas pensasse de mais, talvez precisasse parar de me preocupar tanto e deixar as coisas fluírem.

Cheguei em casa e procurei a chave no bolso da calça, não queria anunciar a minha presença, queria passar despercebido para não entrar em nenhuma conversa desnecessária, mas infelizmente eu não estava com as minhas chaves. De forma relutante toquei a campainha, dei um suspiro para me preparar para qualquer coisa que viesse. Donna abriu a porta para mim de forma desconte, deixou-me entrar para pode fechar em seguida.

— Eu esperei por você — Disse me fazendo lembrar sobre o almoço.

— Desculpe, fizemos outros planos — Disse indiferente, indo em direção à escada.

— Onde você estava? Estava na chuva, depois fica doente e não sabe porquê, então eu tenho que parar o que estou fazendo da vida para cuidar de você... — Eu vire-me e a interrompi.

— Esta bem... Eu estava no Frank — Estava tentando parar aquele interrogatório todo para apenas subir e tomar um banho.

— Estava fazendo o que lá? Essa camiseta não e sua, cada sua camiseta? — Ela cruzou os braços esperando uma resposta para tudo aquilo.

— Estudando. Ele me deu a camiseta, porque a minha molhou com a chuva — Disse começando a ficar irritado com tudo aquilo.

— Você não levou caderno ou algo do tipo. Vocês saíram de manhã, até você chegar a casa dele a chuva não tinha começando, a não ser que ele more na China — Disse de forma irônica.

— Sim, claro, ele e chinês — Eu disse zangando com um pouco de irônica e voltei a caminhar para escada a passos firmes.

— Gerard Way — Ela aumentou a voz tentando ter algum tipo de autoridade sobre mim.

Eu nem dei importância, continuei subindo a escada e fui direto para o meu quarto batendo a porta com força, estava irritado, pois ela sempre queria saber tudo, era uma forma de ela tentar me pegar na mentira como se não confiasse em mim, mesmo eu nunca tendo dado motivos para ela desconfiar.

Sentei na cama tentando deixar toda a tensão dos ultimo minutos, tentava esfriar a cabeça sobre tudo o que vinha acontecendo comigo, era muita coisa que às vezes vinha ao mesmo tempo e eu não conseguia controlar, pois meu autocontrole emocional era um desastre e disso eu já sabia há muito tempo.

— Gerard — Ouvi três batidas na porta antes de meu pai entrar — Posso entrar? — Disse com um pouco de cautela.

— Você já entrou — Disse indiferente.

Eu não queria conversar com ele, não agora, o que eu menos queria agora era uma conversa com os meus pais, pois desde a hora que eu estava vindo para casa, a minha mente estava bagunçada com vários pensamentos e receber uma bronca não iria ajudar em nada.

— Sua mãe acha que conversando com você eu vou te mudar... — Ele se sentou do meu lado — O que esta acontecendo Gerard?

— Nada — Apenas neguei sem olha-lo diretamente.

— Se você continuar mentido para mim, eu nunca vou conseguir te ajudar.

— Eu não quero conversar — Levantei-me indo para o guarda roupa, assim tentava me desvencilhar de sua conversa — Então, se veio aqui para me dar bronca, seja breve, quero que essa noite acabe rápido — Procurava algo naquela pequena prateleira bagunçada.

— Gerard... — A pausa dele fez com o que eu me virasse para olha-lo — Senta aqui — Ele indicou o lugar com a mão, onde há poucos minutos eu estava sentado. Eu não o desobedeci, voltei a senta no meu lugar — Adolescência e uma época complicada, eu sei disso, todos nos passamos por isso um dia, mas eu não acho que se cortar... — Eu o interrompi.

— Por favor, não vamos falar disso — Eu o olhei como se implorasse para aquele assunto ser esquecido.

 Eu realmente nunca tinha chegado aos meus pais para conversar sobre isso, porque eu não sabia como eles iriam reagir e tinha medo do que poderia acontecer se eles soubessem. Eu sabia que eles iam achar isso “errado” como a maioria achava, mas então um dia aconteceu de Donna descobrir meu segredo que eu tentava esconder, ela acabou surtando comigo por ser mais fácil, nunca tentou entender para assim tentar poder me ajudar, agora o meu pai, ele não parecia se importa com isso, o que me deixa mais confortável, mas mesmo assim eu nunca quis falar sobre isso com ele.

— Preciso conversar sobre isso com você, sua mãe me pediu.

— Quer que eu diga o que? — Disse de cabeça baixa com o tom de voz baixa — Eu não gosto de falar sobre isso, respeita meu tempo, por favor.

— Ok, não quer falar sobre isso, eu não vou te forçar a isso, mas sua mãe fica preocupada com seu comportamento.

— Tenta a fazer parar de me pressionar — Eu voltei a olha-lo — Eu realmente não gosto disso, só me faz ficar mais distante dela.

— Tudo bem, eu vou tentar... Antes de ir, eu queria falar uma coisa com você.

— O que?  —Perguntei supresso, eu não sabia o que era, mas eu sempre esperava o pior.

— Esta apaixonado?

— Serio?  —Eu olhei para ele um pouco incrédulo, mas dei uma breve risada da pergunta — Talvez...  Mas por que a pergunta?

— Esta diferente, parece mais feliz. O amor e a única coisa que faz as pessoas mudarem — Ele deu uma pausa, parecia tentar lembrar-se de algo — Você não vai me falar quem é?

— Definitivamente acho que agora não e o momento — Disse um pouco apreensivo, mas tentava não transparecer isso.

— Donna me mandou pergunta sobre o Frank, mas eu nem vou pergunta — Ele se levantou.

— E apenas um amigo meu, nada que tenha que se preocupar.

— Fico melhor sabendo que esta fazendo amizades, se apaixonando. Vou te deixar a sós, deve esta cansado do dia de hoje — Foi suas ultimas palavras antes ele sair do quarto.

Continua...


Notas Finais


Já percebemos que o Donald e bem mais de boa do que a Donna, pois é, quase oposto de como lidar com o nosso fofo do Gerard ^-^
Mas o Gerard, bom... Bem confuso ele, nunca consegue aceita as coisas :/
Ate o próximo cap
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...