História Armas do Amor - Lia Jones - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Ed Sheeran, Fifth Harmony, Nick Jonas, One Direction, Selena Gomez, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Ed Sheeran, Harry Styles, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Nick Jonas, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Camreng!p, Fifth Harmony, Larry, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Laureng!p, Máfia, Norminah, Originais, Romance
Exibições 181
Palavras 3.124
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Survival, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei coleguinhos (as) :D
Obrigada mesmo pelos favoritos. Eu amo vocês S2

Boa leitura!

Capítulo 6 - Amizade?


Fanfic / Fanfiction Armas do Amor - Lia Jones - Capítulo 6 - Amizade?

POV Lauren

Depois de muito pilotar pelas ruas próximas a de Selena, consegui achar uma floricultura aberta. O lugar era todo verde e nas paredes continha vários adesivos de flores brancas. No meio do recinto havia três mesas, cheia de diversas flores, cada uma com um cheiro diferente. Uma pequena jovem veio me atender com seus cabelos castanhos amarrados em um coque impecável e seu vestido floral junto com o avental.

“- Olá, em que posso ajudar?” Ela me fitou com seus olhos de jabuticaba e eu apenas apontei para as violetas em uma das mesas.

“- Quantas deseja?” Ela ainda me fitava mas eu não conseguia falar, era como se de repente toda a cena que Nick falou mais cedo estivesse se repassando em minha mente e de uma forma muito real. “- Senhora? Está tudo bem?” Ela tocou minha mão e percebi que tinha apertado uma das flores até estraçalhar. Soltei a pobre flor e me culpei internamente por ter me deixado mais uma vez me preocupar com aqueles dois.

“- Sim, eu sinto muito, eu não queria ter feito isto com a flor.” Tentei me explicar, porém fiquei mais atrapalhada ainda nas palavras.

Eu estava me desculpando por uma flor, sério mesmo? 

“- Está tudo bem, eu não gosto muito de girassóis.” Ela tentou quebrar o clima e eu sorri para ajudar.

“- Eu queria aqueles pacotes de presente que vem um tipo de flor e uma caixa de bombom.”

“- Imagino que seja estas mesmas violetas, mas qual são os bombons?” A atendente já tinha largado minha mão e estava arrumando o pacote para embrulhar.

“- Bombons Suecos.” Ela sorriu e me entregou o pacote após embrulhar em um papel roxo claro. Assim que eu peguei da sua mão ela me acompanhou até o caixa e eu paguei pelo produto.

Antigamente quando eu ia na casa de Selena para fazer trabalhos escolares com ela, sempre levava pequenas lembrancinhas para seus pais, e a que deu mais certo foi flores e bombons, ás vezes a ouvia reclamar que não ganhava nada, mas eu a daria tudo se ela tivesse aceitado minha proposta de namorar com ela. Voltei para a minha moto e terminei o percurso até estacionar em frente a casa do senhor e senhora Gomez.

Era realmente uma pena o clima entre mim e o meu irmão ter ficado chato, estava planejando deixar Nick e Selena a sós para ver se rolava algo e assim me ver livre tanto dela quanto dele, mas pelo visto terei que ficar a noite inteira negando os desejos hormonais da minha ex ficante.

A casa dos Gomez era de dois andares, um andar a menos que a residência do meu irmão. Seu teto era bem reto o que deixava o formato da casa retangular. Suas paredes eram de cor marfim e todas as janelas, de madeira escura. Em seu jardim de grama rasteira havia apenas alguns instrumentos de jardinagem e mangueiras. Na garagem encontrava –se dois carros, provavelmente um era deles e o outro da Selena.

Respirei fundo e subi as mangas vermelhas da minha blusa que teimavam a cair. Bati duas vezes na porta e alguns segundos depois fui recepcionada por uma mulher em seus cinquenta e tantos anos com um curto penteado negro igual da filha. Seus olhos castanhos me analisaram de cima a baixo junto com o seu sorriso meigo, e não vi o por que de não fazer o mesmo, seu traje era um vestido largo com estampas carnavalescas e em seus pés ocupavam uma sandália fechada marrom.

“- Oh Lauren...Quanto tempo meu bem.” Ela me puxou em um abraço caloroso e começou a afagar algumas mechas do meu cabelo, sorri com o ato. Eu sentia muita falta deste carinho de mãe.

“- Que saudade da senhora, pelo visto o tempo não passou para você.” Afastei de seu abraço e a vi corar pelo elogio, é claro que era um elogio falso, ela estava bem mais velha, a falta de brilho nos seus olhos dizia isto também.

“ - Para você eu não digo o mesmo, como cresceu em menina? Lembro de te ver quase todos os dias neste sofá com aquelas espinhas e aquele cabelo enrolado. “ Revirei os olhos quase que automaticamente. Tudo bem que eu não era muito bonita na adolescência por causa dos hormônios e tal, mas não precisava rever tudo outra vez.

 “ - Pois é.” Falei sem graça e ela me puxou para dentro da casa.

Assim como na residência de Nick, a casa continuava idêntica desde minha última visita. Estava começando a achar que era apenas eu que sofria de amor por decoração e sempre mudava de estilo o meu apartamento. O chão era de um piso branco e as paredes continuavam com a cor marfim, na sala encontrei o Ricardo - pai de Selena - todo esparramado no sofá vermelho com uma camisa de botões abertas por causa da grande barriga. Ele prestava atenção em uma televisão média a sua frente enquanto bebia umas cervejas que estavam na mesinha do centro.

“- Oi Ric.” O cumprimentei enquanto caminhava pela sala para me sentar no sofá de frente ao dele.

“- Grande Lauren.” Ele gritou meu antigo apelido me enrubescendo.

Apelido do qual só foi criado por que tempos atrás estava eu na piscina com a Selena e aconteceu alguns amassos quentes que fez meu amiguinho dar sinal de vida. Estávamos apenas com roupas de banho então ficou bem claro a minha situação quando o Ricardo chegou e pegou a gente no flagra. A partir de então ele começou a me perguntar se eu tomava algo para ter aquele tamanho, se era a minha alimentação, ou seja, muitas coisas desagradáveis em relação ao meu membro.

“-Como anda a vida garotona? Não te vi mais depois de o relacionamento de vocês acabarem.” Ric começou a me perguntar e resolvi pegar uma garrafa de cerveja em cima da mesa para já me preparar para toda aquela reunião familiar que viria pela frente.

“- Eu virei fotógrafa profissional depois do curso e consegui um emprego em uma grande empresa. Comprei um apartamento e uma moto em pouco tempo e comecei a juntar dinheiro para realizar meu sonho de ter um estúdio fotográfico de minha propriedade.” Percebi ele se ajeitar no sofá olhando com uma cara feia por trás de mim e assim que olhei para o mesmo lugar soube o porque.

Selena estava em pé na nossa frente com uma cara nada boa para o pai. Seu cabelo estava solto e seu rosto com uma leve maquiagem dando um realce a sua boca carnuda. Em seu corpo escultural estava um vestido verde escuro colado porém nas pernas havia um corte de um dos lados deixando uma das coxas nuas.

E que coxas...

“- Já pode parar de babar Lauren.” Selena me tirou do transe com seus dedos estralando frente ao meu rosto.

Nem percebi que ela tinha se aproximado tanto. Coloquei a cerveja na mesa e me levantei, notando que ela usava saltos pois estava quase do meu tamanho.

“- Engraçadinha, até parece que eu ia babar por você.” Assim que falei isso me arrependi pois a cara de choro que ela fez era de dar dó. Puxei seu corpo e abracei rápido para quebrar o clima tenso que eu mesmo formei.

“- Lauren, Selena e Ric. O jantar está pronto. Lembro que adorava frango com abacaxi quando vinha aqui em casa Lauren, então eu tive a ideia de preparar para todos nós.”

Caminhei atrás de Selena e não evitei olhar para a sua bunda, não era tão grande, mas esse vestido era de matar. Sentei na mesa da cozinha junto com os outros e quando ia responder a mãe dela, sou interrompido.

“- Ela não gosta mais, mãe. Os gostos dela mudaram.” Selena rebateu secamente o que eu tinha dito no telefone aquele dia com ela.

“- Não seja por isso Dona Amanda , sempre há exceções  para coisas boas.” Rabati no mesmo tom e Selena sorriu, ela deve ter entendido errado.

Dona Amanda colocou os pratos para cada pessoa da mesa e em seguida vinha carregando em suas mãos com luvas de forno uma bandeja com um grande frango rodeado por abacaxis, o cheiro estava ótimo. Assim que ela terminou de nos servir, fizemos uma oração pelo dia de hoje e começamos a comer, assim como o cheiro, estava tudo ótimo.

[...]

Depois de ajudar a limpar a mesa com a Amanda, estava há algum tempo bebendo alguns goles da cerveja que tinha pegado mais cedo e conversando sobre coisas de futebol com o Ric quando me disperso da conversa com a campainha tocando.

Ricardo se levantou e Amanda olhou no olho magico da porta gritando ao abrir e mostrar uma mulher loira, provavelmente na mesma idade que ela. Do lado estava um homem de cabelos grisalhos segurando um poodle bem tosado no colo.

Eu imagino que devem ser apenas alguns vizinhos cujo o senhor e a senhora Gomez tenham intimidade pois a conversa estava escandalosamente alta que resolvi ir até a cozinha pegar mais cerveja, já que as que continham na mesa da sala havia acabado.

“- Hey Laur!”

Escuto um sussurro por trás de mim e me viro. Selena estava na beirada da escada me chamando com o seu braço, deixo minha cerveja novamente de lado e vou até ela, o que foi uma péssima ideia. Ela me puxou e subimos as escadas correndo até seu quarto, eu quase cai no ultimo degrau e ela soltou uma gargalhada baixa pelo ocorrido.

Fui empurrada para dentro daquele antigo quarto rosa que também estava do mesmo jeito, com uma cama de casal cheia de travesseiros, estantes nas paredes com ursos gigantes em cima, um tapete roxo felpudo no chão e na janela algumas medalhas de esportes penduradas.

Desvio meu olhar de seu quarto para seu rosto. Ela estava com um semblante triste, poderia ainda estar magoada por eu não ter a elogiado mais cedo.

“- Eu detesto esses vizinhos, eles nunca sabem a hora de chegar, e estão sempre com esses papinhos de metidos e...”

Ela continuou, porém eu não estava a fim de ouvir de vizinhos ou de qualquer outra coisa. A voz de Selena era aguda deixando tudo muito chato de ouvir quando ela abria a boca, então a cortei no meio de sua reclamação, e comentei a primeira coisa que me veio á mente.

“- Você está linda.” Falo rápido e me arrependo quando vejo um sorriso surgir em seus lábios.

“- Até que enfim. Pensei que iria embora sem me elogiar.” Ela se aproxima e rodeia seus braços em meu pescoço colando nossos corpos em um abraço, fico tensa, porém envolvo sua cintura.

“ - Se você deixasse de ser tão exibida, talvez receberia mais elogios.” Falei em um tom de brincadeira para que ela não se magoasse, Selena conseguia ser muito sensível ás vezes.

“ - Está me chamando de metida?” Ela se afastou um pouco de mim para me analisar, mas eu mantive minhas mãos em sua cintura.

“ - Estou apenas te dando um conselho de amiga.” Ela me olhava intensamente com seus olhos escuros.

“ - Não sabia que você era conselheira.” Seu tom era sarcástico.

 “ - E eu não sou, mas isso é o que as pessoas próximas fazem, tentam ajudar dando conselhos.”

O cheiro do perfume dela estava me inebriando, então me afastei devagar e sentei na sua cama de casal, Selena me acompanhou só que parou de frente a mim e começou a andar de um lado para o outro.

“- Então me ajude Lauren... Quero que me dê um conselho sincero.” Ela parecia estar nervosa e a sua inquietação provava isto.

“- Fale” A encorajei e deitei sobre meus cotovelos encarando –a.

“- Eu conheci uma garota, ela é incrível, mas eu nunca tinha parado para analisar, pois eu estava sempre preocupada em achar outras que não me davam valor como ela dava. Eu sei que parece idiotice, mas eu era jovem, era tola.” Ela olhou para mim e eu estava com os dentes cerrados. Ela estava mesmo relembrando nosso passado? Agora? Depois de tanto tempo que teve para se desculpar?

“- Não começa Selena” Cuspi as palavras rudemente e comecei a me levantar, mas ela me empurrou novamente para sua cama, fazendo eu voltar a posição que estava antes de sair.

“- Por favor, me deixe terminar.” Ela estava suplicando com o olhar e eu respirei fundo querendo ver onde isto ia parar.

“- Quando ela me pediu em namoro, eu fiquei desesperada, eu estava com o plano de mudar de estado por causa da gravadora e a ideia de ter alguém me impedindo de crescer me cegou completamente, eu a magoei, e ela se foi.” Selena passava as costas da mão envolta do olho, ela estava chorando.

“- Pode ter passado muito tempo, mas eu nunca conheci uma garota como ela e isso ficava claro toda vez que eu tentava com um outro alguém. Eu perdi o amor da minha vida por ambição, eu não queria viver em uma cidade em que pessoas de classe social igual a dos meus pais, só conseguiam empregos de garçonete. Não queria ficar cozinhando para minha esposa enquanto ela me traia com suas funcionárias. Eu não sei Lauren, Deus, eu era muito tola.”

“- Você me julgou ser assim? Eu lhe passei a impressão de que era uma mulher que trai? Que era uma mulher que não ligava para o futuro de sua companheira? Por Deus Selena, eu que te incentivei a seguir essa merda de carreira. Perdi as contas de quantas vezes te achei bêbada e com marcas roxas no corpo em bares e tudo que você dizia era que não daria certo, que no dia seguinte iria cursar direito, que seus pais estavam certos em dizer que era uma estúpida por querer cantar. Eram nessas horas Selena, nessas horas que eu estava lá, cuidando de você e incentivando-a á não desistir. De onde você tirou essa ideia de que eu te privaria de crescer, eu iria para qualquer lugar com você, eu te amava.” Eu tinha perdido a paciência daquele teatro dela.

“- Eu sinto tanto Laur, eu quero lhe pedir desculpas, desculpa por ter te feito perder tanto tempo me ajudando, você era tudo que eu tinha e eu nunca percebi.”

Selena se aproximou bruscamente de mim e cercou minha cintura com suas pernas, uma de cada lado, seu corpo se abaixou sobre mim e seus braços envolveram meu pescoço me apertando em um caloroso abraço.

 “- Me perdoa Laur... Se não quiser me dar uma segunda chance, ao menos deixe-me participar da sua vida, como uma amiga” Ela falava abafado por causa do choro,entre o vale do meu pescoço e eu cingi sua cintura correspondendo seu abraço.

 Me castiguei mentalmente por não estar conseguindo pensar em nada além de seu corpo quente de vestido se esfregando em mim e seus lábios carnudos dando leves beijos em meu pescoço em forma de perdão, enquanto que ela estava chorando em meu colo, pedindo para que eu esquecesse tudo de ruim que aconteceu entre nós e que aceitasse ela na minha vida como amiga, por que a hipótese de namorada não podia nem ser considerada, já que havia decido que não seria usada novamente.

“- Está tudo bem. Eu quero muito lhe ter como amiga” Senti o sorriso de Selena se formando nos lábios por causa da aproximação de sua boca com a minha pele.

“ - Eu senti tanta a sua falta, quanto te vi naquele estúdio, todas as lembranças boas e ruins voltaram, e não teve como não me culpar pelo o caminho que o nosso relacionamento tinha tomado, a primeira coisa que pensei era em como eu faria para poder te ter novamente nem que seja como amiga." Ela disse a ultima parte com um tom triste, como se ser minha amiga fosse a coisa mais chata do mundo e isso me deixou desconfortável.

“- Que bom que conseguiu então.” Dei de ombros e aproveitei que suas caricias haviam parado para trocar de pose, ficando por cima e me afastando, deixando – a jogada na cama com o vestido amassado.

Caminhei até a escrivaninha no meio de seu quarto e escorei na beirada analisando Selena que já estava ajeitando sua roupa e tentando limpar a maquiagem borrada pelo choro. Respirei fundo e fechei os olhos, eu não sentia mais amor por ela, apenas atração por ser uma garota bonita, sua companhia sempre foi rápida, pois como eu havia falado, ela passava a maior parte do tempo cantando em bares, e ás vezes ficava por lá e quem tinha que sair atrás dela era eu.

O pouco de tempo que ficávamos juntas, era na casa dos nossos pais ou em praças, mas apenas ficávamos, nunca teve aquele carinho meloso de namoradas e tinha por onde, afinal, nunca fomos namoradas. Ter sua amizade poderia me fazer bem, estava precisando de alguém para desabafar sobre os meus problemas recentes com a minha família e acredite, Justin e Verônica são horríveis em dar conselhos.

“- No que está pensando?” Ela falou bem perto de mim, não percebi sua proximidade por estar com os olhos fechados.

“- É melhor que saiba dar conselhos Sel” Sorri em sua direção e ela revirou os olhos.

“- Parece que o jogo virou. Mas espera. Sel?” Ela curvou uma sobrancelha em dúvida.

“- Agora que somos melhores amigas, um apelido para cada é o mínimo que devemos fazer” Comentei e ri pela cara pensativa de Selena ao tentar inventar um apelido para mim.

“- Tem razão, mas só consigo pensar em Grande Lauren.” Ela gargalhou e eu dei um pequeno empurrão em seu ombro.

“- Você só pensava nele mesmo.” Meu riso passa para um sorriso maroto e ela cora.

“- Eu não estava falando disto idiota.” Diz Selena sentando em uma cadeira e começando a discutir algo sobre sua carreira, sorri por perceber que a partir de agora eu teria que acostumar a ouvir a voz fina dela, mas iria ser por uma boa causa.

Depois de conversar sobre quase tudo com Selena e prometer marcar um dia para bebermos, fiquei em dúvida de quem tinha mais fofoca para contar, se era a dona Amanda para aqueles vizinhos ou a Sel para mim.

Assim que me despedi do senhor e da senhora Gomez, que pararam de prestar atenção nos vizinhos para me dar moral quando mostrei os presentes que trouxe, eu segui para  o meu apartamento e pela primeira vez em muitas semanas, eu estava indo dormir feliz, não só por ter feito amizade com a mulher que amei mais também por saber que a água tinha voltado.


Notas Finais


Querem maratona até chegar no momento em que a Lauren conhece a Camila?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...