História Arquitetando um Amor - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Brothers Conflict, Kuroshitsuji, Uta no Prince-sama: Maji Love 1000%
Personagens Natsume Asahina
Tags Itatsume, Piadas Toscas Da Iggy, Romance Gay
Visualizações 38
Palavras 1.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Cheguei a conclusão, de que a Rina é a melhor personagem da fic até o momento :3
Bem, eu espero que gostem do capítulo, aproveitem cada palavra dele, pois no próximo a coisa vai ficar mais séria ^^
Espero ansiosa os comentários lindos de vocês!
Tenham uma boa leitura cupcakes!!

Capítulo 18 - Capítulo 18


Sabe quando você acha que seu dia não pode ficar mais louco? O pensamento quanto a isso muda drasticamente no momento que Natsume descobre que Rina o chamou para aquele almoço, porque queria espionar a prima e o irmão mais velho do ruivo em um encontro.

- Você sabe o significado da palavra limite?

- Você sabe que eu não ligo para essa palavra, né?

- Rina, eles precisam que se conhecer sozinhos...

- Eu sei, mas eu quero muito que der certo! É um dos meus shipps preferidos. –diz com cara de choro, fazendo o ruivo suspirar- Prometo que vai ser só o almoço que vamos olhar, daqui vamos ao parque para você me contar tudo! –diz empolgada.

- Não tem nada para contar. –suspira- Talvez uma ou duas coisas, mas não aconteceu nada.

- A sua vida amorosa está pedindo com urgência uma ajuda. –come mais um pedaço de frango.

- Não, obrigado. Já tenho muito problema.

- Nha, vamos lá. Aliais como ficou a questão do garoto que estava a fim de você? Aquele que você falou quando nos conhecemos.

- É.. eu conto depois.

- Ih, já vi que vem bomba, vou precisar comer doce então para aproveitar melhor. –diz sorrindo- Já sei, vamos a um café cosplay que fica aqui perto. Lá tem bolos deliciosos. –animada de novo.

- Aonde eu tiro sua bateria?

- Não tira. –sorri de canto- Sou movida a luz solar, baby.

- Arigato, informação valiosa. –ri e bebe mais um pouco da cerveja.

- Bem, terminamos de comer e eles estão se paquerando...

- Você realmente quer ficar aqui até o final do almoço deles?

- hm... pensando melhor, vamos?

- Glória!

- Exagerado.

Após pagarem a conta e saírem do restaurante sem que o casal de enamorados percebesse, caminharam sem pressa pelas ruas quentes da cidade.

- Cara, que calor! Esses dias estava super fresco.

- Bem, o clima não é algo muito equilibrado nessa época.

- Verdade.

Continuaram o caminho por mais um tempo entre assuntos curtos até chegarem ao café, foram recepcionados por uma garota com cosplay de Aqua do anime KonoSuba e levados até uma mesa próximo da janela e um pouco mais distante, perfeito para conversarem.

- Então, conte-me tudo.

- O que quer saber primeiro?

- A história do garoto.

- Certo. –Natsume contou em detalhes o que aconteceu, embora se sentisse envergonhado em algumas partes, para no final sua amiga estar de boca aberta.

- Gente... você beijou ele?

- Hai?

- E ficou só na amozade?

- amizade.

- Fofo, de certa forma a amizade de vocês é daquelas coloridas, com direito a abraço e quando um precisar do outro um carinho mais saliente certo? –perguntou o olhando e percebendo este corar.

- Não sei, a-acho que sim...

- Bem, amozade. –deu pulinhos na cadeira- Mas agora me diga como que foi essa noite dos homens com o moreno delicia.

- Ei.

- Desculpa, nada de chamar o moreno delicia de moreno delicia na frente, entendi. –diz sorrindo.

- Fala sério. –revira os olhos, então contou a ela o que aconteceu, na verdade falou tudo o que aconteceu endez que se conheceram, ela ficava comendo sua fatia de bolo e encarando o ruivo, tendo um momento que errou a boca e acertou o nariz, fazendo o ruivo rir, após limpar o nariz dela com o guardanapo ele continuou a história.

- Ele tá super apaixonado por você, não tenho dúvidas disso, mas acho que assim como você, ele pensa que irá estragar a amizade de vocês caso ele chegue em você e diga seus reais sentimentos. –disse mexendo a pequena colher de sobremesa- Aliais, já adorei o filho de vocês, ele ganhou um espaço reservado no meu coração por já ver vocês dois como um casal. –disse sorrindo.

- O Kaito não é meu filho...

- Olha, ele te chama de mama, então eu acho que ele já vê você como mãe dele, ou seja, ele está pouco de fodendo para o que você acha e quer os dois juntos logo, se já não pensar que estão juntos, visto que já dormiu com o pai dele duas vezes. –fala com diversão na voz.

- Que vontade de te bater...

- Guarde essa agressividade toda para o seu macho alfa, por favor. –pisca.

- Engraçadinha.

- bem, voltando ao nosso assunto, seria bom você se declarar a ele, mas espere mais um tempo e repare mais nas ações dele e tudo mais, você me disse que ele ficou parecendo uma estátua quando você se trocou na frente dele, ai está uma prova de que ele não esperava essa atitude e deve ter se excitado até ao ver seu belo corpinho de repente.

- N-não acho que seja verdade...

- Amore, vai por mim. –ela coloca a mão no ombro dele e o olha- Eu sei o que estou falando e tudo isso são sintomas de apaixonados, para ambos os lados. –ela pisca.

- ...

Depois disso o ruivo fica em silêncio, pensando em tudo e tentando ver os detalhes que deixou passar despercebido, enquanto sua amiga devorava um bolo atrás do outro.

“Será que ele realmente...?”

.        .        .

- S-senpai... –o jovem sussurra após o fervoroso beijo, um pouco desnorteado e com borboletas no estômago.

- Gomen, eu não consegui me controlar. –passa a mão pelo rosto dele- Mas espero ter deixado claro meus sentimentos. –olha profundamente nos olhos dele.

- S-sim, deixou... –sorri, levando os dedos até os lábios que formigavam- E estou muito feliz! –diz sorrindo abertamente e com a face corada, fazendo o maior suspirar e lhe roubar mais um selinho.

- Você é realmente adorável. –sorri- Então, sei que ainda é cedo demais, só que eu acho que não tenho motivos para não lhe perguntar isso. –o garoto prende a respiração, uma frase se passava por sua mente, mas ele próprio se dizia que não era isso- Aceita namorar comigo?

Ai está, essa simples frase bastou para fazer o garoto sentir seu coração explodir em felicidade, ficando sem qualquer reação por longos segundos, deixando preocupado o Asahina, que tinha medo deste recusar.

- É claro que aceito! –disse abraçando o maior com força- Eu te amo, senpai!

- Certo. –riu e o abraçou, mas o arrumou em seu colo depois de alguns segundos- Então vamos deixar algumas coisas claras.

- Quais?

- primeiro de tudo, a partir de agora é Subaru, nada de me chamar de senpai. Se quiser me chamar de amor ou querido, não tem problema. –disse normal- Segundo, nada de ficar me olhando de longe e tirando fotos, se quiser tirar fotos minhas é só me pedir, eu não sou o melhor modelo de todos, mas faço para te agradar. –sorri e faz carinho nele.

- Então, não me acha nojento?

- Não, mas só vou saber se é gostoso quando provar de você. –diz normalmente, mas isso quase causa um enfarto no mais novo.

- C-certo...

- Melhor começarmos a estudar, mas antes, vamos descer para almoçar.

- T-tudo bem.

Então desceram juntos de mãos dadas até a sala de jantar e, por incrível que pareça, seus irmãos haviam até mesmo feito uma aposta sobre os dois, o que não surpreendeu muito o Asahina, diferente do jovem Ichinose que ficou um tanto assustado.

- Wataru, formamos uma boa equipe. –Kaname diz ao caçula que sorri e bate na mão dele.

- Vocês... –Ukyo nega com a cabeça.

- Bem, vamos comer. Near-kun, seja bem-vindo a família. –Ema diz sorrindo.

- A-arigato... –sussurra corado.

O almoço se seguiu sem muitos problemas e depois dele os dois foram estudar, no entanto Subaru percebia o outro se insinuando de forma a testar o alto controle dele, mas ele conseguiu se controlar até o fim da aula, para a infelicidade do Ichinose.


Notas Finais


Até os comentários!!! '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...