História Armor of feelings - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Rupert "Rhodey" Rhodes, Loki, Natasha Romanoff, Nick Fury, Pepper Potts, Sam Wilson (Falcão), Scott Lang, Steve Rogers, Thor, Visão
Tags Stony
Visualizações 115
Palavras 2.156
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Slash, Super Power, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olha quem voltou outra vez no dia combinado sem atrasar??? Isso msm a Tai aqui <333
Acabei de chegar de uma festa q tá tendo aq na minha cidade, comi pra porra, ranguei pakas e agr tô com os pés pra cima pra descansar.
Boa leitura pra vocês <3

Capítulo 2 - Capítulo 2


Steve

O "estranho" com a mesma aparência que a minha olhava-me torto, com raiva.
Tony mexeu-se no pequeno espaço do sofá sentando-se enquanto coçava seus olhos tentando espantar o sono.

- Hydra, me traz um café... - sua voz foi sumindo à medida que seus olhos olhavam para mim. - Rogers? - disse parecendo ter um pouco de dificuldade em pronunciar meu sobrenome.

- Olá, Tony - cumprimentei controlando minha vontade de puxá-lo para os meus braços e beijá-lo.

- O que está fazendo aqui? - perguntou um pouco alto demais de maneira ansiosa.

- Ross me contatou e me mandou aqui - voltei meus olhos ao outro homem no local que se colocou de braços cruzados. - Alegou que você explicaria tudo quando eu chegasse...

- Ross? E desde quando vocês são amigos? Eu achava que você estava sendo perseguido por ele - a forma como Tony se sentou de pernas cruzadas sobre o sofá me fez notar sua pouca vestimenta. A camiseta preta e a cueca boxer de mesma cor só prenderam meu olhar.

- Foi algo como uma trégua temporária - pisquei sacudindo a cabeça tentando me concentrar na conversa que tínhamos e não nas coxas torneadas de Stark.

- Trégua, hum? Não preciso de ajuda para lidar com ele - apontou para o outro eu. - Ele é apenas uma versão má e fofa sua que, por motivos confidenciais entre mim e ele, me obedece direitinho - franzi o cenho confuso esperando uma explicação mais detalhada. - Quer ver? Hey, Hydra! - chamou com um aceno de mão. Só então notei o uniforme peculiar que ele usava, minha preocupação se tornou ainda mais extrema. Ele estava com um inimigo. - Venha cá e me dê um abraço - Tony abriu os braços à medida que o outro se aproximava. O loiro se sentou ao seu lado, puxando seu corpo contra o dele e passou as mãos por sua cintura o apertando contra si.

Ignorei o ciúme crescente em mim e olhei a cena indiferente.

- Não entendo - disse simplesmente.

- E não precisa, apenas saia daqui e diga a Ross que eu não preciso de ajuda para nada - disse se soltando do outro e levantando-se.

O imitei me endireitando enquanto olhava Tony se afastar em direção às escadas que levavam a seu quarto.

- Eu não posso - minhas palavras pareceram travá-lo, suas pernas fixaram no chão, mas ele ainda permanecia de costas para mim.

- Por que não? - Me perguntou virando minimamente o rosto.

Hesitei em contar-lhe a verdade, sabia que se citasse o nome de Bucky uma briga começaria, que ele não me ouviria ou não aceitaria minha ajuda. E se isso acontecesse, com certeza meu amigo sofreria as consequências.

- Porque Ross me ameaçou - de certa forma aquilo não era uma mentira. - Isso pode prejudicar todos os outros.

O silêncio pairou sobre o ambiente por longos minutos. A outra alma presente parecia ter apenas a função de ficar observando os acontecimentos.

- Você mesmo me disse que aquilo era uma versão ruim minha. Não acho nada seguro que você esteja sozinho com ele dessa maneira.

- Parece que você não me ouviu direito - Tony se aproximou, a diferença em nossas alturas ficava ainda mais evidente com ele perto de mim. - Ele obedece a mim. Não me machucaria.

- Como posso ter certeza disso? - questionei olhando o loiro largado no sofá.

- Você não precisa - respondeu se virando.

Ergui minha mão para tocar seu ombro e virá-lo para mim, porém uma mão forte agarrou meu pulso me segurando.

Nos encaramos sérios, eu podia quase ter certeza que raios saiam de nossos olhares.

- Solte-me - grunhi.

- Não ouse tocá-lo - sua voz era ameaçadora, firme. Sua expressão me mostrava que ele estava disposto a usar a força se necessário.

Mas eu também estava.

- Ei! - Tony tentou chamar-lhe a atenção. - Ei, Hydra! - o loiro ignorou-o apertando meu pulso com mais força. - Steve! - gritou fazendo-o me soltar imediatamente e olhá-lo. - Já chega, não precisa de tudo isso - se virou então para mim - Vá embora, Rogers, faça o favor para mim e para você de não voltar.

Stark virou-se praticamente correndo para seu quarto. Eu permanecia parado olhando-o distanciar-se mais uma vez e suspirei.

- Você só o faz mal - sussurrou-me o outro.

Aquilo foi como um soco para mim, eu precisava sair dali, meu corpo se moveu rapidamente para o elevador.

Meu peito parecia pesar, minha cabeça latejava, mal consegui dirigir direito. Cheguei até o esconderijo batendo portas sem cumprimentar ou explicar nada a ninguém, minha vista estava embaçada, só percebi que era pelas lágrimas quando elas já não aguentavam mais ficar presas em meus olhos.

Meu quarto parecia grande demais, apesar de seu pequeno espaço, parecia-me muito vazio, assim como eu me sentia. Parecia de certa forma espaçoso, mas sufocante.

Tudo se mostrava melhor com Tony, aquele quarto ficaria bem mais aconchegante com ele deitado comigo em minha cama.

Ignorei as batidas na porta de meus amigos que pareciam bem preocupados pelo tom de suas vozes, não queria falar com ninguém, não queria ver ninguém.

Tirei o pequeno celular de meu bolso e olhei-o fixamente.

Eu podia perder duas pessoas muito importantes para mim naquela brincadeira de Ross. Bucky estava em suas mãos, Tony estava às suas ordens.

A ideia de que talvez aquele homem orgulhoso entenderia se eu explicasse minha situação não fugia de minha cabeça, mas até mesmo pessoas não envolvidas sabiam que aquilo não aconteceria nunca. Ele não entenderia. Eu sabia que se não lhe contasse a verdade seria ainda pior.

Eu perderia Tony de ambas maneiras, ele escaparia entre meus dedos mais uma vez.

Fechei meus olhos cansado, me sentia rasgado, despedaçado. O sentimento de solidão só aumentou ainda mais depois de nossa conversa desastrosa.

Por que era tudo tão difícil?

Ele estava lá, com uma versão oposta de mim, com uma versão distorcida da minha pessoa. Estava sozinho com aquela pessoa que eu não conseguia confiar. Ele podia tocar Tony de uma maneira que eu não podia. Aquilo me irritava.

Eu não conseguia relaxar sabendo que estavam sozinhos naquela Torre enorme. Não consegui relaxar sabendo que Tony ficou sozinho naquele espaço enorme por dois longos anos. Que ele se distanciou tanto de todos os outros como Nat havia me dito.
Só desejava estar lá com ele.

Tony

Eu observava o teto em silêncio, pensando naquela tarde cansativa que eu havia tido.

O colchão afundou com o peso ao meu lado, me deixando saber que o outro Steve estava sentado ali.

- Quer conversar? - perguntou em tom baixo.

- Não... Não agora - sussurrei evitando olhá-lo.

Hydra deitou-se me puxando para seu peito. Soltei uma risada irônica. Ele parecia me conhecer muito bem mesmo, notou o quanto eu precisava de um abraço.

Me aconcheguei em seu peitoral fechando os olhos.

- Como quer que eu te chame? - perguntei parecendo surpreendê-lo.

- Hydra me parece bom - respondeu indiferente.

- Mas não é seu nome.

- Então me chame de Steve.

- É... Difícil - confessei. Hydra deu um suspiro me apertando mais contra si. - Como eu te chamo em sua terra?

- Meu Rogers.

- Seria estranho se eu te chamasse assim aqui.

- Se você diz.

Ficamos em silêncio, a chuva começou a cair do lado de fora, os únicos sons que podiam ser ouvidos era da água batendo no vidro das janelas e de nossas respirações.

- Quer ligar para ele? - Me perguntou Hydra depois de um tempo.

- Quero explicar, mas sinto que Rogers está me escondendo algo importante.

Voltamos a nosso silêncio até Sexta-feira anunciar uma ligação de Ross.

- O que quer? - atendi sem nenhuma vontade.

- Gostou do meu presente? Tive muito trabalho para entregá-lo.

- Não encha, Ross. Não preciso de ajuda.

- Não existe pessoa melhor que o próprio Steve Rogers para conhecê-lo - suspirei cansado daquilo tudo.

- Como o convenceu a vir? - ocultei a informação de que Steve havia me dito que fora ameaçado.

- Seu amiguinho, o Soldado Invernal, foi localizado em um laboratório em Wakanda tratando de sua hipnose, vamos dizer assim. Foi complicado trazê-lo aqui, mas eu o fiz e ainda fui amável o suficiente para terminar de cuidar de sua cabecinha, seria perigoso deixá-lo daquela maneira. Apenas comentei essa ocorrência com Steve e ele ficou muito grato em colaborar. - disse orgulhoso de si mesmo.


Fiquei quieto ingerindo cada palavra dita por Ross, Hydra analisava cada reação minha, havia ouvido a conversa colocada no viva-voz.

Aquilo só confirmava algo que eu já sabia, só deixava minha certeza ainda mais certa.

Steve não se preocupava comigo.

Mas aquilo ainda doía, doeu ainda mais saber que ele se colocava em risco daquela forma por seu precioso amigo.

"E isso é alguma novidade?", pensei, "O picolé começou uma guerra por ele, se colocou contra tudo e todos."

Desliguei a chamada sem aviso prévio, me agarrei a única pessoa presente ali comigo e desabei como só havia feito há dois anos atrás.

As mãos de Hydra acariciavam carinhosamente minhas costas, ele não dizia nada, apenas ficava ali me abraçando, escutando meus soluços pacientemente, ficou ali me confortado de maneira silenciosa. 

Tocava-me como se eu fosse de porcelana, como se a qualquer momento eu fosse quebrar em pedaços, porém eu já estava quebrado.

- Shhh, eu estou aqui, eu estou aqui  - sussurrou.

Fora a última coisa que ouvi antes de cair num sono perturbado e ter mais um de meus vários pesadelos rotinais.

§Ω§

Acordei com o cheiro forte de panquecas e café saindo da cozinha.

Sentei-me coçando os olhos. Vesti minha calça de moletom cinza e desci até onde o cheiro delicioso de café da manhã se encontrava.

- Bom dia, Tony - me cumprimentou sorrindo. Ele ainda vestia seu uniforme.

- Bom dia... Hey, acho que podíamos comprar algumas roupas para você. Me parece desconfortável ficar até agora com essa - apontei para seu corpo.

- Não se incomode com isso, não me importo de vestir essa.

- Mas eu sim - me sentei em um dos bancos enquanto Hydra colocava meu café diante de mim.

- Podemos resolver isso depois que você comer, ontem foi um dia cansativo, você precisa repor as energias que gastou.

- Parece minha mãe falando - disse arrancando uma risada sua.

- Sua mãe com certeza não faria isso - Ele se aproximou por cima do balcão encostando seu nariz meu meu cabelo me dando um beijo na testa.

- Na verdade, faria sim - sorri para ele - Ela fazia isso muito, algumas vezes até demais e em momentos vergonhosos - torci meu nariz com a lembrança.


- Por favor, não me dê esse título.


Hydra riu sacudindo a cabeça, sentou-se ao meu lado e começamos a implicar um com o outro.


Era tão mais simples ficar com esse Steve, era como se fossemos amigos de infância nos reencontrando depois de anos separados. Era confortável, me sentia tranquilo, sentia que podia contar-lhe sobre tudo e todos, podia falar de qualquer coisa que nada o faria se afastar de mim.

Sua presença me confortava, me tranquilizava. Não era de nenhum jeito pesada para mim, o modo com que ele falava fazia tudo parecer mais leve, mais fácil.

Hydra me contou histórias de seus feitos, dos meus e eu retribui contando-o tudo que já havia acontecido comigo. Descobri como sua personalidade era diferente da de Steve, ele me falou sobre como eu era em sua terra me surpreendendo a cada palavra.

Lá era tão diferente, muitas coisas eram o oposto daqui.

Até o nome de Peter fora citado. Eu havia adotado o garoto lá como meu filho, quase como havia feito aqui.

- Vejo que você trata o garoto com bastante carinho aqui também - falou-me depois de eu lhe dizer sobre mim e o aracnídeo.

- Peter é um menino de ouro - murmurei.

- Ele é a única pessoa que você manteve por perto? - assenti olhando a caneca em minhas mãos.

- Acho que o sentimento de ter um filho me deixa mais leve mesmo eu não nascendo para isso. Não consigo explicar... O jeito como ele me olha com toda aquela admiração... - Hydra sorriu para mim. - Stony - eu disse do nada.

- O que?

- É assim que vou te chamar agora - o loiro ergueu uma sobrancelha.

- Você juntou nossos nomes?

- Sim.

- Tem noção de como isso soa?

- Tenho.

- Sabe por que as garotas fazem isso?

- Sei - Stony riu sacudindo a cabeça mais uma vez.

- Você é tão... - olhei-o sorrindo.

- Tão o que? - perguntei apoiando minha bochecha em minha mão o encarando.

- Tão Tony - comecei a rir.

- Isso é com certeza um bom elogio.

- Consigo pensar em alguns bem melhores - Stony se aproximou roçando seus lábios nos meus, não consegui me mover, minha respiração se irregularizou. Seu olhar era cheio de malícia, suas mãos pararam em minhas coxas afagando-as sensualmente.

- Acho que vou continuar lhe chamando de Hydra - sussurrei vendo-o encostar sua testa na minha e olhar-me diretamente nos olhos.

- Por que?

- Parece combinar mais com você - um sorriso presunçoso apareceu em sua boca.

Suas mãos pararam em minha cintura apertando-a, ambos umedecemos nossos lábios.

- Senhor Stark? Seus antigos amigos estão subindo - anunciou Sexta-feira interrompendo-nos.

- Qual deles? - perguntei franzindo o cenho sem desviar meu olhar de Hydra.

- Todos eles.


Notas Finais


Treta? Meu nome do meio :v
Quem ganhará essa briga? Bucky? Tony? Hydra? Steve? Quem irá enlaçar o coração de nosso pequeno Stark?
AAAHHHH minha ansiosidade pra postar o próximo só aumenta e.e
Até o próximo sábado <3333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...