História "As aparências enganam". - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Big Bang, Black Pink, Jewelry, WINNER
Personagens Cl, G-Dragon, Jisoo, Kim Ye-won, Mino
Visualizações 13
Palavras 4.515
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos atualizar nossa fic pessoal.

Capítulo 15 - ☆☆Capítulo 14☆☆


Fanfic / Fanfiction "As aparências enganam". - Capítulo 15 - ☆☆Capítulo 14☆☆

Continuando...

Três dias após o nascimento do filho da CL com o GD, a loira recebeu alta com o pequeno Jiyong e com eles o G.D também recebeu alta e assim os três foram pra casa, onde agora eles recebiam todo o carinho e atenção da mãe dos gêmeos e do Mino que era louco por seu sobrinho. Mino todos os dias ia buscar o sobrinho no quarto quando o mesmo acordava e ficava na sala com ele, onde ele beijava o bebê, brincava com ele, fazia carinhos e até ja lhe dava a mamadeira graças à CL lhe ensinou. Mino adorava cuidar do sobrinho, mas o que ele queria mesmo era poder cuidar da filha, essa que ele ja não via a algum tempo e isso o deixava triste. Mino nunca amou tanto alguém como amava a filha e estava disposto a lutar pra ter sua pequena por perto, nem que pra isso ele tivesse que lutar com todas as suas forças contra a decisão da Yewon, que no caso era afastar a menina do pai.

Três meses se passaram e o Mino ficava cada dia mais triste e desesperado por não ter notícias de sua filha e nem do paradeiro da Yewon e ela nem sequer atendia as ligações dele. Até que em uma manhã, ele estava sentado na sala estudando, sim ele voltou a estudar arquitetura. Mino estava distraído quando o G.D e a CL chegaram do shopping e ao vê-lo sentado no sofá, os dois o olharam meio estranho, em seguida se aproximaram dele e puxaram assunto.

CL: É... oi Mino. - falou ela sentando do lado dele com o bebê nos braços, esse que ele tomou logo dela.

Mino: Oi CL. Ei garotão onde cê tava? hun? ta muito rueiro viu. - falou ele beijando o bebê que sorria fofu e o G.D abordou o irmão meio sem jeito.

G.D: Mino, eu e a CL vimos uma coisa e queremos te contar, mas por favor fica calmo. - falou ele preocupado com a reação do irmão e o mesmo o olhou meio assustado.

Mino: Nossa gente que caras são essas? quem morreu? - perguntou ele olhando ja totalmente assustado pros dois à sua frente e o G.D então soltou a bomba.

G.D: Nós encontramos a Yewon no shopping com a tua filha e o noivo dela, ela mesma nos contou que vai casar e que ta ótima. - falou ele meio nervoso e o Mino arregalou os olhos dando um pequeno pulo.

Mino: É o que? noivo? A Yewon vai casar? - perguntou ele pasmo e a CL tentou acalma-lo.

CL: Sim, mas fica calmo. O cara parece ser bem novinho e talvez esse casamento nem aconteça. - falou ela passando uma mão no ombro dele e o mesmo bufou de raiva.

Mino: Não me interessa se ele é novo ou velho, eu não quero esse cara e nenhum outro perto da minha filha, eu juro que mato qualquer um e ainda mato a Yewon também. Isso não vai ficar assim, aaaah mas não vai mesmo. - falou ele entregando o bebê pra CL e em seguida subiu pro quarto, onde pegou o celular e ligou pra Yewon e dessa vez felizmente chamou e ela atendeu totalmente calma, ao contrário do Mino que tava bufando de raiva.

Ligação on...

Yewon: Alô.

Mino: Que dia vai ser o teu casamento?

Yewon: Mino?

Mino: Responde logo merda.

Yewon: Calma, como sabe do meu casamento? 

Mino: Oh genia, Você contou pro meu irmão e pra CL, acha que eles não iriam me contar? 

Yewon: Ta, mas o que você tem a ver com isso? E porque quer saber o dia do meu casamento?

Mino: Porque eu vou buscar a Mina e você não vai mais tirar ela de perto de mim.

Yewon: Opa opa opa, primeiro me diz quem é Mina.

Mino: É a minha filha.

Yewon: Ela se chama Sury, esse foi o nome que eu dei pra ela.

Mino: Vai se fuder você e esse nome horrível, a minha menina se chama Mina e agora ela vai ficar comigo e você nem pense em me impedir.

Yewon: Ela não vai mesmo seu idiota, Você negou ela várias vezes, Então agora esquece que ela existe e me deixa em paz também ou eu conto pro meu noivo que você fica me ligando.

Mino: Hahahahaha... Essa ameaça é séria? Cara eu tô morrendo de medo. Te enxerga Yewon, acha que tenho medo de homem? Eu arrebento ele e você também, agora arruma as coisas dela e me passa o endereço da tua casa que eu vou buscar ela e faz isso por bem, ou então eu vou atrás de você com a polícia.

Yewon: Ta bom Mino, não precisa tanto também.

Mino: Huum tem medo de Polícia Yewon?

Yewon: Hã? eu não, eu vou enviar o endereço por mensagem, tchau.

Mino: Tchau.

Ligação off!

Após encerrar a ligação, Mino foi tomar um banho pra esfriar um pouco a cabeça mas de nada adiantou, ele só ficava cada vez com mais raiva. Então depois do banho, ele vestiu uma roupa, se perfumou, pegou sua carteira e a chave do carro e em seguida saiu do quarto. Mino desceu a escada depressa e quando chegou na sala, ele encontrou o irmão e a cunhada brincando com o bebê e o G.D ao ver o irmão ainda bufando de raiva e seguindo rápido na direção da porta de saída, o abordou preocupado.

G.D: Ei ei, onde cê vai? - perguntou ele levantando do sofá e seguindo até o irmão o segurando pelo pulso e o fazendo parar.

Mino: Eu vou buscar a minha filha e nem pense em me impedir. - falou ele ofegante de tanta raiva e o outro o soltou.

G.D: Calma, eu não vou impedir você, vou contigo, se rolar briga nós quebra o cara no pau e tals. - falou ele sorridente pra quebrar o clima chato e a CL levantou com o bebê nos braços, caminhou até o marido, o segurou pelo pulso e o levou de volta pro sofá.

CL: Senta aí e fica quieto, você não vai a lugar algum. Desculpa Mino, mas você entende o meu medo né? - perguntou ela olhando preocupada pro cunhado e o mesmo sorriu fraco, enquanto o G.D a olhava com triste com um biquinho.

Mino: Entendo sim, esse assunto eu preciso resolver sozinho, valeu pela força irmão, tchau. - falou ele calmo e em seguida saiu de casa e o G.D olhou triste pra CL.

G.D: Poxa amor, porque você não me deixou ir? desde que eu voltei você fica me privando de quase tudo e me trata como um bebê. - falou ele manhoso e ela sentou do seu lado e o olhou nos olhos.

CL: Amor entende uma coisa, eu não estou fazendo isso por maldade, eu só tenho medo de acontecer algo com você de novo, eu te amo e não suportaria te perder de novo, por favor me entende. - falou ela em um tom triste e ele a abraçou.

G.D: Ta bom, não fica assim, me perdoa se fui rude ok? - perguntou ele a apertando um pouco e ela lhe deu um beijo no pescoço.

CL: Eu te amo tanto. - falou ela baixo no ouvido dele e o mesmo afastou o abraço e olhou fixo nos olhos dela.

G.D: Eu tambem te amo, vamos subir e descansar um pouco, aproveitar que o bebê dormiu, vem. - falou ele levantando e em seguida ambos subiram pro quarto.

E enquanto isso o Mino seguia pra casa da Yewon, seguindo o endereço enviado por ela. E em um certo espaço de tempo, ele finalmente chegou, a casa não era grande e parecia simples. Mino parou seu carro na calçada, em seguida desceu do veículo e seguiu até a porta de entrada da casa, onde ele bateu algumas vezes e logo ouviu uma voz masculina respondendo do lado de dentro.

Johnny: Ja vai. - respondeu o homem seguindo até a porta e logo a abriu dando de cara com o Mino do lado de fora. Mino olhou sério pro rapaz ao perceber que o noivo de sua ex, não passava de um garoto de praticamente 18 anos.

Johnny: Quem é você? - perguntou ele meio arrogante e o Mino respirou fundo se controlando pra não lhe desferir um soco na cara.

Mino: Eu sou o Mino, pai da filha da Yewon, chame ela pra mim faz o favor. - falou ele calmo o tanto que podia e o garoto o olhou desprezível antes de bater a porta e ir chamar a Yewon.

Mino queimava de raiva do lado de fora da casa da sua ex a esperando, quando derrepente a mesma abriu a porta com a bebê nos braços e ele ao ver sua pequena, sorriu apaixonado.

Mino: Mina, own meu amor. - falou ele carinhoso tomando a menina dos braços da mãe e a mesma revirou os olhos.

Yewon: Olha você vai ficar só dois dias com ela e eu vou buscar. - falou ela grossa e ele a olhou sério.

Mino: Experimenta aparecer na minha casa e eu quebro o teu pescoço. Yewon eu vou entrar na justiça pra ganhar a guarda dela, esse teu mulequinho não vai tocar na minha menina. - falou ele sério e zangado e ela sorriu debochada.

Yewon: Hahaha ta exemplo de pai, Você nunca quis ela e agora quer dá uma de papai do ano, ah vai se ferrar. - falou ela arrogante e ele bufou olhando fixo nos olhos dela.

Mino: Eu sei que neguei ela no começo e um dia vou pagar por isso, mas agora eu quero cuidar dela e você não ouse querer brigar comigo contra isso, porque vai perder feio. - falou ele impaciente e ela sorriu cínica.

Yewon: Adimite logo que ta com ciúmes porque vou casar Mino, eu sei que você queria ta no lugar dele transando comigo toda noite, adimite. - falou ela metida e ele  sorriu fraco.

Mino: É né,  as vezes é bom ter uma boa vadia encima da cama, porque isso você é ótima, mas como mãe e esposa, ja não sei, afinal me mostrou ser totalmente o contrário do que eu achava que era. - falou ele de cabeça erguida e ela o olhou maliciosa.

Yewon: Eu sei que você ainda me quer e basta eu estralar o dedo que você vem igual um cachorrinho pra mim. - falou ela debochada e ele sorriu ladio.

Mino: Yewon, presta atenção no que fala, não cospe pra cima, pois vai sujar a cara. - falou ele meio cínico e ela mordeu o lábio.

Yewon: Um dia você ainda vai vim atrás de mim igual um cachorrinho me pedindo pra voltar e eu não vou te querer seu idiota. - falou ela convencida e ele sorriu fraco olhando em seus olhos.

Mino: Vamos ver então, o mundo da voltas e você pode provar do próprio veneno querida. Agora com licença que eu vou levar a minha Mina pra casa. - falou ele firme e quando foi saindo ela o abordou.

Yewon: O nome dela é Sury. - falou ela séria e ele entrou no carro após botar a bebê na cadeirinha e olhou pra sua ex com um belo sorriso debochado e sexy nos lábios.

Mino: Seja feliz queridinha, bye bye. - falou ele sorrindo cínico e em seguida deu partida no carro voltando pra casa.

E depois que o Mino foi embora, a Yewon fechou a porta e foi pra cozinha pra terminar de fazer o almoço e quando ela chegou lá, deu de cara com seu noivo a esperando encostado no balcão da cozinha todo tristinho, ela então se aproximou dele e o abraçou.

Yewon: Ei porque você ta triste? hun? - perguntou ela afastando o abraço e o olhando nos olhos e ele fez um biquinho.

Johnny: Você ainda gosta dele? - perguntou ele manhoso e ela lhe deu um selinho.

Yewon: É claro que não, eu amo você. - falou ela o abraçando de novo e ele sorriu cínico.

Johnny: Eu também te amo querida. - falou ele a apertando nos seus braços e ela sorriu apaixonada.

 E enquanto isso, Mino chegou em casa com sua filha e ao entrar, encontrou sua mãe brincando com o filho do G.D, ele então se aproximou com a menina nos braços todo sorridente e sentou do lado da mãe e da CL que também estava lá.

Mino: Oi mãe, olha só como a minha menina é linda. - falou ele mostrando a menina pra mãe dele e a mesma olhou desprezível pra menina.

Mãe: Aish, ja falei que essa menina não me interessa e nem tente me aproximar dela. - falou ela fria e em seguida levantou do sofá, entregou o bebê pra CL e subiu as escadas deixando o filho totalmente triste por ver a própria mãe desprezando a filha dele e a CL ao vê-lo daquele jeito, sentou do seu lado e olhou sorridente pra bebê.

CL: Ei, seja bem vinda princesa. - falou ela carinhosa e a menina sorriu fofinha.

Mino: Você viu? Ela não gosta da Mina. - falou ele com voz de choro e a loira lhe deu um beijo no rosto.

CL: Calma, deixa o tempo passar e ela vai acabar amando sua bebê. Agora que tal levarmos eles pro quarto pra acordar o G.D? sei que ele vai amar ver ela. - perguntou ela animada e ele sorriu fraco.

Mino: É, talvez seja bom pra distrair um pouco, vamos lá. - falou ele levantando com sua filha e em seguida ele e a CL subiram com os bebês pro quarto onde o G.D estava e lá eles o acordaram e o mesmo ficou todo bobu brincando com os pequenos.

Alguns dias passaram e o dia da cerimônia de casamento da Yewon chegou e ela foi buscar a bebê mas o Mino não quis deixar ela levar a pequena, eles acabaram brigando de novo, e ela levou a bebê. E Depois que sua filha foi embora, o Mino caiu em um poço de tristeza, ele passou apenas uns dias com a filha e agora ficar um minuto longe dela ja era como uma eternidade, mas ele infelizmente não podia fazer nada, porque a Yewon acabou sumindo depois do casamento e nem atendia o telefone, Então o que restou pra ele foi ficar na saudade.

Mais três meses passaram e o Mino voltou a sua rotina de vida mas sempre com uma tristeza lhe roendo por dentro, mas ele estava lutando pra se formar e dá um bom futuro pra sua pequena, ja que ainda tinha esperanças de vê-la de novo.

E enquanto o Mino vivia bem estudando e agora trabalhando também, a Yewon vivia em um verdadeiro inferno. Yewon com apenas dois meses de casada, descobriu que estava grávida e daí sua vida mudou, tudo virou de cabeça pra baixo, pois seu marido passou a bater nela, ambos só viviam brigando porque ele negava o próprio filho, ele a traía com garotas mais jovens e as vezes passava dias sem dormi em casa bebendo e curtindo a vida de jovem, deixando a esposa sozinha com a filha e um bebê na barriga. A Yewon gostava do seu esposo, mas não gostava daquela vida, ela sempre quis ter uma situação financeira boa, ter um bom marido, uma boa casa e enfim viver bem, mas acabou acreditando em um falso príncipe e agora estava vivendo pior que uma plebéia, quando na verdade agora ela poderia estar feliz com o Mino e vivendo bem, mas preferiu humilhar ele e negar o seu pedido de casamento.

Mais quatro meses se passaram e o Mino se formou, sim ele conseguiu, ele se formou em arquitetura e estava feliz, mas faltava algo pra completar a sua felicidade, que no caso era sua filha. Mino fez de tudo pra achar a Yewon mas não tinha pistas nenhuma dela e de onde a mesma estava morando, mas ele não iria desistir, ele estava disposto até em revirar o mundo de cabeça pra baixo pra achar a sua princesa, mas mau sabia ele que não precisaria fazer nada pra tê-la de volta. 

E tudo aconteceu em uma manhã de sábado, Mino estava pintando de rosa a parede do quarto que escolheu pra sua menina na casa que ele comprou depois de se formar, ele não queria mais levar a menina na casa da mãe dele, pois não aceitaria vê-la rejeitando a pequena de novo, por isso ele comprou uma casa pra que pudesse morar sozinho com a filha. Mino estava distraído ouvindo música e pintando a parede, quando o celular dele tocou, ele pegou o aparelho e ao ver que era um número desconhecido, ele atendeu meio cabreiro.

Ligação on...

Mino: Alô.

Yewon: Oi Mino.

Mino: Yewon? Sua infeliz kd a minha filha? 

Yewon: Calma, ela ta aqui, ela ta bem (choro).

Mino: Porque você ta chorando?

Yewon: Não foi nada não, Mino eu quero pedir uma coisa pra você.

Mino: Fala.

Yewon: Quero pedir pessoalmente. Como faço pra falar com você?

Mino: Cara, no momento eu tô aproveitando o fim de semana pra pintar o quarto da Mina, se você puder vim aqui.

Yewon: Você ta na casa da sua mãe? eu não vou aí.

Mino: Não, eu comprei uma casa pra Mina.

Yewon: Oh que legal, me passa o endereço e eu vou aí agora.

Mino: Ta bom, mas trás ela.

Yewon: Ta bom.

Mino: Ta, o endereço é Rua xxxxx bairro xxxxx casa xx.

Yewon: Ta certo, estou saindo daqui.

Mino: Beleza, tchau.

Yewon: Tchau.

Ligação off!

Depois que a Yewon desligou, o Mino começou a pular e sorri de alegria porque finalmente iria ver sua menina de novo.

Mino: Obrigado meu Deus, obrigado pai, Minha menina vai voltar, aaaah que felicidade. - falou ele agora ajoelhado no chão agradecendo por mais uma graça concedida em sua vida.

Então, duas horas se passaram e o Mino era puro nervosismo e ansiedade em casa esperando a Yewon chegar com a bebê, ele andava de um lado pro outro, toda hora abria a porta e nada dela. Até que em um certo momento ele foi beber água quando a campainha tocou, Mino largou o copo na mesa e saiu correndo pra abrir a porta e quando abriu, se deparou com a imagem da Yewon bem mais magra, com uma barriguinha saliente de 6 meses e sua filha dormia em seus braços, Mino ficou sem ação olhando pra sua ex que um dia ja foi tão bonita e vaidosa e agora estava em um estado lastimante.

Yewon: Não vai me convidar pra entrar? - perguntou ela meio tímida e ele acordou do seu transe.

Mino: Hã? Ah claro, entra. - falou ele abrindo mais a porta e então a garota entrou.

Yewon: Nossa, aqui é bonito. - falou ela olhando adimirada pra casa e ele se aproximou dela.

Mino: Me dá ela aqui, eu vou botar ela na cama. Vem meu amorzinho. - falou ele baixo pegando a bebê e em seguida a levou pro quarto dele, onde a botou na cama, a arrodeiou com os travesseiros e só então voltou pra falar com a Yewon.

Mino: Pronto, agora vamos conversar. Quer comer alguma coisa? Vem, vamos pra cozinha. - falou ele gentil e quando quis ir pra cozinha, ela o abordou.

Yewon: Não Mino, obrigado mas eu não quero nada, só quero que você cuide dela pra mim, por favor cuida bem dela. - falou ela não conseguindo segurar as lágrimas e ele a olhou preocupado.

Mino: Calma Yewon, não chora. Quer falar sobre o que ta acontecendo? E porque ta falando essas coisas pra mim? - perguntou ele a olhando confuso e ela abaixou a cabeça, botou as mãos na barriga e chorou ainda mais.

Yewon: Minha vida não ta boa Mino, ele me bate muito e me trai, ele não quer o nosso bebê e por isso decidi trazer a nenem pra você, porque sei que vai cuidar bem dela. - falou ela entre lágrimas e ele a olhou sério.

Mino: Ta vendo só o resultado da tua burrice? da tua cabeça dura? hun? Você poderia ser dona dessa casa, ser minha esposa, esse filho aí podia ser meu, mas não, você quis dá uma de cu doce né e acabou ganhando o prêmio de trouxa do ano. - falou ele sério e firme e ela botou as mãos no rosto enquanto chorava sentindo o peso daquelas palavras verdadeiras que saiam da boca dele.

Yewon: Me perdoa Mino, eu adimito que fui burra e errei feio, mas não vou atrapalhar você, eu vou resolver tudo isso, ja garanti o futuro da Sury e agora vou garantir o dele ou dela. - falou ela entre lágrimas fazendo carinho em sua barriga e ele respirou fundo passando as mãos no rosto.

Mino: Aaaarrsh Porra Yewon você é foda, burra, idiota, doida, Aaaar que raiva, que vontade que tô sentindo de dá uns tapas nessa tua cara, você acabou com a tua vida por ser burra. - falou ele impaciente e ela o olhou triste.

Yewon: Me bate se quiser, eu ja acostumei mesmo. - falou ela trêmula e ele sorriu fraco.

Mino: Eu não sou ele e nem sou o Mino de antes. O que você vai fazer com o bebê que espera? - perguntou ele sério e ela voltou a chorar passando as mãos na barriga.

Yewon: Eu vou entregar ele pra adoção e vou tentar seguir enfrente sozinha. - falou ela entre soluços e ele deu um murro na parede.

Mino: aaaaarsh mais que merda Yewon, você come bosta garota? como vai entregar o teu filho pra adoção? ta doida? ta usando droga? - perguntou ele alterado e ela o olhou triste com seus olhinhos inchados de chorar.

Yewon: Droga Mino, pára de falar assim comigo, eu ja falei que sei que errei, mas não posso fazer nada. Droga eu amo os meus filhos mas não posso ficar com eles, eu não tenho como sustentar, comprar roupas e nem nada, não tenho nem pra mim, ando parecendo uma mendiga. Eu não posso continuar com ele e apanhar até a morte e ainda deixar essa criança crescer no meio disso, ele não quer o próprio filho, Então eu vou entregar ele pra quem cuide bem dele e lhe dê uma boa vida. - falou ela entre lágrimas de um choro sofrido e ele se aproximou dela, ergueu seu rosto a fazendo olhar em seus olhos e a surpreendeu com suas palavras.

Mino: Então dá ele pra mim. - falou ele calmo e ela arregalou os olhos.

Yewon: Hã? É... É o que? - perguntou ela pasma e ele sorriu fraco ainda olhando em seus olhos.

Mino: É isso mesmo que você ouviu, eu quero o seu bebê, eu vou cuidar dele e vou dá tudo que puder pra ele e pra Mina, mas com uma condição. - falou ele firme e ela ficou assustada.

Yewon: Que... que c-condição? - perguntou ela gaguejando e mais uma vez foi  surpreendida por ele que uniu seus lábios em um beijo leve e em seguida sussurrou.

Mino: Quero que você venha junto. - falou ele baixo entre o beijo e ela começou a chorar.

Yewon: Mino... - falou ela entre lágrimas e ele a abraçou forte.

Mino: Não chora, eu quero cuidar de vocês sua teimosa, você não era nem pra ter saído da minha vida e ta passando por isso agora, mas tudo bem, ja passou, agora larga ele e volta pra mim. Hun? aceita? aceita ser minha esposa, mãe dos meus filhos e viver como uma rainha ao meu lado? - perguntou ele a olhando nos olhos e ela o abraçou pela cintura.

Yewon: Eu aceito sim Mino, eu te amo tanto, me perdoa por tudo por favor. - falou ela entre lágrimas agora de felicidade e ele separou o abraço e olhou cínico pra ela.

Mino: Perdoar? Eu posso até perdoar você, mas primeiro você merece uma surra por ter sido tão teimosa, vem comigo. - falou ele a pegando pelo pulso e seguindo com a mesma pro banheiro, onde eles nem bem entraram e ele ja foi tirando suas roupas e a beijando enquanto seguia com ela pro chuveiro.

Yewon: Aaah Mino espera, espera a Sury, ela pode acordar. - falou ela preocupada enquanto ele a beijava o pescoço e apertava seus seios.

Mino: Xiiiiii caladinha, ela não vai acordar agora e não tente fugir do seu castigo, agora geme daquele jeitinho pra mim, do jeito que você sabe que eu adoro. - falou ele meio ofegante e em seguida a virou de costas e deu uma palmada em cada lado de sua bunda enquanto chupava seu pescoço a fazendo gemer.

Yewon: Aaaaawwwwnnn que saudade disso, de sentir você, eu te amo Mino. - falou ela entre gemidos e ele pegou a mão dela que estava com a aliança de casada, tirou a mesma e jogou fora no ralo.

Mino: Pronto, acabou, agora você é só minha de novo. - falou ele ofegante e roco voltando a beijar o pescoço dela enquanto ligava o chuveiro e em seguida separou um pouco as pernas dela, a vergou um pouco e começou a penetrar seu membro na intimidade dela bem devagar, a fazendo gemer espremendo os olhos.

Yewon: Ooooowwwwnnn que delícia aaaah aaaaahh aaaahh. - gemeu ela sentindo sua intimidade sendo invadida pelo membro grande e grosso do seu amado e o mesmo começou a rebolar bem devagar.

Mino: Tão gostosa huuuum Huuum aaaaar minha nossa, você é minha ta ouvindo? hun?. - perguntou ele em um gemido roco e logo começou a desferir estocadas não tão fortes nela que gemia e arranhava o piso da parede de tanto prazer.

Yewon: Aaarr aaar você me chamou de vadia aaaahhh e me distratou huuuum. - falou ela entre gemidos enquanto ele a estocava e o mesmo segurou seus cabelos e sussurrou em seu ouvido.

Mino: Eu sei o que falei e você mereceu porque se comportou como tal, mas agora vai andar na linha, ok? - perguntou ele em sussurros e ela mordeu o lábio.

Yewon: Anrham. - respondeu ela trêmula de tanto prazer se deliciando daquela bela transa.

E após passarem um longo tempo transando debaixo do chuveiro, o Mino e a Yewon finalmente gozaram e depois os dois tomaram banho com direito a carinhos dele na barriga dela. E depois do banho, Mino vestiu uma roupa e a Yewon vestiu uma camisa comprida dele e foi tempo que a bebê acordou e eles foram pro quarto onde ela estava e ao chegarem lá, eles sentaram na cama, a Yewon do lado da bebê e o Mino atrás da Yewon.

Yewon: Ei, não chora sua manhosa, a mamãe ta aqui e o seu papai também. - falou ela pegando a bebê nos braços e o Mino sorriu feliz vendo a cena da sua amada fazendo carinho na filha deles.

Mino: Eu amo vocês e vou amar ele ou ela também e vou cuidar de vocês. -  falou ele fazendo carinho na barriga de sua amada e a mesma lhe deu um selinho.

Yewon: Obrigado Mino, obrigado por tudo, eu te amo muito. - falou ela emocionada com a testa encostada na dele e o mesmo lhe deu um cheiro no pescoço.

Mino: Ok. Agora que tal comermos? Hun? Vamos pra cozinha que eu vou preparar um lanche bem gostoso pra minha princesa, pra minha rainha e pro meu príncipe ou princesa que ta chegando, venham. - falou ele pegando a bebê dos braços da Yewon, em seguida pegou a mesma pelo pulso e seguiu sorridente com sua família pra cozinha.

" É bom e certo perdoar, pois com isso você tira dos ombros e do peito, um grande peso e só assim poderá viver feliz e em paz".


Notas Finais


Me desculpem quem não apoia esse casal, mas eu os amo juntos, Então aceita.
Beijos e até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...