História As aventuras de um Jovem - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Romance, Sexo, Vampiros
Exibições 113
Palavras 1.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem :)
Ps.: Se encontrarem algum erro de ortografia, me notifiquem, por gentileza...

Só para constar que troquei o nome da fic....espero que não se importem

Curtam o capítulo...

Capítulo 12 - Uma nova Vida


Passada a mumificação de Jane, voltei para casa dela, onde eu iria morar dali pra frente. Ah, não contei pra vocês, mas acharam um testamento de Jane. Ele estava no cofre do banco. Ele dizia o seguinte:

"Eu sou Jane Richmond e esse é meu testamento:
Para minha mãe, deixo o jogo de panelas que a vovó me deu e todo o dinheiro que estiver no cofre junto com este testamento.
Para o amor da minha vida, Sammy Burns Parker, deixo o restante dos meus bens, incluindo casa, carro, jóias e todo o resto. Para Melissa Richmond, deixo o amor de Sammy. Peço a ela que cuide dele por mim.
                  Ass: Jane Richmond"

Eu estranhei muito aquela atitude. Como assim ela poderia dar meu amor pra alguém? Eu não fiquei com raiva dela, mas era estranho. Agora, eu e Melissa estávamos iniciando uma vida juntos, mas seria difícil esquecer de alguém: Leyla. Tinha 897 recados dela na secretária eletrônica. Eu não ia ouvir todas aquelas mensagens. Liguei pra ela e ela atendeu no primeiro toque.
- Sinto muito pela sua perda - disse ela - Agora já pode voltar pra mim e pro seu filho
- Leyla, eu não posso. Estou com outra e que não é você. Eu achei uma pessoa que assumiu o lugar de Jane
- O QUÊ? - gritou ela pelo telefone - Você me trocou de novo? Ah, Sammy eu vou ferrar com a sua vida! - E desligou.
- Jane me contou sobre ela - disse Melissa que estava bem atrás de mim - Ela parece bem ameaçadora.
- Se Jane te contou, então sabe que sua vida corre perigo, não é? Ninguém sabe o que Leyla é capaz de fazer, ainda mais agora que Jane morreu e eu não aceitei voltar pra ela. Sua vida aqui corre....
- Shhh - fez Melissa com o dedo nos lábios indicando pra eu ficar em silêncio - Nos encontramos e passamos a nos amar, certo? Eu não vou te deixar - disse ela.
Ela veio até mim e me beijou. A única dúvida que eu quero ter na minha vida é como as mulheres na família de Jane conseguem fazer um homen delirar só com um beijo. Aquele beijo doce e leve, que vai ficando voraz gradativamente. Você sente o desejo e vai liberando elr aos poucos e isso torna um beijo o melhor de todos. O beijo foi se intensificando, Melissa levou suas mão à minha cabeça e eu desci as minhas mãos até a sua bunda e comecei a apertá-la. Aquilo foi se repetindo: ela afagava meus cabelos e eu apertava sua bunda. Ela desceu seus lábios até o meu pescoço. Começou a beijá-lo. Geralmente dou eu quem faz isso, mas eu não ia estragar o momento. Enquanto beijava meu pescoço, ela desabotoava minha camisa e a tirava. Joguei a camisa no chão e disse que era minha vez de explorá-la. Comecei a fazer o mesmo que ela e beijar seu pescoço, enquanto tirava sua blusa e abria o sutiã. Ela abriu minhas calças. Fez eu parar de beijá-la, ajoelhou-se e abocanhou meu sexo. Começou com chupadas de leve e foi ficando mais rápido. Ela chupava meu pênis como uma criança chupa um pirulito. Ela parecia não se cansar de fazer aquilo. Chupava e chupava e eu delirava com aquela sensação. Tirei meu pênis da sua boca e a levantei. Peguei-a no colo e levei pro quarto. Quando chegamos lá, a joguei na cama, tirei o short que ela estava vestindo e admirei aquela visão. Uma calcinha branca com uma manch úmida. Ela estava molhada e isso era bom. Tirei aquela calcinha, lambi seu clitóris e depois beijei uma de suas pernas, depois a outra e depois beijei sua vagina. Ela começou a protestar:
- Porra, Sammy! Anda logo com isso! Tá me deixando louca - ela era impaciente. Igual a Jane.
- Mas essa é a ideia - falei rindo - Te deixar louca.
Quando ela ia falar, eu abpcanhei seu sexo violentamente ela começou a gemer. Ela havia pedido, então ia ter que aguentar. Além da língua, introduzi dois dedos em sua vagina e começei fazer movimentos rápidos e agressivos. Ela gritava pedindo mais. Ela não era nem um pouco discreta, me deixava mais excitado ainda com aqueles gritos. Estava começando a ficar interessante e delicioso.
- Sammy.....Ahhh.....eu vou.....Ahhh......Ahhhh........Ahhhh.....Ahhhh - ela não conaeguiu terminar a frase e gozou em mim. Começei a chupar sua vagina novamente. Queria sentir aquele gosto, que era uma delícia por sinal. Suas pernas tremiam e ela respirava pesadamente, mal conseguia falar.
- Nossa.....o que.....foi......aquilo.....Sammy.....você......é.....uma máquina......de......prazer....Ahh...- disse ela, se recompondo. Esperei ela se recompôr, mas não sem aproveitá-la. Abocanhei um de seus seios durinhos e começei a brincar com eles. Alternava entre um e outro, enquanto ela gemia baixinho. Quando ela já estava recomposta, ela subiu por cima de mim e disse:
- Agora é minha vez de brincar
Dito isso ela começou a beijar corpo, descendo até o meu sexo e o abocanhando com uma vontade que me deixava louco. Ela chupava com uma rapidez incrível. Alternava entre chupadas e lambidas, contornava a glande do meu pênis com a língua e o abocanhava novamente. Eu estava delirando com aquilo. Ela parou dr chupar e começou a me masturbar. Usava as mãos com habilidade, me fazendo delirar. Começou a fazer movimentos rápidos, até que eu não aguentei e gozei. Gozei em seu rosto. Achei que ela ia se irritar, pelo contrário, ela parecia estar amando aquilo. Abocanhou novamente meu pênis, e eu que já estava louco por ela, começei a ficar ainda mais. Ela parou de me chupar e, enquanto eu me recompunha, ela foi lavar o rosto.
Quando me recompus, ela me deitou na cama e subiu em cima de mim. Desceu. Sua vagina era apertada. Aquilo era uma delícia. Ela subia e descia e pulava, como em um trampolim. Coloquei minhas mãos em sua bunda e ajudei a subir e descer. Virei-a de lado e começei a penetrá-la com um pouco mais de força, enquanto ela gritava e pedia mais e mais. Ela parou e ficou de quatro. Sua bunda fazia perfeitamente a forma de um coração. Em vez de penetrá-la, abocanhei sua vagina. Era muito melhor chupá-la naquela posição. Introduzi meu pênis naquela vagina apertada e ela gritou. Primeiro com movimentos pequenos e fui aumentando a velocidade gradativamente. Logo eu parecia o flash de tão rápido. Fizemos aquilo por muito tempo até que eu não aguentei. Tirei meu pênis de sua vagina e gozei em suas costas. Estávamos exaustos. Ela queria tomar banho, mas estávamos cansados demais pra levantar daquela cama, então caímos. Ela recostou a cabeça em meu peito, como Jane fazia. Puxei a coberta, nos cobrindo e adormecemos. Era a primeira vez desde a morte de Jane que eu me sentia feliz. Eu tinha dado início a uma nova fase. Eu estava vivendo uma nova vida....


Notas Finais


Espero que tenham gostado ;)

Nos vemos no próximo???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...