História As 40 semanas - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inazuma Eleven (Super Onze)
Personagens Kariya Masaki, Kirino Ranmaru, Matsukaze Tenma, Shindou Takuto, Tsurugi Kyousuke
Tags Kirino Ranmaru, Shindou Takuto, Takuran
Exibições 23
Palavras 1.920
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Essa cap me deu trabalho, agora estou sem criatividade!
Bom agradeço aos que tem acompanhado a fic ♡♡♡ vocês são demais!!!
Ilunakill cadê você? Aparece! Estou morrendo de saudade! (Muito amor envolvido)
Beijos boa leitura!!

Capítulo 7 - Tudo foi como uma brisa


Fanfic / Fanfiction As 40 semanas - Capítulo 7 - Tudo foi como uma brisa

O vento soprava como uma brisa leve de primavera.
Meus olhos se encheram de lágrimas e eu comecei a chorar.
Fechei os olhos me lembrando de como tudo começou.
Foi tudo tão rápido como nos tornamos amigos e depois como viramos namorados, abri os olhos e olhei meu dedo anelar, reparando no círculo prateado.
Me levantei para ir para casa de Shindou.
- Kirino!
- Kariya, o que faz aqui?
- Vim te ver já disse isso. Mas eu quero conversar com você e te pedir desculpa vi como você ficou por causa do tal garoto! Você nunca foi assim comigo e eu por ser a única pessoa que você tem quero muito te ver feliz. Prometi isso para o seu avô e não vou quebrar a promessa!
Suas palavras me tocaram. E lembrei de como o conheci.
--------------------------------
Lembranças
" - Vô por que essa casa tão grande?
Disse assim que eu vi a casa em que ele havia comprado.
- Temos mais dinheiro do que você possa imaginar...
- O senhor vendeu tudo que tinha e guardou e  agora comprou essa casa porque?
Eram negócios que não iriam passa frente... E esta casa e o dinheiro são seus agora...
- São seus vovô!
- Não Ranmaru! Eu já assinei meu testento!
- Mais vô...
- Ranmaru você vai aprender que quando se chega a essa idade todas as suas escolhas dali a diante vai ser as últimas.
- Vô o senhor não vai morrer!
Vi sair da casa um rapaz com mais ou menos quinze anos.
Seus cabelos eram azuis e ia um pouco acima dos ombros.
- Vô quem é ele?
- Esse é Kariya!
- Olá é um prazer conhecer você Kariya!
- É bom conhece lo já que o prazer vem depois! 
Disse ele me fazendo corar.
- Kariya, vou deixar vocês sozinhos mais pela leve! Sei da sua opção sexual mais não quero forçar meu neto a nada!
- Vou cuidar dele senhor Hiro e não vou força lo a nada a não ser que ele me provoque e fuja!
- 'Aish' ainda estou aqui!
- Sabemos... Mais seu avô me falou tanto de você que eu disse a ele que seria meu!
- Haha faz me rir!
-------------------------------
- Kariya, você me paga!
Sai correndo atrás dele em volta da mesa da varanda com ele com mais um ovo em mãos.
- É seu aniversário! É tradição!
- Tradição vai ser minha mão na sua cara sua bicha avoada!
- Você me chamou de que?
Ele parou na minha frente sem se importar se eu iria bater  ele ou não.
- Bicha avoada!
Disse pausadamente e calmo para ver se ele entende.
Ele só esperou eu responder e colou seus lábios aos meus eu poderia resistir e empurrar a ele no gramado mas ao invés disso  me aproximei mais de seu corpo o fazendo soltar o ovo para depositar sua mão em minha cintura.
Nos separamos devagar e olhando bem em meus olhos ele disse:
- Meu amor não me chama mais de bicha avoada! Por que você agora é meu namorado... E eu sei que você quer pois não recusou o meu Beijo!
Disse e me deu um selinho.
Não disse nada apenas deixei ele na ilusão de que eu seria namorado dele!
--------------------------------
Estávamos assistindo a um filme de ação, nem eu nem ele não estávamos prestando atenção, ele estava com a mão em minha coxa e minhas mãos estavam enroscada em seus cabelos.
Nos separamos por conta do ar, ele me deitou no tapete felpudo na cor creme  e depositou beijos em meu pescoço.
O afastei de perto de mim, e voltei a sentar sobre o tapete e olhei para a televisão mesmo que eu não fosse prestar atenção!
- Fui muito rápido não foi?
Disse ele preocupado.
- Um pouco.
Disse envergonhado.
principalmente pelo o que eu diria a seguir:
- Eu estava gostando do que fazíamos,  mas estamos indo rápido demais.
- Me desculpa, mas não acho isso!
- Não? Só temos uma semana.
- E o que que tem?
Nada disse apenas notei meu avô descer as escadas com seu pijama de cor azul.
- Crianças sinto estar interompendo, mas já é hora de ir para a cama!
- Não é incomodo senhor Hiro mas deixa eu já te perguntar... posso namorar com o seu neto?
- O que?
Disse incrédulo!
- Claro se ele quiser!
-  vô!
- Eu prometo cuidar dele, a todo momento!
Olhei para ele, mas com um olhar de carinho, ele era fofo e eu estou negando ele... Como posso ser assim? "
----------------------------
Olhei para ele como a alguns anos atrás.
- Kiriino passamos seis anos juntos e depois do dia que o senhor Hiro morreu....
E fez uma pausa analisando meu semblante.
- Depois que ele morreu você veio para cá sem me dizer nada,  eu fiquei mais de dois meses te procurando.
- Eu não queria que você deixasse sua vida por minha causa!
- Eu iria atrás de você até o final do universo!
Naquele momento eu queria chorar e ele com certeza percebeu.
- Vem vamos beber alguma coisa!
Ele me abraçou  e caminhamos juntos até um barzinho que ficava perto do cais.
Esbarrei em um rapaz um pouco mais auto que eu com os cabelos brancos,  ao olhar para seus olhos roxos um arrepio percorreu minha espinha e apertei a mão de Kariya que estava pendurada em meu pescoço.
- O que foi Ran?
- Tive um sensação ruim!
Olhei para trás e o rapaz me olhava de volta me virei para frente novamente mas esse rapaz não saia da minha mente. Eu já o tinha visto em algum lugar só não sei onde....
- E então o que vai querer?
Perguntou Kariya olhando fixo para mim depois de já estarmos sentados.
- Um suco de laranja com mamão por favor!
- E para mim uma cerveja preta!
- E para comer senhores?
Perguntou o garçom.
- Para mim nada.
Disse e dei um sorriso gentil a ele.
- Para mim só a cerveja mesmo.
O garçom saiu e dez minutos depois já estávamos com os nossos pedidos.
- Então, o que te fez para de beber?
- Eu acho que estou doente!
- E só por isso resolveu para de beber? É só ir no médico e pronto!
- Você não entende!
- Então me explica
- Acho que estou com câncer!
- Como assim? Seu avô se certificou de sua saúde era impecável!
- Mais não é!
Eu disse querendo chorar.
Me levantei e sai do bar não esperei ele pagar e voltei a caminhar pelo cais a brisa passava leve e quando ela passava vinha um filme de lembrencas em minha mente, dos  momentos bons e ruins.
- Kiriino você já foi a um médico? Como pode ter certeza disso?
- Eu vi os livros do meu avô e estava lá, só tem duas coisa parecida com o que sinto.
- Viu pode ser essa outra coisa!
- Impossível!
Disse em lágrimas sabia o que eu tinha, não dava para negar que eu poderia morrer a qualquer momento por conta da doença!
Senti um nó na barriga e uma tontura, me segurei no ombro de Kariya.
- Como sabe que é impossível?
-  A única coisa com sintomas parecidos com os que sinto é gravidez, e eu sou homem é impossível!
Ele ficou sem reação. E seus olhos se encheram de lágrimas.
- Não quero te perder pequeno Ran!
Fui engolindo em um abraço de urso e ele chorava como uma criança.
- Kariya, acho melhor eu ir para casa.
- O que você precisar me chama, não importa a hora tá bom!
- Tá bom!
Me desfiz do Abraço e caminhei para minha "casa".
Passei pela portaria e peguei o elevador ao abrir a porta sinto um vazio em meu peito, olho o meu celular e nenhuma mensagem de Shindou. Resolvi ir ver se ele está bem. Memso estando tarde da noite, preciso falar com ele. Ele me viciou a querer ficar com ele a todo tempo!
Senti um rebuliço dentro da minha barriga e corri ao banheiro para vomitar.
Assim que melhorei sai de casa peguei um táxi e segui ate a casa do meu moreno!
Paguei a corrida e caminhei até o portão toquei a campainha e ele se abriu bati na porta e Suzy me atendeu.
- Senhor Kiriino, esta tarde não acha?
- Boa noite Suzy, vou entrar ainda sim!
- Ele não está!
- E a luz ficou acesa por engano?
Disse entrando na casa com ela me seguindo.
- Ele está ocupado!
Tentou me parar. Me virei para ela no meio da escadaria.
- Não ocupado de mais para mim!
Voltei a subir as escadas. Passei pelo corredor e abri a porta vermelha paralisei em frente a mesma meu ar fugiu do pulmão por alguns segundos e meu coração falhou algumas batidas, logo depois bateu muito rápido e aquilo doía.
Meus olhos ardia e as lágrimas desciam como fogo.
- Shindou...
Disse sussurrando e sai correndo com os olhos cheios de lágrima.
Passei pela porta e pelo portão, corri o mais rápido que podia e quando passei pela porta de meu apartamento me decidi, irei  para Tokyo tratar essa doença!
Peguei a mala e coliquei apenas  roupas e pertences necessário.
Deci para  a sala e peguei o meu computador e reservei duas passagens apenas apenas de ida para Tokyo Japão!
Mandei uma mensagem para Kariya para lhe pedir para ir junto comigo.
Sua resposta logo chegou.... E ela era sim!
Escrevi uma carta para Shindou e coloquei em um envelope junto a aliança que ele me deu.
Passei na recepção do meu prédio e Kariya já me esperava dentro de um táxi para irmos para o aeroporto, deixei a carta no balcão e pedi para ser enviada pelo correio.
Dentro do táxi peguei meu tablet e tranquei minha faculdade. Não queria ter motivos para voltar!
Consegui alugar um apartamento com dois dormitórios para ficarmos durante o tratamento.
O resto da viagem foi calma e a nenhum momento Kariya me perguntou o motivo de tudo isso.
Chegamos ao aeroporto de inazuma e Kariya foi resolver os últimos detalhes das passagens para nosso vôo, que logo foi iniciado.
O avião passava por entre as nuvens e o Shindu nublava meus pensamentos!
Repousei minha cabeça em Kariya e ele enfim pergunta:
- Ran o que te fez mudar de idéia?
- Se lembra da hora que eu apertei sua mão ontem?
- Claro, você disse que era um mal presentimento.
- Eu vi um cara e ele me era familiar... Ele era o ex do Shindou, e ontem depois que fui para casa passei no Takuto para conversarmos e eles estavam juntos.
Disse já em pranto. Ele me deu um beijo calmo, aceitei mesmo ainda amando o Shindou, mas o afeto de Kariya me fazia bem também. Mesmo sabendo que ele seria apenas meu amigo não pude negar aquele ato.
- Pequeno Ran não chora por ele, se ele te merecesse ele estaria aqui com você e não eu!
- Eu sei, mas não consigo!
- Vamos fazer assim, quando o nosso avião pousar eu serei seu e ele será passado!
- Não quero te usar Kariya!
- E não vai!
Disse ele entrelaçando nossos dedos e dando um beijo em minha mão.
- Vamos fazer um teste, quero que você seja feliz e sei que você sabe disso!


Notas Finais


Peço desculpa pelos erros apesar de ter revisado deve ter ainda algum!
Gostaria que não me matassem pelos fatos narrados nesse cap.
E nem que me odiasse por ter parado nessa parte!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...