História Arqueira Gélida - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Anivia, Ashe, Tryndamere
Tags Ashe, League Of Legends, Tryndamere
Visualizações 22
Palavras 1.699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Uuuhhh, esse capítulo ficou O capítulo!! Espero que gostem!!

Capítulo 10 - Desejo com Fogo


Fanfic / Fanfiction Arqueira Gélida - Capítulo 10 - Desejo com Fogo


Ashe havia se trancado dentro do quarto junto com Tryndamere, por mais que ele não entendia nada do que ela planejava, até que Ashe começa a se aproximar dele, seus passos lentos e silenciosos deixou ele um pouco curioso, já que para Tryndamere, Ashe não passava de uma princesa mimada pelos empregados, mais nunca ousou falar isso para ela, já que seu objetivo era ajuda-lá com o que ela precisar. Ainda imóvel, Tryndamere observava ela pegando em sua mão com os olhos semi cerrados, como se parecesse que iria chorar ou que pelo menos que tivesse triste, não conseguia interpretar a sua face enigmática.
_Por anos eu me senti sozinha, por mais que eu tivesse empregados, meu coração estava vazio...


Depois de dizer isso, Ashe põe a mão de Tryndamere no meio de seu peito, ele pode sentir o coração dela bater rapidamente, Ashe estava de cabeça baixa, quando ele a levanta segurando em seu queixo delicadamente e vê as lágrimas de Ashe quase saindo de seus olhos, ele senta na poltrona que tinha a sua trás, e olha nos olhos de Ashe enxugando as lágrimas que aos poucos saem de seus olhos. Mais antes que ele falasse algo ela prosseguiu a falar:
_ Eu me senti perdida quando te conheci, não pensava direito no que falava, mais depois que eu te vi ontem estudando os livros da biblioteca, eu percebi a burrada que eu fiz, eu meio que te obriguei a se casar comigo com uma desculpa de que seria em prol do reino de Freljord, mais a quem eu quero enganar, eu não quero carregar o peso de assumir toda a papelada sozinha, tudo o que fazia era apenas cuidar de pequenas decisões, eu tenho medo de assumir o trono que pertencia a minha mãe, que pertencia a minha acestral Avarosa, eu tenho medo... de não conseguir seguir em frente sozinha, por isso eu te pedi em casamento, eu achei que por você ser o "rei dos barbaros", você podia me ajudar... Eu... te peço desculpa...


Nesse ponto Ashe chorava rios de lágrimas, Tryndamere não sabia como agir de ante daquela situação, ele podia sentir as mãos de Ashe apertando a sua enquanto segurava ela, ele resolver puxar Ashe fazendo ela sentar em seu colo e a abraçou fortemente e disse:
_ Eu sei que não sou a melhor pessoa para você, mais se for preciso eu trilho esse caminho contigo, eu vim aqui pensando no meu povo, e apenas isso, mais te conhecer realmente talvez me faça mudar, permita que eu te conheça profundamente Ashe... Eu quero isso!


Ele aconchega Ashe em seu peito, até que finalmente ela parasse de chorar, os raios do sol invadiram o quarto quando ela estava brincando com os cabelos de Tryndamere, os dois começaram a falar coisas bobas desde cortes de cabelos até o que eles planejavam para o futuro. Os dois passaram horas ali conversando, mais houve um momento em que Ashe lembrou o que tinha coisas a fazer, entre se reunir com o comandante a decidir coisas do casamento. Ela levanta do colo dele e anda em direção ao closet.
_ Por mais que eu adoraria continuar assim contigo, eu preciso resolver algumas coisas...
_ Vai de pijama?
_ Claro que não! Eu vou me trocar... Espera, qual foi o propósito da pergunta?
_ Ha! Adivinha!


Uma cara de safadeza vinha de Tryndamere, já Ashe sabia exatamente o que ele queria, porém, queria ouvir dele mesmo.
_ Diga Tryndamere, o que você deseja que eu faça?
_ Quer mesmo que eu fale?


Ashe se aproxima dele, e faz questão de deixar o seu rosto bem próximo a ponto de sentir a respiração do outro, sussurrando ela diz:
_ Pode dizer, aproveita que a porta está fechada...


Em um impulso e sem pensar duas vezes Tryndamere beija Ashe na boca e agarra ela pelo braço aproximando até ele, quando perto ele se levanta e levanta ela pegando pela bunda, e a leva até a cama, a jogando ela de forma "brutal".
_ Você nunca deveria ter me atiçado!
_ Vai me punir, me prendendo na cama?
_ Não vou te punir, vou te satisfazer de uma forma que você vai descobrir, por que nunca mais deve fazer isso!


Tryndamere tira a unica peça de roupa que tinha e deita ao lado de Ashe e continua a beija-lá, e com a sua mão passei pelo seu corpo magro e esbelto, cheio de curvas, seu fogo começa a se espalhar a medida em que ele vai descendo pelo corpo de Ashe. Ela já não queria mais parar, acariciando os longos cabelos pretos de Tryndamere e só sentindo ele beijar seus seios e acariciando por todo o seu corpo, ela se contia em gemer com medo dos empregados ouvirem. Mais o que ela não esperava era que iria doer tanto quando ele fosse enfiar seu "amigo" dentro de su corpo, por mais que evitasse gritar, ela soltava uns gemidos de dor, mais Tryndamere sabia como iria ser a primeira vez dela no sexo, e mesmo assim optou por continuar. 


Com o tempo, aquela dor passou a ser um prazer, nenhum dos dois se sentiu assim antes, por mais que Tryndamere tivesse deitado com muitas mulheres, nenhuma o satisfez assim como Ashe estava satisfazendo, algum tempo se passou e os dois permaneciam deitados juntos, ambos cobertos de suor, mais nenhum se importava pois estavam cansados e nem quiseram levantar, até que Ashe fala:
_ Está ficando tarde, precisamos tomar banho e se arrumar.
_ Tem razão, vão estranhar se não nos verem logo.


Tryndamere é o primeiro a se levantar, finalmente Ashe pode ver o quão grande era, quando Tryndamere entra no banheiro ela resolve levantar para separar a roupa que iria vestir, mais ao tirar o cobertor de cima de seu corpo ela viu sangue em seu lençol e no meio de suas pernas, ela não entende o por que do sangue e chama Tryndamere com uma voz assustada:
_ Tryndamere... Tem algo errado...


Ao ligar a torneira da banheira ele sai do banheiro e vê Ashe com um olhar assustada e tremendo, e quando se aproxima vê no lençol o sangue que parecia pertencer a ela.
_ Calma! Isso é normal!
_ Como que sangue é normal?
_ Ashe, foi sua primeira trasa, algumas mulheres sangra na primeira vez!
_ Eu nem vou perguntar como você sabe disso!


Ela se levanta e vai direto para o chuveiro ao lado da banheira ainda tremendo assustada, Tryndamere pega em sua mão e agacha para olhar em seu olho e repete:
_ Isso é normal! Não precisa se assustar!


Com isso ele ajuda ela a lavar o cabelo e seu corpo, após acabar de se banhar, Tryndamere entra na banheira e Ashe vai se vestir. Ela opta por usar um coque em seu cabelo molhado e põe seu vestido comprido , ela olha para o banheiro antes de abrir a porta e sair do quarto, fechando a porta logo em seguida. Ela desce as escadas e logo se encontra com o comandante, no qual deveria ter se encontrado a um tempo.
_ Me desculpa comandante pelo atraso!
_ Tudo bem... Você ainda não tomou café da manhã! É melhor ir tomar, nós fazemos a reunião mais tarde!
_ Ok...


Ela se dirige para a sala de jantar e lá onde Luci estava arrumando a mesa, com pressa Ashe se aproxima dela e diz em voz baixa:
_ Luci, eu preciso falar contigo, é urgente!
_ Sim senhorita Ashe, eu estou a sua disposição!
_ O que você sabe sobre sexo...
_ Ah! Bem... Não sou uma médica no assunto mais eu seu algumas coisas, por que a pergunta? Não me diga quê-
_ O motivo de meu atraso foi isso mesmo, mais eu não posso dizer isso ao comandante, mais... Tryndamere disse é normal na primeira relação a mulher sangrar um pouco, isso é verdade?
_ Sim... algumas sangram sim, mais antes venha comigo!


Ela puxa Ashe pelo braço e a leva até a cozinha, aonde a cozinheira estava lavando a louça, a Luci pede pra que ela saísse e logo depois em uma gaveta ela pega um pequeno pacote, Ashe percebe que as pessoas da noite pegaram algo na mesma gaveta, ela olha atentamente Luci preparando o que seria um chá, ela pega uma jarra de água e esquenta uma pequena quantidade e jogou o pó ali, Ashe curiosa pergunta:
_ O que está fazendo?
_ Isso é uma mistura que eu trouxe da floresta, é para que você não fique grávida, a mistura é forte e age logo no corpo.


Após a água esquentar ela coa em um pano e dá a Ashe pra que beba ainda quente. O gosto era forte, e era impossível para ela não fazer cara feia.
_ Vou ficar mais aliviada com você agora, vamos, vou te preparar o café da manhã.


Naquele mesmo instante Tryndamere saía do quarto de Ashe já de banho tomado e com toda a sua roupa, tomando cuidado pra que ninguém o visse, mais foi inevitável já que Isabel saía do quarto ao lado no mesmo instante.
_ O que fazia no quarto da Ashe, Tryndamere?
_ O que você faz aqui!? Achei que estava junto com os bárbaros!
_ Sim, mais eu vim me trocar no quarto de uma das empregadas da Ashe! Você ainda não me respondeu o que fazia no quarto da Ashe!
_ Eu estava pegando um livro que ela esqueceu!
_ Aproveitou para tomar banho também? Seu cabelo está molhado!
_ Espera, desde quando eu tenho que te dar satisfação?
_ Desde que eu entrei para a família! Quer saber, esquece! Espero que você não tenha feito nada com ela, já que Ashe ainda tem 17 anos! 


Havia uma lei no grupo de bárbaros no qual Tryndamere era o "Rei", eles jamais podiam transar com mulheres menor de 18 anos, e ele não tinha ideia da idade de Ashe, e no calor do momento ele nem ousou perguntar, ela sabia que se o grupo soubesse, talvez não o respeitassem, a raiva subiu em seu corpo, e Tryndamere só pensou em uma coisa para fazer com a Isabel.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até semana que vem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...