História Ariel - A história continua - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Academia de Vampiros (Vampire Academy)
Tags Academia De Vampiros
Exibições 2
Palavras 3.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem por estar sumida.
É que eu fiz coisa errada e fiquei de castigo
Sorry mesmo.
Aqui é o primeiro garoto que Ariel conhece

Capítulo 6 - Estação de Esqui



Eu estava absorvendo tudo.Minha mãe,a Sonya e a Rose estavam falando "O Christian estava certo e eu estava errada".Uma por vez.Quando acabaram ele disse pra mandar logo o Dimitri,a Sydney e o meu pai ligarem pra ele.Para falarem o mesmo texto.Marcamos de treinar amanhã o dia todo.Minha mãe ia dar uma desculpa para eu ficar o dia todo no meu quarto.Então quando a Bela,o Vitor e o Rafael forem estudar nós vamos começar a treinar.Pedi para o Declan e o Henrique irem na cidade.E pedi as coisas mais dificies de consegui pensar.Mandei eles trazerem para mim uma roupa,que só é vendida em um lugar bem...bem longe.Acho que demorariam um dia inteiro para ir e voltar.Eu falei a todos que estava doente.E fingi isso muito bem.Eu passei a noite acordando,de tempos em tempos.Tomei um banho quente.Bem quente.Antes de chegar lá.E cheguei morrendo de "febre".De manhã,quando todos foram embora minha mãe chegou.Ela estava só com a Rose.Os outros guardiões ficaram lá em cima.Porque era um assunto de muita segurança.Minha mãe trouxe um pote cheio de água.Então me explicou tudo.
-Precisamos treinar todos os elementos.Já vimos que no espirito você esta bem.Preciso fazer alguns textes e ver como você se sai com cada elemento.Dependendo o Christian vai vir ensinar você sobre o fogo.A Mia vai vir ensinar você com a água.Ela sabia que estavamos escondendo algo dela.Então contamos a ela.Mas deixamos claro a parte de ser um baita de um segredo.Ela concordou em vir ensinar você.Mas pediu para que vissemos antes o que você era capaz de fazer.E como o Christian vai demorar um pouco para conseguir vir temos que começar com a água.-Ela me explicou.-Então tente manipular a água.
-Ok.-Eu disse a ela.Me concentrei na água.Mas ela nem se mexeu.Eu me senti derrotada
-Calma minha filha.-Ela me disse.-A Mia deu algumas dicas para você controlar a água.
-Que são...-Eu disse.
-Pergunte a Rose.-Disse a minha mãe.-Ela que falou com a Mia.
-Primeiro se conecte com a água.Sinta ela.Com a sua cabeça você vai conseguir fazer tudo o que quizer com a água.Simplesmente imagine o que você quer que ela faça.-A Rose disse.-Foi exatamente o que ela falou a mim.
-Certo.-Eu disse.Me concentrei na água.Mas ainda não aconteceu nada.Fiquei triste.Mas minha mãe me animou.
-Calma querida.Você vai conseguir.-Ela me disse.-Eu confio em você
-Eu também.-Disse a Rose,bem baixinho.Elas confiam em mim.Eu pensei.E eu vou fazer essa confiança valer a pena.Eu me concentrei,pensei no que eu queria que a água fizesse.Enntão,de repente ela saiu do copo e me circulou,depois a minha mãe,depois a Rose.Nós começamos a rir.Então eu queria mais.Olhei para o bebedouro e a água saiu.Não muita.Só o bastante para circular nós três.Quando de repente a porta abriu.
-O que é isso?-Perguntou a voz que vinha da porta.A água parou de rodar todas nós e eu me virei.
-Tómas.-Eu falei.-Ai meu Deus.
-Você...estava...controlando a água?-Ele me perguntou.-Você estava.Eu vi.Mas como?
-Eu...eu...bem.-Eu falei.E vi que a minha mãe ia usar compulsão para ele se esquecer de tudo.Eu parei na frente dela.E eu sabia que se eu pedisse ela não iria deixar ele saber de tudo.Então eu simplesmente usei compulsão.Não muita.Só o bastante para controlar um usuário de espirito.-Não.-Eu falei a ela.Ela exitou.Mas parou de olhar pro Tómas.E a compulsão que ela ia usar nem saiu dela.Eu me virei pro Tómas.-Eu vou explicar tudo.-Eu disse a ele.Ele fez que sim com a cabeça.
-Pode começar.-Ele me disse.Se sentando do meu lado na cama.Eu falei para ele tudo o que tinha acontecido.O que eu poderia controlar e principalmente que ninguém poderia saber.Ele ficou boquiaberto.-Então você pode controlar...todos os elementos?
-Eu posso.Mas estou aprendendo devagar.-Eu disse a ele.-Começando pela água.Depois o fogo.E assim por diante.
-Eu poderia ajudar com a água.-Ele me disse.-Acho que você não pode controlar ela cem por cento de primeira.
-Acredite.-Disse a minha mãe.-Capaz de ela já controlar melhor do que você.
-Co...a é.A mais poderosa de todos.-Ele disse.Repetindo a fala do Christian.
-Exatamente.-Disse a minha mãe.-E se lembre.Segredo absoluto.
-Sim senhora.-Disse o Tómas.-Eu faria qualquer coisa por ela.
-Eu sei.-Disse a minha mãe.-Eu posso ver.
-Como?-Eu perguntei.
-Depois que a gente falou que o Christian estava certo,seu pai ligou para mim.E me informou do que aconteceu quando você viu as auras.-Disse minha mãe.
-E o que é que tem?-Eu perguntei a ela
-Que esse brilho significa que ele realmente faria qualquer coisa por você.-Ela disse.Mas eu entendi o que ela ia realmente dizer."Ele realmente ama você".E porque ela me mandou uma mensagem mental.Que eu estava com muita contade de aprender.A Rose olhou para mim.Eu acho que ela não podia ver auras,mas sabia o que as cores significavam.Eu fiz silencio.Depois de um tempo,fiquei tentando mandar mensagens pelos meus pensamentos.Então eu tentei de um jeito doido.Eu pensei em alguma coisa,como uma mensagem.Ai eu meio que falei na minha cabeça.E enviei para minha mãe.
-Consegui?Eu perguntei a ela.Pelos pensamentos.
-Sim.-Ela me respondeu.Também nos meus pensamentos.-Incrivel.
Eu fiquei tão animada.
-Eu sei.
-É o que?-Perguntaram a Rose e o Tómas.Ai eu percebi que tinha falado em voz alta.
-Consegui mandar mensagens pelos pensamentos.-Eu falei.
-E sem eu dizer como.-Disse a minha mãe.
-Uau.-Falou alguém entrando pela porta.
-Papai.-Eu disse.-Consegui controlar a água.
-Eu sei.-Ele falou.-Sua mãe mandou mensagens para mim.Partes boas de ser usuario de espirito e que eu respondi e perguntei onde estavam.Ela respondeu e eu vim correndo pra cá.
-Me fale a verdade..-Eu comecei a conversa com ele pela cabeça.-O que significam as cores brilharem nas auras?
-Sinceramente.-Disse meu pai,pela mente também.-Que ele ama você.
-De verdade?
-De verdade.-Ele me respondeu.
-Por que?
-Você é a minha filha.-Ele me respondeu.-É bonita,inteligente,corajosa.....resumindo tudo..-Ele falou.
-Eu sei que sou parecida com você.
-Ta esperando o que?-Ele me perguntou.-Fale logo...quer dize,pense.
-Sera que eu consigo ler os pensamentos dos outros?-Perguntei a ele.
-Talvez
-Vou tentar agora.
-Espere.-Ele disse.Tarde demais.Eu já estava no meio do caminho para a porta,com o Tómas.Correndo pare descer.Já era hora da aula de dança.E era onde eu ia.Eu e o Tómas chegamos bem na hora.A Bela ficou visivelmente surpresa de me ver.
-Ariel...você não estava doente?-Ela me perguntou.
-Sim.-Eu respondi a ela.Me lembrando agora da minha desculpa.-Só que a mamãe foi lá e me deu algumas dicas,ai eu consegui me auto curar
-Serio?-Perguntou o Tómas.-Doente.
-Sim.-Eu falei pro Tómas.-Quando ele chegou eu tinha me curado e decidi vir pra não perder o dia.
-Você decidiu vir...pra aula...de dança...-Falou a Bela.
-Sim.-Eu falei.-A mamãe estava lá.
-Agora sim parece normal.-Falou a Bela.
-Princesa Ariel,Príncipe Tómas.-Falou o professor Caio,surgindo de trás da Bela.-Vocês tem que começar a ensaiar logo.A rainha passou aqui e me pediu para colocar você para ensaiar mais.-Ele disse.Depois olhou para a Bela.-Você também.
-Ok-Nós dissemos.Achando estranho.Então eu mandei mensagem para a mamãe pela minha cabeça.
-Mamãe.Por que temos que ensaiar mais?
-Porque algumas pessoas da corte virão ver vocês dançarem.E preciso que minha sucessora vá muito bem.-Ela me explicou.
-Ok.-Eu falei na cabeça.-Desligo.-Voltei para o mundo real.Nós comaçemos a dançar.E tudo o que eu me lembro é o rosto do Tómas e tudo mais girando e girando.Quando finalmente acabou o professor Caio estava aliviado.
-Vocês foram perfeitos.-Ele falou.-Melhores do que todos que já ensinei.Estou orgulhoso.
-Ok professor não chore.-Eu falei pra ele.-Pelo amor de Deus não chore.
-Eu não vou chorar.-Ele disse.-Ao menos não agora.
-Graças a Deus.-Falou o Tómas.-Agora podemos ir almoçar?
-Sim,sim.-O professor Caio disse.-Estão todos liberados.-Ele disse,num tom mais alto.Para todos que estavam lá escutarem.Eu sai andando com o Tómas na hora.
-O que foi?-Ele me perguntou.
-Sangue.-Eu disse a ele.-Eu nunca precisei tanto de sangue.
-Então o caso é serio.-Ele disse.Com um meio sorriso.-Vamos correndo para a ala dos fornecedores.
-Agora mesmo.-Eu disse a ele.Correndo para a ala dos fornecedores.-Eu usei muita magia.-Quando chegamos,estava lotado.Tinha gente por toda parte.Eu fui até a mulher que estava lá.Que ainda era a mesma.Meu Deus.Ela não folga nunca não?Eu olhei para ela.-Moça,eu preciso de sangue agora.-Eu disse a ela.Ela parou o que estava fazendo e olhou para mim.
-Desculpe princesa Dragomir,mas tem que entrar na fila.-Ela me disse.Olhando nos meus olhos.Chance perfeita.
-Você vai me colocar como a próxima.-Eu disse a ela,usando compulsão.-Porque a minha mãe marcou o horario para mim.-Eu disse a ela.Ela fez que sim com a cabeça.Quando ela foi embora o Tómas voltou para mim.
-Você usou compulsão.-Ele me disse.
-Sim.-Eu respondi.
-Não foi uma pergunta.-Ele me disse.-Você usou compulsão para não esperar.
-Sim.-Eu falei a ele.-Eu preciso de sangue agora.
-Eu sei.-Ele me disse.-Porque você esta pálida.Muito pálida.Poderia confundir você com um strigoi.
-Serio?-Perguntei a ele.Ele fez que sim com a cabeça.Ai a mulher voltou.
-Princesa Dragomir,pode vir.-Ela disse,apontando com a mão para um garoto,um humano bem bonito.Olhos verdes,cabelos castanhos bem claros e pele bronzeada.Eu sentei na frente dele e bebi.Um pouco mais do que eu bebia normalmente.Mas eu parei.Então sai e o Tómas ficou boquiaberto.
-Como você faz isso?-Ele me perguntou.-Agora a pouco estava pálida,fraca.-Ele disse.Carinhoso.-Agora você...poderia ter saido de um sonho.-Ele disse,rindo.Parecia um bobo.Eu fiquei de ponta de pé e dei um beijo no rosto dele.
-Entendi.-Eu disse a ele.-Eu sei que você me ama.
-Por causa da aura?-Ele me perguntou.
-Nã..-Eu disse,mas quando olhei nos olhos dele eu não consegui mentir.-Exatamente.
-Agora você quer treinar a água comigo?-Ele me perguntou.
-Acho que...-Eu disse.Até que tive outra ideia.
-Conta.-Ele me disse.Eu nem perguntei.Já decorei que meus olhos mudam de cor.
-Nós não podemos treinar aqui.-Eu disse a ele.-Mas nós poderiamos treinar fora.Eu só preciso falar com a minha mãe.
-Uau.-Ele me disse.-Que bom que seus planos dão certo.
-A maioria deles dá.-Eu falei a ele.-Mas essa não é a questão.Vou falar com a mamãe,até porque daqui a pouco chegam as ferias de carnaval.-Eu disse a ele.-E vamos todos para a corte.E lá da pra treinar,com segurança.Por isso,assim que chegarmos lá começamos a treinar.
-Ok-Ele disse.Depois se deu conta de tudo o que eu disse.-Como assim a maioria?
-Quando eu era pequena bolei um plano pra não precisar ir para a festa de fim de ano.Então estava tudo dando certo...ate que o Declan me entregou.
-Então seu irmão ama você demais.-Ele me disse.
-Ele simplesmente ficou com aquela cara de serio.-Eu disse a ele.
-Então é desde pequeno?-Ele me pergunta.
-Ele é divertido.-Eu digo a ele.-Você vai ver quando ele começar a gostar de você.
-Se ele começar a gostar de você.-Fala o Rafael.Surgindo atras de nós.
-Você estava escondido?-Pergunto a ele.-Você poderia ser um ninja.
-Não.Eu não estava escondido.Vocês que são muito desligados.Alguém tinha que ficar com você lembra?-Ele perguntou.-E com isso eu consegui ser dispensado.Então não estraguem.
-Como assim "se ele começar a gostar de você"?-Pergunta o Tómas ao Rafael.
-Digamos que ele não muda de ideia facilmente.-Diz o Rafael.-Mas se tem uma pessoa que pode fazer ele mudar de ideia é ela.-Ele diz apontando pra mim com a cabeça.-Acho que é a única que consegue.
-Eu sei que eu sou demais.-Eu digo a eles.Então todos caimos na gargalhada.Quando nós chegamos no refeitorio a Bela estava com um grupo.Ela realmente estava com um grupo.De pessoas nobres.E ela estava sorrindo e...feliz.Eu nunca fiquei tão orgulhosa dela.Alguns segundos depois de eu entrar a Emma me chama pra sentar com ela.Eu vou,com o Tómas e o Rafael.
-Oi Ariel.-Diz a Emma,abrindo um daqueles seus sorrisos ensaiados.-Pensei que você estivesse doente.
-Eu estava.-Eu disse a ela.Relembrando minha desculpa pra treinar com minha mãe.-Só que minha mãe me ensinou um jeito pra eu me curar e aqui estou.
-Fantastico.-Diz a Carmen.-Esse é o seu primo não é?
-Bem...mais ou menos.-Eu respondo a ela.-É como se fosse.
-Nossa que amor.-Fala o Declan,chegando na mesa.-Minha irmazinha já tem fans.
-Tenho mais do que você imagina.-Eu digo a ele.-Essas são a Emma,a Carmen,a Ti...Cadê a Tifanny e a Emilly?
-Elas sairam do nosso grupo.-Diz a Emma.-Elas fizeram algumas coisas ruins.Então sairam.
-Seu irmão é muito gato Ariel.-Diz a Carmen.-Mas ele não parece nem um pouco com você.
-Eu sou mais bonita.-Digo a ela.
-Mentir é feio.-Diz o Declan.Depois volta a atenção para as meninas.-Eu sou Declan.
-Declan Ivashkov.-Eu corrigo ele.-Meu irmão mais velho e o mais chato.
-É o que?-Pergunta o Declan.
-Nada.-Eu digo a ele.-Te amo.Irmãozinho querido.
-Eu preciso aprender a ensenar assim.-Fala o Tómas.-Parece mesmo verdade.Eu estou vendo.Que inveja.
-Eu sei que ela esta fingindo.-Diz o Declan.-Não sei como...mas conheço a minha irmã.
-Só torça pra não morrer e ela ressucitar você...ai tera que suportar tudo o que ela pensa...sentimentos,pensamentos,vontades...resumindo tudo.-Diz alguém atrás de mim.Quando me viro vejo ela.Os olhos tão parecidos com o da minha mãe são inconfundiveis.Jiilian.Minha tia.Mãe do Vitor.Esposa do Eddie Castle.-Eu tenho um laço com o pai da Ariel.E saiba que demora um tempo para manter os sentimentos dele longe de mim.E as vezes eles ainda conseguem me puxar para dentro da mente dele.
-Então como funciona o laço?-Pergunto.Curiosa.
-O seu pai consegue me mandar mensagens pela mente e eu consigo ver o que ele ve,sentir o que ele sente,estar literalmente na pele dele.E com esse laço...eu consigo absorver parte da escuridão que vai pra ele com o uso do espirito,assim ele não fica louco e eu ajudo o mundo.-Ela explica a mim..nós,já que não sou só eu que estou prestando atenção em cada palavra que ela diz.-Seu pai me ressucitou quando fui assassinada em um jantar...ai o laço...uma fuga...umm mundo novo...ai uma inimiga nova...uma vida nova e aqui estamos nós.
-É como esta o Vitor?-Pergunta o Tómas.Minha tia lança um olhar para ele que me parte no meio.Mesmo ela não olhando assim pra mim.
-Ele esta bem.Deve estar em algum lugar perto da Bela.-Diz ela.Tirando o olhar fuzilador do Tómas e olhando para mim.-Minha sobrinha.Agora que eu sei disso estou um pouco desapontada.
-Por que?-Pergunta o Tómas.Ela ri.
-Bem...digamos apenas que você não é o único garoto no mundo que gosta dela.-Diz a minha tia,com um sorriso de dar medo.E como minha tia puxa a personalidade do meu pai ela não para por ai.-Tem o Henrique,O Vitor,vários garotos da corte,tem também os...-Ela vai dizendo.Depois se interrompe.-Qualquer um com olhos pode ver.-Ela diz.Depois olha pro Tómas.-A menos que não queira ver.
O Tómas fica parado lá.Eu olho para a minha tia.Dou um passo pra frente.Mas alguém me puxa e é o Tómas.Não sei como ele se move tão rápido as vezes.
-O que você esta fazendo?-Pergunto a ele.
-Seus olhos estão esmeralda.-Diz ele.-Um esmeralda escuro e assustador.
-Ele esta certo.-Diz o Declan.Ajudando o Tómas,me puxando pra trás.-Vamos lá irmazinha.Vamos para o quarto.Se acalmar.-Eu fico parada.Não sei como,mas eu olho para minha tia e penso em cobras,cobras em todos os lugares.Ela estava olhando nos meus olhos,acho que com medo,mas não do que eu pudesse fazer com ela,mas por mim.Porque apesar de tudo ela é a minha tia.Mas esse olhar é substituido por outro.E ela fica mexendo as mãos como se estivesse afastando algo.Eu paro de pensar por um instante.
-É você Ariel.-Diz alguém,chegando perto.-Controle o seu poder.
-Eu não sei o que eu estou fazendo,nem como estou fazendo.-Eu digo a essa pessoa.
-Simplesmente tire qualquer sentimento ruim que esteja em você.Pense em coisas boas,que você gosta...pense na Bela,na Lissa,no Tómas,no Declan,no Rafael,no Vitor,em mim.
-Certo.-Eu digo.Desvio o meu olhar da minha tia assustada e volto para essa pessoa que agora estava parada do meu lado.Papai.Eu penso em tudo o que ele disse.Tiro os sentimentos ruins.Me acalmo.Minha tia fica parada.Depois meu pai vai até ela.
-Chave de cadeia você esta bem?-Ele pergunta a ela.Não acredito que depois de tantos anos ele ainda chama minha tia assim.
-Adrian...-Ela diz.Se apoiando nele.-...obrigada.
-Você já salvou minha vida também.-Ele diz.Ajudando ela.-Bem mais de uma vez.
-Ei.-Eu digo.-Odeio estragar o túnel do tempo,mas podem me explicar o que eu fiz?
-Você ficou com raiva,não podia fazer nada porque estavam segurando você.Então o espirito fez com que ela visse algo ruim.Depois que você tirou esse sentimento ruim o espirito se acalmou.-Disse meu pai.
-Obrigada Ariel.-Diz a minha tia.Eu olho pra ela.Como assim obrigado?Eu fiz ela ver coisas ruins.Ela respondeu minha pergunta.-Se não fosse por calsa do espirito...se você realmente não gostasse de mim.Você poderia ter feito algo bem pior.
-Como o que?-Eu pergunto.Meu pai olha pra ela com um sinal de reprovação.
-O espirito é mais poderoso do que você imagina.-Ele diz.-E o seu é o mais poderoso de todos.Por isso,tente se manter calma.-Ele passa os olhos pelos meninos.-Rafael,Declan e Tómas.Levem ela pro quarto e não deixem ela sair por hoje.E pelo amor de Deus não deixem ninguém mais entrar lá.Só o Vitor e o Henrique.Tentem fazer com que a Bela fique com a mãe.Ela tem que ficar hoje só com vocês.
-Por que?-Pergunto a ele.-Por que eu não posso ficar com a Bela?
-Porque ela seria fácil você controlar.-Responde meu pai.-Eles são mais dificeis.Porque todos sabem como é importante você ficar bem.E você não vai conseguir controlar todos eles.
-E por que eu vou ficar cercada de meninos?-Pergunto a ele.Sei que ele é Adrian Ivashkov.Ele sorri.
-Porque o Declan vai ficar com você.-Ele diz.-Não confio nem no Tómas,nem no Henrique,nem no Vitor,nem no Rafael.-Ele diz.-Só confio nele.E ele vai ficar com você.E eu tenho certeza que ele consegue vencer qualquer um deles.
-E todos?-Pergunto pra ele.-Sera que o Declan vence os quatro?
-Ariel.-Ele diz.Fazendo que não com a cabeça.Eu sorrio e vou andando,com meus "queridos" guardiões e meu namorado comigo.Me seguindo.Quando chegamos no quarto,por sorte a Bela não esta lá.Eu me jogo na cama.
-Eu estou me sentindo ofendido.-Diz o Rafael.-Como ele pode não confiar em mim?
-Eu também não confio em você.-Dizem o Tómas e o Declan.Em uma única voz.Depois se olham,depois voltam pra mim.-Não vou deixar você sozinha com nenhum deles.
-Vocês ensaiaram?-Pergunto.Zoando com a cara deles.Os dois olham denovo um pro outro,depois olham pra mim denovo.O Declan e o Tómas vem em minha direção e ficam bem perto de mim.Eu me sinto presa.Então do nada os dois voam pra tras e caem sentados.Eu morro de rir,junto com o Rafael.
-Como você fez isso?-Pergunta o Tómas.Ele e o Declan se levantando.Eu reviro tudo o que aconteceu.Depois digo:
-Meu campo de força.-Eu disse a eles.-Eu fiz isso porque vocês estavam perto demais...vocês são assustadores quando querem.
-Eu sei que sou assustador.-Diz o Declan.-Eu sou sempre assustador.Mas você ficou mais assustadora lá em baixo do que eu em toda minha vida.
-Então o menininho sem medo de nada tem medo da irmazinha mais nova?-Pergunto a ele.
-Não.-Ele diz.-Estou dizendo que você estava assustadora.
-Condordo com ele.-Diz o Tómas.Nós olhamos pra eles,todos boquiabertos.Acho que nem ele acredita que concorda com o Declan.-Não me olhem assim.Sei reconhecer quando alguém esta certo.
-Ao menos um idiota completo ele não é.-Diz o Declan.-Mas eu ainda não confio nele.
Eu vi uma briga se formando,e lembrei de tudo que a Sydney e meu pai me contaram da sua aventura entre os humanos.Lembrei dos aneis que meu pai enfeitiçou.Acho que eu também consigo.Abri as gavetas procurando algo de prata.Os meninos pararam o começo da briga pra verem o que eu estava procurando.
-O que você esta fazendo?-Perguntou o Declan.
-Se você vai lutar com ele,ele tem que estar no seu nível.-Eu disse.-E é isso que eu vou fazer!
-O que você vai fazer?-Pergunta o Tómas.
-Eu vou dar a você a força de um dampiro.-Eu disse a ele.-Bem...eu vou tentar.
-Por que você vai fazer isso?-Pergunta o Declan.Antes de eu poder responder a porta se abre.O Declan e o Rafael pulam,colocando eu e o Tómas atras deles.Mas quem entra é o professor Eric.
-Eu vim dar um aviso.-Ele fala.-Nós vamos fazer uma viajem.Vamos esquiar.Por isso vão comprar coisas para fazer isso.-Ele ia embora,mas voltou.-E Rafael.Pergunte a sua mãe sobre esse lugar.-Depois ele virou pra mim.-E você para o seu pai Ariel...a é.O seu pai também deve saber algumas coisas Rafael.Até logo.
E ele foi embora e nós ficamos lá.Eu tentei abrir a conversa pela mente com meu pai.Porque pelo que eu saiba só um usuario de espirito poderia me responder.
-O que tem haver um lugar para esquiar com você pai?
-Como assim?
-Você já esteve em um lugar assim.E a Rose e o Dimitri também.
-Eu estive.-Ele disse.Bem,pensou.-Foi lá que eu conheci a Rose e...nesse tempo eu gostava dela.E o Belikov não gostava disso.
-Você causa muitos problemas.
-Você não fica atras.Agora desligo,tem alguém chegando.
Eu sai da minha conversa nós pensamentos e olhei para os meninos.
-Meu pai e a Rose se conheceram nesse lugar.-Eu disse a eles.Não achei necessário falar mais do que isso.Mas pela mente passei um recado pro Declan."Nesse tempo o papai gostava dela".Eu disse a ele"Estou falando com você na sua mente.Cala a boca.".Ele fez que sim com a cabeça.Então eu fiquei com uma vontade de arretar a paciência do professor Eric.Então eu olhei pros meninos.
-Qual o plano?-Perguntou imediatamente o Tómas.
-Eu não posso sair.-Eu disse.-Mas eu consigo ser irritante a longa distância.
Eles não entenderam e ficaram olhando um pro outro.Mas nenhum sabia do que eu estava falando.Nem mesmo o Declan e o Tómas.Como são burros.
-Eu consigo mandar mensagens pras pessoas,na mente delas.-Eu digo aos meninos.-E vou trazer o professor Eric aqui.E vou fazer algumas perguntas chatas sobre o esqui.-Eu digo sorrindo.Os três começam a sorrir.O Tómas e o Rafael não escondem.Mas o Declan sim.Ele esconde que em uma parte bem...bem....bem lá no fundo ele gosta de irritar as pessoas.Então eu me concentrei."Professor Eric.É a Ariel.Venha aqui no meu quarto.Eu e os meninos queremos saber algumas coisas sobre esse lugar para esquiar.Eu não estou perto de você.Estou falando na sua mente e nem tente me responder,só um usuário de espirito consegue".Eu paro e abro os olhos,que eu nem percebi que tinha fechado.Eu sorri e me joguei na cama.-Ele vai vir logo.-Eu disse a eles.Alguns minutos depois,menos de cinco,o professor Eric abriu a porta.
-Bater as vezes não faz a mão cair não.-Diz o Declan.
-O que querem saber?-Pergunta o professor Eric.
-Eu quero saber quando vamos?-Pergunto.Foi a primeira coisa que me veio na cabeça.Ele sorriu um pouco.
-Engraçado você perguntar.Nós vamos sair daqui a duas horas.-Ele disse.-Então sugiro que se ajeitem.
Eu praticamente pulei da cama quando ele disse isso.Pulei no meu armário,peguei as roupas e coloquei na mala.Vestidos,calças,blusas,shorts.Quando eu acabei os meninos já estavam prontos,me esperando.Eu mandei uma mensagem pro meu pai pela mente."Precisamos de materiais para esquiar".Ele não respondeu,mas acho que recebeu o recado.
-Como vocês foram tão rápidos?-Pergunto a eles.
-Nós não temos umas cento e cinquenta roupas pra levar.-Diz o Rafael.
-Não a subestime.-Diz o Declan.-Ela tem mais que dez vezes isso.
-Bem mais do que isso.-Diz o Tómas.Eu vou andando na frente deles,ai eu ouço alguma coisa e paro,desco devagar,com os garotos atras de mim.Quando chegamos lá em baixo espiamos,as pessoas estão conversando e meu pai esta afastado,perto de uma árvore.E tem alguém escondido ali.Eu vou andando devagar,mas o papai já esta voltando.
-Com quem você estava falando?-Pergunto a ele.
-Eu fui tomar um ar.-Disse ele.-Vocês não são os únicos cansados de ficar aqui.De nada por dar a ideia de sair.Os materiais de esquiar estão esperando vocês lá.
-Vamos crianças.-Diz a diretora Kirova.-Entrem todos nos ônibus.Vamos até o aeroporto.Chegaremos antes de amanhecer.No aeroporto claro.Vamos demorar um pouco no avião.-Ela diz.Sem sorrir.Acho muito difícil ela rir de alguma coisa.Eu entro no ônibus número seis.E com eu quero dizer eu e meu exercito.Eu me sento lá no fim.E alguém senta do meu lado.Estou pronta pra ver o Tómas ou o Declan.Mas quando eu me viro quem esta lá não é nenhum deles.Nem ninguém que eu conheça.
 


Notas Finais


E foi isso.
Acho que foi curto,mas queria deixar o misterio do garoto!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...