História Armas do Amor - Lia Jones - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Ed Sheeran, Fifth Harmony, Nick Jonas, One Direction, Selena Gomez, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Ed Sheeran, Harry Styles, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Nick Jonas, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Camreng!p, Fifth Harmony, Larry, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Laureng!p, Máfia, Norminah, Originais, Romance
Exibições 163
Palavras 2.616
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Survival, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Segunda parte da maratona, provavelmente termino a maratona amanhã.

Boa leitura! A foto é do irmão da Lauren.

Capítulo 5 - Problemas na máfia da minha família


Fanfic / Fanfiction Armas do Amor - Lia Jones - Capítulo 5 - Problemas na máfia da minha família

POV Lauren

Terminei de comer um bife com batatas que tinha feito assim que cheguei do mercado e fui para meu quarto tomar um banho demorado já que eu ainda tinha tempo.

Adentrei na suíte e abri a torneira entrando debaixo do chuveiro, fechando os olhos assim que a água quente escorreu pelo meu rosto e acompanhou meus músculos até os pés. Alcancei o sabonete líquido de erva doce e espalhei pela minha nuca descendo minha mão até os seios, afastei-me da água e comecei a esfregar meu corpo até que escuto barulhos altos entre os canos e olho para cima vendo o chuveiro diminuir a pressão da água á praticamente nada.

“- Não, não, não!”

Nego a mim mesma que isso estava acontecendo justo hoje, fico na ponta dos pés e meto alguns socos no chuveiro que foi bem falho pois não mudou nada. Olho para o meu corpo e suspiro vendo o tanto de espuma que encontrava em mim. Saio do box  enrolando uma toalha no corpo e abro a torneira da pia com esperança de ter água, porém não saiu nada. Vou até a sala bufando e ligo para o síndico do condomínio.

“ - Secretaria do condomínio Bela lua em que posso ajudar? ” Joshua que era o próprio síndico me atendeu.

“ - Joshua é a Lauren, eu estou com problemas com a água, tem como você resolver isto para mim urgente?” 

Falei já impaciente pelas complicações que este condomínio estava me causando, se não bastasse a segurança falha ainda tinha problemas de água, tudo bem que nestes dois anos que estou morando aqui isso nunca aconteceu mas não é por isso que vou deixar passar batido.

“- Oh senhora Jauregui eu sinto muito, quase todos os moradores me ligaram informando o mesmo problema e estou me matando aqui para apressar o encanador que virá em cinquenta minutos. “ Ele explicou com uma voz de quem pede perdão para a mãe quando quebra o vaso favorito dela e eu acabei apertando o telefone na mão até que meus dedos embranqueceram.

“- Tudo bem Joshua. Aproveite e contrate seguranças também pois tive problemas com um pivete me perseguindo ontem a noite.” Desliguei antes que ele alongasse a conversa. Tudo bem que eu tinha tempo mas agora que o prédio inteiro estava sem água como eu ia tomar meu banho?

Voltei para meu quarto e me enxuguei mesmo com todo o sabão no meu corpo, eu estava toda melada mas isso acabaria logo. Fui até meu guarda roupa e escolhi uma calça de moletom cinza junto com uma cueca boxer preta e uma blusa vermelho escuro de mangas longas, peguei meu tênis preto e comecei a me vestir.

Meu cabelo ainda estava molhado e dei graças a Deus por não ter passado shampoo, subi a manga da minha camisa até o cotovelo e peguei minhas chaves antes de seguir para a Gisele que agora só tinha uma função. Me levar até a casa do Nick.

[...]

Era uma rua até apresentável onde Nicholas morava, todas as casas da vizinhança tinham de dois andares para cima e seus jardins eram perfeitamente cuidados. Havia algumas meninas de shorts e a parte de cima de biquíni no final da rua com uma placa escrito "lavamos seu carro por  dez dólares", do outro lado da mesma rua estavam umas idosas balançando a cabeça em negação pelo ato das garotas.

Ignorei o movimento dos vizinhos de Nick e foquei na sua grande casa de madeira que não era muito diferente das dos outros. Seu teto era triangular e as paredes em madeira vivíssima, seu jardim continha uma grama impecável e vários personagens de gesso para decoração, estacionei em frente a casa dele e percebi que seu carro não estava na garagem.

Adentrei pelo o caminho de pedras amarelas que se formava até sua porta e procurei embaixo de um pote de planta a sua chave reserva, já que meu irmão não se encontrava em casa. Abri a porta e fechei depois de entrar, fazia muito tempo que não o visitava mas mesmo assim as coisas continuavam do mesmo jeito, seu gosto rústico e caçador sempre prevalecendo.

Nas paredes da sala estavam cabeças de diversos animas empalhados , uma clareira apagada e de frente dela estava um grande tapete de urso polar rodeado por sofás de couro. Na cozinha, um armário de metal ocupando uma parede inteira e uma mesa de madeira com  6 lugares, um fogão estampado na pia e uma geladeira preta entre o acabamento do longo lavatório de pedra.

Subi as escadas para seu quarto e comecei a tirar minha roupa que estava quase suja pelo sabão do meu corpo, joguei-as na grande cama de casal com seus lençóis arrumados e procurei por uma toalha no closet dele, entrei na sua suíte e conferi se tinha água através do lavabo. Caminhei até o box e fui terminar meu banho.

[...]

Ouvi batidas na porta da suíte enquanto terminava de me enxugar com a toalha que arranjei e fui abrir, dando com de cara com meu irmão que não parecia estar nos seus melhores dias. Pelo fato de Nick ter puxado o papai, ele nunca fora mais bonito do que eu, então desde a adolescência ele passou a ficar com a barba para que isso o desse um ar mais misterioso e charmoso.

Seus olhos escuros me fitavam com fúria e quase me arrependi de ter vindo para cá e não para um banheiro público com um chuveiro qualquer. Me endireitei de frente a ele e o abracei. Por mais que ele fosse frio e sem escrúpulos eu sentia falta dele, eu sentia falta de ter uma família desde que mamãe se foi.

“- Tá Lauren eu também estava com saudade, mas o que está fazendo na minha casa a essa hora e sem a minha permissão?” Ele exclamou depois de me soltar do abraço.

“- Eu tive uns problemas com a encanação do meu prédio e como a gente tinha marcado de sair não teria tempo de esperar o encanador chegar e arrumar.” Expliquei para ele enquanto ia até minhas roupas para vestir.

“-  Você podia sei lá, ter me ligado. A gente marcava para outro dia e ...”

“- Não de jeito nenhum, a gente marcou e não vamos furar” Falei imediatamente e acabei o interrompendo. Nick não podia estragar o  que eu tinha planejado.

“- Tudo bem então, vou me trocar no outro quarto, me espere na sala quando você  acabar.” Meu irmão caminhou até a porta e saiu me deixando sozinha em frente ao espelho.

Terminei de secar meu cabelo depois de vestida e desci as escadas, meu irmão já estava me esperando sentado em um dos sofás de couro e eu pigarreei chamando sua atenção. Caminhei e sentei do lado dele.

“- E então... o que tanto queria me contar pessoalmente? ”

Puxei assunto me virando para olhar seu rosto. Nick estava vestido higienicamente como eu havia pedido, em seu torso estava uma camisa de botões preta combinando com seu sapato social e nas pernas uma calça jeans azul surrada.

“- Qual é Lauren, se decide. Você marca comigo naquele antigo parque e no outro dia marca de vir me buscar para ir não sei aonde, e agora está aqui tomando banho na minha casa e tentando conversar.” Hoje realmente não era o dia dele, sua rispidez era quase palpável.

“- Eu já te expliquei o por que de eu ter vindo aqui, só estou aproveitando que estamos cara a cara para começar a conversa.” Falei calmamente para que ele percebesse que não tinha necessidade de seu jeito rude.

“- Está bem, me desculpe, eu ando muito estressado. E o que está me estressando é justamente o motivo desta reunião.” Ele se virou para mim e apertou meu joelho junto com seu pedido de desculpas.

“- Pode começar então” Falei e escutei ele suspirar antes de abrir o jogo.

“ O Mike está com problemas.” Assim que ouvi o nome do meu pai meu coração gelou, ele quase nunca era mencionado nas conversas de mim e de Nick. Na sua máfia ele sempre tinha tudo ao seu controle e nunca precisou da ajuda de ninguém.

“- Isso não me interessa, eu estive com muitos problemas quando Clara se foi e ele sequer cogitou em me ajudar.” Ele fechou os olhos e eu imagino que seja por que a morte da mamãe o afeta também.

“- Essa não é a questão Lauren! Eu sei que você nunca foi de ter intimidade com o Mike e entendo o porque, mas isso que está acontecendo é sério.”

 Ele se levantou e começou a andar de um lado pro outro em cima do tapete de urso.

“ - Lembra á uns três anos atrás quando o papai quase foi preso naquele contrabando de mercadorias e drogas importadas, por um tal detetive que já estava na cola dele?” Assenti com a cabeça e ele continuou “- Pois então, desde aquele dia, Mike teve que fazer um acordo com o detetive para que ele não fosse para a cadeia.” Ele olhou para mim para conferir se eu estava entendendo.

“- E qual foi este acordo?” Eu não sabia essa parte da história, pensei que ele simplesmente tinha pagado uma gorda fiança e se libertado, mas por que um detetive iria pestanejar fazer um acordo com um mafioso como meu pai? .

“- Cada mercadoria que ele conseguisse dali para frente, cinquenta por cento do lucro seria dele. No começo parecia até justo, já que se o papa fosse preso seria por mais de trinta e cinco anos. Mas recentemente Michael se irritou com isso e resolveu ignorar o acordo.”

“- E...?” Comecei a me interessar no assunto.

“- Até deu certo por uns meses, mas ai o Ed foi agredido em um bar do nada e assim que a agressão acabou, os caras que o tinham espancado avisaram que se o chefe dele faltasse com a palavra mais uma vez, iria ficar pior. Mas mesmo assim Mike decidiu ignorar achando que um detetive tão renomeado como ele não seria capaz de tal desumanidade. Na semana seguinte, foi a vez da Dinah e do Zayn. Lauren eles se machucaram tanto.” Nick falou a última frase apertando com os dedos o osso no meio dos olhos.

“- O que ele fez com eles?” Perguntei realmente preocupada com os capangas de Mike.

“- Dinah foi espancada até perder a consciência e Zayn está com queimaduras nas costas por um ferro quente enferrujado, sua família está com medo dele não sobreviver.”

Fechei os olhos por não aguentar saber de tamanha barbaridade que um cara podia fazer apenas por dinheiro, eu nem sabia o final da história e já queria parar, minha cabeça tinha começado a doer, mas mesmo assim Nick voltou a sentar do meu lado e continuou.

“- Mike ficou dias perplexo pelo acontecimento ser culpa dele e optou por ligar para pedir perdão e retomar o acordo.” Meu irmão olhou para mim e esperou um tempo para que eu digerisse tudo aquilo.

“- Nicholas...Eu não sei aonde você quer chegar, parece que deu certo então.” Encarei-o e o vi negando com a cabeça.

“- É aí que eu quero chegar, o detetive tinha ficado enfurecido por Michael ter demorado tanto que ele recusou a retomar o acordo. Ele quer algo maior.” Ele parou no meio da frase e eu não gostei do seu mistério.

“- Desembucha logo” Exclamei sem paciência e com uma dor de cabeça pulsando no meu cérebro.

“- Ele quer tudo, ele não quer só cinquenta por cento. Ele quer tudo” Nick falou de uma vez e notei que tanto eu quanto ele achava essa história um absurdo.

“- Mas aí o papai vai correr os mesmo riscos que ele corria e não vai lucrar com nada.” Falei concluindo o argumento dele.

“- Sim. É isto que o detetive quer, o Mike trabalhando para ele, sem receber nada por isso. Até quando não sabemos, mas sabemos que se não o fizermos, papa será morto e Lauren, você não pode deixar isto acontecer.”

“- Como assim eu deixar isto acontecer?” Me levantei do sofá dele bruscamente e o olhei incrédulo. Ele não podia estar falando sério. Está certo que não entendo nada destas máfias que eles participam, mas nada como denunciar e deixar isto na mão de autoridades para resolver.

“- Como assim o que Lauren? Irá deixar o nosso pai morrer ?” Nicholas agora estava em pé a minha frente, mas tive de olhar para cima pois ele era alguns centímetros maior que eu.

“ - Não estou cogitando deixa –lo morrer, quero saber o porque de eu ser a responsável. Por que simplesmente não chama a policia e denuncia este detetive corrupto?”

“ - Se fizermos isto, papa será preso também.” Ele me olhou como se não acreditasse que estivesse dando esta ideia.

“ - E dai? Já estava na hora dele se aposentar mesmo e outra, talvez ele tome juízo e quando sair de lá, vire uma pessoa honesta e ensine para o seu único filho o que é moral.” Fiz menção de sair daquele ambiente que agora estava me incomodando mesmo com o grande espaço, mas Nick segurou meu braço e me encarou como se estivesse prestes a retirar de algum lugar do seu corpo uma arma e me ameaçar.

“- Você pode até o detestar, mas ele é seu pai também. Quando tiver filhos, terá que fazer coisas necessárias para que eles sobrevivam e foi isso que o papai fez.”

“ - Estou cansada disto Nicholas, estou cansada de só ter vocês dois quando algo acontece, quando há interesses. Eu não sei o que fazer está bem. Eu tive uma escolha quando criança, era ele ou a Clara e eu escolhi a mamãe que em poucos anos me deixou pelo câncer, eu fiquei sozinha, eu não tinha você, eu não tinha o papa, eu só tinha contas e mais contas do hospital, da casa, da energia...” Senti meus olhos marejarem e suspirei tentando me controlar, eu evitava pensar no passado mas Nick cutucou esta ferida e eu tinha que ser franca.

 “- E então eu consigo um emprego perfeito com um chefe hospitaleiro como o Justin e vocês voltam, mas o pior não é voltarem para mim depois de muito tempo, é voltarem por interesse, apenas por que algo saiu do controle e precisam de alguém “limpo” para ajudar. E isto está acontecendo de novo, mas quer saber, eu cansei. Faça o que tiver que ser feito, mas sem a minha ajuda.” Eu puxei meu braço de seu aperto e sai da sala com passos rápidos.

Eu não sei se ainda teria vontade de continuar meu plano depois desta conversa então parei de frente a porta de saída e olhei para trás. Nick estava cabisbaixo e não falava nada, então resolvi abrir a porta e partir para a casa dos pais de Selena, já estava quase na hora e eu ainda tinha de passar em uma floricultura. Senhora Gomez adorava violetas e o senhor Gomez chocolates suecos.

“- Lauren... Pense bem, se mudar de ideia,  já sabe como me achar. Não venha só por banhos” Sorri com seu comentário e suspirei.

James é o meu irmão e eu estava com raiva era de nosso pai, então não fazia sentido depois de ele me receber em sua casa, eu sair assim. Virei e caminhei até ele, o abraçando de uma vez sem o deixar falar nada apenas me retribuir o abraço, o afastei e sai de sua casa subindo na Gisele que graças ao brilho da lua estava com uma cor bem mais avermelhada.


Notas Finais


Comentem por favor :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...