História Are You Crazy? Because I am! - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias My Chemical Romance
Personagens Frank Iero, Gerard Way, Mikey Way, Ray Toro
Tags Automutilação, Drama, Frerard
Exibições 23
Palavras 1.095
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi pessoal 0/
Mais um daqueles cap bum bum tcha (num sei o que é isso, mas é isso)
Bora lê

Capítulo 50 - I Promise


— Eu gosto desses tempos frio — Ele disse me apertando de lado — Como também gosto dos de calor, sempre tem um motivo para a gente ficar juntinho — Ele falava tão empolgado, ate parecia uma criança que nunca tinha visto um dia de chuva antes.

Eu apenas rir e ele meio que deslumbrava a rua, o que não tinha nada demais, ela apenas estava molhada pela chuva que tinha caído há um tempo. O céu com nuvens cinza compunha a paisagem, mesmo assim a tarde estava clara e admito que o Frank me fez ver aquilo como algo deslumbrante — eu não sabia mais o que estava acontecendo comigo, mas parecia que tudo com ele se tornava algo maravilhoso, ate mesmo um dia frio e uma caminhada na mesma rua que já fiz trajeto varias vezes, mesmo assim  parecia incrível.

— Como seria minha vida sem você? — Disse para mim mesmo de forma brincalhona.

— Chata, como era antes — Ele me respondeu como se fosse algo obvio — Não e mesmo? Era chata, não era? — Ele fez bico e se desgrudou um pouco de mim.

— Antes de você... Acho que não podia chamar aquilo de vida, eu não aproveitava nada sabe?! Porque eu sempre estava mal por algo e não tinha nenhum motivo para ficar saindo de casa ou ate mesmo motivo para fazer algo — Disse um pouco chateado por lembrar daquilo, não era algo que eu realmente queria voltar, mas às vezes parecia à coisa mais certa a se fazer, mesmo sabendo o quanto ruim era aquilo.

— Hey — Ele disse um pouco preocupado me olhando, assim passando a mão no meu cabelo — Isso já passou. Não deveria ter tocado no assunto, não gosto de te ver assim. Agora as coisas estão melhores e é isso que importa — Ele escorregou sua mão na minha dando um leve aperto para eu o olha-lo.

— Sim, estão — Disse me sentindo melhor — Ainda bem que você me salvou daquilo, eu não acho que estaria aqui se você não estivesse comigo e nem se tivesse insistido há alguns minutos atrás — Disse com um sorriso amarga — A minha vida realmente e tão volátil, eu ainda estou aprendendo a lidar com isso tudo, e tão novo para mim — Parei de andar e ele me olhou.

— Você tentou se mata ontem? — Ele me olhou de forma preocupada.

— Não Fran, mas tudo o que vem na minha cabeça parece um inferno, a morte apenas parece algo reconfortante — Disse de cabeça baixa e o senti vindo direto para um abraço, assim se jogando contra mim e eu o abracei de forma apertada.

— Hey, preciso de você aqui comigo, não sei como seria a minha vida sem você — Ele me disse rente ao ouvido — Não quero que esse tipo de coisa vague em sua mente, e horrível apenas pensar em te perder para algo do tipo, me faz ficar desesperado — Eu o puxei pelos ombros e o vi chorando.

— Fran... — Disse com a voz calma e passei a mão em seu rosto, assim limpa suas lagrimas — Eu estou aqui com você — Segurei as mãos ele — Você é o motivo de eu pensar duas vezes nas coisas, mas às vezes eu só acho que estou fazendo o melhor por você e no final não e bem assim — Dei um suspiro — Prometa sempre esta comigo, assim eu sempre estarei com você — Pousei minha mão em seu rosto.

— Eu não preciso prometer isso, eu sempre vou esta com você — Ele colocou sua mão em cima da minha.

— Prometa, por favor, Fran, assim eu me sinto melhor, porque eu sei que promessas não são quebradas... Mesmo eu quebrando algumas, coisa que eu não deveria fazer — Fiquei um pouco chateado por lembrar daquilo.

— Eu prometo, mas e você? Vai prometer para mim também? — Fiquei em silencioso pensando na situação que eu estava-me envolvendo — Gee...

— Se você estiver comigo, eu prometo sempre esta com você, mas se por algum motivo você me deixar, nossa promessa acaba aqui, combinado? — Disse serio, odiava fazer promessas, mas essa eu faria o máximo para não quebrar.

— Esta combinado... — Ele deu um sorriso e abaixou a minha mão, assim a segurando forte—Ou melhor, prometido.

— A gente esta aqui no meio da rua, vão achar que a gente é maluco — Eu o puxei mais para o canto, não que a rua estivesse movimentada, mas era apenas para prevenir qualquer tipo de acidente que pudesse acontecer — E melhor a gente ir, o céu indica chuva e eu não quero toma chuva de novo — Disse voltando a caminhar de mãos dada com ele.

— Eu sou maluco por você, então pode me encaixar nessa categoria — Ele disse sorrindo e de forma brincalhona.

Eu não disse mais nada, continuamos nosso caminho para a locadora apreciando o silencio e olhando as coisas ao redor, como se a chuva as tivesse feito ficar diferente. Estávamos próximo à escola quando passamos próximo ao um bar com algumas pessoas, não estava lotado como de costume por causa do horário e do tempo, mas mesmo assim alguém chamou nossa atenção.

— Seus veados nojentos, o que estão fazendo na rua? — Um cara que estava no local disse, assim se aproximando da rua e olhando fixamente para gente, eu o  olhei de volta com raiva.

— Gerard, deixa pra lá — Frank disse me puxando para irmos para longe, ele parecia amedrontada.

— E melhor o ouvi — O cara disse com um sorriso sarcástico no rosto e com uma garrafa de cerveja nas mãos — Você dever ser puta dele — Então imitou uma cena obscena.

— Qual é o seu problema? — Disse irritado, pois isso não deveria acontecer, eu era como qualquer ser humano e eu merecia respeito como qualquer um.

Isso era um absurdo, eu deveria poder sair na rua com o meu namorado do jeito que eu quisesse e quando eu quisesse, pois eu não estava fazendo absolutamente nada, apenas estava de mãos dadas com outro ser humano, nada extravagante ou obsceno.

— Meu problema são vocês dois poluindo o mundo com suas coisas — Ele disse com raiva.

— Gerard, vamos, não fica arranjando confusão — Frank disse mais baixo e preocupado comigo.

— Quem esta poluindo o mundo aqui é você, pois eu ando na rua do jeito que eu quiser e como eu quiser, isso é apenas problemas meu e ninguém deve ser meter na minha vida, e muito menos um qualquer na minha orientação sexual — Eu tinha comprado briga e eu nunca tinha feito isso, eu sempre fui um medroso, mas era diferente, pois eu não estava apenas tentando me proteger daquele preconceito e sim o Frank também, e além dele, todo mundo que sofria com isso.

Continua...


Notas Finais


Então gente, se essa promessa não ficou muita claro, basicamente o Gee prometeu não se mata
Esse negocio de preconceito já aconteceu comigo e tipo, eu só tava com a minha amiga, a gente tava de mãos dadas e passamos próximo de um bar, foi o suficiente para xingar a gente de lésbicas e outras coisas, foi algo bem gratuito :/
Ate o próximo cap
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...