História Ariel - A história continua - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Academia de Vampiros (Vampire Academy)
Tags Academia De Vampiros
Exibições 1
Palavras 7.246
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E o nosso novo personagem vai agora
O futuro ................. da Ariel
Não vou dizer o que
Pensem meu povo
Pensem

Capítulo 9 - Pedro Badica



-Boa sorte na festa.-Disse a Bela.Então eu me arrumei e coloquei o meu vestido.Eu ia fazer um coque com o meu cabelo...mas o Peter ficou azucrinando a minha paciência,aposto que por pedido do Declan,pra eu ir de cabelo solto.E faltando uns 20 minutos pra começar a festa a minha mãe chegou,com o Christian.
-Você esta linda.-Disse a minha mãeAquele vestido verde era lindo,combinava com os olhos dela.E tinha uma pulseiras com algumas pedrinhas cor de jade também.-Quem vai com você?
-Am?-Perguntei.Não sabia desse detalhe.
-Eu.-Disse o Peter.Saindo do quarto.
-Eu acho bom.-Disse o Christian.
-Vamos logo.-Disse o Declan.
-Por que?-Perguntamos eu e a mamãe.
-Porque essa coisa aperta.-Disseram o Declan,o Vitor,o Henrique e o Rafael.
-Com o tempo você se acostuma.-Disse o Christian.
-Eu espero não ter que ir em mais nada assim.-Disse o Vitor.
-Que peninha.-Eu disse.
-Por que?-Me perguntou o Henrique.
-Porque se vocês forem meus guardiões,vou obriga-los a usar ternos.-Eu disse,sorrindo.
-Você não faria isso.-Disse o Declan.
-Você acredita mesmo nisso?-Perguntou o Peter.
-Não.-Respondeu o Declan.Então fomos até essa bendita festa.E eu tive que sentar lá na frente.Porque era uma homenagem a mim.O Peter estava do meu lado,o Declan depois dele.A mamãe entrou,linda com aquele vestido verde.E todos nos ajoelhamos,porque a rainha estava entrando.Imediatamente ela mandou a gente levantar.Ela se sentou do meu outro lado.E o Christian no outro lado dela.Então um homem,aparentando uns 50 a 60 anos subiu no palco e começou a falar.A parte que eu entendi foi:"Essa festa é em homenagem a Princesa Ariel Ivashkov Dragomir.",e blá,blá,blá.Depois começou uma dança.Eu estava quase dormindo.E eu estava jurando que o Peter ia me chamar pra dançar pra azucrinar minha paciência.Então alguém estendeu a mão pra mim.Eu peguei e me levantei.Mas não era o Peter.Não era ninguém que eu conhecesse.Era bonito,cabelos castanho-claros,olhos verdes,claros,bem claros.Eu levantei e fui ate o meio,era como uma pista de dança,acho.Um grande espaço,pra dançar.
-Eu sou o Pedro.-Ele me disse.Colocando a mão na minha cintura.
-Eu sou a Ariel.-Eu disse a ele.Então começou a dança.E a mamãe mandou eu subir no palco,eu estava andando já.Ai ela mandou o Pedro ir também.Subimos lá e ela anunciou.
-A nossos jovens.-Ela disse.Depois subiu mais alguém.Alguem com o mesmo cabelo do Pedro.Acho que era o pai dele.
-Nossos jovens.Meu filho,Pedro Badica,e a filha de nossa rainha Vasilisa,Ariel Dragomir.-Ele disse.Não sei porque.Serio.Pra que dizer o nome de duas pessoas,em uma festa?Depois da festa acabar.Eu fui com a minha mãe.Quando entramos no carro e a porta fechou eu encarei ela.
-O que eu tenho haver com o Pedro Badica?-Pergunto a ela.
-Os poderes.-Ela me disse.-O Pedro é um usuario de espirito bastante poderoso.Com poderes comparados aos seus.Mas,mesmo assim,não tão fortes.Os poderes dele não passam do espirito.
-Só isso?-Perguntei a ela.
-Não.-Ela me respondeu.-Temos uma meio que casa,no caribe.
-Gostei disso.-Eu disse.
-Pare de me interromper.-Ela disse.
-Desculpa.-Eu disse a ela.
-E,queremos que vocês passem uma semana lá,treinando seus poderes.Com mais algumas pessoas,claro.O Declan e o Peter vão com você.
-Por que o Declan e o Peter?-Eu pergunto a ela.
-Porque o Peter tem que estar sempre com você.E o Declan,por via das duvidas.É bom ter um guardião com vocês.
-Mas vão ter guardiões protegendo a gente lá?
-Sim.-Disse a minha mãe.Depois lendo a minha mente ela continuou.-Entendi.O Declan não vai,só o Peter.Ok.
-Obrigada.-Eu disse a ela.
-Vocês partem amanhã.-Ela me disse.
-Am?Como assim amanhã?-Eu pergunto a ela.
-Pare de reclamar.-Ela me disse.-Eu tinha que ser rápida.E é bom você ser amiga dele.
E então eu voltei pra casa e fui dormir.Acordei no outro dia,o Peter que me acordou.
-Vamos Bela adormecida.-Disse ele.-Sua mãe já passou o recado.Vamos sair em 2 horas.Vai se arrumar.Vamos pro Caribe,no jatinho particular da sua mãe.
-Ok,Declan-Eu disse a ele.
-Não me chame assim.-Disse o Peter.-Isso é quase um insulto.
-Eu tô aqui.-Disse o Declan.-Como assim vocês vão pro Caribe?
-O amiguinho da Ariel,Pedro Badica,tem quase os mesmos poderes que ela.Por isso,vamos treinar.-Disse o Peter.
-No Caribe?-Perguntou o Declan.
-Sim.-Eu disse.Ai passei pelos dois e fui me arrumar.Eu me ajeitei toda.Coloquei ate batom,que eu normalmente esquecia.O Declan bateu palmas.Eu ajeitei minha mala,bem,na verdade,minhas malas,já que eu arrumei 3 malas.Então decemos e fomos onde o Peter dizia.Quando chegamos,a primeira pessoa com quem me deparei foi o Pedro.Que me olhou da cabeça aos pés,depois deu um sorriso.
-Deixa eu adivinhar.Sua mãe mandou você se tornar minha amiga?-Me perguntou o Pedro.
-Exatamente.-Eu disse ao Pedro.-E eu quero que você saiba que eu não vou tentar fazer você gostar de mim,goste se quizer,do jeito que eu sou.
-Texto bonito.-Disse o Pedro.Depois,pela janela eu vi o pai dele.Eu apontei.
-Seu pai?-Perguntei.Ele fez que sim com a cabeça.Depois foi pra perto de mim.
-Desculpe.-Ele me disse.Não entendi porque.Até ele vir pra perto de mim e me beijar.Depois,ele apontou com os olhos pro pai dele,que sorriu.Ai o avião decolou.
-Pode se explicar.-Eu disse,me sentando na frente dele.
-Você não sabe?-Ele me perguntou.-Mas que pergunta,claro que não sabe.-Ele disse.-Nós nascemos com os mesmos poderes,mais ou menos,e então meu pai e sua mãe fizeram um acoro,iriam tentar unir as familias,com seus dois herdeiros mais velhos.
-Que coisa.-Diz o Peter.
-Agora vamos pra o Caribe,para termos um lugar onde não vejam a gente treinando.-Disse o Pedro.E depois ficamos todos em silencio.Ate chegarmos ao Caribe.Eu passei a maior parte da viajem dormindo.Depois fiquei curiosa.Nunca vi o Pedro fazer nada que um usuario de espirito faz.Então,hora da conversa mental.
-Pedro?-Eu fal...penso.
-Textado.-Ele pensa.-Eu sou mesmo um usuário de espirito.
-É.-Eu penso.Algum tempo depois chegamos.E eu adoro a casa.É enorme,tem várias partes com vidro,e os quartos são todos separados.E o meu é entre o Pedro e o Peter.Tomara que esses dois não tenham confusão um com o outro.E durmo,naquela enorme cama.E acordo com o Peter me sacudindo.
-Acorda.-Ele disse.-Temos que ir treinar.
-Ok.-Eu disse,me levantando.Por sorte eu estava com uma calsa jeans e uma blusa regata preta.Quando chegamos o Pedro estava parado.E eu não entendi.
-Vamos treinar a potencia de espirito que conseguimos criar.-Disse o Pedro.-Você contra mim.
-E quanto a mim?-Pergunta o Peter.
-É você.-Diz o Pedro.O Peter parece surpreso,mas caminha ate a frente do Pedro e os dois ficam frente a frente.E então o Pedro começa,usando uma porção consideravel,então eu imito e o Peter também.Depois ele usa mais,então nos imitamos.Ai ele usa uma bem maior,então imitamos denovo.Então ele usa muito,muito espirito mesmo,e o Peter imita ele antes de mim.Então o Peter começa a gritar.E eu tapo os ouvidos.Então os guardiões vem e levam ele.
-O que aconteceu?-Eu pergunto ao Pedro.
-Ele usou espirito demais.-Disse o Pedro.-Eu pensei que ele repitia seus movimentos,sem usar o espirito dele.
-Ele repete.-Eu disse.Mas dessa vez ele não repitiu.Ele estava usando antes de mim.-Ai meu Deus.
-O que foi?-Perguntou o Pedro.
-Ele usou o espirito dele,ele não repetiu meu movimento,porque ele fez isso antes de mim.-Eu disse ao Pedro.
-Sinto muito.-Ele disse a mim.Então me abraçou.Em certos molmentos eu recusaria um abraço de alguém que eu não conheço,mas agora,bem,estou bem pra baixo.E então vou pro quarto e tento falar com a mamãe,mas ela não atende,quem atende é o Christian.
-O que foi?-Me pergunta o Christian.
-O Peter...-Eu digo.-...ele usou os poderes dele,não os meus.E foi demais pra ele.Ele começou a gritar.
-Ele enlouqueçeu.-Disse o Christian.-Me desculpe Ariel.-Disse o Christian pra mim,depois desligou.E eu não sabia de mais nada.E passei um tempão no quarto.Até o Pedro abrir a porta.
-Você vai mesmo ficar o dia todo deprimida?-Me perguntou o Pedro.
-Sim.-Eu respondi a ele.Ele revirou os olhos e entrou no meu quarto.Então sentou na ponta da cama.
-Sei como isso deve ser traumatico pra você.-Ele disse.-Eu também estou aqui,vi as mesmas coisas que você.Agora precisamos nos distrair.
-Como eu vou me distrair?-Perguntei a ele.
-Podiamos...-Ele ia falando.Então meu notebook tocou.Era o Christian.Com a mamãe.
-Ariel.-Disse a minha mãe.Assim que me viu.-Você precisa refazer o laço.
-Por que?-Eu pergunto a ela.
-Porque se você tiver o laço com outra pessoa,seu laço com o Peter sera desfeito.-Disse o Christian.-E precisamos disso o mais rápido possivel.
-Mas eu não confio em uma pessoa assim tão rápido.-Eu disse.Depois me lembrei como conheci o Peter,quase igualmente como conheci o Pedro.-Talvez não.-Eu disse.-Pedro,sente de frente pra mim.
-Por que?-Me perguntou o Pedro.Eu sorri.
-Vamos nos dar bem.-Eu disse ao Pedro.-Por enquanto só me obedeça.Criaremos um laço,o que eu tinha com o Peter.
-Como?-Perguntou o Pedro.
-Com confiança.-Eu disse a ele.
-Que legal.-Ele disse.Parecia ser como eu e o Peter.Perfeito.
-Eu preciso que você confie em mim.-Eu disse a ele.
-Certo.-Ele me disse.-É só mandar.
-Ok.-Eu disse.-Segure minhas mãos,olhe nos meus olhos e confie em mim.Só isso.-Eu disse a ele.Ele seguiu tudo o que eu disse.Depois a calma,nada aconteceu.-Você não confia em mim?
-Confio.-Disse o Pedro,com certeza.-E você confia em mim?
-Eu não sei.-Eu disse.Depois pensei em como ele era parecido comigo,como ele tinha vivido como eu,como era tão parecido comigo.Então eu sorri.-Confio.-Eu disse.E agora,foi diferente da vez com o Peter.Dessa vez eu senti o laço se formar.Eu senti uma energia,senti a força do espirito.Isso e porque nos estavamos voando no ar.Então começamos a rir,como dois pirados.O Christian respirou aliviado,assim como a minha mãe.Eu tinha um novo laço.-Agora...pra que o novo laço?
-Pra manter você segura.-Disse a minha mãe.-O Peter vai ser mandado para um centro de tratamento.Não se preocupem.
-Precisava lembrar ela disso?-Perguntou o Pedro.O Christian deu ombros e o Pedro desligou o notebook.-Você não pode ficar assim pra baixo.-Disse o Pedro.-Vamos.-Ele disse,puxando minha mão.Eu puxei de volta.
-Eu não vou.-Eu disse ao Pedro.Ele olhou pra mim.
-Á você vai.-Ele disse.Eu duvidava muito.Ele me pegou no braço,e foi me levando pra fora.
-Serio?-Eu perguntei.
-Sim.-Ele me disse.-Não quero ver você pra baixo.Precisa se divertir um pouco.
-Não vou me divertir.-Eu disse a ele.
-Você vai sim.-Me disse o Pedro.Então eu vi a piscina.Eu nem tinha percebido ela.Ela parecia ser grande.O Pedro foi andando até ela.
-Não.-Eu disse a ele.-Você não vai me jogar na piscina,vai?-Perguntei a ele.Ele não me respondeu,ele foi ate a piscina e pulou.E eu voltei pra cima num instante.-Não acredito que você fez isso.
-E eu vou fazer denovo.-Ele disse.E foi nadando para onde eu estava,por sorte eu estava perto da borda.E subi num pulo.Então ele subiu também.-É melhor você correr.
-Eu não vou correr.-Eu disse a ele.Então ele correu pra onde eu estava,e eu comecei a correr dele.Por mais estranho que fosse esse molmento,eu ate que tava me divertindo.Então ele me pegou,começou a ir na direção da piscina.Dessa vez eu estava segurando nele.E quando ele pulou na piscina eu estava preparada.E nos afundamos,depois subimos.E eu estava morrendo de rir.
-Agora quer trocar de roupa?-Ele perguntou.
-Sim.-Eu disse.
-Que bom.-Ele me disse.-Porque eu estou encharcado.-Ele falou,começando a rir.Eu ri com ele.Depois sai da piscina.E comecei a correr.
-Duvido você me pegar.-Eu disse a ele.
-Valendo.-Ele disse.E começou a correr atras de mim.Então ele me alcançou na sala.Me pegou no braço e me levou ate o meu quarto.-Agora você coloca uma roupa pra tomar banho.Eu vou colocar a minha.
-Ok.-Eu digo a ele.Então ele vai embora.Eu abro minha mala de biquinis e coloco todos para fora.E fico entre um verde claro e um azul claro.E fico um tempinho pensando.Esse um tempinho são 2 minutos.Porque o Pedro abre a porta.
-Você ainda esta tentando decidir não é?-Ele me pergunta.
-Sim.-Eu digo a ele.-Me ajuda?
-Claro.-Ele diz.Depois vai ate o meu lado,encara os dois.-O verde claro.-Ele diz.
-Ok.-Eu digo.Vou ate o banheiro e troco de roupa.Então vamos ate o mar.Com dois guardiões nos seguindo.Acho que um era o Half e o outro era o Breno.Chegamos na praia,e iamos entrar na água.Mas quando tocou no meu pé eu dei um pulo pra tras.
-Serio?-Disse o Pedro.-Vou jogar você na água?-Ele me perguntou.Indo ate onde eu estava e eu andando pra tras.Eu pensei.Fui pra perto dele,depois comecei a correr.
-Vai ter que me pegar primeiro.-Eu disse a ele.Ele correu atras de mim,em segundos ele me pegou.Eu tenho que treinar pra correr mais rápido.Então ele foi andando ate a água,e foi entrando.Quando a água começou a chegar na cintura dele,começou a bater em mim.E eu comecei a tentar me soltar.Não deu muito certo.Ele se abaixou na água,que cobriu nós dois.Eu gritei de baixo da água.Então subimos.Eu estava tremendo.E o Pedro começou a rir.Eu me cobri com as mãos.Estava com muito frio pra reclamar com ele.Mas eu consegui bolar uma desculpa.-Você esta com mais roupa do que eu.
-Claro.-Diz o Pedro com sarcasmo.Então eu vi alguns peixes passando por mim.E eu dei um pulo.O Pedro começou a rir.Eu já vi muitas coisas sobre peixes.Nenhuma era boa.-Sobe.
-Am?-Eu perguntei a ele.
-Sobe nas minhas costas.-Ele disse.Se abaixando.-Eu quero evitar a extinção dos peixes.
-Ok.-Eu disse.Na hora.Subi em cima dele e pensei que iamos voltar pra praia.Mas ele foi mais fundo ainda.E então passou um peixe por nos.Um peixe bem bonito.Eu não sabia diferenciar os peixes.Mas eu gostei desse,eu ia quase tocar nele,ai o Pedro me soltou e a água me cobriu.Depois eu agarrei o pescoço dele e coloquei as pernas ao redor dele,então consegui ir pra fora da água.-Olha.Quando eu estiver na parte funda de algum lugar,e não estiver segurando em você,não me solte,se não eu vou me afogar.
-Você poderia me agradecer.-Ele me disse.-Aquele perxe lindo ia morder você.
-Não ia não.-Eu disse.Mentira.Eu não sabia o que ele ia fazer.Eu nunca estudei o que os peixes faziam.
-Você sabe que é mentira né?-Perguntou o Pedro.
-É,eu sei.-Eu disse a ele.Então voltamos pra casa.Eu me arrumei e fui jantar.Passamos a semana treinando e brincando.Até o jatinho da mamãe vir pegar a gente.Durante essa semana toda juntos,podia jurar que já viramos melhores amigos.Quando chegamos na corte,a primeira pessoa que encontrei foi a minha mãe,que estava conversando com o pai do Pedro.Então entramos no carro.Indo pro palácio.O pai do Pedro foi o primeiro a falar.
-Queriamos pedir algo a vocês.-Disse ele.-Queriamos que vocês fossem namorados.
-Por que?-Eu pergunto.Só eu.O Pedro tá lá,observando tudo.
-Porque estamos mandando Ariel.-Disse a minha mãe.Então chegamos.Eu desci batendo a porta.Quando descemos o Pedro falou:
-Você vai mesmo ficar emburrada por causa disso?-Ele me perguntou.Eu olhei pra ele.
-Você sabe que eu vou.Eu gosto de ficar emburrada.Você esta conectado na minha mente.Qual é?-Eu perguntei a ele.Ele foi pro meu lado.
-Vamos pular a parte da briga e ir pra parte que você corre de mim?-Ele me perguntou.Eu gosto de brincar que nem criança.Acho que sempre vou gostar.Não importa quantos anos eu tenha,eu sempre vou gostar de brincar.Então eu comecei a correr.Não adiantou muito.Não cheguei nem na metade do caminho que leva até o meu quarto.Então o Pedro me alcançou,um pouco antes de eu entrar no elevador.E então,quando chegou no quarto o Declan abriu a porta.
-É serio isso?-Perguntou o Declan.-Outro?Já?Quem é esse?
-Que foi?-Perguntei.Ele apontou pro Pedro,bem pra mim,então eu desci.-Você sabe que tenho a mente de uma criança de 8 anos.
-Verdade.-Disse o Pedro.-Ela brinca muito,mas tem que correr mais rápido.
-Percebi.-Disse o Declan.-Estavam brincando de que?
-Pega-pega.-Eu disse a ele.Depois pensei um pouco.-Bem,um pega-pega mais doido que o normal.
-Oi.-Diz o Vitor.Surgindo na porta.-Ariel eu...quem é esse?
-Sera que todo mundo vai perguntar isso?-Eu disse.Passei pelos dois e entrei no quarto.Onde estavam o Henrique e o Rafael.-Prestem atenção.Minha cabeça esta cheia.Esse é o Pedro.
-Nenhum pouco dramatica.-Disse o Henrique.Com sarcasmo.
-Claro que não.-Disse o Rafael repetindo o sarcasmo do outro.
-O que aconteceu com o Peter?-Perguntou o Declan.E eu abracei o Pedro.
-Serio?Precisava mesmo perguntar?-Perguntou o Pedro.-O Peter usou o espirito dele,não o dela.Por isso,foi...demais pra ele.E ele enlouqueceu.
-Ah.Tá.-Disse o Declan.-Desculpa Ariel.
-E quanto ao laço?-Perguntou o Vitor.
-O laço foi substituido.-Disse o Pedro.-Ela se conctou comigo,então desconectou dele.
-E eu em?-Pergunta o Declan.-Eu sou seu irmão.Conheço você desde que você nasceu.Mas não...você só faz um laço com quem você acaba de conhecer.
-Porque essas "pessoas que eu acabo de conhecer",tem o mesmo poder que eu.-Eu digo ao Declan.Indignada.E vou embora.Não sei pra onde.Só sei que fui.Então o Pedro veio atras de mim.
-Você não pode ficar com raiva de tudo e de todos!-Diz o Pedro pra mim.
-Eu posso,sim,fica com raiva de tudo e de todos,porque tudo e todos me irritam.-Eu disse a ele.
-E o que não te irrita?-Ele me perguntou.
-Sinceramente.-Eu disse.-Eu não sei.
-Ai.Deus.-Ele disse.-Ia facilitar muito nossas vidas se você simplesmente disesse "Você".
-E isso é verdade?-Perguntei.
-Sim.-Ele me respondeu.-Estou conectado na sua cabeça!
-Nenhum pouco convencido.-Eu disse a ele.Com certo sarcasmo.
-Agora eu tenho que distrair você.-Ele me disse.Que tal...sorvete?
-Claro.-Eu disse a ele.Amo sorvete.Tomara que isso passe pra ele.
-Sim.-Ele disse.-Seu amor doentio por sorvete esta passando pra mim.
-Então vamos comer sorvete.-Eu disse.Começando a andar.
-Você não sabe onde vende sorvete.-Ele disse.
-É verdade.-Eu disse.-Guie meus passos.-Eu disse a ele.Ele começou a rir.Mas foi andando.E vimos alguns jovens moroi,da nossa idade,tecnicamente.Conversando sobre alguma coisa,que eu não escutei bem.Eu odeio isso.As pessoas conversando sobre alguma coisa e eu não sei o que é.Então entramos na sorveteria.Eu fui correndo escolher meu sorvete.O Pedro ficou rindo de mim.Faz algumas semanas que eu não como sorvete.Ele não pode reclamar.Então chegamos no balcão.A atendente é uma moça.Ela é bem bonita.Loira,olhos castanhos-escuros.
-Qual sorvete e qual sabor desejam?-Ela perguntou.
-Baunilha.-Disse o Pedro.-Sundae.Com cobertura.
-Ok.-Disse a atendente.-Dois sundaes de baunilha,com cobertura.
-Sim.-Disse o Pedro.
-Podem sentar para esperar.-Disse a atendente.
-Ok.-Disse o Pedro.Então sentamos em uma mesa,de frente a uma tv,conectada a página da corte.Então apareceu um garotinho jovem moroi.Que eu penso,deveria estar na escola.Ele parou na nossa frente.
-Posso tirar uma foto com vocês?-Perguntou o garotinho.
-É...-Eu ia dizendo.Não sei o que dizer.Pedro,ajuda.
-Claro.-Disse o Pedro.Com um sorriso.E eu imitei o sorriso.Então levantamos e o garoto ficou no meio de nos e tirou uma selfie.
-Obrigado.-Disse o garoto.
-Por que você queria tirar uma foto com a gente?-Eu perguntei.Curiosidade é meu segundo nome.
-Porque...-Ele ia dizendo.Depois apontou pra tv.Onde tinha uma jornalista moroi.E estava passando uma notícia.Uma notícia sobre mim.Sobre mim e o Pedro.Tinha uma foto da gente.Quando ele me pegou no braço,antes de entrar no elevador.E a jornalista começou a falar:
Nossa princesa,Ariel Dragomir,com o Pedro Badica.Ultima notícia.Namoro da princesa Ariel com o principe Pedro.
-Esse é um ótimo motivo.-Disse o Pedro.Depois ele manda uma mensagem pela minha cabeça.
-Ao menos nossos pais não tem que se preocupar com propaganda.-Ele disse.O que me fez rir.Não sei como em um molmento tão louco ele consegue me fazer rir.Então a atendente tras os sorvetes.
-São vocês?-Ela pergunta.Eu fasso que sim com a cabeça.Ela ri.-Vocês estão em serios apuros.
-Por que?-Eu pergunto.
-Você é a queridinha da midia.-Ela me diz.-Qualquer notícia sobre você é demais.Falando nisso,posso tirar uma foto de vocês?
-Pode.-Eu digo.E mantenho aquele sorriso.E ela tira a foto.
-Melhor vocês corerrem.-Ela diz.Eu nem pergunto por que.Ela responde antes.-Eu postei a foto de vocês aqui.Em uns 5 minutos isso aqui vai estar cheio de jornalistas.
-Não precisa repetir.-Disse o Pedro.Pegou meu braço e me puxou.Mas eu consegui pegar meu sorvete.-Serio?Tanta coisa acontecendo.Mas o que mais importa pra você é o sorvete.
-Exatamente isso.-Eu disse a ele.Ele revirou os olhos.E chegamos no hotel.Onde tinham várias pessoas.E eu estava perdida.Porque assim que me viram,foram pra onde eu e o Pedro estavamos e começaram a tirar foto e fazer perguntas.
-Quando começou o namoro?-Perguntou uma jornalista.
-Sua mãe já sabe disso princesa Dragomir?-Perguntou um jornalista.
-Qual dos dois quer dar uma palavrinha conosco?-Pergunta outro jornalista.E passamos direto.Depois subimos no elevador e entramos no quarto.E o Declan esta sentado,na frente da tv.
-Parabéns irmazinha.-Diz o Declan.-Você é a notícia.
-O que você esta assistindo?-O Pedro pergunta.
-As notícias da corte.E advinhem.Vocês estão em primeiro lugar.-Diz o Declan.
-Eu odeio estragar seu molmento irmão mais velho.-Eu disse a ele.-Mas eu já imaginava isso.Acabamos de subir correndo.Tem doidos lá em baixo.
-Serio?-Pergunta o Henrique.
-É.-Fala o Pedro.-Estão fazendo perguntas,muitas perguntas.-Fala o Pedro.Então meu notebook começa a tocar.E eu atendo.Em segundos conecta e aparece ela.Esses olhos verde jade são inconfundiveis.Mamãe.
-Ariel.-Diz ela.-Quero que você e o Pedro descam e deem uma entrevista.
-Oi?-Eu pergunto.
-Iamos começar a colocar vocês na rede,mas alguém viu vocês e tirou fotos.Então começou,nem precisei fazer muito.Agora preciso que os dois descam e deem uma entrevista.-Ela disse.Ela não disse o que tinhamos que falar.Mas ela estragou esse molmento.-Falem que estão namorando.Desde aquele tempo no Caribe.
-Pra que isso?-Eu pergunto.Mas ela não me responde e desliga.O raiva.Eu respiro fundo.O Pedro já esta na porta.
-Vamos?-Ele pergunta.-Quanto mais cedo fizermos isso,mas rápido acaba.
-Ok.-Eu digo,e vou ate lá em baixo.Quando o elevador abre,vemos mais jornalistas que antes,acho que o dobro ou o triplo.Eu respirei fundo.Então sorri e disse:-Vamos responder todas as perguntas.
-Ou a maioria delas.-Disse o Pedro.E então começaram.
-A quanto tempo estão namorando?-Pergunta uma jornalista.Uma mulher.
-Desda nossa viajem ao Caribe.-Eu digo.
-Qual dos dois é mais possecivo?-Pergunta outro.O Pedro ri.Eu viro pra ele.E começo a conversa mental.
-Isso é muito irritante.-Eu digo a ele.
-Eu estou vendo.-Ele diz.-Mas o que podemos fazer?Perguntar o que precisamos fazer pra nos deixarem em paz?
-Sim.-Eu disse.-Exatamente isso.
Então eu volto pro mundo normal.E pergunto aos jornalistas:
-O que querem que a gente faça pra nos deixarem em paz?-Eu pergunto.
-Eu quero uma foto.-Diz uma jornalista.
-Pode tirar.-Eu digo.
-Não.-Ela diz.-Quero uma foto de um beijo.
-Pronto.-Eu disse,bem baixinho.-Se eu fizer isso vocês vão embora?
-Sim.-Respondem todos.Nossa,que coro perfeito.E são várias pessoas juntas.Parabéns pelo esforço.
-Ok.-Eu digo.E vou pra perto do Pedro.Ele vem pra perto de mim e coloca a mão na minha cintura.Antes de eu sequer ir pra perto dele ele me beija.Com uma das mãos coloca minhas mãos no pescoço dele.E os jornalistas tiram várias fotos.Depois nos separamos,mas o Pedro me puxa denovo.Ai temos outro beijo.-Pronto.Adeus.
-Ah.-Fala uma jornalista,com raiva.Mas vão todos embora.Bem,peloumenos enquanto eu estava lá em baixo foram todos embora.Então subimos.O Declan estava lá.Batendo palmas.
-Eu achei bem real.-Disse o Declan.
-Porque foi real.-Diz o Henrique-Acabamos de ver,ao vivo.
-Ta passando na tv?-Eu pergunto.
-Não imagine.-Diz o Declan.-A filha da rainha e o namorado dela dão uma entrevista e rola um beijo e eles não vão colocar na tv.Você é doida?
-Quer mesmo que eu responda?-Eu pergunto a ele.Ele solta um suspiro e fica lá.Eu me jogo em cima da minha cama e vou dormir.Então eu estou denovo naquele pesadelo.Todos estão mortos,tudo é culpa minha.É tudo culpa minha.E acordo com o Pedro do meu lado.É sempre bom um abraço quando eu acordo de pesadelos.
-Serio?-Ele pergunta a mim.-Sonhar com uma coisa bonita e fofa não ia te matar.
-Pela terceira vez,eu acho,eu não controlo meus sonhos.-Eu disse a ele.Eu odeio ter pesadelos.
-Eu sei.-Me disse o Pedro.
-Oi?-Eu perguntei.
-Seu que você odeia ter pesadelos.-Ele disse.Ah.Explicou tudo.-Agora vai pra lá.
-Oi?-Eu perguntei.
-Você não vai conseguir dormir.Vai pra lá.Eu não quero cair.-Ele me disse.
-Ok.-Eu disse.Então fui mais pro lado.Então ele se deitou do meu lado.
-Agora você dorme?-Ele me perguntou.
-Duvido muito.-Eu disse.-Eu acabei de acordar de um pesadelo.Lembra?
-Eu também acabei de acordar de um pesadelo.-Ele me disse.-E sei que só vou dormir se você dormir.Então tenha sono e durma.
-Não é tão fácil assim.-Eu disse.
-É sim.-Ele falou.-Fecha os olhos e dorme.
-Tá.Chato.-Eu disse a ele.Fechei os olhos.Mas,quando eu fechei os olhos eu revi aquele pesadelo.Tudo o que aconteceu.Então eu abri os olhos.-Eu não vou dormir.
-Ah.Pelo amor.-Disse o Pedro.-Não pense nesse pesadelo.
-Como não pensar nesse pesadelo?-Perguntei a ele.
-Não pensando.-Ele me respondeu.Eu fechei os olhos denovo.Depois de um tempo eu dormi.Então acordei,com o Declan na minha frente.Bem,do meu lado.
-O que foi agora?-Eu perguntei a ele.
-Se levante.-Mandou o Declan.Eu obedeci.Depois eu fui me levantar e voltei.Que dor do nada na minha barriga.E o Pedro estava com a mão na minha cintura.Eu virei pro Declan.
-Você não viu isso.-Eu disse ao Declan.
-Acho que esse eu mato.-Disse o Declan.-Não.Eu tenho certeza.
-Não mata não.-Eu disse.
-Por que?-Perguntou o Declan.
-Porque eu...eu acho que eu gosto dele.-Eu disse ao Declan.Eu estava do lado do Pedro.E vi ele sorrindo.Eu e o Declan nos olhamos e eu tive um planinho muito mal.Então a água veio da pia e caiu em cima do Pedro.Eu e o Declan morremos de rir.
-Ei.-Disse o Pedro.-Pra que isso?
-Pra não bisbilhotar minhas conversas doidas com meu irmão doido.-Eu disse a ele.
-Eu não sou doido.-Disse o Declan.-Os doidos aqui são vocês dois.
-Agora eu vou tomar meu banho.-Eu disse a eles.-A água também bateu em mim.
-Mas eu estou encharcado.-Disse o Pedro.-Tenho prioridade.
-Corrida?-Pergunto a ele.
-Corrida.-Ele diz.Então o Declan interrompe.
-Vocês não vão sair daqui correndo até o banheiro em uma corrida.Vão?-Perguntou o Declan.
-Sim.-Dissemos e começamos a correr.Eu cheguei primeiro.Porque o Pedro escorregou.E eu e o Declan quase caiamos de tanto rir.Então eu tomei meu banho e lembrei de uma coisa:Eu não trouxe minha roupa.Então eu me enrolei na toalha e sai.
-Serio?-Perguntou o Declan.-Tem 5 meninos aqui.E você sai do banheiro de toalha.
-Você sabe que eu sou vida loka.-Eu digo a ele.O Pedro desfaz minha mentira.
-É mentira.-Diz o Pedro.-Ela esqueceu de pegar a roupa.
-Deixa minhas desculpas.-Eu disse ao Pedro.Levantando as mãos.
-Segura essa toalha.-Disse o Declan.-Pelo amor de Deus.
-Ok.-Eu disse.-Opá.-Eu disse.Soltando um pouco a toalha.Mas segurei antes que ela caisse.O Declan ficou reclamando comigo.Eu fiquei um bom tempo rindo.Depois eu peguei um short cintura alta e uma blusa com emoj sorridente.Então voltei pro banheiro e me vesti.
-Isso é um pouco curto.-Disse o Henrique.
-Um pouco?-Perguntou o Declan.
-É muito curto.-Falou o Vitor.
-Ei.-Eu disse.-Quem escolhe minhas roupas sou eu.Não vocês.-Eu disse a eles.Ai teve uma longa discussão,mas perto da hora do jantar surguiu o Christian.
-Ariel.Preciso levar você e o Pedro pra um jantar.-Disse o Christian.
-Oi?-Perguntei.
-Trouxe isso pra você.-Ele me disse.Então me deu um vestido azul.Tão escuro quanto os olhos dele.E tinha um colar,com um diamante.O Vestido era bem justo.Mas da cintura pra baixo não.Depois ele foi ate o Pedro e entregou um terno.-E isso é pra você.
-Ok.-Eu disse.-Cadê meus sapatos.
-Estão aqui.-Disse o Christian.Me dando sapatos,azuis,bem escuros,comparados ao vestido.
-Eu amei,amei,amei.-Eu disse ao Christian e fui no banheiro.Então troquei de roupa.Quando eu sai o Christian sorriu.
-Seus ohos estão combinando.-Ele me disse.Eu me olhei no espelho.Meus olhos estavam iguais aos do Christian.Ótimo.Combina mais ainda com minhas roupas.Então o Pedro apareceu.
-Finalmente.-O Christian disse.-Achei que iamos nos atrasar.
-Não é pra tanto.-Disse o Pedro.
-Vamos.-Eu disse.Puxando os dois.Mas depois eu voltei ao mundo real e deixei o Christian ir na frente.-Eu não sei aonde vamos.
-Ok.-Disse o Christian.Então foi na nossa frente.Mas paramos na frente do hotelEntão o carro da mamãe parou.Ai entramos e a mamãe deu o texto.
-Vocês vão entrar primeiro que nos.-Disse a mamãe.-Vocês vão entrar e se sentar,nos lugares marcados com seus nomes.
-Aonde nos vamos?-Eu perguntei.
-Ao teatro.-Disse o Christian,revirando os olhos.
-O que vamos fazer no teatro?-Eu perguntei.A mamãe não respondeu.Mas por sorte o Christian responde minhas perguntas.
-Vamos ver uma apresentação teatral de um dos moroi mais adorados do mundo.-Disse o Christian.
-Você disse que era um jantar.-Eu disse ao Christian.Com raiva.
-Se eu disesse que iamos ao teatro você viria?-Me perguntou o Christian.
-Acho que não.-Eu disse.
-Acha nada.Você não viria nem arastada.-Disse o Pedro.Antes de eu poder reclamar com ele o carro parou.Então saimos e ficamos esperando.Então chamaram "Princesa Ariel Dragomir e Principe Pedro Badica".Então entramos e fomos aos nossos lugares.Eu me sentei.Do lado do Pedro e começou.Era uma ensenação da vida de...sei lá quem.Então começaram.Eu me encostei no ombro do Pedro e dormi.Acordei algum tempo depois.Com um dos protagonistas chorando.Então acabou a peça.Eu bati tantas palmas que minha mãe ficou doendo.Só assim pra expressar minha vontade que aquilo acabasse.Então saimos.Mas,na porta do teatro tinham mais e mais jornalistas.Estavam com seus microfones e uma camera apontada pra eles.E tinham vários paparase.E tiraram várias fotos de todos os casais.Quando chegou em mim e no Pedro pediam várias poses diferentes.A ultima foi comigo segurando nos ombros do Pedro e ele na minha cintura.Então FINALMENTE acabou.Eu nunca fiquei tão cansada de tirar fotos.E no fim de tudo saimos.Vários carros vinheram e foram pegando o povo.Ate que finalmente voltamos pra casa.E na porta do hotel a gente parou.A verdade é que não fomos a jantar nenhum e eu estava com fome.
-Vamos.-Disse o Pedro.-Sua fome esta passando pra mim.
-Claro.-Eu disse a ele.Então fomos para um restaurante.O Pedro disse que a comida seria surpresa.Então ele pediu tudo,para esperarmos.Eu não aguento minha curiosidade muito tempo.-Vai,ao menos me da uma pista.
-Ok.-Ele disse.Sinti um pingo de alegria.-Pode sonhar.Você só vai saber o que é quando chegar.
-Isso é maldade.-Eu disse a ele.Ele riu e depois de um tempo chegou o garçom.Com uma comida muito louca.-O que é isso Pedro?
-Confia em mim.-Ele me disse.-Você vai gostar.
-Tô confiando em você.-Eu disse.Pegando aquela coisa com o garfo.Eu ate que gostei.Não amei,mas gostei.E o garço trouxe coca-cola.Pedido meu.Eu amei coca-cola com sangue.Então acabou e iamos pegar um taxi pra voltar pro hotel.E ficamos esperando e esperando.Então aquele colar que eu estava usando caiu.Fomos pegar na mesma hora.O Pedro pegou o colar primeiro.Então levantamos.Tão perto.Ai nos olhamos,e depois beijamos.
-E agora eu aposto que o Declan vai jurar me matar.-Disse o Pedro.
-Talvez.-Eu disse a ele.-Mas isso poderia não ter acontecido.Se nenhum de nos falar nada.
-Você não gosta de mim Ariel?-Me pregunta o Pedro.-Eu estou conectado com você.Não minta pra mim.
-Você quer preservar a sua vida?-Eu pergunto a ele.Ele ri,mas não me responde.-Então se mantenha longe de mim.Eu sou perigosa.
-Que bom.-Ele me diz.-Eu amo perigo.-E antes de eu falar alguma coisa ele me beija denovo.Eu tento me afastar,mas ele me segura pela cintura e me puxa para mais perto.Ai eu desisto e coloco as mãos pelo pescoço dele.Depois nos separamos e decidimos voltar andando mesmo pro hotel.Quando chegamos lá,o Declan quem abre a porta.
-Por que demoraram tanto?-Ele pergunta a nós.
-Porque fomos no restaurante,antes.-Eu disse.Com um sorriso.É ótimo o Declan não saber de alguma coisa.
-É mesmo?-Pergunta o Declan.Depois ele pegou o meu notebook e me mostrou um vídeo.Que foi exatamente o que aconteceu depois de sairmos do restaurante.-Alguma coisa que queira me contar,Ariel?
-Talvez algumas.-Eu falo ao Declan.Então chega o Christian.
-Preciso falar com vocês.-Diz o Christian.-Não quero que ninguém mate o Pedro,preciso dele.
-Valeu pela consideração.-Diz o Pedro.
-Quanto a você.-Diz o Declan.Olhando pro Pedro.-Fica esperto.
-Certo.-Diz o Pedro.-Cunhado.-Diz o Pedro.Eu e o Christian ficamos rindo.E o Declan respira fundo e conta de 1 até 10.Imitão!Então entramos no quarto.O Christian e eu ainda estamos rindo.Quando entramos o Vitor pula em cima do Pedro e prende ele na parede.
-Essa eu esperava ser a reação do Declan.-Eu disse.
-Confiança em mim em.-Disse o Declan.-Mas eu ia fazer isso mesmo.
-Vamos nos concentrar no problema.-Diz o Christian.
Ok.-Eu digo.Vou pra onde os dois estão e uso compulsão no Vitor.-Vitor,pare.-Eu mando,usando uma porção boa de compulsão.Então o Vitor para e se afasta um pouco do Pedro.Eu paro a compulsão e o Vitor corre denovo ate onde o Pedro esta.Então eu fico na frente dele.
-Saia da minha frente,Ariel.-Diz o Vitor.
-Não.-Eu disse.
-Por que não?-Pergunta o Declan.
-Porque ele não é capaz de me machucar.-Eu digo ao Declan.O Vitor me encara,depois encara o Pedro e se senta.Eu me sento na minha cama.O Christian esta perdido.
-Eu disse pra ninguém matar ele.-Disse o Christian.
-Eu não ia matar ele.-Disse o Vitor.-Eu só ia machucar muito.
-Que diferança enorme.-Diz o Pedro.
-Agradeça por eu não ter feito isso.-Diz o Vitor.Eu não falei nada.Fiquei olhando de um pro outro enquanto eles discutiam.Até que acabaram,então eu pude respirar aliviada.Já estava na hora.Então eu fui dormir.E eu tive um novo pesadelo.Eu estava no lugar da minha mãe,no trono.Então todas as luzes apagaram,depois acenderam.Quando as luzes acenderam,tinham várias pessoas,pálidas,sem vida,que olharam pra mim e disseram:"Você fez isso,Ariel.Você foi a causa da nossa morte.".Então eu acordei,soluçando,com o Pedro me abraçando.
-Uma noite.-Ele falou.-Você precisa me deixar dormir uma noite.
-A culpa não é minha.-Eu digo a ele.
-Eu sei.Calma.-Ele me disse.-Só quero animar você.
-Você não esta indo bem.-Eu disse a ele.
-Você é bem honesta em.-Diz o Pedro.
-Sim.-Eu digo a ele.Depois lembro do meu pesadelo.-Dorme aqui comigo?
-Ok.-Ele me disse.Então se deitou do meu lado.Ele me abraçou e ficou deitado.Então eu também abracei ele e dormi.Acordei,dessa vez quem me acordou foi o Henrique,não o Declan.
-O que foi?-Perguntei ao Henrique.
-Se você não quer que seu irmão,nem meu irmão matem seu projeto de namorado,se ajeitem.Eu tô quase vomitando aqui.-Me disse o Henrique.
-Eu gosto de provocar o Declan.-Eu falo a ele.
-E o Vitor?-Ele me pergunta.-Você gosta mesmo de ver ele no limite?Já viu alguma vez ele no limite?
-É...não.-Eu respondi a ele.
-Ótimo.O Vitor é muito calmo,pra ele chegar no limite,tem que ser algo muito irritante.-Me disse o Henrique.
-Ok.-Eu disse.-Então eu vou trocar de roupa.-Então eu me levanto da cama.E vou trocar minha roupa.Coloco uma calsa jeans e uma blusa,com um emoj de sorriso,que eu não tive a chance de usar.Então eu acabei e sai.
-Sabe que eu não gosto dessa camisa.-Disse o Pedro,quando eu sai.
-Problema o seu.-Eu disse a ele.-Agora vamos.Preciso ir nos fornecedores.
-Ok.-Disse o Pedro.Ele já estava vestido.Com uma calsa jeans e uma blusa da Adidas branca.Enão fomos até os fornecedores.
-Você sabe onde é?-Perguntei ao Pedro.
-Sim.-Ele me respondeu.-É claro que eu sei.
-Ótimo.-Eu disse.-Então você vai na frente.
-Ok.-Ele me disse.Então fomos ate uma sala,cheia de fornecedores.E em segundos eu fui chamada.Então eu me alimentei e voltei.
-Aonde vamos agora?-Perguntei a ele.
-Surpresa.-Ele me respondeu.
-Surpresa boa?-Eu perguntei a ele.Ele riu.
-É.Uma surpresa boa.-Ele me disse.E eu fui andando.Seguindo ele.Ai do nada ele tapou meus olhos.
-Estamos chegando.-Ele me disse.-Você só vai ver quando a gente entrar.
-Ótimo.Eu vou andar de olhos fechados.-Eu disse a ele.Pra que eu fui reclamar.Ele me pegou no braço denovo.Quando eu abri o olho eu vi o rosto dele.
-Feche os olhos.-Ele me disse.
-Mas eu...-Eu ia falando.
-Feche os olhos.-Ele mandou.Ok.Eu fechei os olhos.Então eu escutei passos,devia ter muita gente nesse lugar.Então entramos e eu escutei ele falando "Dois...quando as Luzes se apagam".E eu estou perdida aqui.Até que ele me colocou em uma cadeira.
-Posso abrir os olhos agora?-Perguntei a ele.
-Pode.-Ele disse.Então eu abri os olhos.-Estamos no cinema?
-Sim.-Ele me disse.-Agora eu vou pegar a pipoca e o guaraná.
-Ok.-Eu disse a ele.Então ele foi.E passaram os comerciais.Depois ele voltou.
-Só vou avisar uma coisa.-Ele me disse.-Se você gritar eu vou rir muito.
-Então é um filme de terror?-Eu perguntei a ele.-Eu não vou dormir hoje.
-Olha talvez você durma.Tudo é possivel.-Ele me disse.Então o filme começou.E eu gritei mais do que tudo no filme.Quando o filme acabou eu estava tralmatizada.Então chegamos no quarto.Onde,por um milagre,não tinha ninguém.Então eu me deitei na minha cama e o Pedro deitou do meu lado.
-Serio?Você já quer morrer tão cedo?-Eu perguntei a ele.
-Não tem ninguém aqui.-Ele disse.-Só eu e você.E você vai mesmo acordar de um pesadelo de madrugada.Então já estamos adiantados.
-Ok.-Eu disse a ele.-Se eu tiver um pesadelo mesmo com você aqui.Saiba que a culpa é sua.
-Já estou me sentindo culpado.-Ele disse.Rindo.Então durmimos e eu acordei,dessa vez,sem ninguém me chamar.Que coisa estranha.O Declan não tinha me acordado.E eu me levantei e fui me arrumar.Depois que eu me arrumei eu fui acordar o Pedro.
-Pedro.-Eu disse balançando ele.-Acorda.
-Não.-Ele me respondeu e ficou de olhos fechados.Então eu fui pra perto dele e beijei ele.Ai ele me puxou.
-Eu acabei de pentear meu cabelo e colocar uma roupa.-Eu disse a ele.
-Tô nem ai.-Ele me respondeu.Então ele me beijou denovo.
-Vai levantar ou não?-Perguntei a ele.
-Eu vou.-Ele me disse.-Mas primeiro...-Ele foi dizendo.Ai me beijou denovo.Eu ia reclamar com ele.Mas eu estava com a cabeça em outro lugar.Ai o Declan abriu a porta.
-É serio?-Pergunta o Declan.-O que vocês fazem quando eu não estou por perto?
-Você não quer saber a resposta.-Eu disse.
-Tenho que treinar com vocês dois.Os meninos já estão chegando.-Disse o Declan.Ignorando a minha pergunta.Depois os meninos chegaram e iamos começar.Ate o Henrique falar:
-Ariel,por que seu cabelo tá bagunçado?-Perguntou o Henrique.O Declan revirou os olhos.
-Melhor a gente começar logo.-Disse o Pedro.
-Ok.-Disse o Declan.-O Christian disse que um de vocês tem que controlar todos nós.Então nos colocar pra lutar contra o outro.
-Eu controlo.-Disse o Pedro.
-Ariel,não taca fogo em mim.-Disse o Rafael.-Odeio queimaduras.Ainda mais de 30 grau.
-Eu vou pensar no seu caso.-Eu digo a ele.
Então começamos.O Pedro usou compulsão nos meninos e vinheram pra cima de mim.Eu usei o escudo,a telecinese,a água e o fogo pra vencer eles.Depois anulei a compulsão do Pedro.Então vamos parar,pelo amor de Deus.Eu estou quase desmaiando aqui.Quando voltaram ao normal,a primeira coisa que aconteceu foi eu levar uma reclamação do Rafael.
-Pensei que não fosse tacar fogo em mim.-Disse o Rafael.
-Eu disse que ia pensar.-Eu disse a ele.-E eu não deixei queimadura nenhuma em você.O fogo foi inofensivo.
-Agora posso beber água?-Pergunta o Pedro.
-Va.-Disse o Declan.O Pedro bebeu água.Bem,mais ou menos.Eu fiz mais ou menos a metade da água voar do copo.Depois voltamos.
-Minha vez.-Eu disse.
-Perae.-Disse o Declan.-Vamos ficar no controle da Ariel?
-Sim.-Eu disse.E comecei a usar compulsão.Então coloquei eles pra lutarem com o Pedro.Eles foram lutando e lutando,até que um o Pedro ia acertar alguma coisa no Vitor,ai do nada ele foi protegido por um campo de força.Que demais.Consigo proteger o povo que estou controlando.Isso vai ser útil quando o Declan discordar de mim.Então eu parei o meu controle sobre todo o povo.
-Valeu.-Disse o Vitor.
-Ele você protege,mas eu posso me machucar não é?-Pergunta o Declan
-Eu acabei de descobrir que consigo fazer isso!-Eu disse a ele.
-Ok.-Disse o Declan.-Agora podiamos treinar...
-Poderiam,no passado.Porque eu tenho que levar a Ariel e o Pedro pra um jantar,de verdade,da corte.E com jantar,quero dizer festa.Por isso eu trouxe isso.-Ele disse.Com um vestido preto na mão.Que eu voei em cima assim que vi.Era um vestido muito lindo,ia ate a metade das coxas,a parte de cima era costurada,com várias flores.E tinha um sapato de salto,preto,que eu amei.E um terno novo pro Pedro.Mas o mais importante,meu amor,O vestido.E então decemos.Minha mãe estava no carro esperando.O novidade.Quando entramos vimos também o pai e a mãe do Pedro.Isso é novidade.Normalmente só vai minha mãe e o pai do Pedro,as vezes o Christian também.Então começou
-Quando chegarmos,terá uma cessão de fotos.-Disse a minha mãe.
-Os lugares já estão reservados.-Disse a mãe do Pedro.-Queremos que vocês se sentem e sejam um casal convincente.
-Vocês não viram as notícias da corte não?-Perguntou o Christian.O povo todo olhou pra ele,como se tivesse dizendo "claro que não".Então o Christian continuou.-Eles estão namorando,de verdade,desda noite do teatro.
-Por causa da peça teatral?-Perguntou o pai do Pedro.
-Não.-Eu respondi.
-Ela dormiu a peça toda.-Disse o Pedro.-E eu também.
-Que amor.-Disse o Christian.Então chegamos.E decemos tiramos algumas fotos,depois fomos pra uma fila,tinha uma,recepcionista,acho cuidando de tudo.Quando eu cheguei,com o Pedro,ela estava olhando para a prancheta que ela tinha na mão,onde tinham os nomes de todos os convidados,penso,ela pedia os nomes e outra pessoa guiava até o seu lugar.Então ela perguntou:
-Nomes?-Ela perguntou a nos.Um pouco antes de eu dizer ela olhou pra nós.E se alto respondeu.-Ariel Dragomir e Pedro Badica.
-Exatamente isso.-Eu digo a ela.Ela chama outro cara,que nos leva ate nossos lugares.E,por ultimo,entra a mamãe,com o Christian.Que ficam do meu lado esquerdo.Uma mulher e um homem,uma mulher e um homem.Assim foi a organização.A mamãe era a primeira,seguida pelo Christian,depois eu,depois o Pedro e assi foi indo.Então tivemos o jantar.Assim que acabou,todos saimos.Então teve outr sessão de fotos.Esse povo tem nada pra fazer não?Eu em.Eu ia tentar fugir,pelo meio do povo,mas os fotografos me cercaram.Junto com o Pedro.Não tem como fugir.Então eu olhei pro Pedro e pelo olhar dele eu vi,ele pensava a mesma coisa que eu.Não tem como fugir.
-Princesa Dragomir.Principe Badica.-Disse uma das fotografas.Então nos juntamos e começaram a tirar fotos e fotos e mais fotos.Tiraram várias fotos.Várias fotos.Mas não paravam.Então eu entrei nas minhas mensagens mentais.
-O que eu faço pra sair disso?-Perguntei a minha mãe.
-Dê ao povo o que o povo quer.-Disse a minha mãe.Que ajuda.
-O que?-Eu perguntei a ela.
-A mesma coisa que você fez na outra vez.-Me disse a inha mãe.Então eu voltei pra mim mesma.Tiramos mais umas duas fotos e eu e o Pedro nos beijamos.Ai os fotografos nos deixaram em paz.Então voltamos pro carro.Então eu vi o Declan.Serio?Eu não me livro dele nunca?
-Adrian eu...-Ele ia dizendo.Depois olhou bem pra mim.-Você não é o Adrian.
-Não.-Eu disse.-Sou a filha dele.Ariel Dragomir Ivashkov,ou era Ariel Ivashkov Dragomir?
-Você não lembra seu nome?-Perguntou o Pedro.Eu ignorei a pergunta.Quando o carro passou por uma luz vi que não era o Declan.Mas alguém muito parecido com ele.Poderia ser um irmão,ou tio...um familiar.
-Quem é você?-Eu pergunto a ele.
-Não sou ninguém.-Ele me responde.-Você nunca me viu aqui.Eu entrei no carro errado.Só isso.
-Ok.-Eu disse.Com isso ele relachou,um pouco,mas dava pra ver que estava disposto a lutar.Então era um dampiro,com certeza.
-Você me é familiar.-Ele me disse.-Eu acho que eu já vi você.
-E eu também.-Eu disse.-Mas não lembro onde,nem quando.-Eu disse,tentando me lembrar.Ai o carro parou.Chegamos no hotel.Então aquele cara desceu e sumiu.Então eu,antes de tudo,fui andando com o Pedro até a casa do meu pai e da Sydney.Pelo que eu me lembre,aquele cara conhecia o papai.Então eu bato na porta e ele abre.
-Minha princesa.-Diz meu pai.-O que veio fazer aqui?
-Ela veio dar uma de detetive.-Disse o Pedro.Eu dei uma cotovelada nele.Bom saber que ainda sei fazer algumas coisas.
-O ponto é...-Eu disse.-...eu encontrei com um cara no carro,ele queria falar com você,não comigo.Ele nos trocou,não sei porque.
-Os olhos esmeralda.-Disse a Sydney,surgindo.As vezes eu acho que algumas péssoas conhecem um teletransportador.-Os olhos de vocês tem um brilho no escuro.
-Quem era ele?-Eu perguntei ao meu pai.
-Um amigo.-Disse o meu pai.-Um velho amigo que a muito tempo não aparece.
-Qual o nome desse amigo?-Eu pergunto.
-Não lembro.-Disse o meu pai.Mas mente com tanta verdade.Que sorte que herdei isso dele.Eu não vou desistir de descobrir.Ainda mais se ele esta querendo esconder de mim.
-Ok.-Eu disse.-Tchau papai,tchau Sydney.O Declan deve estar contando os segundos em que nós nos atrasamos.-Eu digo e saio.Então eu saio com o Pedro e fingo fechar a porta.Mas escuto uma conversa da Sydney com o papai.
-Ela não vai desistir.-Disse o papai.
-Como você tem tanta certeza?-Pergunta a Sydney.
-Ela é a minha filha.A curiosidade nos move.-Disse meu pai.
-Mas ela parecia tão convincente.-Disse a Sydney.
-Nós a ensinamos bem a mentir.-Disse o papai.Então o Pedro me puxou e eu não escutei o resto da conversa.Então voltamos pro quarto.Onde estava toda minha guarda.
-A mamãe não tinha providenciado um quarto pra vocês?-Pergunto pro Vitor,Henrique e Rafael.
-Sim.-Disse o Henrique.-Mas nossa criancinha esta aqui.-Disse o Henrique,apontando pra mim.Nunca fiquei com tanta raiva.E de uma coisa tão...tão...não lembro.Não lembro.Só a raiva.E eu uso o espirito.Então o Henrique fica,literalmente preso contra a parede.E os meninos tentam pular em cima de mim.Mas não conseguem.Eu prendo o Declan,o Vitor e o Rafael.Então só sobra o Pedro.Que esta usando um campo de força.Mas eu sou mais forte que ele.Então ele não me ataca.Ele toca minhas mão me puxa e me abraça.Então os meninos caem no chão.
-Pensou bem.-Disse o Vitor.-Você nunca conseguiria vencer ela.
-Eu sei.-Diz o Pedro.-E como essa raiva era induzida pelo espirito.A melhor coisa que eu podia fazer era ela tirar a irá de quem quer que seja.
-Obrigado.-Disse o Henrique.-Mas,só por curiosidade,o que você estava pensando em fazer?
-Nada.-Eu disse a ele.-Não lembro.É tudo um borrão.
-Foi o uso do espirito.-Disse o Pedro.-Muito espirito,muitos problemas.
-Então vamos evitar usar o espirito.-Disse o Vitor.-Vamos treinar os outros elementos.
-Isso é...-Ia falando o Declan.-...é...uma ótima ideia.
-Eu vou morrer.-Eu disse.-O Declan admitindo uma ótima ideia.Sem ser dele.Agora minha vida esta completa,vou morrer em paz.
 


Notas Finais


Gostaram?
Eu faço a história com algumas amigas minhas.
Já temos a história bolada
Vou dar uma dica massa
A Ariel consegue criar laços,sem ser com ela no meio
Tipo:
Lissa e Jill
Christian e Adrian
E por ai vai..,

"A mais poderosa de todos"
Palavras de Ozera


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...