História Arranged Marriage! - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Laura Marano
Exibições 75
Palavras 1.052
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Só leiam...

Capítulo 14 - Cap.14


Ross Lynch

Eu acordei as 6:00 da manhã, minha cabeça estava latejando e por incrível que pareça eu não me lembro de nada que aconteceu ontem à noite, eu acho que bebi demais, quando ia me levantar percebi que eu estava sem roupa, olhei para o lado rezando para não encontrar ninguém, mas eu encontrei e...era a Laura, e como se não bastasse ela estava com a minha blusa. Minha única reação foi...

-Aaaaaaaaaaahhhhhhhhhhh!!!- eu gritei e a Laura acordou alarmada.

-O que é que aconteceu?

-Isso sou eu quem pergunto, o que aconteceu Laura? Não me diga que nós...

-Ah...me desculpe, eu não deveria ter aceitado, eu sabia que isso aconteceria, me desculpe mesmo Ross, eu fiz isso porque você disse que me amava e que não iria esquecer e nem se arrepender, me desculpe.- ela disse toda desajeitada, enquanto recolhia suas roupas e brotavam lágrimas de seus olhos.

-Ei, calma Laura, seja lá o que aconteceu eu também tive culpa.

-Não Ross a culpa foi toda minha, eu não deveria ter aceito.- ela disse e saiu em direção a porta. 

Eu me levantei, me troquei e fui rapidamente atrás da Laura, a qual eu sabia que estava no quarto ao lado. Quando cheguei lá eu tentei abrir a porta, mas estava trancada.

-Laura!- eu disse batendo na porta.

-Vai embora.- ela disse com a voz embargada.

-A gente precisa conversar, por favor abre a porta!

-...

Ela não me respondeu, e eu resolvi que precisava fazer duas coisas:

1.Dá um tempo pra ela se acalmar.

2.Lembrar o que aconteceu ontem.

Passei o dia pensando, eu lembrava que nós havíamos assistido, que eu tinha recebido uma ligação e que nós tínhamos combinado de sair (apesar de achar que isso não vai mais acontecer), mas...e depois, o que aconteceu depois?

Eram 1:00 da tarde e a Laura ainda não tinha dado sinal de vida, eu resolvi que devia falar com ela. Subi as escadas e me preparei para bater na porta de novo.

-Laura?

-...

-Você vai comer?

-Não.

-Mas você precisa se alimentar.

-...

Mais uma vez ela me deixou no vácuo. Pouco mais tarde, eu resolvi ler um livro, para ver se conseguia tirar o foco da Laura, eu tenho medo que ela se corte novamente, sem contar que eu tenho que tentar lembrar de mais alguma coisa.

Eu comecei a Ler o livro e no meio da leitura eu me lembrei que quando cheguei em casa eu estava bêbado, que nós dançamos e nos beijamos, lembrei também que ela não queria nada comigo, pelo menos não no estado que eu estava, lembro que falei que a amava. E que quando entramos no quarto nós tivemos...tivemos a nossa primeira vez juntos, agora eu consigo entender o porquê de ela ter ficado tão nervosa, pelo fato de eu ter esquecido, pelo fato de eu ter prometido que não esqueceria.

Eu sabia o que tinha que fazer. Eu tinha que mostrar a Laura que lembrei, mas como?

Algumas horas se passaram, e tive uma ideia: Eu sabia que tinha um encontro com a Laura, e usaria isso pra me resolver com ela.

Subi e tomei um banho, me vesti e desci. Eram 9:00 da noite, e eu tinha quase certeza de que ela não mais viria. Mas quando estava prestes a perder a pouca esperança que ainda tinha, a vi descendo as escadas e ela tava tipo...UOU!

Nós saímos de casa sem dirigir uma palavra ao outro e entramos no meu carro. Ela plantou um silêncio mortal entre nós, o qual eu não sabia como quebrar, precisava de coragem, respirei fundo e falei a primeira coisa que veio na minha mente.

-Me desculpa tá, mas não precisa me dar um gelo tão grande.

-Eu...não estou te dando um gelo, só não temos nada pra falar.

-Aí é que você se engana, porque você não deu sinal de vida o dia todo e só resolveu aparecer agora?

-...porque eu precisava pensar e eu tenho palavra, se eu dei minha palavra é porque eu vou cumprir.   

Depois de um tempo nós chegamos ao restaurante, não trocamos uma palavra durante o jantar. E eu percebi que realmente tinha de me resolver com a Laura.  

Quando estávamos indo pra casa lembrei de um lugar onde eu costumo ir quando preciso pensar, então desviei o caminho.

-Pra onde a gente tá indo?- a Lau perguntou.

-Pra um lugar muito especial, você vai gostar.

Não demorou muito e logo chegamos, com tudo isso quase não percebo como a noite estava estrelada.

-Por que a gente tá aqui?

-Porque eu preciso falar com você, eu preciso falar sobre ontem.- disse me sentando no chão de frente para uma vista linda da cidade.

-Se for sobre isso, não quero falar.- ela disse e quando ia embora eu segurei sua mão e notei que haviam marcas no seu braço.

-Por favor Lau.- eu disse e ela sentou ao meu lado.- Sobre ontem...eu, eu lembrei e sinto muito, sei que prometi que não esqueceria, mas existem coisas que eu disse ontem e que realmente é verdade. Eu amo você, sei que faz pouco tempo mais eu te amo, e eu queria saber se nossa primeira vez juntos foi tão importante pra você quanto foi pra mim!

-Sim Rossy, foi a melhor coisa que eu já fiz na minha vida, e eu também te amo, muito.

-Então por que você não me disse isso antes?

-Suponho que pelos mesmos motivos que você não me disse.

-Será que você pode me desculpar?

-...não totalmente.

-Por quê? Eu fiz alguma coisa errada?

-Na verdade sim.

-O que?

-Você não fez isso!

Ela me puxou pela gola e me deu um beijo caloroso e quando ia se afastar foi a minha vez, eu a segurei pela cintura a fim de prolongar o beijo, mas ela nos separou.

-Que fôlego em.- ela disse ofegante.

 -Assim você me mata garota. Mas me fala uma coisa, você se cortou outra vez não foi?

-Me desculpa, mas é que...

-Você prometeu que não faria mais isso, a culpa foi minha.- disse interrompendo-a.

-Não a culpa foi minha, deveria ter cumprido a minha promessa, eu fui fraca e reconheço. Agora para de se culpar, por favor, antes que eu comece a chorar.- ela disse e eu a puxei para um abraço.


Notas Finais


Tá vendo que dessa vez foi mais rápido...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...