História Are You Ready? - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Lemon, Namjin, Taegi, Yaoi
Exibições 65
Palavras 4.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


FINALMENTE
Digamos que foi um dia de atraso com relação ao prometido, mas eu sou burra e acordei atrasada e ainda chegay e demorei séculos para revisar e postar.
Enfim, terá duas coreografias em que me baseei mas não descrevi nenhuma, e vocês vão entender o porque.
Não sei se a música vai bater o tempo certo, mas usei duas no repeat para poder escrever:
Butterfly - BTS
Never Be Like You - Flume
Vai ter o nome delas assim que for a parte certa.
Boa leitura, até lá embaixo :3
Desculpe os erros e espero que gostem

Capítulo 12 - Dance


Sábado. O grande dia.

Acordar foi mais fácil do que Jimin imaginava. Nem abriu os olhos, continuou na posição em que estava, não sentia nada, apenas uma sensação gostosa de querer continuar deitado. Até estava estranhando a calma que seu corpo se encontrava, nenhuma borboleta no estômago pela apresentação. Não tinha decidido ainda as roupas de ambos então aproveitou para pensar enquanto seu corpo e sua mente estivesse em paz.

Analisou cada detalhe e cada passo da coreografia decidindo que uma calça preta social e uma camisa branca solta com um sapato preto seriam um look perfeito. Acordou de sua imaginação de como ficaria a dança com esse figurino quando sentiu uma movimentação em baixo de si. Ele era daquelas pessoas que quando dormia podia acordar de cabeça para baixo que nem ia perceber até sentir uma dor ou algo do tipo. Novamente uma movimentação e como da primeira vez, tinha pensado ser sua cadela que sempre lhe acordava, mas decidiu abrir os olhos somente para ter certeza.

De primeira vista, abriu os olhos e nem pareceu perceber onde estava, deu de ombros e voltou a fechar os olhos.

1

2

Abriu os olhos novamente, dessa vez os arregalando, olhou em volta e vou as paredes de seu "forte", viu também sacolas com embalagens e almofadas e por último olhou para baixo de si encontrando um corpo, olhou para a parte de cima só para confirmar o que já sabia. Era Jungkook ali e estava dormindo. Percebeu que estava dormindo com a cabeça no peitoral deste e que o braço do mesmo estava em torno de suas costas. A mão parecia estar lhe segurando na cintura e a sua própria segurava fortemente o tecido da camiseta do outro. Agora entendia o porquê de estar tão calmo e mesmo depois de ter acordado nessa situação não conseguia mudar seu estado de mansidão.

— Jungkook, acorda — sussurrou enquanto chacoalhava o outro. Este que estava dormindo tão calmamente. "Tão lindo" pensou, mas logo balançou a cabeça. Não deveria pensar nisso agora.

Foi levantar-se para ver as horas, mas uma mão lhe segurou forte. Virou o rosto em direção a Jungkook que estava com os olhos semiaberto lhe encarando.

— Preciso ver a hora Jungkook — Chim disse. Não recebeu nada em troca, nem um confirmar de cabeça ou alguma palavra. Passaram-se alguns segundos até que Kookie o soltou e se sentou ao seu lado. Jimin foi em busca de seu celular e relaxou assim que viu no seu visor a hora — 10h19 ainda — falou para o outro que lhe encarava.

Jungkook já tinha tido a oportunidade de ver o menor dormindo, mas nunca ao acordar e estava quase o abraçando forte de tão fofo que ficava. Os cabelos bagunçados, os olhos pequenos e a boca que normalmente já é cheinha agora inchada estava mais atraente ainda. Sem muito raciocinar e com o pensamento somente em "Lindo, que boca gostosa, ela está me chamando" levantou seu braço até que sua mão alcançasse o rosto do mais velho, passou seus dedos na bochecha e maxilar até chegar nos lábios que passou o dedão no inferior seguindo o desenho até o superior, por fim soltando a frase que Jimin jurou ter sido a mais erótica que ouviu em toda sua vida.

— Lindo — Jungkook disse. Mas não foi erótica pelo fato da palavra, mas sim pela rouquidão que a voz estava por ele ter acabado de acordar. O outro não admitiria, mas um arrepio passou por sua espinha e engoliu em seco.

— Quer ir para minha casa tomar um café? — Mudou de assunto enquanto se levantava e arrumava as coisas fingindo que nada tinha acontecido, e os movimentos repentinos tinha feito Jungkook acordar de seu transe. Se levantou, olhou nos olhos de Jimin e assentiu com a cabeça e começou a ajudar a limpar o local. Estava com medo de abrir a boca e mais alguma merda sair.

Terminaram ali e foram para o apartamento do menor. Jungkook não conhecia o lugar e não era nada para se maravilhar, tanto que Jimin não entendia o porquê de ter levado o maior lá sendo que ele achava que o maior não iria se sentir tão à vontade assim. Ele tinha vergonha.

— Ah, nada como um sofá de verdade — Jungkook suspirou ao se sentar em algo macio pela primeira vez no dia. Não tinha dito por maldade, ele tinha amado completamente a noite e não mudaria nada por um simples sofá. Lá tinha ido mais uma merda dita no dia, ele só percebeu isso quando olhou para o outro que tinha parado o que fazia para olhar para si indignado e chateado, arrisco dizer.

— Sai da minha casa e não volta mais — Jimin disse com tom de nervosismo na voz.

— Não, não. Espera, não foi o que eu quis dizer — o mais novo tentou argumentar.

— Sério Jungkook, saia. Eu sei que sou simples demais para o seu gosto — gritou do seu quarto enquanto terminava de arrumar as almofadas na cama. Gorda, que era sua cadela, estava no colo do maior que não iria sair dali nem a força. Sabia que não deveria ter aberto a boca e tinha que arcar com as consequências, mas arcaria ainda ali, naquele momento. Ele queria aprender a lidar com todos os lados do menor. Para ele se fosse para fazer, era para fazer certo, num todo.

— Se eu te pôr em pé você fica maior que seu dono, sabia?! — Jungkook falava com a cadela como se falasse com um bebê enquanto acariciava a barriga dela. Jimin, por ainda estar escutando a voz do maior sorriu por saber que ele ainda estava ali, mas queria se fingir de durão um pouco.

— O que faz aqui ainda? — Falou parando em frente a Jungkook com as mãos na cintura e batendo o pé direito freneticamente no chão, falando com uma voz extremamente irritada. Ele sabia fingir bem.

Jungkook então se levantou rápido, puxou o menor pela cintura e colou os dois corpos. Ele queria brincar um pouco. O outro arregalou os olhos e suas mãos foram diretamente para o peitoral do maior para poder empurra-lo.

— Ainda estou aqui porque alguém me chamou para tomar o café da manhã e ainda não vi nenhuma comida na minha frente — Kookie dizia sorrindo de lado, seu sorriso sacana. Encarava os olhos do mais velho e viu quando os mesmo lhe encararam na boca. Seu sorriso aumentou. Jimin então, entendendo o que acontecia o empurrou finalmente e saiu correndo para a cozinha. Sabia que suas bochechas deveriam estar da cor de uma pimenta e não queria que o outro o visse assim, mas sabia que ele tinha visto. E sim, ele tinha achado a coisa mais preciosa um Jimin totalmente vermelho em seus braços.

Na cozinha, Jimin preparava algumas panquecas doces com calda de mel e chocolate, suco de laranja e alguns biscoitos em uma pequena travessa com um pote de geleia de morango ao lado. Chamou Jungkook que rapidamente já se sentava na cadeira e devorava as panquecas. Não, ele não ligava para toda aquela simplicidade, na verdade, era uma das coisas que mais amava em Jimin, para ele o mais velho era perfeito para si. Nunca tinha achado alguém que o faria pensar isso. Ele podia não o conhecer ao todo, mas todos os defeitos e todas as qualidades que tinha visto até aquele dia já tinha o feito pensar em dar uma chance de verdade para o amor.

— Você tem uma camisa branca e uma calça social preta e também um sapato preto, não tem? — Jimin perguntou logo resmungando para si — Lógico que ele tem, que espécie de pergunta foi essa Park Jimin?

— Tenho sim — Jungkook respondeu rindo, adorava isso também, as perguntas óbvias seguidas das respostas que o menor mesmo fazia e respondia.

— Ótimo, precisamos ir pegar na sua casa e comprar para mim, porque eu não tenho essas coisas.

— Sem problema.

Depois disso, terminaram sua refeição e foram para a casa do mais novo falando apenas sobre a dança. Jimin queria mudar algumas coisas que dariam a coreografia um ar mais bonito. Chegaram no apartamento e não encontraram ninguém.

— Onde está o hyung? Ele não me falou nada sobre sair antes da apresentação — Chim perguntou curioso.

— Parece que Namjoon hyung o chamou para o parque antes de irem na apresentação — o outro respondeu simplório enquanto procurava sua roupa, logo a achando e mostrando a Jimin que aprovou.

—Parque hein! O que será que Namjoon quer com meu hyung? — Falou pensativo. Era uma pergunta retórica.

— Só sei que sexo provavelmente está incluso — Kookie deu de ombros. As bochechas do outro logo ficaram rubras. Não que não gostasse do assunto ou que fosse santo, mas era automático.

Saíram dali e foram ao shopping para comprarem o figurino do menor. Entraram na loja mais cara dali com Jungkook obrigando Jimin e dizendo que pagaria tudo. Outra coisa que o menor odiava era que pagassem coisas caras para si. Podia até pagar, mas coisas caras ele prefira deixar para quem podia cuidar.

— Vamos logo. Experimenta essas peças aqui, acho que serão as melhores para você — o maior ordenou colocando tudo dobrado nos braços do menor. Tinha se passados alguns minutos desde que entraram e Jungkook ia correndo para lá e para cá. Nem mesmo chegou a perguntar para o outro o tamanho de suas vestes. Jimin quando vestiu a calça e logo em seguida da camisa que ficaria solta e o par de sapatos ficou abismado com sua figura. Não é como se nunca tivesse vestido algo assim, mas era tudo tão lindo, o tecido, a cor, o brilho do sapato. Ele nem queria ver o preço.

— Deixa eu ver Jimin hyung — o outro pediu, estava ao lado do provador. Saiu do pequeno cubículo para o espanto do maior. "Deus" pensou, "Só pode ser uma escultura viva na minha frente", "Lindo". Jungkook nem ao menos conseguia esconder a feição surpresa que tinha.

— Estou tão feio assim? — Jimin perguntou fingindo não ter entendido que a feição do outro era de maravilhado.

— Não hyung, só… — não conseguia achar as palavras — Está lindo.

— Obrigado! — Jimin corou — Vamos logo, quero almoçar antes de ir — falou entrando e se trocando com o maior cuidado.

— Isso se a comida parar no estômago — Kookie brincou. Não estava nem um pouco nervoso como sempre por estar perto de seu hyung, mas não sabia como o outro estava então apenas decidiu fingir estar ansioso como pensava que o outro estaria.

— Também acho — Chim resolveu falar e fingir estar ansioso tanto quanto seu dongsaeng estava, afinal ele pensava que o mais novo estava assim. Dois iludidos.

Jungkook, na hora de pagar, mandou Jimin esperar fora da loja, pois sabia que o outro ficaria horrorizado com o preço e não o deixaria levar. Já fora da loja, o menor esperava ansioso para almoçar. Estava tranquilo com relação a dança, o que o deixava nervoso nesses momentos era a distância que tinha do mais novo.

Depois de finalizada a compra, foram comer num restaurante do shopping a mando de Kookie que não iria deixar seu hyung comer besteira antes de duas apresentações importantes, a solo e a com ele.

Quando se deram conta, já era 13h e a apresentação seria as 15h. Decidiram que iriam para a casa do mais novo já que as roupas de Jimin estavam ali e as de Jungkook em casa. Facilitaria para ambos. Chegaram no apartamento rapidamente, colocaram a roupa de Jimin na lava e seca apenas para tirar o cheiro de roupa nova. Ficaram conversando até ver a roupa já estava quase limpa. Jungkook tomou banho primeiro e depois foi a vez de Jimin. Se arrumaram juntos, passaram uma maquiagem leve, pois o mais novo gostava e saíram em direção a faculdade que era ali perto.

Foram direto para o ginásio, onde teria as apresentações de todas as turmas de artes. Teriam exposições de pinturas e desenhos, danças, músicas e peças teatrais. Todas com no máximo 8 minutos. O que daria início a todas apresentações seria a turma de dança de Jimin. Eles chegaram a tempo e não sabiam se era destino ou coisa do tipo. A professora iria sortear o aluno que daria início a tudo e qual era o nome escrito no papel que foi tirado? Park Jimin.

E mesmo com a presença do mais novo ali, nada lhe acalmou naquele momento. Ele respirou fundo três vezes e se direcionou para a porta. O diretor da escola deu início ao discurso de abertura. Todas as apresentações valeriam nota, e os professores iriam contar também a pontuação que o público daria para cada um dos alunos no final tendo primeiro, segundo e terceiro lugar das cinco categorias.

Jimin não sabia o que tinha acontecido com seu corpo ou com sua mente, mas com certeza todo o seu corpo não respondia a si. Estava andando sozinho e para ele tudo parecia ser visto de uma câmera na qual ele gravava, ele parecia estar fora de seu corpo. Quando o diretor anunciou seu nome ele sequer deu um passo, mas alguém andava até o centro daquele lugar e encarava a multidão em sua volta. Os pensamentos dele estavam uma bagunça. E era assim que dançava? Não, para ele o pensamento livre de qualquer que seja o assunto traria a perfeição.

Estava enganado.

De repente, como no pedido que ele fez a Jungkook que iria cuidar da iluminação de seu solo, as luzes se apagaram e um silêncio reinou no lugar. Nada podia ser ouvido a não ser o começo da música que fora escolhida para a dança. Apenas um holofote tinha sido ligado, o branco. Que seguiria ele por toda a música e coreografia.

Butterfly da BTS.

Ele amava essa boyband e suas músicas, nada melhor que com base nela criar algo em cima.

Ele não sabia se estava dançando certo ou errado, só estava se deixando levar. Podia jurar que aquela não era a coreografia, pois ele vendo fora de seu corpo era impressionante. Ele não fazia ideia que dançava assim, tão bem.

E em um segundo não era mais a dança que estava assistindo e sim a si minutos antes de conhecer o maior na praia. Podia ver o quanto abatido e abalado estava. Parecia estar cansado e velho, agora entendia o porquê de todos estarem lhe elogiando, falando que estava mais bonito ou jovem. Viu também depois de conhecer o mais novo. Como tinha ficado mais entusiasmado com algo em anos.

Em seguida se viu correndo de volta para casa e se cortando, viu seu desespero, viu seu sangue e lembrou de todos os pensamentos que teve com relação ao outro, o quanto tinha o chamado de cafajeste por não ter ido o ver sendo que havia passado apenas um dia, e ele estava certo até uma semana atrás. Lembrou de ter o xingado de todas as palavras feias que conhecia, mas logo em seguida veio a culpa, de ter quebrado uma promessa, de ter se machucado por nada, de ser tão inútil, de ser tão fraco.

Ele chorava na apresentação, todos podiam ver, mas ele não podia sentir. Estava imerso.

Logo depois pôde ver em flashs rápidos os dias e pensamentos raros com o outro. E logo veio o sábado que se reencontraram. Pôde se lembrar de todos os pensamentos de ignorância que teve ao se ver no mesmo recinto que o outro, logo seguidos por pensamentos de elogios pelo outro ainda estar lindo se não mais.

Logo veio os pensamentos que teve durante os dias que não o encontrou mais. Viu como ficava na ânsia de ser chamado por Jin para o apartamento que este dividia com Jungkook. Ele queria o encontrar.

Veio por último todos os sentimentos que sentiu quando o viu no sábado que deu início ao que estava acontecendo agora. Raiva pela embriaguez do maior, chateação pelo outro não parecer se importar consigo. Felicidade por ele lhe mandar mensagem, felicidade por poder estar no mesmo lugar que o outro, admiração por ver o outro aceitando ficar uma noite ao seu lado assistindo filme. Tranquilidade por dormir nos braços dele, vergonha pelo mesmo motivo anterior, timidez por tê-lo em sua casa simples que não se igualava ao apartamento chique que ganhou de seus pais. Admirado pela dança e pela coragem que o outro teve de assumir aquele compromisso. Admirado pela responsabilidade. Mais que apaixonado pelos movimentos que a dança do outro proporcionava a sua. Apaixonado pelo jeito preocupado, pelo respeito, pelo cuidado, pelo sorriso ou risada, pelo olhar e seus olhos, pela boca, por causa do corpo ou cheiro, pela altura ou os cabelos, pelas mãos firmes e o peitoral largo que cabia a si e somente a si ali. Pelo encaixe que ele era consigo.

Fez o último passo e viu que as luzes se apagaram. Uma chuva de aplausos lhe invadiu os ouvidos. Saiu correndo dali para a “coxia”. As luzes do local invadiram suas vistas e só assim percebeu estar suado, e principalmente com o rosto molhado pelas lágrimas. Recebeu vários abraços e elogios. Não estava entendendo nada até se sentir cheio, quente e com uma sensação de estar voando. Abriu os olhos que nem notou estarem fechado e deu de cara com Jungkook. Abraçou o outro de volta e se permitiu descansar ali.

– Foi tão lindo hyung, não sei o que falar. Parabéns – escutou a música que era a voz do maior em seus ouvidos. Tinha e esquecido por um momento que o outro não tinha conhecimento de sua coreografia ainda. Não conseguia falar nada, então somente saiu do abraço para se secar e tomar água. O figurino seria o mesmo, o que facilitava muito.

As danças solos seriam as primeiras, logo em seguida seriam as em conjunto e Jimin mal podia esperar para ver. Tudo seria gravado e ele queria saber como tinha sido sua performance.

Park Jimin e Jeon Jungkook

Entraram e foram na mesma direção em que Jimin tinha ido na primeira vez. Pararam no centro e as luzes azuis e brancas foram ligadas e todas as outras desligadas.

Never Be Like You da Flume.

Começou o sininho da música logo seguida de passos. A coreografia era uma mistura de alguns estilos. Algumas vezes Jimin imitava Jungkook e vise e versa.

E pode parecer coincidência e era mesmo, mas assim como antes Jimin não estava em seu corpo e nem ditava seus movimentos e acontecia o mesmo com Jungkook.

E ambos saíram do local em que estavam e voltaram para o início. Viram o dia insignificante que foi aquele em que Jungkook entrou na loja. Não houve nenhum sentimento ali.

Praia. Era onde estavam agora. Podiam ver como um reagia ao outro, os sorrisos e olhares tímidos, as encaradas silenciosas, os olhares desviados, as intimidações e as ações involuntárias. Podiam ver as bochechas coradas e os olhares safados. Tinha sido uma primeira impressão ótima.

Jungkook conseguiu se lembrar dos outros dias em que viu o mais velho, lembrou-se das marcas e dos beijos que ele tinha dado. Lembrou de como observou o mais velho por puro cuidado e carinho e nem tinha percebido.

Sábado. Jungkook lembrou que seu coração tinha falhado uma batida ao ver o ruivinho em sua frente. Lembrou de que tinha sido um filho da puta com o outro mesmo que por um motivo tão pequeno. Lembrou-se da raiva que viu no olhar e depois de ter conseguido um olhar mais descontraído. Ele tinha comemorado internamente por conseguir arrancar uma risada que fosse de seu hyung.

Sexta. Lembrava de ter visto todo o desapontamento que Jimin tinha em seu olhar e não conseguir fazer nada. Lembrava também de como tinha ficado ansioso do nada para se desculpar com ele de alguma forma. Lembrava de como tinha amado passar uma noite ao lado do mais velho, lembrava de ter amado tê-lo em seus braços e de como sempre iria amar a expressão que o outro fazia enquanto dormia. Lembrava de ter achado uma graça da timidez e vergonha que o outro tinha e também de ter amado toda a hospitalidade.

Admirou toda a coreografia, todo o corpo, toda a movimentação do mais velho quando o som toca. Não queria imaginar o quanto ficaria excitado ao leva-lo na balada e ter seus corpos colados dançando no mesmo ritmo.

Tinha se apaixonado pela coreografia, pelo sentimentalismo que ela completa poderia demonstra e não sabia ainda, mas um dia iria ver que ela combina completamente com a loucura de sentimentos que seu hyung tem.

Depois veio todos os dias da semana, todo o carinho e cuidado que teve com o outro. Cada detalhe, desde o pequeno grão de arroz até o fio de cabelo do outro.

Tinha amado toda a coreografia justamente por isso, pelo carinho que sentia ao poder dançar todas as emoções de Jimin. Para ele aquela coreografia significava isso, a confiança de seu hyung em si. Para ele não eram somente passos, eram todos os problemas todas as felicidades e tristezas que o outro tinha em si. Era uma bagunça, podia sentir toda a angustia e todo carinho que podia ter naqueles passos.

Também sentia em si um carinho enorme. Se lembrava e entendia toda a tranquilidade que havia tendo ultimamente. Era totalmente culpa do baixinho. Podia jurar que nunca se sentiria assim, tão bem consigo e com outra pessoa ao seu lado ao mesmo tempo. Suas vontades mais terríveis nem chegavam a dar sinal de vida, ele só pensava em cuidar daquele que estava em sua frente.

As vontades de tê-lo em sua cama, geralmente era poder lhe dar carinho até dormir. Se pudesse, o mimaria mais que um adulto mima seu bebê. Morria de amores – sim, de amores – por todo o jeito que Jimin tinha. Todas as expressões fofas, porque até nervoso ele era fofo. Amava todas as formas de agir e pensar que o outro tinha. Sabia que provavelmente não o conhecia de verdade, mas essa pequena porção que tinha em mãos eram suficientes para fazê-lo desistir de todos seus bloqueios afetivos. Ele tinha afinidade com seus pais e amigos? Sim, mas não era tudo o que podia mostrar para alguém e lá estava ele disposto a mostrar tudo para seu hyung.

Com toda a certeza Jimin sentia o mesmo. Queria confiar no maior e iria dar tudo para fazer isso. Ele agora podia entender tudo depois de rever todas as ações que o outro teve ao seu lado. Toda a acalmaria, toda a precaução, toda a cautela e todo o carinho. Ele não deixaria o mais novo escapar e faria com que o mesmo lhe amasse nem que custasse tudo de si. Ele pela primeira vez iria correr atrás da reciprocidade.

Eles nunca tinham sentido tamanha imensidão de emoções em poucos minutos por alguém. A vontade de Jungkook agora era de abraçar o mais velho e nunca mais soltar. Não sabia o que fazer. Tinha que terminar aquela dança, mas cá entre nós, ele sabia que se aquela era a dança das emoções e que não tinha entendido metade dela, sabia que só a terminaria quando o mais velho fosse embora e por ele, só iria embora no dia de sua morte porque não o deixaria ir embora enquanto pudesse o alcançar.

Ele só não sabia ainda que iria até a morte para que isso acontecesse.

O fim da música veio tão rápido como começou. Outra chuva de aplausos, litros de suor. Se abraçaram por um momento quando saíram dali e se parabenizaram. Depois ouve mais elogios e abraços e por fim puderam sentar e relaxar.

Jimin era assim mesmo, cheio do sentimentalismo, cheio de emoções, de demonstrações e Jungkook era totalmente da realidade, gostava de mostrar uma vez e logo deixar seus sentimentos de lado porque gostava de apenas apreciar os outros. Para ele os próprios sentimentos ditos e demonstrados uma punica vez para si já era suficiente, ele quase nunca tinha dúvida do que começava a sentir. O que ele gostava mesmo era de observar os outros e por isso tudo o que via em Jimin era o que era exposto e até mesmo o que era omitido.

Para Jungkook, tudo o que Jimin sentia por si tinha terminado ali. Toda a explicação, sentimentos e emoções tinham sido mostradas e era verdade. O mais velho não podia estar mais feliz e envergonhado por ter tudo lhe escapar, mas não é como se soubesse que tudo isso iria acontecer em pouco tempo.

Mas tinha uma coisa que não tinha terminado ainda. A demonstração de sentimentos de Jungkook.


Notas Finais


Aow
Então, se quiser, as coreografias são:
BTS - a mesma que eles dançam, mas como se fosse solo do Jimin
Flume - https://www.youtube.com/watch?v=HhcvulxRncQ

Espero muito que tenham gostado, ainda tem mais parte jikook com relação as apresentações.
O próximo cap pode vir domingo, não sei ainda.
Quero postar o namjin e taegi logo :3
O próximo jikook só sai depois de taegi e namjin, então prometo não demorar mais que duas semanas para esses três
BEIJOS, comentem o que acharam :3
Amo vocês


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...