História Arrows - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Originais Yaoi Romance
Exibições 26
Palavras 3.203
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


leitores lindos,um recado:
há chances de que essa história dure até janeiro de 2017. Tem mais uns quinze capítulos vindo,aí tem dois epílogos e fim. Não sei bem o motivo de estar dizendo isso agora,mas é que me deu uma sensação de que a historia ta prestes a acabar porque o término do Sun e do Ethan é uma das coisas mais marcantes,é o evento mais importante. Agora,temos nesse capítulo um término parte dois,e espero que não fiquem tão tristes quanto eu fiquei enquanto escrevia (mentira,nem fiquei triste).
boa leitura

Capítulo 31 - Capítulo 31



Domingo.
Ou talvez segunda.
Ou talvez terça.
Não importa. É um dia triste.
Acordo sem nenhuma dor,exceto a do meu braço e a da minha alma. Olho e vejo que estou tomando soro na veia. Olho para dentro de mim e vejo que me falta uma parte. A parte que ele tirou.
Enquanto acostumo a visão,olho em volta. Estão no quarto Key,Alyssa,Leona e minha mãe. Elas me olham com preocupação e ao mesmo tempo alívio.
-Sun-Uma voz masculina chama. Olho em volta. Há um médico no pé da minha cama,com uma prancheta na mão. Ao lado dele,uma enfermeira grande,olhando para o que ele escreve-Sabe o que aconteceu ou onde está?
Analiso o médico,sentindo confusão e sonolência enquanto me sento. A pele dele é mais escura que a de Jack,e seu olhar através de um óculos de grau me transmite confiança,assim como sua voz.
Esse é o hospital da família da Selene. É um lugar pra gente rica,e para médicos extremamente bem preparados. É uma sorte o meu médico não estar com o nariz de pé,falando como se fosse o dono do mundo. Ele parece amigável,mas não tenho certeza. Parece que acabei de acordar de um coma.
-Estou num hospital-Digo com a voz rouca. Pigarreio e leio o crachá do médico. Dr. Burnier. Minha voz sai um pouco melhor-Eu levei um pé na bunda.
Dr. Burnier ri um pouco,balançando a cabeça-Bom,isso é outro caso. Sabe o que te trouxe para o hospital?
Forço minha cabeça a pensar. No fundo da mente,consigo captar uma lembrança. Uma luz forte. E mais nada.
-Não sei-Respondo,e olho para minhas irmãs e minha mãe-Eu só me lembro de uma luz.
-Era um farol-Dr. Burnier confirma,assentindo-Na verdade dois. Os faróis de um caminhão.
-Eu fui atropelado por um caminhão?-Inclino a cabeça para a frente,chocado.
Todos no quarto assentem,e eu respiro fundo. É uma grande surpresa.
-Bom,pelo menos a luz não era a morte-Digo,quase sorrindo. Key solta uma risadinha.
-Claro-Dr. Burnier ri novamente,anotando algo na prancheta.
Ele me examina,chechando minha pressão e o soro que estou tomando. Descubro que minha perna direita está enfaixada porque a machuquei. Há um curativo na minha testa e no meu braço direito. Tudo é do lado direito. Meu melhor lado,todo quebrado.
A enfermeira disse que o caminhão veio da esquerda. Bateu em mim e por pouco o motorista não conseguiu frear antes. Eu voei alguns metros e cai. Todo mundo se assustou,mas na verdade não foi grave.
-Mas foi um caminhão-Digo,horas depois,quando minha mãe,Leona e Alyssa saíram do quarto,e só Key fica lá sentada,me fazendo rir mesmo quando não quero.
-Podia ter sido um ônibus espacial ou um disco voador,por que não agradece por estar vivo? E por não ter sido abduzido-Minha irmã provoca,arrancando risadas de mim e da enfermeira.
-Vou permitir a entrada dos seus amigos-A mulher diz,retirando minha bandeja de comida depois de tirar a agulha do soro do meu braço-Eles estão aqui faz tempo.
Concordo com a cabeça,mas quando ela sai,cubro o rosto com as mãos.
-Não quero que ele entre-Descubro o rosto,mas deixo os olhos fechados-Eu vou bater nele.
-Mais do que eu já bati?-Key ri.
Olho para ela,surpreso-Você...
-Sun-Rhode exclama na porta,correndo até mim e lançando o corpo magro em cima do meu.
-Oi-Abraço ela de volta fracamente.
-Rhode,vai machucar ele!-Eve diz,a arrancando e me abraçando rapidamente.
-Eu nem senti ela-Digo ao me separar de Eve,e então abraço Selene.
-Achei que você tinha morrido quando a Key ligou-Selene diz,passando a mão pelo meu cabelo.
-Eu também achei que tinha morrido-Beijo o rosto dela,sorrindo levemente.
Jack está parado num canto,esperando com as mãos unidas na frente do corpo.
-Ei,Sparrow-Aceno para ele,e Jack sorri.
-Ei,Sunshine-Ele me abraça,e eu me seguro nele fortemente,feliz por tê-lo aqui.
Selene e Rhode começam a me bombardear com o falatório,e eu as acompanho por bastante tempo. Até ver ele.
Ethan está parado na porta do quarto,escorado no batente,os braços cruzados.
As palavras em volta não fazem mais sentido. Mal chego a escutá-las. Só as palavras dele importam.
"Você não é o suficiente para mim,Sun. Você não é bom o suficiente nem me satisfaz o suficiente."
Devagar,todos percebem que estou olhando para ele. E então saem. Mas não era pra isso acontecer. Eles deveriam ficar,porque são eles que se importam comigo e me amam de verdade. Mas eles saem. Ethan entra e Key fecha a porta ao sair.
Durante os segundos em que corri,antes do caminhão colidir comigo,lembro de ter me sentido a criatura mais desprezível da terra,porque confiei nele e não era bom o bastante para estar com ele. Eu sabia que algo estava errado quando vi todos competindo por mim,e é claro que algo estava errado.
Era eu.
Não sei bem como consigo ser o problema em tudo que faço. Sou um problema para minha mãe e para Key,por dar tanto trabalho. Sou um problema para meu pai,porque nunca vou ser o que ele quer. Sou um problema para Leona e Alyssa,simplesmente porque existo. E agora,sou um problema para meus amigos.
Pro cara que eu amo.
Sempre senti que eu era um problema. É um pouco ruim ter essa confirmação,vinda como um tapa.
-Oi-Ele diz,sentado na cadeira ao meu lado.
-Pega seu oi e enfia no meio do centro do caralho do seu cú-Murmuro,cruzando os braços. Agora que não estou ligado a uma bolsa de soro,queria poder levantar e dar com uma cadeira na cara dele,mas minha perna ainda está enfaixada e doendo. A cadeira vai ter que ser no sentido figurado.
-Sun-Ethan começa,mas eu o interrompo com meus resmungos.
-É claro. É claro que eu tinha que ter sido um idiota,babaca,e ter acreditado que você ia querer ficar comigo. Faz todo o sentido,gênio. Nossa,como eu sou inútil-Escondo o rosto nas mãos,irritado comigo mesmo.
-Sun,você não acha que a culpa foi sua,acha?-Ethan bate a mão na própria testa-É claro que você ia achar isso. Escuta aqui,e olha pra mim.
Olho para ele. Seu olhar é carregado de sinceridade,mas quem pode saber? Eu confiava nesse olhar,e me passava segurança. Agora,isso pode ser uma encenação. Tudo pode ser uma encenação.
-Há um idiota nesse quarto-Ele diz,os olhos se tornando nebulosos e perdidos-E não é você. Você é uma das pessoas mais incríveis que eu conheço,e se perguntar para os outros eles vão dizer o mesmo. Você não é um idiota.
-Mas é claro,tenho certeza que você está falando uma total verdade-Dou um sorriso sarcástico-Estou até me sentindo melhor.
Ethan franze o rosto-Não sente minha sinceridade?
-Eu sinto,Ethan,mas como posso confiar nisso se você é um mentiroso? Eu confiei nisso e me ferrei. Não vou acreditar mais uma vez,não posso.
-Sun,eu menti sim-Ele concorda-Mas eu menti somente no momento em que disse que nunca tinha te amado. No momento em que disse todas aquelas coisas pra você. Somente nesse momento,eu menti. E se quiser me odiar agora,tudo bem,não é? Se quiser me dizer palavras horríveis,o direito é todo seu. Pode fazer o que quiser. Não acho que algo possa fazer eu me sentir pior do que me sinto agora. Porque estou decepcionado,com raiva e ódio de mim mesmo,e eu desejo ser qualquer criatura nesse mundo,menos eu. Não quero carregar a culpa que sinto,e eu preferia ser qualquer um,menos a pessoa que eu mais odeio agora. Então tudo bem,se quiser me magoar,se quiser me bater,se quiser me odiar. Já cheguei ao fundo do poço.
-Por que fez isso,então?-Pergunto,me cansando de tanta conversa.
Ethan muda a expressão de triste para raivosa e explode,quase gritando-Porque eu sou um babaca. Eu sou um babaca filho da puta que adora machucar as pessoas. Eu queria fazer isso,eu precisava fazer isso,porque eu fiz isso a minha vida inteira,Sun. Olha pra mim,eu posso ter quem eu quiser na hora que quiser. Eu adoro...eu adorava fazer garotas terminarem relacionamentos de anos com caras incríveis para ficar comigo por uma noite. Amava ver "héteros" se fingindo de bêbados para ter uma desculpa a dar aos amigos quando ficassem comigo nas festas. Eu sempre tive qualquer um,não apenas pela minha beleza,mas pela minha facilidade em conquistar todos que passam perto de mim. Eu sou o rei.
Ethan enfia a cabeça entre as mãos e me encara por entre os dedos. Ele tenta envolver minha mão com as suas,mas eu a puxo para longe dele.
Ethan suspira-Olha só pra você,Sun. Você poderia fazer o mesmo,poderia ser o rei de tudo e de todos,poderia beijar,dormir,namorar com quem quisesse,mas não o faz porque você é bom. Além de tudo,você é uma pessoa boa e por isso eu também não te mereço. Eu sou fraco,sou mau,sou um idiota. Mas eu me encantei pela sensação. A vida inteira eu fiz isso,a vida inteira eu fui um rei. Não era pra eu ter me apaixonado por você,que merda!-Ele bagunça os cabelos,frustrado-Se apaixonar é coisa de filme,de novela,de livro. Nunca aconteceria comigo,muito menos da forma que aconteceu com você. E porra,eu te amo tanto e fiz questão de estragar tudo? Eu te amo e isso me dá medo. Eu te magoei e te quebrei e desiludi você. Eu te deixei sozinho depois de tudo.
-Para,por favor-Peço,engasgando com o ar que entra e sai rapidamente dos meus pulmões. Levanto a mão para impedí-lo de voltar a falar e permaneço trabalhando e controlando minha respiração por longos minutos. Essas mudanças de humor repentinas dele já deram pra mim.
-Eu sinto muito-Ethan diz quando me acalmo,e ele parece estar controlado também-Sinto tanto. Sinto isso como nunca senti. Eu sinto nas minhas veias,no meu coração...eu sinto muito.
-Sente?-Pergunto com a voz fraca-Sente? Quem sente aqui sou eu. Eu sinto muito,sinto tudo. Sinto cada coisa que fiz. Eu briguei com a minha família inteira,fiz meu pai ir embora de vez,magoei uma garota incrível e quase destruí todas as minhas amizades,tudo por você-Conforme falo,minha voz fica mais firme e minha respiração cada vez mais estável-Eu sinto que você continuará com seu posto de rei,o invicto,o inalcançável,o que nunca se deixa cair de amores por alguém. Já eu vou ter que construir tudo que fiz de novo. E eu fui atropelado por um caminhão! Você não tem o direito de sentir nada!
-Me perdoa-Ethan soluça,desesperado-Eu faço o que você quiser,eu fico até de joelhos-Ele se joga no chão e levanta as mãos com as palmas unidas para mim. Levanto uma sobrancelha.
-Como eu fiquei? Pra te deixar feliz? Tudo o que eu fiz era visando o seu bem-estar e sua felicidade. Eu tinha a Selene na minha mão,você sabe quem é Selene? É a garota mais incrível que qualquer um poderia conhecer. E eu a deixei lá pra ficar com você-Pego o travesseiro em meu colo e enfio na cara,finalmente gritando.
Ethan fica quieto no chão. Eu tiro o travesseiro e fico olhando para ele.
-Você é um babaca-Digo,depois de alguns minutos.
-Eu sei-Ele responde,escondendo o rosto nas mãos.
Ficamos em silêncio por um tempo,até que eu me lembro de algo que vale a pena deixar claro.
-Lembra do dia depois que eu te escolhi por causa da briga em grupo-Começo,e Ethan olha para mim-Depois da bronca que o Jack me deu,estávamos no carro e você disse que ele me falou tudo aquilo porque queria que eu ficasse longe de você,o que eu sentia pela Selene era mais fraco e se eu estivesse com ela teria mais chances de acabar ficando com ele.
-Eu me lembro-Ethan assente,se sentando ao meu lado.
-Quando você disse isso,eu disse que não havia sequer chegado a pensar nisso,que nunca imaginaria. Lembra?-Vou dizendo,e ele assente. Então,eu deixo minha raiva transbordar e começo a gritar-É porque não tinha sentido nenhum! Era totalmente sem noção! Eu sabia,mas te deixei me manipular e aceitei algo impensável. Jack não faria aquilo por um motivo desses. Diferente de você!
-Quer dizer que ele é o menino bom,agora?
-Ele nunca mexeu com a minha cabeça como você fazia-Aponto o dedo para ele-Ficava me acusando de acreditar em outras pessoas em vez de você,me fazia sentir mal por coisas que eu nem tinha culpa. Mexia comigo e me fazia sentir remorso...-Balanço a cabeça,sentindo um dos maiores arrependimentos da minha vida. Eu sabia que algo estava errado,sempre senti isso. E em vez de confiar em mim,confiei em alguém que todos diziam ser a pessoa errada. Bufo e volto a gritar-As cores,Ethan! As malditas cores. Você disse que era verde,mas era vermelho e eu não enxergava e agora eu tomei no meu cú. Você me prometeu,prometeu que não mentiria e que não me deixaria depois de me fazer acreditar que estaria aqui.
-Mas eu estou aqui!-Ele grita de volta,se levantando e andando em círculos na minha frente.
-Está?-Pergunto,estreitando os olhos.
-Eu estou-E por fim,depois de tudo,ele começa a chorar. Tão triste quanto o do dia em que brigou com a Rhode,ele cai no chão e soluça baixinho,o corpo inteiro tremendo. Dessa vez,não estou ao lado dele,esperando para pegar seus pedaços e juntá-los,assim como sei que da próxima vez que recuar com medo de algo,não vou colidir com o corpo dele e não terei seus braços para me envolver como uma armadura. Éramos nós,e agora somos eu e ele. Nos unimos,viramos um só e agora tivemos que nos separar novamente. Uma lasca de mim foi embora com ele,mas pelo menos sei que uma lasca dele ficou comigo. Ambos partidos e incompletos.
-Eu te amei,e te amar significava confiar a você modos de me destruir achando que você não iria-Digo cada vez mais baixo,cada vez com mais ódio,citando a frase que Key me disse uma vez. Reconhecimento passa pelo olhar de Ethan-Mas você o fez. Eu não acredito em uma palavra do que você diz,e não me deixarei convencer por nenhuma desculpa que atirar sobre mim. Acabou,Ethan.
-Eu estou aqui-Ele sussurra,se arrastando de joelhos até meus pés-Eu estou aqui agora,eu não vou te deixar,eu não vou sair. Pode desconfiar de tudo,Sun,mas por favor não desconfie do meu amor. Ele sempre existiu,e sempre vai.
E do mesmo modo que ele me quebrou no dia em que me deixou,agora eu teria que fazê-lo. Fecho os olhos,ouvindo seus soluços e tomando coragem para dizer o que precisava dizer. Diferente dele,eu não era ruim e não tiraria forças de sua dor para machucá-lo. Pensar nele fazendo isso é o que me faz abrir os olhos e torcer o rosto em uma careta de ódio.
-Não me importa Ethan. Nada disso me importa. Seu amor,suas palavras,seu sofrimento,suas desculpas,você. Não me importa mais. Não adianta nada você estar aqui agora depois do que fez,é tarde demais. Você chegou tarde demais. Tudo o que fez e tudo o que sente é inútil,eu não quero nada de você. Por que iria querer? Você não vale nada,não vale mais do que um cachorro de rua. Acha que dizer que está aqui adianta alguma coisa? Eu é quem não estou aqui agora. E você pode ir embora. Não faz diferença. Quando eu queria que estivesse comigo,você não estava. Então mesmo que esteja aqui agora,não está de verdade.
Fecho os olhos,sentindo que tudo isso é demais. É só um término de relacionamento. É assim que a vida funciona,não é?
Mas pensar isso não faz parar de doer.
Deixo os olhos fechados,querendo dormir,morrer,desaparecer. É assim que funciona,não é? Pois bem.
-Você não pode me proteger de tudo,Ethan. Não mais. E eu quero você fora da minha vida.
-Não,por favor-Ele geme,agarrando o estômago como se tivesse levado um soco. Desvio o olhar e permito que seus gritos encham o quarto branco como o de um hospício. Como o dos hospícios em que eu já estive. E o louco continua sendo eu? Sem chance. Loucura é magoar alguém que você ama sem um motivo aparente e depois se arrastar como um verme pelo chão.
Selene,Rhode e Jack entram no quarto com os olhos arregalados,olhando em volta. Eles não entraram durante a briga,mas os gemidos de dor de Ethan são altos e sofridos demais.
-O que aconteceu com ele?-Rhode pergunta,correndo até ele e o segurando.
Fico em silêncio e passo a encarar o teto. Os três tiram Ethan dali enquanto ele ainda berra,e quando a porta se fecha,cerro as pálpebras de novo e me forço a dormir,porque não posso sentir.
Eu me recuso.

><

Mais tarde,já de madrugada,acordo com uma dor absurda em um lado da cabeça. Abro os olhos e percebo que me mexi tanto,que acabei jogando o travesseiro no chão e estou deitado sobre o ferro da cama.
Me levanto e vou ao banheiro,os olhos meio fechados. Não acendo nenhuma luz,e só o que posso ver são borrões com a luz da lua que atravessa a janela aberta. Volto para a cama,me sento e quando vou deitar,dou de cara com uma pessoa sentada na cadeira ao meu lado.
-Ethan?-Pergunto,sonolento,tentando enxergar.
-Oi-Ele diz baixinho,a voz fraca.
Ele tenta tocar minha mão,e eu recuo,preparando minha voz cortante-O que você ainda não entendeu? Eu não quero você perto de mim.
Ethan soluça,recolhendo a mão e escondendo o rosto nela. Ele não diz nada,não pede nada,não faz nada. Só fica ali,chorando.
-Ei-Digo depois de um tempo,desconfortável-Por que não vai pra sua casa?
-Porque há casa,mas não há lar se você não está.
Algo dentro de mim arrebenta e solta um som demorado e cheio de carinho na minha mente,como aqueles que se faz ao ver um filhote de cachorro. Mas não posso ceder. Não posso fingir que está tudo bem depois disso. É demais pra mim. Não aguento mais essa frescura do drama dele e da tristeza. Isso aqui não é um filme.
-Ethan,vai pra casa e para com isso-Peço,fingindo impaciência. Talvez não me importasse de ficar vendo ele ali,se arrastando,mas na verdade se ele continuar chorando eu posso acabar diminuindo o castigo.
-Eu não quero-Ele balança a cabeça,agarrando o lençol da cama-Eu não quero ficar em casa,eu quero ficar aqui com você. Mesmo que me pise. Eu durmo aqui,nessa cadeira,no chão,em qualquer lugar se for perto de você.
Estreito os olhos,cético-Para,por favor. Você agora quer dar uma de vítima e de apaixonado,mas eu não acredito.
-Eu não queria ter machucado você,Sun-Ele murmura,e eu sei que,no dia em que me partiu em dois ele queria sim me machucar,mas que agora se refere à seu arrependimento mais tarde,ainda naquele dia-Eu quero te proteger de tudo.
Respiro fundo,preparando a pancada. Quero atingir ele de vez.
-Mas Ethan,você nunca poderia me proteger de você mesmo.
...
Um.
Dois.
Três.
Esse é o tempo que um coração leva para ser quebrado. Há poucos dias atrás,foi o meu. Agora,é a vez dele.
Ethan me encara com cada vez mais tristeza,e acho que ele vai se quebrar em pedaços pequenos demais para que eu possa ajudar a juntar. Tempo demais,força demais,vida demais que eu gastaria para juntar alguém que se quebra porque quebrou a mim.
Eu não vou nem tentar.
Olho fundo em seus olhos que agora me parecem mais amarelos do que dourados sem o brilho de felicidade que antes havia ali e sem a ilusão que eu tinha de que ele era um príncipe,e tento encontrar a parte dele que perdi e que pertence a mim. Mas ela foi embora.
Ninguém é de ninguém,mas quando se está tão perto de uma pessoa,você acaba possuindo uma parte dela,a parte que ela doa a você quando está por perto. Ethan me arrancou essa parte,arrancou uma parte de mim,e levou todas as lembranças boas. Agora,não me resta nada a não ser a dor.
 


Notas Finais


sentiram o drama? quem quiser deixar opinião,obrigada,quem quiser fechar a historia e ir dormir,obrigada também.
Beijos,até quarta ^~^ ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...