História Ariel - A história continua - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Academia de Vampiros (Vampire Academy)
Tags Academia De Vampiros
Exibições 1
Palavras 5.021
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E aqui vai mais um capitulo
Espero que gostem
Favoritem a história
Boa leitura....

Capítulo 8 - Corte Moroi



Acordei com os gritos do Declan.
-Ei.-Ele estava gritando e me chacoalhando.-Acorda.
-Serio.-Eu disse esfregando os olhos.-Por que todo mundo me acorda assim?
-Porque você não acorda de jeito nenhum.-Disse o Peter.-E você sabe disso.
-Cala-te.-Eu disse a ele.Depois me levantei e fui com eles,no ônibus eu fui com o Declan.Quando chegamos,o Christian chamou a gente pra ir na sala da diretora Kirova.Eu não era muito amada pela diretora Kirova.Assim que chegamos ela levantou o olhar.
-O que houve?-Ela perguntou.O Christian sentou numa cadeira na frente dela.
-Um laço.-Ele disse.-Mas ele não morreu,um novo tipo de laço,que só ela consegue fazer.-Ele disse.A diretora Kirova pareceu surpresa,por um segundo.Depois se recuperou.
-Como?-Ela perguntou ao Christian,ele olhou pra mim,depois pro Peter,respirou fundo.
-Eu acho que posso contar a ela.-Disse o Christian.-E os funcionarios da escola também podem saber,mas ninguém mais.-Ele disse a diretora Kirova,que permaneceu seria e concordou com a cabeça.Então ele contou tudo.Exatamente como foi.A diretora Kirova agora ficou surpresa mesmo.E demorou bem mais de um segundo pra se recuperar.Depois ela recuperou a fala.
-Então temos que manter os dois proximos.-Ela disse,por fim.
-Exatamente.-Disse o Christian.-Queria pedir pra dar um jeito deles ficarem juntos,com o Declan e o Vitor.
-Eu posso fazer isso.-Disse ela.Depois ela deu um telefonema e explicou toda história,segundos depois entraram na sala o professor Eric e a professora Maria.Olharam pelo espaço,depois sorriram pra mim.A diretora Kirova mandou os dois falarem a todos os professores.A professora Maria falar a todos os professores e o professor Eric a todos os guardiões,que são professores,claro.Depois de um tempo,fomos para aquele quarto que estavamos eu e a Bela.Só que a Bela já tinha saido dele.E iamos ficar lá eu,o Peter,o Declan,o Vitor,o Rafael e o Henrique.Resumindo,minha guarda.Eu me decidi,sem falar pro Christian que eu iria contar pra meus guardas tudo.Então eu sentei na minha cama,de frente pra todos eles.O Peter pareceu receber as informações agora.
-Eu acho que...-Ele ia dizendo,e eu podia jurar que ia dizer que eu estava errada.-...é uma ótima ideia.Estou vendo como isso esta te destruindo.
-Am?-Perguntaram o Rafael e o Henrique.Eu ri,o Declan mexeu no cabelo,depois entendeu que eu ia falar tudo.
-Melhor vocês se sentarem.-Disse o Declan.-É uma bomba o que ela vai dizer.
-Ok.-Disseram os dois.Diferente do Declan e do Vitor eles sabem obedecer as pessoas.Então eu disse a história toda.Os poderes,o laço...tudo.E os meninos ficaram pálidos,o Declan foi buscar água.O Rafael se recuperou primeiro.
-Minha mãe e meu pai sabiam e não me contaram?-Perguntou o Rafael.
-Qual parte de "super secreto" você não entendeu?-Perguntou o Vitor.
-Agora temos um laço muito loco nas mãos.-Disse o Declan.-E quem quer começar a treinar com eles?
-Eu.-Disse o Vitor.-Estou doido pra ver se ele consegue descobrir onde escondemos ela.
-Boa.-Disse o Declan.-Então vamos fazer isso.-Ele falou.-Quem vai?-Todos os meninos levantaram a mão e eu também.Gosto de treinar meus poderes doidos.Então o Declan e o Rafael ficaram no quarto com o Peter e eu,o Vitor e o Henrique fomos pra algum lugar em que eles iam me esconder.Assim que chegamos vi onde estavamos,no dormitorio dos dampiros.Então esperamos e eu mandei uma mensagem mental pro Declan "pronto".Em alguns minutos o Peter chegou.E apontou na minha direção.
-Então esse texte,concluido com sucesso.-Disse o Peter.-Vamos voltar pro quarto.
-Ok.-Disse o Declan.-Isso é impressionante.-Todos concordaram com a cabeça e nós voltamos pro quarto.Então os meninos fizeram várias perguntas pra mim e escreveram num papel,depois fizeram as mesmas perguntas pro Peter.D    epois o Declan ficou olhando bem muito pra nós dois,sem acreditar.
-As respostas foram exatamente iguais.-Disse o Henrique.
-Isso é muito estranho.-Disse o Rafael.-E eu adorei.
-Então somos dois.-Disse o Declan.
-Agora eu tenho uma duvida.-Disse o Vitor.
-Qual é?-Perguntou o Peter.
-Você pode ver tudo que ela faz?-Pergunta o Vitor.
-Sim.-Responde o Peter.-Eu consigo ver ate os pesadelos dela.
-Que pesadelos?-Pergunta o Declan.-Ela nunca tem pesadelos!
-Eu não sou um robô.-Eu digo a ele.Com raiva.-Tenho medos,como qualquer outra pessoa.
-Você nunca tem pesadelos Ariel.-Diz o Declan.-Isso que eu achava bastante estranho.
-O que?-Perguntei a ele.
-Você não tinha medo de nada,nem de ninguém.-Ele disse.Depois pensou um pouco.-Só dos filmes de terror.
-Eu odeio filmes de terror.-Eu disse a ele.
-Então por que você vê tantos?-Pergunta o Vitor.
-Porque ela é doida.-Diz o Declan.Ai ele voltou pro mundo normal quando o Christian entrou.
-Temos um grande problema.-Disse o Christian.Agitado.
-Qual problema?-Todos nós perguntamos a ele.
-Não posso dizer.-Ele disse.-Não agora.Preciso textar uma coisa.-Ele falou.Todos concordamos e ele deu os detalhes desse texte.-Eu quero que a Ariel e o Peter fiquem aqui no centro.-Ele disse,apontando pro meio do quarto.-E quero que todos vocês ataquem eles dois.
-Por que?-Pergunto a ele.
-Porque eu preciso ver como vocês reagem.-Ele me respondeu.-Se você usar uma porção grande de espirito é capaz do Peter conseguir repetir isso.
-Ok.-Dissemos eu e o Peter.Então seguimos o exercicio.Fomos até o meio do quarto e lembrei de uma coisa.
-Como vamos nos defender?-Perguntei ao Christian.
-Com os seus poderes.-Ele me respondeu.Então os meninos se ajeitaram.Eu ia lutar contra o Declan e o Rafael.Eu estou feliz.Desde que eu era pequena eu queria vencer o Declan e o Rafael numa luta.Mas eles eram maiores e mais fortes que eu.Agora não são mais.O Peter ficou frente ao Vitor e ao Henrique.Então começou a briga.Os meninos pularam em cima de nós.Eu comecei usando o campo de força.Então eles não conseguiram passar,depois quebrou.E eu usei mais espirito ainda pra fazer um mais forte.Com isso o Peter me ajudou e o campo de força ganhou mais resistência.Depois o Christian reclamou.
-Muito tempo usando campo de força.-Ele disse.Então paramos o campo de força.Em segundos o Declan pulou em cima de mim.Então eu usei a telecinese.Levantei ele no ar.Depois usei mais pra colocar o Rafael no ar também.Eu estava usando uma boa quantia de espirito,ai passou pro Peter.Ele fez a mesma coisa que eu,levantando o Henrique e o Vitor no ar.Depois de algum tempo o Christian falou denovo.
-Ok.-Disse o Christian.-Podem soltar eles.-Ele falou,sorrindo vendo todos no ar.Soltamos eles e nos atacaram denovo.Dessa vez o Declan conseguiu chegar ate mim,mas foi pra longe num estante,por causa do fogo.Fogo?
-De onde veio isso?-Eu perguntei.
-Ótimo.-Disse o Christian.-Podem parar.-Então todos nos paramos.-Esse fogo veio de você Ariel.-Disse ele.
-Esse é o grande problema?-Perguntei a ele.
-Não.-Ele disse.-O grande problema é que você pode ser fatal.Se alguem conseguir persuadir você,você poderia vencer um exercito.E se conseguirem persuadir o Peter também,ai lascou.O Peter consegue repetir seus movimentos.Essa energia que você usa,você meio que manda a mesma quantidade pro Peter e ele repete seus movimentos.Essa energia,ele meio que copia seu poder,mas ainda não é forte como você.Só repete o espirito que você usa.Se você permitir.Em uma situação fatal,só vocês dois,poderiam vencer todos os guardiões desse mundo.
-Isso realmente é um grande problema.-Diz o Peter.
-Na verdade não.-Digo.-Eu poderia encantar alguma coisa,pra proteger o Peter de compulsão.
-E você?-Pergunta o Declan.
-Ninguém conseguiria,nem conseguira,controlar ela.-Disse o Christian.-Não existe,nem existira ninguém mais forte que ela.Mas...se alguém controlar ele,sera fácil chegar até ela.
-Como?-Eu perguntei.
-Ele pode achar você,aonde quer que esteja.Ele é um GPS até você.-Disse o Christian.-Mas pelo que eu acabei de ver,essa habilidade de repetir é só com o espirito.
-E como eu tirei o fogo do nada?-Pergunto a ele.
-Porque você pode criar o fogo.-Disse o Christian.-É nisso que eu vou trabalhar com você.E com eu,quero dizer,que vou dar uma desculpa muito boa a escola,pra você poder ir pra corte.E com você,quero dizer você,o Peter,o Vitor e o Rafael.
-Por que?-Perguntei.
-Ei.-Disse o Vitor.-Não fale nada.Eu estou feliz em perder aulas de matemática.
-E eu as de ciências.-Disse o Rafael.-Eu não entendo nada.
-Então vamos todos pra corte.-Disse o Christian.Animado.-Vou agora mesmo falar com a diretora Kirova.
-Ok.-Dissemos todos nós.Ai ele olhou pra mim.
-Acho melhor você vir comigo Ariel.-Disse o Christian.-Caso ela precise ser convencida.
-Você esta pedindo pra eu usar compulsão?-Perguntei a ele.
-Eu só quero que você a convença a fazer algo.-Ele disse.
-A mamãe nunca faria isso.-Eu disse a ele.
-Mas você faria.-Ele me disse.
-Claro.-Eu disse a ele.-Você acha que eu ia perder essa oportunidade de fugir da escola?Claro que não.
-Exatamente.-Ele disse.-Vamos?-Ele perguntou,abrindo a porta.Eu nem respondi,eu simplesmente fui andando,quando chegamos lá e pedimos pra diretora Kirova a resposta dela foi curta e grossa.
-Não.-Ela disse.O Christian olhou pra mim.Minha deixa.Eu olhei nos olhos dela,ela desviou o olhar,ela não sabia como eu realmente era poderosa.
-Diretora Kirova.Você vai deixar eu e meus amigos irmos para a corte.Porque o Christian deu um ótimo motivo,que você não vai falar a ninguém.O Christian deu um ótimo motivo e você concordou.-Eu disse a ela.Usando a compulsão necessária para controlar alguém sem olhar nos olhos.Ela concordou.Então eu e o Christian saimos.
-Você é muito poderosa.-Disse o Christian.-Amo repetir isso.
-Eu sei que todos me amam.-Eu disse a ele.-Agora vamos arrumar as coisas.Já comprou as passagens?
-Já.-Ele me respondeu.-Enquanto iamos falar com ela.Partimos daqui a 3 horas.Avise a seus amigos.Vou arrumar as minhas coisas e falar com a Lissa.
-Ok.-Eu disse a ele.E nos separamos no corredor.Eu avisei aos meninos e arrumamos nossas coisas.Eu coloquei as minhas roupas preferidas.Os meninos acabaram antes de mim,todos eles.O Declan ficou me encarando enquanto eu guardava meus vestidos.
-Tantos vestidos...-Ele disse-...e nenhum passa dos joelhos.
-Tem alguns que passam.-Disse o Peter.-Eu estou conectado na mente dela lembra?Ela tem sim vestidos que passam dos joelhos,mas você não ia gostar dos decotes que tem neles.
-Cala a boca.-Eu disse ao Peter.-Não é permitido falar das minhas roupas.
-Ok.-Disse o Peter,colocando as mãos pra cima,como se tivesse se rendendo.Então fomos todos lá pra baixo.E,quando chegamos lá,uns 40 minutos antes do voo,o Christian estava esperando dentro de um carro.Nós entramos e fomos para o aeroporto,de lá chegamos a corte rapidinho.Minha mãe mandou que alguns guardiões nos levassem ate o castelo.Eu nunca pensaria que é um castelo,se não visse por dentro.Parece um predio de uma universidade,mas por dentro você vê.Quando nós chegamos,minha mãe estava no escritório,com a Rose,claro.Quando nos entramos ela nos recebeu com um sorriso,daqueles educados que ela esta acostumada a dar.
-Ariel.-Disse a minha mãe,ao me ver.-Que bom que você esta aqui.Vocês todos ficaram no palácio.-Ela disse pra todos,depois falou baixo,só pra eu escutar.-E eu e a Rose falaremos com você e o Peter,sobre o laço.-Ela disse,seria.Eu concordei com a cabeça.Todos nós ficamos em vários quartos diferentes.E com todos nós,eu quero dizer uma parte,porque eu nunca me livrava do Peter e do Declan.Ficamos nós 3 no mesmo quarto.Um quarto incrivelmente grande e com bastante espaço.Ele tinha três camas,com um lencol vermelho,tinha uma no meio e uma de cada lado,todas enormes e macias.
-A DO MEIO É MINHA.-Eu gritei,assim que entramos no quarto.O Peter riu e o Declan revirou os olhos.
-Certas coisas nunca mudam.-Disse o Declan.-A Ariel querer sempre a cama do meio é uma delas.
-Eu só acho que...-Eu ia dizendo.Mas a mamãe me enviou uma mensagem mental."Ariel.Eu vou no seu quarto,para falarmos sobre o laço,mais ou menos daqui a 2 horas,com a Rose,seu pai e sua tia".Foi o que ela me disse.E então eu olhei pros meninos.-A mamãe vem aqui em 2 horas,com a Rose,o Adrian e a Jill.Em outras palavras,mamãe,papai,madrinha e titia.
-Essa eu não sabia.-Disse o Peter.Eu olhei pra ele,sorrindo,eu estava prestes a fazer um comentario irritante.Mas ele estragou.-Mentira.Eu já recebi.E ela disse em mais ou menos 2 horas.Não exatamente.
-Ahhhhhh.-Eu fiz.Irritada com o Peter.Os dois riram.E da risada doida deles eu também ri e toda raiva se foi.Exatamente duas horas depois a mamãe chegou.Com a Rose apenas.Elas entraram num piscar de olhos.A mamãe se sentou na cama do meio,parece que todo mundo conhece meu habito de escolher a cama do meio,e chamou a mim e ao Peter.Quando chegamos a Rose começou.
-É bem irritante ela lhe puxar pra mente dela não é?-Perguntou a Rose.
-Ruins são os pesadelos dela.-Disse o Peter.
-Sei como é.-Disse a Rose,olhando pra mamãe.Depois voltou pra nós.
-É muito irritante ter alguém bisbilhotando sua cabeça?-Pergunta minha mãe pra mim.Eu olho pro Peter.
-Com certeza.-Eu digo.-E falando sobre meus vestidos.
-Isso é um pecado.-Diz a Rose,fingindo espanto.
-Agora podemos treinar o laço?-Pergunta o Peter.-Eu quero aprender a entrar na cabeça dela sem ela me puxar.
-É o que garoto?-Eu pergunto.
-Quando eu não tiver nada pra fazer eu entro na sua cabeça.-Disse o Peter.
-E quanto a minha privacidade?-Eu pergunto.
-Já era.-Diz o Peter.Minha mãe e a Rose riem,vendo a discussão doida que estamos tendo.Depois a Rose volta a sua forma seria,sem sorriso.
-Peter...-Ela disse.Assim que ela falou paramos a briga,então ela continuou.-...você vai conseguir ver onde ela esta,o que ela quer,o que ela vai fazer,quando vai fazer,o que não vai,como esta se sentindo.
-Resumindo.-Eu disse.-Muitas informações.
-É,por ai.-Disse a Rose.
-E você Ariel.-Disse a minha mãe.-Com o que sabemos,achamos que você conseguira entrar na mente dele,mas não como ele,você conseguira ficar apenas alguns segundos.E não sera arrastada pra dentro da cabeça dele.
-Como eu queria isso alguns anos atras.-Disse a Rose.Minha mãe olhou pra ela,sorrindo,se lembrando de anos atras,quando as duas eram duas jovens amigas.Então continuaram nos explicando sobre o espirito,algumas horas depois elas acabaram.Depois de contar das suas aventuras,como a mamãe virando rainha e a fuga maluca da Rose.Nós ficamos rindo muito.Até o Declan,ficou maravilhado com as histórias.A mamãe foi embora primeiro,mas deixou a Rose ficar mais com a gente,contando mais as histórias,ela foi falando tudo,e respondia cada pergunta com um sorriso,se lembrando de suas aventuras.
-Vocês foram doidas o suficiente para invadir uma prisão de segurança maxima e tirar um prisioneiro perigoso de lá.-Eu disse.Depois tive uma ideia muito louca.Sera que eu,o Peter e o Declan conseguiriamos fazer isso?Sera que conseguiriamos enganar os guardas com sucesso?Por sorte a Rose já ia embora,quando ela saiu eu sorri pros meninos,o Peter já sabia o que eu estava pensando.
-Qual é.-Disse o Peter.-Ate você tem que ter um limite.
-Do que vocês estão falando?-Pergunta o Declan.
-Eu quero fazer um texte.-Eu digo ao Declan.Eu não ia dizer "eu quero envadir uma prisão de segurança maxima".-E esse texte vai ser bem dificil.
-Não é texte nenhum.-Diz o Peter.-É uma invasão.
-Como assim?-Pergunta o Declan.
-Ela quer tentar entrar na prisão de segurança maxima,como a Rose e a Lissa.-Diz o Peter.
-Eu vou.-Diz o Declan.Meu queixo quase cai no chão,o meu irmão que é a voz da razão vai comigo pra uma missão doida.Gostei!Eu sorri.
-Então vamos.-Eu disse.O Peter olhou pra mim.
-Eu não concordei em ir.-Disse o Peter.Eu olhei pra ele.
-Mas você vai.-Eu disse a ele.-Você sabe que quer ir.Eu posso sentir.
-Isso é bom.-Diz o Peter.-O laço esta ficando mais forte.
-Então vamos logo.-Eu digo
-Pra onde?-Pergunta o Declan.
-Onde você acha?-Pergunta o Peter.-Vamos espionar os guardiões.
-Bem na verdade...-Eu disse.-..eu simplesmente vou usar compulsão e descobrir o que eu quero.
-Bem direta você.-Diz o Declan.
-Eu sei.-Digo,com um sorriso.Então vamos na,tipo,sede dos guardiões,que por sorte so tem dois guardiões.Então eu olho pra eles,sorrindo.-Oi.Eu vim aqui saber sobre as prisões.Minha mãe disse que vocês podiam me informar,eu preciso saber tipo a localização e a lista de prisioneiros de uma,minha escola pediu.-Eu disse,com um sorriso.E com a compulsão.Eu não sou assim tão convincente.Eles fizeram que sim e eu continuei.-Não vão dizer a ninguém que estivemos aqui.Vão me ajudar e esquecer que eu estive aqui.-Eu digo aos dois.Eles colocam algumas informações em um Pen Drive e me dão.Eu agradeço e vou embora com os meninos.
-É estranho como você é persuasiva.-Diz o Declan.-Minha irmazinha frágil e delicada,a mais poderosa de todos.-Ele fala,como se estivesse com o coração despedaçado.
-Ela é bem pior do que você imagina.-Diz o Peter.
-Como assim?-Pergunta o Declan.Eu olho pro Peter e começo uma conversa com ele pelos pensamentos.
-Cala a boca.-Eu digo a ele.
-ok.-Diz ele.-Só acho engraçado ele assim.
-Quem deixa ele estressado sou só eu!Esse é meu departamento.-Eu digo a ele,depois saio da conversa mental.
-O que vocês estão fazendo?-Pergunta o Declan.-Por que ficaram se encarando?
-Conversa mental.-Disse o Peter.Tocando na própria cabeça.
-Agora vamos pro quarto.-Eu digo aos dois.-Quero estudar a prisão,pra bolar uma ótima saida,só precisamos pensar.
-Ótimo.-Diz o Declan.-Ao menos nisso,sou melhor que vocês.
-Eu não contaria com isso.-Diz o Peter.-É um plano de fuga lembra?
-Deixa ele sonhar.-Eu digo ao Peter.Que ri e me segue.Então nós vamos em silêncio ate o quarto.Quando chegamos lá,nos sentamos na minha cama e ficamos dando várias ideia de como entrar e sair da prisão.Vemos os horarios e o número de prisioneiros.Decidimos tirar de lá uma menina,com sobrenome Lazar.Avery Lazar.Estranho.O nome me é familiar.Ela esta em segurança maxima,da prisão de segurança maxima.Então a menina deve ser bem protegida.Assim passamos o resto do dia.Bolando essa coisa.Quando acabamos esta de noite e eu tenho outro pesadelo.Eu estou no trono.Sou a rainha.Mas ninguém confia em mim.Estão todos me olhando,me julgando."Você sera a calsa da nossa destruição".Dissem todos.E chegam mais perto,e mais perto,ate me sufocarem.E então eu acordo,com o Peter me abraçando.
-Você não poderia sonhar com fadas,sereias ou algo assim?-Me pergunta o Peter.
-Desculpe.-Eu digo a ele.-Eu não controlo meus pesadelos.
-Eu sei.-Ele diz.-Eu acordei na parte do você sera a calsa da nossa destruição.Você tem medo de ser uma rainha ruim?
-Sim.-Eu respondo a ele.Tão baixo que eu mal escuto.Eu mal me lembrava desse meu medo.Eu gosto de deixar meus medos no fundo do meu ser.Eu não gosto de sentir medo.Me sinto fraca.
-Você não é fraca.-Me diz o Peter.-É mais forte do que imagina!
-Obrigada.-Eu digo a ele.E ele começa a mexer no meu cabelo,e e assim que eu durmo.E acordo com o Declan na frente do meu rosto.
-Serio?-Me pergunta o Declan.-Você quer mesmo que eu mate ele tão cedo?
-Primeiro você nunca mataria ele.-Eu digo ao Declan.Pacientemente-Segundo eu tive outro pesadelo.
-Que pesadelo?-Pergunta o Declan.E eu tento desviar do assunto.Eu não quero dizer do que eu tenho medo.
-Vamos comer?-Pergunto a ele.
-Você esta desviando do assunto.-Ele me diz.
-Verdade.-Diz o Peter,acordado,espiando a conversa.
-Você não tem medo que eu te mate?-Pergunta o Declan.Assustadoramente convencido.
-Não.-Responde o Peter.-Ate porque eu sei tudo o que ela sabe.Você não mataria um amigo da sua irmã.
-Tomara que continue sendo um amigo.-Sussura o Declan.Saindo de perto de nós.
-Minha audição é boa sabia?-Pergunto ao Declan.
-Sim.-Ele disse.-Eu queria que você ouvisse mesmo.
-Okay.-Eu digo.Sem entender nada.Então eu me levanto da cama e vou me arrumar.Saimos do quarto um pouco antes do planejado.E esse um pouco antes são 10 segundos.Então vamos a um restaurante,que eu amei assim que cheguei.Assim que chegamos surguiu o garçom.
-O que desejam?-Ele perguntou.Eu e o Peter trocamos olhares e falamos na mesma hora:
-Camarões e bolo de chocolate.
-E pra beber?-Pergunta o garçom.
-Coca-cola com sangue.-Diz o Peter.-E só coca-cola pra ele.-Ele diz apontando pro Declan.Depois eu me lembro que ele pediu coca-cola...e com sangue.-Confia em mim.-Ele diz.-Você vai gostar.
-Ok.-Eu digo.Em alguns poucos minutos o garçom chega,trazendo os camarões e os drinks.Eu e o Peter devoramos os camarões,depois o bolo e eu gostei da coca-cola com sangue.
-Vocês comem como animais.-Diz o Declan.-O dampiro aqui sou eu ok?
-Você comeu a algum tempo.-Diz o Peter.-Nós não!
-Verdade.-Eu digo.E fico feliz por termos bebido sangue.Eu não me lembro de ir aos fornecedores.Assim que acabamos e saimos do restaurante,passamos pela sala do trono.Onde minha mãe esta conversando com algumas pessoas.Ela me chamou e eu fui ate lá.
-Ariel.-Ela diz.-Você acha justo dampiros começarem a ser guardiões com 16 anos?-Ela me pergunta.-Pode dizer a verdade.
-Eu acho que não é justo.Eles já trabalham pra nós o resto de suas vidas.É justo deixamos eles ao menos acabar seu treinamento.Alguns dampiros com 16 anos são,sim,tão bons quanto os formados de 18 anos.Mas são poucos.E,proponho que os dampiros que apresentem melhor desempenho,seja feita uma proposta,pra se formar antes.Mas,mesmo assim que ele trabalhe um,meio turno digamos,pra poder fazer o que foi treinado pra fazer,mas aprender mais,e proponho que dois guardiões ensinem isso,o Belikov e a Hatway.Por sua história.
-Tem razão.-Disse um dos homens rodeando minha mãe.-Ela sera uma ótima rainha.
-O que?-Perguntei.
-Foi um texte Ariel.-Disse a minha mãe.-E você com isso,ajudou a resolvermos a questão da idade.
-Foi um ótimo argumento.-Disse outro homen,mais velho,bem mais velho.-Acho que concordo com a menina.Com alguns dampiros saindo antes,teremos o que queremos e temos dois dos melhores guardiões aqui.Que podem treina-los ainda mais fundo.
-Verdade.-Diz outra pessoa,dessa vez uma mulher.Ela podia ser minha vó.Não.A vó da minha avó.-Podemos fazer a votação agora.
-Sim.-Dizem todos os membros.
-Ariel,obrigada.-Diz a minha mãe.-Agora pode ir,vamos finalmente resolver a questão da idade.
-Ok.Tchau.-Eu digo a minha mãe.E vou embora.Quando eu saio,eu escuto meu nome.Mas eu não sei o que estão falando de mim.Vou para mais perto e escuto uma parte.Bem no fim.
-...incrivel.Ela resolveu em uma hora o que não resolveram em 15 anos.-Estava dizendo um homem para o outro.Antes de eu ir para mais perto.Para saber mais,alguém tocou meu ombro e eu me virei na hora.E vi o Peter,com o Declan.
-Vocês viraram melhores amigos foi?-Pergunto a eles.
-Não.-Diz o Peter.-Ele quer um GPS pra saber onde e com quem você esta.E esse sou eu.
-Não foi muito dificil achar você.-Diz o Declan.
-O que estão falando de mim?-Pergunto.Sei que o Declan é bem ligado no mundo.
-Sobre a questão da idade.-Diz o Declan.-Que você resolveu em questão de uma hora e que as pessoas não resolveram em anos.Estão bem felizes com a sucessora da rainha Vasilisa.
-Isso é bom.-Eu digo.E na minha cabeça eu penso "um pesadelo a menos".Eu e os meninos voltamos pro quarto.Onde esta o povo todo.Vitor,Henrique,Rafael e Christian.Assim que chegamos,fomos recebidos pelo Christian,sorrindo.
-O que aconteceu?-Perguntei a ele.Assim que entrei.
-Tera uma festa,a noite,para comemorar a decisão da corte.-Disse o Christian.Depois ficou em silêncio,acho que esperando a gente perguntar qual.Mas ninguém falou nada,ai ele continuou.-Eles decidiram que os dampiros só iriam se formar com 18 anos.Pelo que a Ariel falou.Por isso darão essa festa e a Ariel é convidada de honra.
-Uau.-Dissemos todos.
-E já colocaram na internet.-Disse o Henrique.Que estava no meu notebook.Mas reclamo com ele depois.Primeiro ler o que tem.Estava escrito:"Ariel Dragomir Ivashvok,sucessora da Rainha Vasilisa Dragomir,convenceu a corte de deixar os dampiros treinarem até os 18 anos.A rainha Vasilisa está orgulhosa com a capacidade de sua herdeira de já ser uma brilhante rainha.Ela deu algumas palavras em uma entrevista que foram:"Estou orgulhosa com a capacidade dela de aprender,de ensinar,de cuidar dos que precisam,de cuidar de todo o seu povo.".Foram as palavras da rainha Vasilisa.Haverá uma festa,hoje a noite,em homenagem a nossa princesa,que esta provando cada vez mais como merece ser nossa futura rainha.".Foram as informações que tinham na página da corte na internet.Eu estava feliz,por gostarem,mas,em alguma parte dentro de mim,eu estava com medo de decepcionar todos.
-Ai meu Deus.-Eu disse.Assim que terminei de ler tudo e recuperei minha voz.O Christian estava sorrindo.
-Eu estou feliz.-Disse o Christian.
-Dá pra notar.-Diz o Peter.-Não é muita coisa,só o sorriso de orelha a orelha.
-Ariel,venha no meu quarto.Agora.Preciso de você.-Disse minha mãe,na minha mente.Eu olhei para os meninos na mesma hora.
-Christian,Declan,Peter e Vitor.-Eu disse.-Vamos pro quarto da mamãe.Agora.Eu recebi uma mensagem.-Eu disse a eles.Não me questionaram e fomos até lá.Assim que eu estava a poucos metros eu enviei uma mensagem pra ela."Estou chegando,mamãe".E eu entrei.Minha mãe estava na cama,com os olhos brilhando.Eu fui pro lado dela na mesma hora.-O que aconteceu?
-Eu...eu entrei,ai tinha uma carta para mim.Não parecia ser nada demais,então eu abri.-Ela me disse.Depois olhou para mim.Assustada.-Essa carta Ariel é uma ameaça.
-Não pode ser.-Eu digo.-Não existe ninguém tolo o suficiente pra falar "eu estou planejando te matar".-Eu disse,então fui aonde estava a carta.Aberta,em cima de uma mesa de centro.
Eu só quero que saiba,não planejava que as coisas fossem assim,pensava que tudo fosse melhorar,pensava que poderiamos nos ajudar,eu pensava que finalmente iriamos nos dar bem.Mas agora vejo que era apenas minha imaginação,agora tenho a certeza que você nunca gostou mesmo de mim,uma pessoa tão próxima a você,por mais que eu tente você só se importa com sua filhinha querida,Ariel.Não adianta tentar protege-lá,pois você não sabe quem ou o que eu sou!Se despida da sua filhinha,vou tirar o que você tem de mais importante,ela.
Era isso que tinha na carta.Era sim uma ameaça de morte.Mas não era pra ela.Era pra mim.Agora eu estou em serios problemas.Como posso lutar contra alguém que não sei quem é.E o pior,essa pessoa me odeia,e pelo que pude ler,quer nos matar de medo,para depois matar de verdade.
-O que tem ai?-Disse o Declan,tirando o papel de mim.Eu nem precisei chamar ninguém.Em segundos o Peter me abraçou,as vezes era bom ter alguém conectado aos seus pensamentos e sentimentos.
-Calma.-Me disse o Peter.Mais seguro do que ele é de verdade disso.-Vai ficar tudo bem,não vamos deixar ninguém matar você.
-Mas não sabemos quem quer me matar.-Eu disse a ele.
-Quem quer matar quem?-Perguntou o Vitor.Perdido.O Declan passou o papel pra ele,depois de ler,os dois foram pra perto de mim.
-Calma Ariel.-Disse o Declan.-Não vou deixar ninguém machucar você.
-Nem eu.-Disse o Vitor.
-Eu também não.-Disse o Peter.-Estaremos com você.E acho que você consegue se defender,mesmo sem qualquer um de nós.
-Droga.-Disse o Christian.Ele estava com o papel na mão.E pelo jeito tinha acabado de ler.-Temos que manter uma grande segurança na Ariel agora.
-Não.-Eu disse.Eu sou esperta com estrategias.E eu vejo muitos filmes.-Podem querer desviar a atenção.Se essa pessoa não gosta da mamãe,não é mais provavel que va atacar ela?Quanto a mim.Eu tenho 2 pessoas tomando conta de mim.Acho que estou bem protegida.
-Mesmo assim.-Disse a minha mãe.Se levantando da cama e enxugando os olhos.-Manteremos dois guardiões na porta do seu quarto.-Ela me disse.Andando na minha direção.
-Não precisa...-Eu ia dizendo,mas ela me interrompeu.
-Ariel.-Ela disse,pegando meu rosto e me obrigando a olhar nos olhos dela.-Ao menos isso você tem que me deixar fazer.Quero proteger você.Não demonstro muito amor materno,mas essa carta esta certa.Você é a coisa mais importante pra mim.-Ela me disse,chorando.-E seria uma ótima vingança contra mim tirar você de mim.Deixe ao menos isso,e eu trazer o Henrique e o Rafael.
-Ok.-Eu disse a ela.A beira das lágrimas.
-Não chore.-Disse o Peter.-Por favor,nossos sentimentos estão conectados,se você chorar eu vou chorar.
-Am...-Foi falando o Christian,acho que afim de tirar essa tensão de uma carta que diz que vai me matar.-Ariel,quer comprar seu vestido?
-Serio isso?-Eu pergunto a ele.Ele da ombros.-Eu quero.Eu amo comprar roupas.Por mais que eu negue isso.
-Eu sei.-Disse o Christian.-Vou levar você nas lojas mais diversas.Venha,terão vários vestidos  caros e enfeitados.-Ele falou.Eu,o Peter,o Declan e o Vitor fomos com ele.Eu amei um vestido assim que entrei na loja.Ele era vermelho sangue,tinha um decote e alguns rubis ao redor da cintura,como um sinto.Ele tinha as costas nuas,mas já sei que meu cabelo cobre isso.Ele cobria o joelho.Ótimo.Vou esfregar isso na cara do Declan
-Eu gostei desse.-Eu disse,assim que eu vi o vestido eu pulei em cima dele e levei ate o Christian.
-Então vamos levar esse.-Disse o Christian.-E vocês,escolham os seus ternos.-Ele disse,olhando pros meninos.
-Oi?-Perguntou o Declan.
-Vocês vão cuidar dela na festa.-Disse o Christian.-E para estar em uma festa dessas,precisam estar vestidos de acordo.
-Não.-Disse o Vitor.-Não sabemos escolher roupas.-Disse ele.PIOR DESCULPA DO MUNDO.
-Mas eu sei.-Eu disse,sorrindo.E podia jurar que meus olhos estavam esmeralda.Eu fui arrastando eles pra parte masculina da loja.Escolhi um preto,com uma gravata preto também pro Declan.Um terno preto pro Vitor,só que de outra coleção e com algumas coisas diferentes.E pro Peter um treno preto,com a gravata vermelha.
-Por que você escolheu a minha roupa também?-Perguntou o Peter.-Eles não sabem escolher,eu sei.
-Me empolgei.-Eu disse.Maior mentira do mundo.Ele sabe disso.Parte ruim dele estar na minha mente:Sabe quando eu estou mentindo.Eu escolhi porque eu não queria ter nenhuma surpresa e ele gosta de branco.Queria evitar que ele escolhesse um terno branco.
-Você sabe que eu sei que é mentira.-Ele me disse.
-Você não fica bem de branco.-Eu disse a ele.
-Fala gentilmente-Ele disse.Eu coloquei a mão no ombro dele.
-O branco não favorece você.-Eu disse a ele.
-Aprendendo a falar como uma rainha?-Pergunta o Christian.-Se estiver,tá indo bem.
-Agora vão provar as roupas.-Eu disse pro Peter,pro Declan e pro Vitor.-Não adianta falar que não cabe.Eu sei as medidas de vocês.
-Ok.-Disseram os três.Ainda de cara feia.E trocaram de roupa.Ficaram maravilhosos de terno.Mas engraçado foi o Declan,tentando colocar a gravata.
-Oh Deus.-Eu disse,então fui pra perto dele.-Deixa que eu coloco isso em você.
-Você esta salvando minha vida.-Disse o Declan.E eu e o Christian aprovamos as roupas.E eu provei o meu vestido.Os quatro ficaram olhando pra minha cara.
-Por que você só usa vestidos assim?-Perguntou o Vitor.
-Se eu reclamar você não vai trocar não é?-Pergunta o Declan.
-Primeiro,eu gosto de vestidos extravagantes,segundo,não.-Eu disse aos dois.
-Não tinha um que mostrasse mais as costas?-Pergunta o Christian.com sarcasmo.
-Meu cabelo cobre.-Eu disse.-Eu sei que meu cabelo cobre,porque ele esta bem grande.
-Você sabe que não pode me enganar.-Disse o Peter.-Você vai usar o cabelo em um coque,como as noivas.
-Cala a boca.-Eu disse pra ele.-Você fala demais.-E eu me lembrei de uma coisa,pra salvar minha vida.-Temos que comprar os ternos do Henrique e o Rafael.
-Boa desculpa.-Disse o Peter.
-Eu sei.-Eu respondi a ele.E nós compramos nossas roupas e fomos pro quarto,onde por mágica os meninos estavam.
-Vocês chegaram rápido em.-Eu falo,fechando a porta.
-Na verdade,já estavamos aqui.-Diz o Henrique.-E sabemos de tudo,porque temos cameras seguindo vocês.
-Mentira.-Disse o Rafael.-O Peter manda informações pela mente.
-Então já sabem da carta?-Pergunto a eles.
-Sim.-Diz o Henrique.Num tom triste.-Mas vamos proteger você.
-Do que?-Pergunta uma voz,vindo da porta.E eu me viro.É a Bela.
-Bela.-Eu digo,correndo pra dar um abraço nela.-Eu estava com tanta saudade de você.
-Eu também.-Disse a Bela.-Eu convenci a diretora Kirova a me deixar vir também.
-Belisa o que você fez?-Perguntou o Christian.
-Calma.-Disse o Peter.-Nem todo mundo convence como você.
-O que esta acontecendo?-Pergunta a Bela.
-Ai Bela.-Eu digo,começando a chorar.-Alguém quer me matar.
-O que?-Fala a Bela.Tão baixo que eu,do lado dela,mal escuto.-Quem?Por que?
-Não sabemos direito.-Diz o Declan.-Só sabemos que essa pessoa não gosta da sua mãe e quer matar a Ariel pra faze-lá sofrer.
-Isso é...assustador.-Diz a Bela.Me abraçando.E passamos o resto do dia conversando.Até que o Declan interrompe.
-Eu odeio interromper a conversa sobre alguma coisa que eu não vou entender.-Diz ele.
-Mentira.-Eu disse.-Você adora interromper essas conversas.
-Continuando.-Diz ele,sorrindo.O que me diz que acertei.-Ariel você tem que se arrumar,faltam 2 horas.
-Ok.-Eu disse,me levantando.


Notas Finais


Espero que gostem
Se gostar adicione aos favoritos
Beijossss loves


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...