História Arrested For Love? - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, India Eisley, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Biebs, Drama, Justin Bieber, Modelo, Romance, Traficante, Traição
Exibições 36
Palavras 1.948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi, oi, oi, meus lidins do meu <3
como vão? bem?
espero que sim, então e CHEGAYYYYY
é eu disse que talvez nao tivesse cap hoje, mas TEMMMMMMM
genttt eu tava vendo o último cap e eu vi cada erro q só por Deus
mas me perdoem, eu estava quase morrendo de sono :)

então ignorem os erros e boa leitura ;)

Capítulo 23 - You Will See


Fanfic / Fanfiction Arrested For Love? - Capítulo 23 - You Will See

 

P.O.V.  Kiera

 

1x0

Isso mesmo, 1x0 pra mim, chupa Bieber! To comemorando porque?! Nem sei, só sei que foi mega, hiper, ultra, divertido ver sua cara de: ciúmes?! Raiva?!
 

Sei lá, mas to rindo internamente, vou lembrar disso até 2094.
 

Depois que ele saiu e fiquei aqui do me lembrando da sua cara de idiota quando falei dos seus amigos, e quanto a eles eu não estava brincando, falei oque eu acho, a verdade, e a verdade é que eu os achei muito bonitos, mais o Chris. Eu devo estar louca, mas, eu tenho razão, eu o acho muito bonito. Mas sabe como é né? Bieber mesmo sendo idiota, grosso, duas caras, traficante, babaca, trouxa, retardado, etc e etc, ainda continua bonito, infelizmente, ou felizmente.
 

Eu, você e o mundo não podemos negar que ele é bonito. Essa é a verdade. Ele podia ser feinho né? Tipo, sei lá, não daria tanto trabalho, eu não ficaria o observando, notando lhe cada detalhe, e ele podia ser burro também né? Assim eu já teria fugido.
 

Mas do que adianta boniteza quando a pessoa não é aquilo que se diz ser? Nada, como diz minha querida avó: boniteza não se põe na mesa.
 

Entendeu? Nem eu, mas se ela diz, então esta valendo.
 

Saio dos meus pensamentos assim que ouço a porta sendo destrancada, passando por ela o idiota com umas roupas da mão.
 

- toma. – jogou as roupas em cima de mim, só agora percebo que fiquei estática depois que ele saiu, eu fiquei sorrindo esse tempo todo. Feito uma idiota.
 

- educação é bom e eu gosto. – falei alto e em bom som, me levantando e indo rumo banheiro, enquanto ele me deu as costas e sentou na poltrona, se acomodando mais ali, pegando seu celular e me ignorando, enquanto eu parei e fiquei de braços cruzados, esperando aquele retardado sair dali.
 

- que foi? – perguntou sem me olhar.
 

- vai ficar ai? – perguntei bufando. Ok, ele já ficou aqui antes quando eu tomei banho, e também é só trancar a porta, mas vai que dessa vez é diferente? Depois daquele papo que eu poderia ter sido profissional, não se pode duvidar.
 

- bom, eu acho que a casa é minha, e bem, eu fico aonde eu quiser. – me olhou sorrindo falso. Babaca.
 

- trouxa. – murmuro baixo.
 

- oque?
 

Não respondi, apenas entrei no banheiro e tomei um banho, é claro trancando a porta e me certificando trezentas vezes de que estava bem trancada, mas o pior foi ter ouvido sua risada divertida do outro lado da porta, com certeza se divertiu do meu “desespero”, ou até mesmo do meu “medo”.
 

Sai do banheiro e ele ainda se encontrava sentado na poltrona, perece que nem se mexeu.
 

- nós ainda não terminamos nossa conversa. – disse e abaixou o celular para me olhar. O ignorei e me sente na cama novamente.
 

- não tenho nada a conversar com você. – disse seca.
 

- hum, eu acho que tem, e muita. – disse e se levantou, vem cá, a desgraça não tinha levado um tiro? Porque não vai dormir, em vez de me amolar? Se sentou na ponta da cama e pude ver seu sorriso de idiota nos lábios. Trouxa.
 

O ignorei e peguei o controle da TV, a liguei e fiquei trocando de canal, fingindo que não o enxergava. Aumentei um pouco o volume da TV e fiz cara de interessada em um filme idiota que estava passando.
 

- vai jogar? – perguntei e eu o ignorei – ok, se vai ser assim, que os jogos comecem. – ouvi sua risada nasalada, em seguida se levantar e se deitar do meu lado, franzi o cenho e o encarei – que foi? A cama também é minha. – riu. Desgraçado.
 

Levantei e fui pro banheiro, não saio daqui enquanto aquela praga não sair.

 

Enquanto isso na casa da Kiera...
 

A campainha tocou pela segunda vez, mas dessa vez não era o carteiro, como de manhã. Era a mesma pessoa que visitou a família da Kiera no dia anterior.
 

- Max, abre a porta pra mim? To ocupada. – falou Ane da cozinha, o suficiente para que Max ouvisse, pois o volume da TV estava quase no último.
 

Assim se fez, Max foi até a porta, a abrindo e se deparando com a mesma mulher do dia anterior, franziu o cenho a encarando, enquanto ela apenas sorria. Como se fosse a convidada da noite.
 

- quem er... – Ane aparece, pronta pra saber quem estaria ali, mas se cala ao ver sua irmã parada na porta, sorrindo, como se a pequena briga que tiveram no dia anterior nunca estivesse existido – oque faz aqui? – perguntou rude – eu te falei que nunca mais colocasse os pés aqui! – falou entre dentes. Pronta para fechar a porta. Mas foi impossível, quando Louize a atrapalhou, pondo o pé na porta, interrompendo que desse de cara com a mesma.
 

- calma Ane, vim pra terminarmos nossa conversa. – disse sorrindo e entrando, mesmo sem ser convidada.
 

- oque você tinha pra falar falou ontem, e eu não quero mais ouvir sua voz, então faz favor de se retirar. – estendeu a mão para a porta, mas Louize nem se mexeu.
 

- vim, porque você não falou onde a Kiera esta. – ignorou o “favor” que sua irmã pediu e cruzou os braços, como se Ane lhe devesse aquela resposta.
 

- chega! Vai embora! Ela esta bem, nem lembra de você, eu te disse isso ontem, quer que eu repita? Vai embora Louize! – Ane falou já se aletrando.
 

- eu vi aquele dia, ela e vocês, no sábado de manhã indo até aquela agencia, eu pedi a eles que me dessem o endereço, mas não deram.
 

- quem bom, muito bom, qual foi? Lembrou que tem uma filha? Saia daqui! – falou Ane, visivelmente vermelha de raiva.
 

- eu vou procurá-la, eu sou a mãe dela, e não você! – Louize falou alto.
 

- dane-se! Que tipo de mãe abandona seu filho? Isso mesmo, uma cadela igual você! Agora saia daqui! Ou eu terei que te tirar a força? – Ane falou, e ela já estava preparada para dar uns bons tapas na cara de sua irmã, caso a mesma não fizesse seu “pedido”.
 

- eu vou, mas um dia eu volto para esfregar na sua cara que a Kiera é minha – deu ênfase em “minha” – filha! Você vera! – falou Louize, com raiva. Caminhou até a porta em passos rápidos, a única coisa que se ouvia era o barulho dos seus saltos contra o chão.
 

- veremos. – Disse Ane assim que viu sua irmã já fora da casa. Bateu a porta com força antes que Louize se virasse para encará-la. Com certeza ela voltaria para dizer mais uma vez que ela é a mãe da Kiera.
 

Mas ela não é, certo?

 

P.O.V.  Kiera
 

Acho que estou aqui há umas duas horas, e até agora não ouvi o barulho da porta sendo aberta e depois trancada. Até quando essa praga vai ficar aqui?
 

Já estou com dor na bunda por ficar sentada nesse chão duro.
 

Levantei, me olhei no espelho e... PELO AMOR DE DEUS! Eu estou horrível! Quando foi que eu fiquei assim? Eu precisava de u belo creme facial, e minhas olheiras, olhos inchados e cara de lua cheia sumiriam em dois toques.
 

Criei coragem e abri a porta, encontrei ele deitado na cama, dormindo. Quem o vê assim, não sabe nem da metade.
 

O olhei atentamente e me parece que ele esta dormindo profundamente, e se estiver eu posso...  Caminhei quase arrastando os pés, para a porta, coloquei a mão na maçaneta e...
 

- aonde pensa que vai? – fudeo, porque esse filho da puta acordou agora? Me virei calmamente e o encarei, ele estava de pé, com aquela cara de “vou te matar”. Que cá entre nós eu não tenho medo.
 

- é... – pensa sua idiota – eu... to com sede, e ia descer pra tomar água. – falei o mais convincente possível.
 

- mas e eu que acho você iria tentar fugir. – falou com sarcasmo a palavra “tentar”.
 

- então eu acho que você esta achando errado. – sorri falsa cruzando meus braços.
 

- sei. – caminhou até mim – vamos descer. – disse passando por mim, esbarrando em meu ombro e me lançando um olhar de deboche.
 

Desci as escadas com ele na frente, e fomos para a sala de jantar, a mesa estava posta, cheia de comida. Quem arrumou tudo isso?
 

Ele que não foi né Kiera?
 

Sai da minha idiotice mental assim que o ouvi pigarrear. Se sentou em uma das cadeiras, na ponta e estendeu sua mão para a cadeira vazia do seu lado esquerdo. Revirei os olhos, e caminhei até a cadeira bufando. Me ajeitei ali, na melhor posição e cruzei os braços os pondo em cima da mesa.
 

- isso é falta de educação. – disse tomando um pouco de água em uma taça. Ridículo.
 

- eu sei. – sorri de lado, sendo o mais falsa possível.
 

- então deveria usá-la. – devolveu no mesmo sorriso. O ignorei e comecei a olhar minhas unhas. E por falar nelas, estão precisando de um tratamento urgente.
 

- eai Dude! – tirei a atenção das minhas unhas e encarei o gato na minha frente, isso mesmo: gato.
 

- eai. – Disse Justin sorrindo, enquanto o loiro se sentava, e adivinha aonde ele se sentou? Do meu lado, ok, eu sorri internamente com isso, mas ele me ignorou. Ora, Chris não seja assim.
 

Kiera, você esta parecendo uma puta mal comida e de quinta categoria.
 

Meu subconsciente dizia a mim mesma. Abaixei a cabeça e voltei a olhar minhas unhas.
 

- oi gatinha. – ouvi um sussurro. Virei minha cabeça um pouco para o lado e vi o seu sorriso. Sorri de lado.
 

- a comida esta pronta? – O tal de Chaz falou se sentando em minha frente, o olhei e o mesmo sorriu pra mim, retribui da mesma forma que Chris, sorrindo de lado.
 

- credo, você só pensa em comida! – a garota loira fala se sentando ao lado de Chris e me lançando um sorriso, diria que ela não me parece ser falsa. Eu acho.
 

- até que enfim Isa voltou, já estava ficando desnutrido. – Ryan, é acho que é Ryan, falou se sentando ao lado de Chaz. Ele apenas me olhou e sorriu sem mostrar os dentes.
 

Logo todos se serviram, e eu fiquei parada os vendo. É, eu podia comer mas, sei lá, nem sei oque eu estou pensando, na verdade estou, preciso fugir!
 

- eu te trouxe aqui pra comer. – ouvi Justin dizer.
 

Com muito custo peguei um pouco de salada, e comi calmamente. Enquanto ouvia risadas escandalosas e piadas totalmente sem graça. Do que eles riam? Essas piadas são horríveis. Pensei.
 

Terminei de comer e todos ainda comiam, cruzei os braços, bufando sem paciência.
 

- calma ai. – ouvi Chris sussurrar novamente. Ri involuntariamente, mas ri.
 

- me conte qual é a piada, quero rir também. – Justin disse me encarando.
 

- não é dá sua conta. – sorri sem mostrar os dentes e ouvi um “wou” dos outros.
 

- cale a boca. – disse seco desviando seu olhar de mim.
 

- a boca é minha, calo se eu quiser. – retruquei.
 

- mas eu garanto que se eu te dar um tapa você cala. – disse serio me encarando novamente. Sorri sínica e posicionei meus cotovelos em cima da mesa, pondo meu rosto entre minhas mãos, o encarando nos olhos.
 

- então vem. – sussurrei, sorrindo com deboche.
 

Ele e olhou e se levantou me pegou pelo braço e me arrastou dali, em passos firmes e segurando meu braço com força, praticamente me jogou pra dentro do quarto.
 

- pronto, agora sim, vou te mostrar. – sorriu com deboche.
 

- vai mostrar oque? – perguntei, sem demonstrar medo algum.
 

- você verá.

 


Notas Finais


hmmmmmmmmmmmmmmmmmmm "você verá"
hhhmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
digo nada, só observo

comentem, vcs sabem que isso me motiva muito e me dixa feliz pra %#@#$#@&**&#%$@
então sejam legais
até a próxima
bjjjssss ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...