História As Bodas em Rozan - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Dohko de Libra, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Jabu de Unicórnio, Kiki de Áries, Miho, Mu de Áries, Personagens Originais, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shunrei, Tokumaru Tatsumi
Tags Amizade, Casamento, China, Romance, Saint Seiya
Exibições 62
Palavras 3.356
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Segundo capítulo! Espero que gostem e mais uma vez me desculpem pelos erros de português!

Capítulo 2 - Sobre raízes e amizades


Fanfic / Fanfiction As Bodas em Rozan - Capítulo 2 - Sobre raízes e amizades

Algumas semanas haviam se passado e o casal apaixonado havia escolhido a data: 20 de Abril, aniversário de Shunrei, como era de costume entre os Chineses para trazer boa sorte. Contariam também com a época em que Rozan ficava ainda mais bela, já que seria o auge da primavera.

Shunrei, que era muito prendada, fazia os convites, usando um lindo papel cartão vermelho, no qual recortava com carinho desenhos vazados de flores e folhas. Ela estava sentada no chão da pequena sala da casinha onde moravam e usava uma mesinha baixa para fazer os recortes.

Ela estava quase terminando quando teve seus pensamentos capturados por um medo antigo que possuía. Naquele momento ela estava tão feliz, mal podia acreditar que em breve se casaria com o amor da sua vida. Mas, e se toda aquela calmaria acabasse, assim, de repente? Com certeza em algum momento Athena precisaria de seu Cavaleiro de Dragão e ele partiria novamente. Tantas vezes ele estevivera perto da morte.... como quando no Torneio da Guerra Galactica em que seu coração parou de bater, ou quando ela o viu ascender aos céus como uma estrela cadente, ou quando sentiu que ele quase caíra no Yomotsu ou quando ele, estando cego, quase desistiu de viver.

Lágrimas começaram a cair nos papéis que ela cortava, fazendo-a parar por um momento.

_Shunrei, o que houve? - disse Dohko, quando entrando na casinha a viu chorando.

_Ah Mestre... eu, eu estou tão feliz que estou com medo. – respondeu a moça.

_Como assim, Shunrei? Me explique melhor.

_Mestre, estou tão feliz que Shiryu e eu vamos nos casar que estou com medo de que essa felicidade acabe. Nunca me senti tão feliz assim na minha vida, nós já passamos por tantas coisas que me aperta o peito pensar que essa felicidade pode ser interrompida a qualquer momento... eu não suportaria perder Shiryu...o senhor sabe que ele é minha vida... - disse ela, soluçando, não conseguindo conter a emoção que sentia.

_Ora Shunrei minha querida, você sabe que o destino fez de Shiryu um dos Sagrados Cavaleiros de Athena, que lutam pela justiça, pela amizade e pela paz a favor da humanidade... e sabe que Shiryu ama seu dever e se entregaria sem pensar de corpo e alma por esse ideal. Mas os muitos anos que vivi me ensinaram que o amor é capaz de muitos milagres, você mesma já percebeu isso hehehe.... Acalme esse seu coração aflito, Shiryu com certeza ainda enfrentará inúmeras batalhas mas ele sempre voltará pois ele a ama e será guiado por este amor. Shiryu é como uma árvore que fincou raízes fortes no solo, não importa o vento ou a chuva que caiam sobre ele, suas raízes o manterão de pé. - concluiu Dohko, que limpava as lágrimas de sua filha adotiva com um lencinho - Mas... um casamento é uma decisão muito importante, você quer adiar e pensar melhor? - Perguntou Dohko, sério.

_De jeito algum. Quero me casar com ele! Embora eu tenha medo, dentro de mim eu sei que juntos podemos enfrentar qualquer coisa. - respondeu ela, ja recomposta do choro.

_Qualquer coisa, Shunrei. Qualquer coisa, entendeu bem? - Disse Shiryu, que entrava na sala naquele momento. - Com você ao meu lado, eu iria e voltaria do inferno quantas vezes fosse necessário. – ele aproximou-se de sua noiva e beijou ternamente sua testa.

_Que bom então que ainda teremos um casamento hehehe. Ah Shunrei, Shiryu, vocês não sabem a alegria que estão dando a esse meu velho coração! - disse o Mestre sorrindo.

Os três se abraçaram com muito carinho.

 

___________________________

 

MANSÃO KIDO, ALGUNS DIAS DEPOIS

 

_Tatsume! - Chamava Saori, que estava em seu escritório.

_Sim Senhorita, o que deseja ? - respondeu o mordomo.

_Shiryu me mandou uma mensagem, ele estará chegando amanhã juntamente com Shunrei e irão ficar alguns dias por aqui. Por favor arrume quartos e providencie um motorista para buscá-los no aeroporto.

Saori entrou em contato com Seiya e Shun, que estavam no Japão, para que eles soubessem que o amigo estaria chegando em breve. Fazia tempo que Os Cinco Cavaleiros de Bronze mais fortes não se reuniam. Infelizmente Ikki não dava as caras e não respondia a mensagens de Saori a algum tempo e Hyoga havia ido até a Sibéria para visitar Jacó e os moradores da vila em que ele cresceu. Então ter três deles alí era motivo de alegria.

Ela, que agora passava mais da metade de seu tempo no Santuário estava feliz em poder se encontrar com eles novamente naquela época de calmaria e naquela casa onde tudo começou.

No dia seguinte, Seiya e Shun esperavam ansiosos por Shiryu no jardim da Mansão.

Quando o carro chegou e o casal desceu, eles saíram de encontro para recebê-los.

_Shiryu, amigo!! - Disse Shun, abraçando o Cavaleiro de Dragão.

_Que bom ver você, Shun! – respondeu ele.

Todos se abraçaram e se cumprimentaram e seguiram para a Mansão, aonde Saori os aguardava na sala.

_Shiryu, Shunrei, que ótimo te-los aqui, sejam bem vindos! - Disse Athena, sorrindo e os abraçando.

_Saori, muito obrigado por nos receber. Bem, estamos muito ansiosos para lhes contar a novidade então não queremos esperar.... Eu e Shunrei viemos até aqui pois vamos nos casar em 1 mês – disse ele, com um largo sorriso.

_Shiryu, mas que ótima notícia meu amigo!! - Comemorou Seiya.

Shun e Saori começaram a chorar. Saori, mais contida do que Andrômeda, limpou as lágrimas que escorriam de seu rosto com a luva que usava em suas mãos e disse:

_Querido Shiryu, Shunrei, que novidade maravilhosa. Estou muito feliz, desde já parabéns que vocês sejam muito felizes.

Shun, que mal podia falar devido a emoção e o choro em saber da notícia disse abraçando Shunrei:

_Estou tão feliz..... por vocês... que momento lindo.....

_Ah Shun você sempre muito emotivo não é? – disse Seiya rindo e fazendo todos os outros rirem.

Depois de todos devidamente instalados e jantados, Shunrei entregou os convites para Saori e para os dois cavaleiros.

_Muito lindo o convite, Shunrei – disse Seiya.

_Obrigada Seiya, eu mesma fiz. Shun, por favor entregue o convite para o Ikki. - disse ela olhando para Shun e recebendo um aceno com a cabeça de volta. - Ah, Srta. Kido, Shiryu e eu temos uns pedidos pra lhe fazer – continuou.

_Sim, Saori, poderia por favor entregar este convite para Mú no Santuário? Ele e o mestre ancião são muito amigos e seria muito bom se ele pudesse ir, juntamente com Kiki. - disse Shiryu entregando um outro convite nas mãos de Saori. - Agora o outro pedido... bem, gostaríamos de que você pudesse realizar a cerimônia de nosso casamento, se não for muito incômodo. Gostaríamos da benção de Athena na nossa união – disse Shiryu, segurando as mãos de Shunrei.

_Shiryu, Shunrei, considerem o convite entregue e poxa... me sinto muito honrada por este pedido! Não sei se estou à altura deste evento tão maravilhoso que será o casamento de vocês, mas, com certeza farei a cerimônia. Shiryu você é um dos meus mais leais Cavaleiros, e além disso, é um grande amigo para todos nós. Shunrei você é um amor de pessoa e a considero uma amiga também. Muito obrigada por confiarem a mim uma tarefa tão especial. - completou Saori, novamente com lágrimas nos olhos.

Shun começou a chorar novamente.

_Ora Shun está chorando de novo?- disse Seiya, colocando uma das mãos no ombro do amigo – Imagina então no dia do casamento!

Todos riram. Fazia tempo que o riso era tão dominante naquela casa.

 

___________________________

 

No dia seguinte, Shiryu, Shunrei, Seiya e Shun foram até o orfanato Filho das Estrelas. Como Hyoga estava longe, eles entregariam para Eiri, sua namorada, o convite. E Shunrei queria convidar Miho, que era uma de suas poucas amigas.

Eles chegaram ao orfanato e foram recebidos com alegria pelas crianças, que logo se dependuraram nas costas dos Cavaleiros.

_Você trouxe doces pra nós Shunrei ??? - perguntou Makoto, puxando a barra da blusa da chinesa.

_Que isso Makoto, isso são modos? Deixe ela em paz e vá lá amolar o Seiya – respondeu Miho, enxotando o menino.

_ Hummm eu queria mesmo era os doces que ela faz, eu nunca esqueci como são gostosos yam yam... - disse Makoto se afastando das duas e e esfregando a mão sua barriga.

Elas riram e Shunrei contou as novidades para Miho, que a abraçou.

_Parabéns Shunrei, que alegria!! Sempre torci muito para que o Shiryu fizesse logo este pedido, e eu jamais perderia essa ocasião tão especial. Vou falar com a Senhorita Kido para que ela arrume alguém para cuidar das crianças, pois a Eiri e Hyoga com certeza também irão ao casamento. Ah, aproveitando, queria contar uma novidade para você, eu estou namorando...

_Que ótima notícia, Miho! Quem é ele? - perguntou Shunrei, segurando as mãos da amiga.

_Ele se chama Jabu, talvez você se lembre dele da Guerra Galáctica. Ele também é um dos Cavaleiros de Athena, é da constelação de Unicórnio. Já fazem alguns meses...

_Que bom amiga! Fico muito feliz que você tenha encontrado o amor! Quero saber de todos os detalhes de como que isso aconteceu...e, pode leva-lo se quiser, seria um prazer te-lo lá conosco – disse Shunrei.

Elas conversaram por mais algum tempo sobre o namoro de Miho, quando uma bola passou voando por entre as duas, que depois do susto, encararam bravas os três rapazes que estavam jogando futebol com as crianças. Eles estavam parados, tentando disfarçar colocando as mãos nos cabelos e olhando para os lados.

_Vocês são piores que as criança! Seiya tenho certeza que foi você, você não toma cuidado não? Poderia ter machucado a gente no rosto!!! - disse Miho se levantando e continuando a dar-lhes uma longa bonca.

Shunrei, observando a cena riu com a mão cobrindo a boca para que a amiga não visse e sobrasse bronca para ela também.

 

Naquela mesma tarde, os três Cavaleiros foram até o apartamento de Seiya na marina, para jogar video game e colocar o papo em dia. Shunrei decidiu voltar para a mansão pois queria falar com Saori.

_Senhorita Kido, com licença – disse ela, batendo timidamente na porta do escritório.

_Shunrei querida, entre, não precisa bater – respondeu Saori amigavelmente.

_Srta. Kido, eu gostaria de te pedir um favor... a senhorita poderia me falar onde eu posso comprar um tecido para meu vestido de noiva? Aliás vestidos...segundo a tradição usarei dois. Preciso começar a fazê-los assim que voltarmos para Rozan.

_Claro Shunrei, sabe, hoje não tenho muitas pendências e nada é urgente, vamos juntas até algumas lojas , o que acha? Eu adoraria acompanha-la na compra dos tecidos.

_Obrigada Srta. Kido – disse Shunrei, sorrindo.

 

 

Saori pediu a Tatsume que providenciasse um motorista, que as levou até uma rua onde haviam inúmeras lojas de tecido e coisas para corte-e-costura. Shunrei desceu do carro, maravilhada, olhando ao seu redor. Muitas lojinhas, uma do lado da outra, várias pessoas andando apressadas segurando sacolas e carrinhos, muitos cartazes e placas luminosas, ela nunca tinha estado em um local assim. Isso não passou desapercebido de Saori, que a viu olhando boquiaberta para aquele cenário.

_Tem uma loja que gosto muito, tem vários tecidos lindos, vamos até lá – disse Saori, entrelaçando seu braço com o de Shunrei.

As duas mocinhas chegaram então até uma loja grande, onde foram prontamente atendidas.

_ Ah, Ah, Senhorita Kido, que bom vê-la aqui novamente, quanto tempo a Senhorita não vinha... - disse um vendedor, meio atrapalhado, correndo ao encontro das duas e fazendo uma reverência.

Saori era uma freguesa antiga e sempre gastava uma boa quantidade com suas compras, e isso fazia dela uma presença mais do que querida naquela loja.

_Olá Otake, como tem passado? Hoje vim trazer esta mocinha, ela se chama Shunrei e quero que a ajude a encontrar tecidos maravilhosos para seus vestidos de noiva.

_Claro Senhorita Kido, vou buscar os rolos mais finos que temos! A senhorita Shunrei com certeza vai achar os tecidos de que precisa e que estejam à altura de um dia tão especial – disse o vendedor, dirigindo-se para o fundo da loja.

Shunrei olhou para o chão, um pouco envergonhada. Então disse:

_Senhorita, obrigada por me trazer aqui mas eu creio que não poderia pagar algo tão elegante como as coisas que vendem nesta loja... me desculpe. Poderiamos ir a algum local mais simples?

_Shunrei... por favor, quero que aceite os tecidos como um presente de casamento meu para você. Shiryu é muito querido por mim, como eu disse ele é um grande amigo e um dos mais leais cavaleiros que lutam por nossa causa, e sendo você sua futura esposa a considero parte de nossa família. Por favor aceite este presente, e também se me permite, gostaria de que minha costureira fizesse os vestidos para você, assim você teria mais tempo com as demais preparações do casamento.

_Senhorita... eu, eu não sei o que dizer... muito obrigada! – disse Shunrei com lágrimas nos olhos.

Saori a abraçou e disse:

_Por favor, me chame de Saori. Não tem porquê ficarmos com formalidades, somos família agora.

Shunrei consentiu com a cabeça, sorrindo.

 

Shunrei escolheu um tecido vermelho bem vivo como base e um tecido fino, transparente, preto, com delicados dragões bordados para ir por cima de seu vestido principal. Depois escolheu um tecido branco, com detalhes em vermelho e dourado que formavam roseiras para o vestido que usaria em uma das partes do casamento. Era costume dos Chineses que o vermelho estivesse presente por todas as estapas da cerimônia, para trazer fartura, boa sorte e fertilidade ao casal. Após comprarem tudo que seria necessário, Saori levou Shunrei até uma loja de sapatos, onde a presenteeou com um lindo par de sapatos novos para o grande dia. Seguiram então para a costureira.

Subiram as escadas de um pequeno sobrado e foram recepcionadas por uma mulher baixinha, de meia idade, bem gordinha e que usava muita maquiagem . Ela usava um avental cheio de agulhas e alfinetes, e haviam fitas métricas e tesouras em seus bolsos.

_Senhorita Kido, que alegria em receber a Senhorita e sua amiga!

_Boa tarde Sra. Hinoto, temos uma encomenda muito especial para lhe fazer – respondeu Saori.

 

Depois de conversarem e Shunrei dizer suas idéias para a costureira, esta desenhou croquis dos modelos que tinha em mente. Shunrei olhou maravilhada para os desenhos, ela sabia costurar porém jamais conseguiria fazer algo tão lindo como aqueles desenhos.

A Sra. Hinoto posicionou Shunrei em uma pequena plataforma de uma saleta que era rodeada de espelhos e começou a medi-la. Saori estava sentada em uma poltrona na mesma sala. Elas se divertiam com a situação, enquanto conversavam e davam risada. A costureira posicionava os tecidos sobre Shunrei, para falar dos modelos. Saori então se perdeu em pensamentos.

Apesar de ela ser a encarnação de uma Deusa, Saori era muito romântica. Ver Shunrei ali, toda feliz, tirando as medidas de um vestido de noiva a fez pensar em como gostaria de viver um dia assim. Se imaginou naquela plataforma, provando um lindo vestido de princesa, todo bordado, e com véu nos cabelos. Imaginou-se entrando, segurando um buque de flores no Templo de Athena no Santuário, sendo assistida por todos seus amigos e por todos os cavaleiros de ouro que formavam duas filas ao redor de um tapete vermelho por onde ela passaria. E no fim do tapete imaginou Seiya, com um lindo terno branco e uma flor vermelha na lapela.... ela estava sorrindo com esse pensamento quando percebeu que a costureira a chamava.

_Senhorita Kido? Senhorita Kido? O que acha? Melhor assim ou do outro jeito?

_Ah, me desculpe, acho que do modo que Shunrei preferir estará perfeito – disse ela, um pouco constragida por ter sido pega em devaneios.

 

Depois de tudo acertado na costureira, elas foram até um café aonde se podia acariciar e brincar com gatinhos enquanto se degustava as guloseimas e bebidas que o local oferecia. Passaram uma tarde gostosa, entre amigas. Saori estava muito feliz, ela raramente tinha a oportunidade de ter companhias femininas e gostava muito de Shunrei. Com a vida que levava, sentia falta de ter amigas então em seu íntimo, agradecia a Shunrei por estar dando-lhe momentos tão felizes e normais como qualquer mocinha gostaria de ter.

O tempo passou rápido e quando chegaram de volta à Mansão já era noite.

_Shunrei minha flor, pensei que tinha desistido de casar e fugido! – disse Shiryu, sorrindo e indo de encontro até sua noiva.

_Hahaha Shiryu, me desculpe, a culpa foi minha. Nos divertimos tanto esta tarde, Shunrei é uma companhia muito agradável, foi muito divertido o tempo que passamos juntas, obrigada Shunrei.... Bem, vou me retirar, boa noite para vocês. – disse Saori, seguindo para seu quarto.

_Boa noite Senho... digo, Saori. E obrigada mais uma vez, por tudo. – respondeu Shunrei.

 

 

______________________________

 

ORFANATO FILHO DAS ESTRELAS

Shunrei acordou cedo, eles iriam embora naquela tarde porém ela queria fazer algo. Pediu licença para Saori e sua cozinheira e usando alguns ingredientes da dispensa, fez uma enorme travessa de doces, que levou ao Orfanato junto com Seiya, Shun e Shiryu.

_DOCES!!!!!!!!! - gritaram as crianças, se atropelando e quase derrubando a chinesa de tanto entusiasmo.

_Pois podem parar agora, todos vocês. Ainda não almoçamos, doces só depois – disse Eiri, contendo o mar de crianças eufóricas.

Depois de comerem as crianças se deliciavam com os doces de Shunrei quando Seiya pegou um violão e começou a tocar. Eiri, que era boa cantora, começou a cantar uma bela música.

_Nossa Miho, como a Eiri canta bem – disse Shunrei - Ela tem uma voz tão doce e linda...

_Tem mesmo! E esse é um dos motivos que faz o Hyoga ser tão apaixonado por ela – respondeu Miho. - Ah, esculta Shunrei, porque você não pede para ela e Seiya tocarem no casamento? Tenho certeza que eles fariam isso.

_Olha Miho gostei da idéia! – respondeu Shunrei.

 

Antes de ir embora do orfanato e ir para o aeroporto, Shunrei pediu a Seiya e Eiri que fizessem a parte musical de sua cerimônia, pedido que foi aceito com alegria pelos dois. Todos então conversaram sobre os detalhes do grande dia e ficou acertado que eles iriam alguns dias antes de 20 de Abril para Rozan. Saori havia oferecido o seu jato então todos poderiam partir juntos. Como o costume era de que alguns dias antes do casamento os noivos não convivessem por muito tempo, Shiryu e os demais meninos iriam para uma pousada que ficava num pequeno vilarejo ao sul de Rozan e as meninas ficariam juntamente com Dohko na pequena casa onde moravam.

_Ah Shunrei, ontem falei com Jabu e ele irá conosco para Rozan! – disse Miho sorrindo.

_Oi? Como? Jabu vai ao casamento? - perguntou Seiya, pegando Miho de surpresa.

_Mas claro que ele vai Seiya, ele é meu namorado e Shunrei me disse que eu poderia convidá-lo. Qual o problema? - perguntou Miho, meio brava.

_Bem é que, é que, ele não é muito próximo e... - gaguejou o Pégasus.

_Ele vai ser muito bem vindo para ficar conosco na pousada, Miho – interrompeu Shun - Avise para ele dos nossos planos e que estamos ansiosos para revê-lo. Faz tempo em que o vimos da última vez e vai ser muito bom que ele esteja lá também – continuou, olhando sério para Seiya que fazia uma careta de desagrado.

_Bem Shun se é o que você diz... - continuou Seiya fazendo Miho encará-lo brava novamente.

_Amigos, a conversa está boa, mas precisamos partir. Nosso voo sairá em poucas horas e não podemos nos atrasar. Nos vemos em um mês então! - disse Shiryu bem a tempo de evitar maiores discussões sobre a presença de Jabu em Rozan.

Todos se despediram e foram embora do orfanato.

_Parece que o Seiya nao ficou muito feliz com a ida do Jabu para o casamento, né Miho? - disse Eiri com um risinho.

_Ah minha amiga, nem me fale. Estou pressentindo problemas – respondeu ela.


Notas Finais


Estou ansiosa para que este mês passe logo e chegue logo o grande dia!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...