História Armas do Amor - Lia Jones - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Bea Miller (Beatrice Miller), Demi Lovato, Ed Sheeran, Fifth Harmony, Nick Jonas, One Direction, Selena Gomez, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Bea Miller, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Ed Sheeran, Harry Styles, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Nick Jonas, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Camreng!p, Fifth Harmony, Larry, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Laureng!p, Máfia, Norminah, Originais, Romance
Exibições 163
Palavras 1.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Survival, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Primeira parte da maratona.

Boa leitura!

Capítulo 7 - Véspera do casamento


Fanfic / Fanfiction Armas do Amor - Lia Jones - Capítulo 7 - Véspera do casamento

POV Lauren

Na manhã seguinte a minha felicidade no trabalho era quase palpável, por um milagre Justin estava tendo mais presença na empresa, e não perdeu a chance de me zoar, falando que a noite para mim tinha sido ótima e outras coisas que insinuem que eu tivesse transado no dia anterior. Selena sempre tivera este efeito comigo, minha alegria se multiplicava quando ficávamos juntas.

Estava terminando de fechar o dia para poder me retirar até o meu apartamento, pois amanhã era sábado então teria que acordar cedo, sempre que eu era convocada para eventos fotográficos eu tinha que adiantar muitos serviços e no final da tarde correr para arrumar os equipamentos antes de o evento começar. Esse era mais um motivo do meu ódio.

Ouvi batidas na porta de meu escritório e me virei encontrando Verônica escorada no batente com um olhar preguiçoso. Guardei alguns papéis e peguei meu chaveiro que continha as chaves tanto da minha moto quanto do meu apartamento.

Seu cabelo estava caído por sua blusa cinza claro que combinava com a sua calça jeans azul surrada. Balancei minha cabeça indicando para que ela me acompanhasse até a saída do estúdio, e ela o fez.

“- Qual é o horário que devemos estar no casamento?” Depois que me despedi de Jonas, Verônica perguntou enquanto continuávamos seguindo até o estacionamento.

“- Temos que tirar fotos desde o início do casamento. Sete horas da noite para ser exata. Tem uma carona ou quer experimentar a potência da minha Gisele aqui?” Gabei minha moto enquanto escorava na mesma.

“- Não tudo bem, eu tenho carona.”

Parecia que era apenas essa dúvida que a incomodava, pois depois de um tempo ela simplesmente acenou e voltou para dentro do estúdio. Subi em minha Mahindra e fiz o percurso até o meu apartamento.

Assim que cheguei avistei dois seguranças na frente do condomínio, desde que tinha reclamado com Joshua ele contratou alguns brutamontes para ficar de vigia. Acenei para ambos com a cabeça e entrei indo em direção a área de lazer do condomínio.

Pelo menos três vezes por semana eu vinha até esse lugar para relaxar, já que eu só saia para festas ou bares quando havia alguma comemoração.

Observei o movimento e não encontrei muitas pessoas. O espaço era enorme e todo aberto dando a visão para o céu estrelado, a grama verde ocupava quase todo o chão se não fosse por uma longa piscina ao lado do muro com pedras e uma linda cascata.

Mais para frente encontrava-se escorregadores e balanços para crianças. Ao lado estava a área de alimentação com duas churrasqueiras e uma mesa de seis cadeiras feita de madeira, e foi para lá que eu me dirigi.

Abri a geladeira e peguei uma garrafa de água. Alguns inquilinos estavam fazendo um churrasco e me chamaram para fazer companhia, meu estomago não resistiu e agora minha garganta estava sofrendo com o tempero exagerado da carne deles.

Deixei a família continuando a conversa envolta da mesa e andei para a piscina, subindo a barra da minha calça jeans preta até o joelho e tirando a blusa, ficando apenas de top branco. Sentei na beirada e mergulhei minhas pernas.

Olhei para cima e admirei a lua que hoje estava cheia. Estava tão concentrada contando as estrelas e me perdendo em pensamentos que esqueci do tempo, olhei para meus pés mergulhados e assustei ao reparar que os mesmo estavam bastante enrugados.

Levantei e passei minha blusa envolta do meu pescoço já me preparando para ir para dentro do meu apartamento dormir, mas não sem antes soltar um suspiro aliviado. A sensação de relaxamento que esse lugar me trazia era um deleite.

[...]

Levantei da cama mais cedo que o normal por causa do casamento e depois de um banho quente estava escolhendo uma roupa formal para o casamento, visto que não irei voltar para o apartamento trocar de roupa.

Hoje estava nublado e a brisa fria do litoral deixava o clima perfeito para poder usar terno feminino o dia inteiro. Escolhi uma camisa social azul escura combinando com uma calça branca e uma bota preta de cano baixo.

Não usaria o paletó por isso subi as mangas da camisa até o cotovelo. Passei a colônia de lavanda já que minha alergia com cheiros não me dava muita escolha e desci a escada indo para a cozinha. Eu não tinha muita fome na manhã então preparei apenas uma vitamina de banana.

Assim que terminei de tomar café e terminar minha higiene matinal, me apressei para ir até o estúdio. Ontem de noite antes de sair, havia preparado alguns papeis com os telefones dos clientes com quem precisava acertar o pagamento e outros apenas para marcar horários, além de que a responsabilidade de limpar a lente das câmeras seria minha este sábado.

Estacionando a Gisele no lugar de sempre olhei para Jonas que estava conversando com um jardineiro espanhol sobre alguns programas de televisão que falam sobre esportes. Cheguei perto atraindo a atenção dos dois.

“- Olha só. Está indo aonde com essa formalidade senhorita Jauregui?” Jonas abriu seu famoso sorriso branco e eu dei de ombros.

“- Lugar nenhum. Eu sou formal.” Falei me afastando deles, mas ainda pude ouvir suas risadas e Jonas me chamando de Abusada.

No meu escritório encontrei uma penca de papéis em minha mesa e ao lado uma caixa branca de plástico cheia de câmeras. Respirei fundo e me joguei na minha cadeira começando meu trabalho, eu realmente esperava terminar tudo isto ainda hoje.

[...]

Enquanto os ponteiros do relógio se aproximavam das sete, meu bom humor só ia afastando. Mais cedo Verônica havia comparecido no meu escritório para avisar que passaria em sua casa para se preparar e eu ainda estava limpando o resto de câmeras da caixa. Ouvi o toque estridente do meu celular e fui atender.

“- Olá?” Perguntei através da linha. Eu não tinha lido o número do telefone.

“- Lauren é a Verônica. Cara eu já estou aqui. Está quase enchendo e não dá para fotografar todos esses convidados sozinha, aonde você está?”

“- Merda, eu não esperava que fosse encher tão rápido. Estou indo para aí.” Desliguei o telefone e praticamente corri para o estacionamento atrás da minha moto. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...