História Artificial Love - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Jikook, Namjin, Não Sei O Que Colocar, Vhope, Yoonjin
Visualizações 170
Palavras 3.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


All my ladies put your hands up
21세기 소녀
Hands up
All my ladies put your hands up
Now scream ~ lê eu cantando 21st Century Girl

Voz do além: FINALMENTE ESSE CAPÍTULO SAIU SENHORITA BEKA!
Beka (eu ¬¬): GOMENASAI! DE VERDADE! EXPLICO TUDO NAS NOTAS FINAIS BAE <3
Boa Leitura amores e amoras <3

Capítulo 18 - Capítulo 16 Conversas e Decisões


Quando chegamos nas quadras de vôlei, não se dizer quem ficou mais surpreso: Karina e Namjoon ou Tae e Kookie. Os dois não sabiam que nós estávamos lá – não toquei no assunto no carro, acabei distraído com a conversa de Yoongi e Jimin, que ao contrário da “amiga”, estava me tratando normalmente. Bem, normalmente nos padrões dele. Já meus amigos pareciam estar tendo um curto circuito – não sabiam se faziam cara feia para Karina e Namjoon ou se babavam em mim e Yoongi, que envolveu meus ombros com o braço assim que saí do carro.

Hoseok não ficou surpreso, ele só cumprimentou Namjoon normalmente e o chamou para se “alongar” com ele. Por um momento pensei se Hoseok sabia que eles viriam aqui hoje e insistiu para vir de propósito, mas refutei a ideia. Ele não teria motivo para fazer isso – e nem paciência de não falar nada.

Karina colocou a canga longe o suficiente de nós para não parecer estar no mesmo grupo, mas perto o suficiente para não parecer estar ignorando, mas isso não quer dizer que falou conosco. Ela só acenou com a cabeça e deu um sorriso microscópico, o que, na realidade, foi bem melhor que a reação do Kookie: olhar com cara de coelho assassino. Enquanto Karina ia e vinha buscando as coisas no carro com a ajuda do Jimin (Pois é ¬¬), Namjoon foi correr com Hobi pela praia, e Yoongi sumiu, dizendo que ia vestir a sunga que Jimin tinha trago para ele.

- Ele disse que quando eu visse o mar ia mudar de ideia quanto a não ficar. – me explicou, encolhendo os ombros – E, bem, você estava na beira da água, né...

Ri e corei de leve quando ele beijou minha testa antes de ir. Depois que Yoongi saiu, tirei a bermuda e fui sentar no meu lugar ao lado do Tae.

Kookie veio pra perto na hora, sentando na espreguiçadeira o meu outro lado e se inclinou para cima de mim.

- Tenho uma coisa a dizer sobre você e Suga hyung, Jin Hyung... – anunciou – FOOOOOOFOOOOS!!!

Sorri, concordando, e Tae comentou:

- Acho que nem precisa mais me contar como foi ontem à noite, é só ver como vocês se olham... E, aliás, onde o encontrou?

- Ele que me encontrou, quando eu estava andando lá do outro lado da praia. – expliquei – Aí me avisou que o pessoal estava com ele e queriam vir para cá, e meu deu uma carona.

Ri, lembrando da “carona”, mas não toquei na nossa conversinha sobre fazer ciúmes. Ainda não acreditava que falei mesmo aquelas coisas para ele e me sentia um pouco inseguro com aquilo, mas nem tanto. Eu confio no Yoongi, e confio que ele gosta de mim. Talvez fosse meio idiota confiar num garoto desse jeito – vide Namjoon – mas era mais forte do que eu. Não conseguia imaginar o Yoongi sendo nada além de incrível comigo.

- Jin, você está sorrindo que nem um bobo. – Tae avisou, rindo.

Fechei a cara instintivamente, mas acabei deixando um sorrisinho sair.

- Tá, Jin Hyung, confessa logo, você gosta do Suga hyung, né? – Kookie perguntou.

Dei de ombros. Pra que negar à essa altura? Além disso, estávamos longe o suficiente dos garotos e dos outros dois para ninguém mais ouvir.

- Cara, eu... Sim, eu gosto. Eu amo aquele garoto. – suspirei, sorrindo – Ele é incrível, é romântico, é fofo, me faz rir, não sei, mas...

- Você está caidinho! – Kookie anunciou, rindo.

- Bobo! – reclamei, rindo, mas ele tinha razão. Eu estava caidinho.

- Isso significa que você esqueceu o Namjoon? –Tae perguntou hesitante.

Olhei em direção à ele, que estava passando com Hobi alguns metros à frente. Namjoon estava bonito, com o cabelo platinado bagunçado, com uma camiseta vermelha que realçava seus olhos, arfando levemente enquanto olhava para frente. Namjoon é bonito, ponto, e não me importa o que sinto por ele, isso não vai mudar. Mas algo havia mudado. Não no modo como nos tratávamos – isso estava claro como água – mas no modo que eu me sentia com ele. Não era mais o Namjoon por quem me apaixonei. Ainda assim...

- Tae, acho que ninguém esquece completamente o primeiro amor. – confessei baixinho, olhando-o parar por um breve momento – Mas algo esfriou dentro de mim.

- Então é só questão de um pouquinho de tempo. – disse, satisfeito.

- Acho que sim. – concordei – Mas até lá, não pretendo tomar nenhuma decisão precipitada com o Yoongi. Não quero atrapalhar o que temos.

Tae o Kookie se entreolharam, mas não dei importância, apenas me recostei na espreguiçadeira e fiquei de olhos fechados.

Pouco depois, Yoongi voltou, andando silenciosamente até chegar onde estávamos e parar, constrangido.

A sunga que Jimin havia trazido para ele era justa e branca.

Encarei-o, minha boca ligeiramente aberta, sem saber o que fazer ou falar. Ele era... Tinha um corpo lindo!

Não era muito musculoso, a ponto de parecer bombado ou algo do tipo, mas tinha músculos definidos e rígidos, que não o deixavam parecer magro. Os braços tinham o tamanho certo, os ombros não eram muito largos, o peitoral e o tanquinho definidos o suficiente para parecer que malhava, mas não compulsivamente e – graças a GD! – suas pernas não eram esqueléticas. Corri meu olhar por todo seu corpo, corando de leve ao perceber como aquelas roupas largas o escondiam, e sentindo vontade de agarrá-lo ali mesmo. Por fim, respirei fundo e encarei seus olhos, tentando evitar olhar para certo lugar onde não devia *moon face*. Ou talvez devesse, mas não em público. Foi então que reparei que ele também estava me encarando, os olhos passeando lentamente pelo meu corpo, e parecendo gostar. Ele ergueu os olhos ao notar que eu percebi, corando.

Yoongi sorriu de leve, passando a mão pelos cabelos.

- Isso é constrangedor. – disse.

- Muito... – concordei, rindo para aliviar a tensão.

- Só uma pergunta, Suga hyung... – Kookie disse – Não foi você que escolheu essa sunga, foi?

- Não, foi seu namoradinho nanico que trouxe. Vou ser obrigado a dar uns tapas nesse garoto. – admitiu, sentando no chão à nossa frente, e jogando suas roupas no seu colo, de modo a esconder a sunga.

Bem, pra isso deu certo. Mas agora, parecia que estava pelado.

Respirei fundo, e olhei o mar, tentando controlar a vontade que senti de sentar no colo dele e abraça-lo, e de repente me dei conta de uma coisa. Sentei-me, rapidamente, e encarei Yoongi, irritado.

- Peraí... Jimin escolheu essa sunga? Como assim?? – questionei, colocando as mãos na cintura – Agora ele fica entrando no seu quarto e mexendo na sua roupa íntima assim? Jeon Jungkook, dá um jeito nesse nanico!

Yoongi me encarou, assustado, Kookie estava rindo de mim, então Yoongi começou a rir também.

- Princesa, você...

- Princesa, o caralho! – interrompi, irritado – Qual é a daquele garoto de querer ficar escolhendo a roupa íntima do Yoongi? Qual seria a próxima dele? – Você não tem vergonha não?

Yoongi riu mais ainda e os outros dois o acompanharam.

- Acho que alguém está com ciúmes! – Kookie riu.

Cruzei os braços, sem graça, e fiz bico, olhando para o lado.

- Fala sério.

Yoongi o ignorou e colocou a mão no meu joelho, tentando se controlar.

- Olha só, eu não deixei ele pegar. – explicou, sorrindo carinhosamente – Eu nem sabia que Jimin tinha pegado. Só descobri no carro, porque ele disse que deixou uma sunga no porta-luvas pra mim, caso eu decidisse ficar. E não é como se você precisasse sentir ciúmes do Jimin comigo, ele é como um irmão pra mim, além do que, ele tem o biscoitinho, vulgo Jungkookie.

Acabei aceitando, à contragosto. Yoongi colocou a bermuda de novo – disse que estava se sentindo estranho só de sunga – e ficamos ali por um tempo, conversando sobre coisas aleatórias. Ele acabou sentando na beira da minha espreguiçadeira, e eu deitei de cabeça pra baixo, com os pés pendurados no encosto, minha cabeça ficando do lado da coxa dele. Tae e Jungkook disfarçavam, mas eu podia vê-los nos avaliando, e parecia que a qualquer segundo um deles iria vomitar arco-íris glitterizado (Isso que dá ter amigos fudanshis e homo *sorriso*).

Karina continuou deitada tomando sol, que finalmente apareceu, e vez ou outra olhava para nós ou para onde Namjoon e Hobi estavam fazendo exercícios. Aliás, Namjoon estava super arfante, cansado, eu diria, mas aquilo não era nada demais: era de Jung Hoseok que estávamos falando e sendo sincero, o cara era ótimo.

Jimin estava pra lá e pra cá, fazendo um castelo de areia, até que destruiu ele e veio para perto de nós, se jogando na areia perto de Yoongi.

- Ah, isso está chato hyung! Vamos brincar de alguma coisa! – pediu, emburrado.

- Desculpa, Jiminie, eu tô com preguiça. – Tae confessou, encolhendo os ombros.

- Não sou muito de brincar Jiminie, você sabe disso... – Kookie disse.

Me virei, olhando para Jimin.

- Brincar de quê?

Ele sorriu satisfeito, e sugeriu:

- Tem um kit de frescobol nas minhas coisas.... vamos jogar hyung?

- Vamos! – concordei, sorrindo e animado, me levantando.

Quando pisei no chão, Yoongi deitou onde eu estava, cruzando as mão atrás da cabeça.

- Vou guardar para você Jinie. – se explicou.

- Quero ver quando eu voltar. – disse.

Lancei um olhar de advertência aos meus abiguinhos, para ele tomarem cuidado com o que iriam falar na frente do Yoongi, e me afastei um pouco deles. Fui para um local amplo para jogarmos enquanto Jimin voltava correndo e assim que peguei minha raquete, começamos.

Jiminie jogava de um jeito engraçado, rápido. Era difícil o ritmo, mas em compensação, ele não se esticava para pegar a bola e eu ia onde ele estivesse. Logo notei um padrão: eu ganhava as partidas que começava e perdia as que ela começava. Em algum momento, minha franja (que já estava na quase tapando meus olhos) começou a tapar um pouco meus olhos o que me atrapalhou um pouco, mas ainda assim continuei bem. Só paramos quase uma hora depois, quando estava suado e com o braço doendo.

- Okay, chega Chimchim. – arfei – Você venceu.

- Hyung fraquinho. – cantarolou, pegando a raquete da minha mão e rindo.

- Respeita seu hyung, deixa eu recarregar a bateria que você vai ver. – ameacei.

Sentei na areia ali mesmo, aliviado, e notei que Hobi e Namjoon finalmente haviam parado com suas maluquices de exercícios. Agora Hobi tomava água, sentado na beira da espreguiçadeira do Tae, e Namjoon estava com Karina, passando bronzeador na costa dela e rindo de algo que falou.

Desviei o olhar e fiquei encarando o mar. Ainda doía um pouco. Mas talvez fosse só eu me sentindo injustiçado, ou nostálgico. Ou talvez a raiva doesse. Eu só não queria me importar com eles.

Apoiei o queixo na mão, pensando que os dois talvez realmente fizessem um bom casal, até porque se mereciam, quando fui surpreendido por Tae, que brotou do nada e sentou de pernas cruzadas ao meu lado. Olhei para ele, surpreso, e depois olhei para trás. Yoongi estava sentando no meu lugar, conversando com Hobi, que havia sentado no lugar do Tae. Quando notou que eu o encarava, sorriu, e eu sorri de volta, me virando para meu best.

- Acho que tem algo errado no script da história. – brinquei – Eu jurava que Yoongi que iria aparecer aqui.

Tae concordou com a cabeça e explicou.

- Ele parecia querer vir... mas ficou sem graça. Ele estava te olhando com cara de bob, desde que veio jogar com Jiminie. – Tae deu seu sorriso quadrado fofo, e completou: - Ele realmente gosta de você.

Olhei para a areia à minha frente, desenhando uma carinha feliz com o dedo.

- Gosta. E eu também gosto dele. – disse, com um sorriso mole.

Tae suspirou, e voltei meu olhar para ele.

- Você gosta dele, mas fica olhando com cara de “estou na bad total” para Namjoon e Karina.

Encarei-o surpreso, minha boca se abrindo num O silencioso.

- Me desculpe, Jin hyung, mas como seu amigo eu tenho que te falar isso. – explicou, sem graça – O Yoongi está sendo super fofo com você. Está tendo uma paciência incrível, considerando que sabe que você gosta do Namjoon e que ele ainda vai a sua casa. O cara se derramou em elogios quando eu e Kookie fomos sondar, e você fica aqui, olhando com essa cara de tacho para aquele ser.

Encarei Tae, mais surpreso do que ofendido. Eu ouvi direito? Ele estava me dando um sermão?

- Taetae, eu...

- Não, Jinie, presta atenção. – Tae me interrompeu – Eu sei que você gosta do Yoongi também. De verdade. Dá pra ver no modo que você olha para ele, como age com ele, e parece que eu vejo faíscas quando vocês se tocam. Sei também que você queria se resolver com o Namjoon antes de tomar uma decisão. Mas Jinie, o Suga hyung não vai esperar para sempre. Só tome cuidado para não perder ele, Okay?

Concordei com a cabeça, ainda em choque, digerindo o que Tae falou. Será que eu perderia o Yoongi por ainda estar meio confuso?

Lembrei que ele havia me perguntado se eu queria que ficasse aqui só para fazer ciúmes no Namjoon. Talvez Yoongi estivesse mesmo inseguro. E eu... bem, eu realmente não estava ajudando muito. Agia estranho perto do Namjoon, o encarava às vezes... imaginei como seria se fosse a situação inversa, se eu estivesse apaixonado por Yoongi e ele por mim, mas por outra pessoa, e ficasse estranho quando essa pessoa estivesse presente.

Quase tive um ataque só de imaginar.

- Tá, Tae, eu vou tentar me controlar. – suspirei – É só que... é difícil. Você sabe que é. Se eu pelo menos pudesse ficar longe do Namjoon, mas o vejo todo dia na escola, e ele ainda vai na minha casa às vezes... é complicado.

- Eu sei. – ele sorriu, pousando a mão no meu joelho. – Por isso que estou te avisando logo. Eu sei que você consegue. Só, não deixe o Yoongi escapar, ok? Ele é incrível.

Olhei na direção dele, sorrindo docemente.

- Ele é.

Tae sorriu, então levantou e me estendeu a mão.

- Vem, está na hora de almoçarmos.

***

Fomos comer pizza em um restaurante que ficava do outro lado da praia, perto de onde Yoongi me encontrou, mas uns dois quarteirões para dentro da cidade. Era pequeno e aconchegante, ao estilo italiano, todo decorado em tons de vermelho, verde e marrom-madeira. Sentamos numa mesa na calçada e pedimos pizza – umas cinco tamanho família, de frango, quatro-queijos, calabresa, portuguesa e mozzarella, porque eu, Hobi e Jimin estávamos presentes e conosco, toda comida é pouco.

Sentei entre Yoongi e Tae. Eu estava alerta agora, com um medo meio insano e bobinho apertando meu peito. E se perdesse Yoongi? E se nós acabássemos como eu e Namjoon, mal nos falando? Eu simplesmente não suportaria. Com Namjoon foi um pesadelo, mas eu ainda podia me consolar que foi tudo culpa dele. Se eu perdesse Yoongi – se eu perdesse esse garoto perfeito – seria unicamente por causa da minha maldita confusão.

Mas é que... no fundo, eu ainda tinha medo de fazer as pazes com Yoongi e acabar deixando Yoongi de lado. Isso seria ainda pior. Tinha que superar, e rápido.

Yoongi notou como eu estava nervoso, e quando apoiou o queixo na mão e perguntando “O que houve princesa?” na frente de todo mundo, não sabia se ria ou se corava. Acabei fazendo os dois, e disse que estava tudo bem. Hobi zoou ele um pouco, por me chamar de princesa, e Karina olhou meio satisfeita, mas Yoongi se limitou a sorrir e piscar para mim. Eu corei mais ainda. Não estava acostumado a ter alguém sendo fofo assim comigo em público – meus momentos legais com Namjoon costumavam acontecer quando estávamos sozinhos – ainda assim, era legal. Constrangedor, sim, mas legal. Cada palavra de Yoongi só me fazia perceber mais o quanto se importava.

Notei que Namjoon nos olhava, disfarçadamente, mas não chegay a cogitar que estivesse com ciúmes. Ele estava num clima com Karina que dava até nojinho, os dois estavam sentados lado a lado, com ela apoiando a cabeça em seu ombro, de um jeito que, se eu visse aquilo semanas atrás, teria um treco. Hoje, nem tanto.

Quando acabamos, decidi ir comprar um sorvete, e fui sozinho. Yoongi, Kookie e Tae se ofereceram para ir comigo, mas recusei. Eu só queria pensar um pouquinho, sozinho, e sorvete me ajudava. Enquanto o pessoal voltava, fui na direção oposta, para um lugar que eu tinha avistado uma sorveteria, há pouco mais de um quarteirão do restaurante.

Comprei uma casquinha mista, meio no mundo da lua, pensando no Namjoon. Ou melhor, me convencendo que eu não deveria mais pensar nele. Pensando racionalmente, ele não era a melhor opção, traria problemas demais, sermos melhores amigos e ainda assim nos envolvermos. Eu estava com raiva dele, e mesmo que fizéssemos as pazes, não sei se nós dois, como casal, teríamos chances. Karina sempre estaria entre nós, e mesmo que ela sumisse da face da Terra, tinha o Yoongi. Meu Min Yoongi, aquele garoto fofo, legal e divertido, que eu não iria abrir mão nem pelo Namjoon.

Foi isso que começou a me mudar. Eu podia ficar de bem com Namjoon de novo. Eu podia ter minha relação com ele igual ao que era antes. Mas eu não teria coragem de me afastar do Yoongi.

De repente, notei uma movimentação estranha com o canto do olho. Virei um pouco a cabeça, mas não havia nada lá, então continuei andando e tomando meu sorvete. No entanto eu tinha uma sensação estranha. Como se estivesse sendo observado. Eu estava sendo seguido?

Olhei ao meu redor, tentado ver algo de diferente ao meu redor. Então eu o vi, aquele era...?

Me virei rápido e comecei a correr na direção daquela pessoa, sem nem me importar com meu sorvete que caiu no chão. Aquela pessoa. Eu tinha que saber. Ele começou a se afastar, e corri mais rápido, tentando segui-lo, mas não conseguia. Eu esbarrava nas pessoas, em dado momento tropecei, ele se movia rápido, com firmeza, se afastando mais. Por fim, parou.

É a minha chance, pensei. Apertei o passo de novo, minha animação voltando, mas quando me aproximei o suficiente, tudo que pude ver foi ele entrando num carro azul. Então, o carro se afastou, e eu sabia que por mais que eu quisesse, não deveria segui-lo.

***

Pensei em ligar para o meu pai.

Na verdade, cheguei a pegar o celular e digitar o número dele. Eu conhecia aquela pessoa. Sabia que tinha que contar a alguém sobre aquilo, mas não queria que ninguém soubesse. As pessoas tem o péssimo hábito de julgar alguém se conhecer sua história, e por mais que essa frase soasse clichê, era verdade. Duvidava que alguém mais entenderia.

Por fim guardei o celular no bolso. Minha decisão já havia sido tomada há muito tempo, e eu não iria voltar atrás.

A praia estava cheia, agora que o sol havia aparecido definitivamente, e as pessoas andavam de um lado para outro. Ainda assim, me sentia sozinho, como se não pudesse confiar em ninguém. Aquela era a linha de raciocínio errada, lembrei a mim mesmo. Eu tenho meus amigos. Tenho pessoas que se importam. E sou forte.

Parei num quiosque, ignorando a música ruim que tocava, e comprei uma latinha de guaraná (Eu gostar! – Luizinho Lispector *sorriso*). Beber aquilo me acalmou – não era sorvete, mas era doce e gelado. Funcionava bem, também, e aos poucos a adrenalina diminuiu. Comecei a andar mais devagar, apesar de uma ponta de medo que ficava me cutucando. Podia não ser nada. Podia ser só coisa da minha cabeça. Se bem que essa opção seria ainda pior.

Por fim, após algum tempo me convencendo que não devia me preocupar tanto – como seu não tivesse nada para me preocupar – finalmente avistei as quadras de vôlei, onde um pessoal que não conhecia estava jogando, e os carros. Dei uma olhada na praia notando que todo mundo estava junto e parecendo até dormir. Menos Hoseok, claro, que estava nadando loucamente como uma sereia. E de Karina e Namjoon, sentado juntos perto das quadras, ele abraçado a ela.

Não tem importância.

Mas teve importância quando ela se pendurou nos ombros dele e inclinou a cabeça em sua direção, falando algo que o fez rir. Parei, ainda estava longe o suficiente para que não me notassem, e fiquei olhando. Ele tocou o queixo dela de leve, diminuindo o sorrido, e Karina inclinou a cabeça. Namjoon lhe disse algo, ela concordou e eles se beijaram. Simples assim.

Não foi como da primeira vez que eu quase tive um ataque. Eu meio que já esperava por isso, pelo modo que os dois estavam se tratando. Eles vieram juntos para a praia, Namjoon ficou perto dela quase o tempo todo, e mal falou comigo – a não ser um ou outro comentário durante o almoço, não é como se estivesse muito chocado com aquilo.

Para falar a verdade, estava cansado, e finalmente me dei conta daquilo.

Estava cansado de deixar aquele amor que nunca aconteceu guiar as decisões que eu tomava. Estava cansado de imaginar como as coisas poderiam ser. Estava cansado de me preocupar com o modo que Namjoon me olhava, como falava comigo, como agia perto de mim, e ficar me comparando com a Karina. Eu não sou ela, e nunca quero ser. E também que não quero um cara que torne as coisas mais complicadas. Chega!

Pulei da calçada para a areia ali mesmo, plantei um sorriso no rosto e fui em direção aos meus amigos, me sentindo com se um peso houvesse sido tirado das minhas costas. Namjoon não seria mais um problema.


Notas Finais


Explicação:
Há duas semanas atrás (?) estava acontecendo um evento na escola, a famosa “Semana de Ciência e Tecnologia”, e não sei o que caralhos aconteceu que o Instituto ficou sem internet ¬¬ Fiquei muito Fula da vida, namoral!
Na semana seguinte eu fiquei atolada de trabalhos para entregar, e não tive tempo para concluir o capítulo, me desculpem!
E também uma coisinha chamada “Falta de inspiração/Bloqueio de imaginação” me atacou, desculpem, mas daqui pra frente vou postar todas as sextas, como prometido =] às vezes vai ser mais cedo, se a @IzzyArmy não me ameaçar =]
Enfim, vou responder aos comentários dos capítulos que eu não respondi =] vou destacar essas coisas lindas <3 Não me abandonem! Onegai shimasu *carinha do gato de botas*
Halloween com BTS é sempre uma diversão, Kookie e Jimin estava super fofos naquelas fantasias haha todos estavam emgraçadinhos <3
Ah, NÃO ESQUEÇAM DE VOTAR NO BTS NO MAMA! <3
E eu queria saber qual (is) música (s) vocês mais gostaram do álbum “Wings”?
Me: TODAS! Mas ultimamente estou muito viciada em 21st Century Girl, de verdade kkk
Acho que já disse tudo o que tinha pra dizer, OBRIGADA GENTE! AMO VOCÊS!
Até o próximo capítulo, kissus de chocolate, BYE~
P.S: Desculpem qualquer erro… eu não revisei..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...