História As 12 escolhas - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 1.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey

Capítulo 2 - Cap. 2


Fanfic / Fanfiction As 12 escolhas - Capítulo 2 - Cap. 2

Cap.3
Arthur NARRANDO(CAPRICORNIO)

Na sala ouvindo minhas musicas favoritas,com um livro de crenças antigas em mãos. Adoro esses tipos de livro, tenho varios, mas a minha preguiçinha não deixa eu acaba-los.
A tantas historias boas sobre as casas que eu sempre curto muito.

-atchim!

Minha vô espirra tão alto
acho que toda vizinhança ouviu. Principalmente a fofoqueira da vizinha do lado.

-saúde.

Suspiro,

a maioria do tempo estou na casa dos meus avós tenho ate um quarto, to sempre convivendo com gente velha.
Recentimente eles adortaram um criança de 5 anos anos kirlia o nome da peste.
Acho que eles se sentem sozinha depois da morte da minha mãe a única que os visitavam.
Mais ela e tão chata e mitída, que so ver me da raiva.
Eu odeio crianças. Agora voltando ao livro:

"Aqueles que lerem esse
livro , saberá de todas as respostas, mas terá que cuidar de toda essa sabedoria."

Ui ,
até arrepiei aqui, livro para mim tem que ser emocionante e com muito suspense.

- Arthur ?!vem brinca comigo.

Kirlia aparece do nada.
Affs,que garotinha mais chata.

-quero não,estou cansado.

Digo fechando os olhos.

- ARTHURIAN, por favor!

Odeio quando ela me chama de Arthurian, isso nem é um nome.

- ou você brinca comigo, ou eu vou chorar.

Ela bate e o pé e se joga no meu colo .

-ta bom...

Me rendo, odeio criança, mais odeio ainda mais criança chorando.
levanto e guardo meu livro perto da estante.

- só me explica oque e Arthurian, isso e um tipo de sobrenome ou oque ?

Pergunto meio curioso , desde que a conheci ela só me chama assim quando está brava , ou querendo algo.

- Arthur?


Sou enterropida com Minha vó me chamando da cozinha , logo quando eu ia fazer a descoberta da minha vida.

-oi, vó.

Me dirijo ate a cozinha onde ela se encontra encostada na pia , a vejo com um livro que eu queria faz tempo, dos primeiros capricornianos.
dizem que existia apenas duas pessoas, um homen e uma mulher de cada casa e tiveram que fazer incesto para que tivesse a raça pura.

-tem livro novo, a historia e muito boa leia e me diga oque acha.

A voz tremula dela e suave e encantadora. Adoro quando ela me da livro novo, sou interesseiro mesmo.
Eu sou tipo aqueles caras que dão nota para os livros.

-claro.

Pego o livro de sua mãos enrugadas e sigo ate meu quarto.
o guardando em uma grande pratilhera lotada deles. Tem tantos que me perco nos títulos,
e inpinotizante a forma em que eles estão organizados.
Adoro guarda - los  do melhor ao pior.
desço e encontro kirlia sentada me esperado, Que criança chata!
Prevejo eu não tendo sussego essa noite .

-vamo brinca de esconde-esconde!

Ela exige.

-ta bom, ta bom , eu conto.

Se for para brincar prefiro a parte mais fácil.
Estou com sono, muito sono nem sei como minha vó ainda esta acordada , talvez seja a preocupação com o seu marido.
Já passam das 3:00 e ainda penso em ler aquele novo livro que minha vó me deu.
Então vamos lá né , não a vitória sem luta .

Encosto minha cabeça na porta da cozinha e fecho os olhos.

-1,2,3...

Acabo de contar, Me viro começo a preocura-la subo ate o corredor de cima onde a meu quarto, dela e da meus avós se encontra vazios , sem sinal daquela pestinha.
Não consigo encontra-la, então decido descer.
Percebo uma pequena movimentação no portão, o que e estranho a essa hora da noite.
Me dirijo ate la, minha curiosidade e maior que o meu medo do escuro.

-quem e a mais nova da casa?

Um voz estranha de homen, chama a minha atenção.

- pra quer você quer saber?

Ela responde receosa

- testaremos o novo portão dourado e escolhemos a sua familia. presisamos da pessoa mais joven,agora.

Ele exije, aquele raro momento de reflexão, eu odeio a kirlia, mais não quero que ela seja cobaia de nada.

-não, vocês não podem tiram ela de mim.....

Ela muda completamente para preocupada

-desculpe, senhora quem é?

-ki......

Ela para e engole seco

- Arthur meu neto.

Eu,como assim eu vó?
Ela deve ter pirado só pode, prefiriu me escolher para ser cobaia, do que a nova pestinha  que adotou a pouco tempo?
Eu a vejo desde .…. de quando naci e ela prefiriu me escolher!
A raiva tomou conta de mim, admito as vezes sou meio babaca , mais como assim? Eu sou neto dela.
Continuo ouvido a conversa.

-ok,enjete isso no braço dela. Mais se preferir eu faço.

-não eu faço.

Ao ouvir que ela acabou de me entregar ao conselho saio de fininho , penso em fugir mais o que valeria pena ? Eu nem casa tenho. presisa despedir daquela mimada. Apesar de não gostar muito dela , convivi muito tempo com ela.
Eu entrei ainda abalado, vi kirlia sentada brava provavelmente por  não ter achado ela.
O jeito que ela faz bico e tão estranho, e pensar que eu vou ficar longe de todos.
a peguei no colo como despedida,
minha vò entrou derepente e presenciou a cena.

- só para sua informação , Arthurian e o nome do personagem mais incrível dos contos, seu panaca!

Então era isso todo esse tempo ?
Essa garota, me viro para disser sobre o que ouvi. Mas , ao ve- la escondendo a agulha meu sangue ferve .
solto kirlia agarro seus braços e arranco a agulha de suas mãos tremulas, sem pensar duas vezes a enjeto por conta propria enquanto ela me olhava desesperada.

-me perdoe......eu nã.....

Eu não consigui ouvir oque ela dizia.
Vi antes de desabar suas lagrimas escorrendo de modo delicado em seu rosto pálido e ela se desperado.


------------------------------
Cap. 4
REBECA NARRANDO ( LIBRA )

Que soninho bom! E melhor ainda quando você está sonhando com o crush que você nunca vai conseguir pegar.

- Becca.

Minna mãe me chacoalha

- hum .

Murmuro,
oque ela quer comigo a essa hora?
Viro para o outro lado da cama, em tentativa de durmir mais um pouquinho.

- filhinha , acorda sua amiguinha está aqui!

Ela me sacode mais forte.

- quem ?

Nem consigo nem abrir meus olhos,
Só queria dormir mais um pouquinho.
Affs, que sono!

- Teresa , a bonitinha dos cabelos cacheados.

Teresa?....Teresa?
A filha do vizinho!
que que essa demo tá fazendo aqui?
Levanto com os olhos ainda fechados.

- abre esses olhos!

Minha mãe me sacode e caio na cama.
Quando finalmente Abro os olhos e vejo horror que esta meu quarto, em pensar que eu vou ter que arrumar.
misericórdia tem roupa até no teto.
Me levanto tropeçando no cobertor, que está imundo para fala a verdade.
Desço as escadas e vejo a vagaba que me atrapalhou bem na hora do beijo.

- nossa você tá um horror rebeca!

- ja olhou para sua cara queridinha?

Rebato sorrindo e ela fingi uma lagrima.

- ta oque você quer?

Sento a seu lado com os olhos semicerrados

- você minha deusa angélical!

Ela zoa me apertando em seus braços.

- sai desse corpo que não te pertence.

a empurro de leve que finge cair do sofá. Essa menina é maluca.
E cada peste que aparece de madrugada na sua casa.

- agora é sério oque tu quer?

- seu mp3, vou fazer uma patty e presiso de suas músicas baby.

Ela ri igual a um porco com renite.
Como se isso funcionasse

- que porra de gargalhada e essa?
E como assim meu mp3?

Gente de Deus, meu mp3 e meu rim, você não empresta seu rim para as pessoas.
Vendi Minha irmã para compra essa bosta.

- Eu ja disse que tenho problemas com risos,
e sim o seu mp3 .

- aí meu rim .

Grito e me debato em tentativa dela pesseber que eu não quero emprestar.

- desencana becca, você vai me emprestar porque se não eu vou robar.

Olhando nos meus olhos , ela sabe que minha mãe vai pegar e dar para ela por que minha mãe e dessas que , você tem duas opções:
empresta ou empresta.

- ta, mais me devolve amanhã.

Coloco o dedo em sua cara pra ela saber que eu quero de
volta , porque essa peste já robou meu fone. Subo e o pego em cima do criado mudo que esta cheio de roupas suja , principalmente minhas calcinhas que caí quando o pego.
Agora vou ter que arrumar mais cedo que imaginava,
odeio aquela cacheada!
Desço e a entrego que vai embora em seguida batendo o cabelo no meu rosto.
Essas peste que só vai na sua casa pedir suas coisas , só essa semana ela quase pegou minha vida emprestada.

"Becca me empresta sua vida?
Seilá , a minha já Tá muito usada"

Imito sua voz.

Dou uma gargalhada pior que a dela , ao ver oque fiz , ecubro a boca em tentativa de ninguem ter ouvido e começo a subir as escadas.

- mãe , vô durmir !

Grito e subo as escadas

- mais já minha flor?

Ela berra sonolenta de seu quarto .

Nem respondo estou com tanto sono que ja não vale a pena responder .
Entro no quarto escuro e sigo até a Janela que esta completamente embassada, nem consigo ver a rua.
Queria poder ver a quinta lua , droga.
preguiça reinando,
me jogo na cama e durmo de novo.
Passaram alguns minutos e sinto pequenos passos , antes que eu pudesse abrir os olhos , sinto algo estranho que pesa meu corpo.
Apagando totalmente só porque ia imaginar o beijo !


Notas Finais


Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...