História As brisas de uma primavera - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Sehun, Xiumin
Tags Abo, Baekyeol, Chanbaek, Exo, Sekai, Wolf, Xiuchen
Exibições 260
Palavras 2.559
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa noite gente, obrigada pelos 200 favoritos e os comentários anteriores <3

boa leitura~

Capítulo 4 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction As brisas de uma primavera - Capítulo 4 - Capítulo 3

Baekhyun definitivamente queria enfiar seu rosto debaixo do asfalto e não sair de lá nunca mais – os olhares que estava recebendo das pessoas enquanto passava abraçado com Chanyeol, era assustador. – Todos faziam comentários que não faziam sequer sentido, queria se afastar, mas nem ao menos conseguia já que o alfa conseguiu pegá-lo no ponto fraco, que era sua família.

“Apenas sorria.” Chanyeol sussurrou em seu ouvido. Queria dizer que não se arrepiou com aquela voz rouca, mas também era um homem, não podia esquecer seu lado ômega.

“Porque está fazendo isso comigo?” Murmurou enquanto adentravam no refeitório e por um momento todo o refeitório parou para olhar quem estava entrando no local, assim mordeu os lábios fortemente ao sentir o alfa o prendendo ainda mais em seu braço, se estava na fossa, porque não se molhar? Deu seu melhor sorriso – falso – e abraçou o outro pela cintura, o encarando por um momento já que ele havia se assustado com o contato.

Baekhyun não iria jogar a toalha facilmente.

Chanyeol caminhou abraçado com Baekhyun até a cantina, onde o ômega procurou pelo amigo no refeitório, ele estava sentado com Jongdae e os dois estavam com a boca aberta, fazendo sinais estranhos.

O celular.

Olha seu celular.

Eu ligarei depois.

O que está acontecendo?

Foi o que entendeu com aqueles gestos estranhos, suspirando pesadamente, prestes a pegar seu celular, antes de ver Chanyeol pedindo um monte de guloseimas, salgados, refrigerante, bolos, mousses – aquilo iria ficar caro, mas riu no momento que a moça falou o preço total. Era um absurdo só para aquelas coisas.

“Eu te espero na mesa.” Chanyeol falou antes de sair rapidamente, olhou incrédulo para ele, estava prestes a sair quando a moça chamou sua atenção.

“Ei, precisa pagar.” Ela avisou, o que fez Baekhyun olhar para Chanyeol, que sorria satisfeito. Cerrou seus punhos e bufou irritado “Você está me ouvindo?” Ela perguntou.

“Sim, desculpe.” Respondeu tentando manter a calma, queria quebrar a cara daquele gigante “Aceita cartão?” Perguntou.

 

Baekhyun passou a comer todas as coisas que Chanyeol havia comprado - com seu dinheiro suado -, ele estava com sangue nos olhos, queria apenas acabar com o alfa de um modo lento e bem doloroso, mas naquele momento estava sem nenhuma carta alguma em suas mangas.

Degustava daquele mousse de maracujá o encarando, queria apenas arranhar seu rosto lindo, quer dizer, normal. Ele não era de sentir raiva ou algo do tipo, mas Chanyeol estava conseguindo a proeza de irritar-lhe.

Pegou o celular e viu que havia três mensagens do amigo, que agora não estava mais prestando atenção em si.

O que está acontecendo?

Ele te obrigou a abraçar ele? Baekhyun, caso ele esteja te forçando a algo, me conte, eu mato esse desgraçado!!!

Se deixou rir com a preocupação do amigo — sentiu-se melhor por saber que tinha com quem contar em relação ao grandalhão, mas estava tão inerte em seus pensamentos, que mal percebeu Chanyeol tomando o celular de sua mão e lendo as mensagens.

“Ele irá me matar se eu estiver te forçando a algo?” Chanyeol debochou “Eu nunca forçaria ninguém a nada, você está aqui porque quer, não é?” Comentou, bebendo um pouco de Coca-Cola.

“É claro, estou aqui por livre e espontânea vontade.” Baekhyun revirou os olhos, antes de terminar sua refeição super saudável. “Agora, devolva meu celular.” Disse sério, vendo o rapaz mexendo em algo no seu celular.

“Alfa mesquinho? É assim que pensa de mim?” Ele indagou e se levantou rapidamente - tinha lido o nome do seu contato-, indo sentar-se ao lado de Baekhyun, o garoto se afastou por um momento, mas sentiu as mãos de princesa do alfa tocarem seu maxilar “Tem certeza que sou mesquinho?” Sussurrou ao perguntar, fazendo o ômega engolir o seco, porque aquele crápula tinha que ser tão lindo? Revirou os olhos e tentou afastar aqueles pensamentos, dando um tapa na mão de Chanyeol.

Ao olhar para o lado, viu o refeitório todo calado observando a ceninha que o alfa estava fazendo.

“Terminou?” Perguntou dando seu melhor sorriso, antes de tomar o celular da mão do alfa e se levantar bruscamente “Tenho que ir embora, até mais.” Foi educado ao se despedir, pois nem ao menos tinha obrigação em dar tchau.

“Espera, eu te levo.” Aumentou seu tom de voz, seguindo o garoto pelo refeitório, ao saírem do mesmo, segurou seu pulso e o impediu de dar mais um passo. O puxou para mais perto, o suficiente para encostar sua boca na orelha do outro “Você tem que fazer o que eu pedir, não é?” Sussurrou, fazendo o ômega suspirar.

“E o que você quer?” Colocou uma das mãos na cintura, evitando revirar os olhos, mas ao ouvir o outro silabando, chegou a se engasgar, Chanyeol só podia estar enlouquecendo.

“Eu te levarei para casa, só isso.” Silabou com aquele sorriso maldoso, que claramente assustou Baekhyun, principalmente por ter medo que ele comentasse sobre o que havia feito em sua Lamborghini.

“Meus tios são difíceis de lidar, eles não gostariam que eu levasse alguém para casa.” Mentiu na cara dura e sentiu uma dor no peito ao mentir sobre seus tios, pois eram pessoas tão boas e não mereciam aquilo.

“Eu não ligo, levarei você e logo voltarei.” Argumentou sorridente.

“Eu moro no interior, é muito longe, você só perderá seu tempo. Não tem mais aulas hoje?” Arriscou desconversar, tentando agir o mais natural possível.

“Não tenho, estarei livre a tarde inteira. Vamos?” Continuou sorrindo, agora enlaçando seus dedos nos de Baekhyun, este que corou violentamente com o ato. Por que o alfa estava fazendo aquilo? Por acaso tinha algum problema?

“Park, por que está segurando minha mão? As garotas irão achar que estamos tendo um caso.” Disse rindo, queria ver a reação de Chanyeol lhe soltando no mesmo momento, mas o que recebeu foi uma reação extraordinária.

O alfa passou um de seus braços em volta ao pescoço de Baekhyun, enquanto continuava com a mão enlaçada, dando-lhe um beijo na testa e o outro apenas quis sair correndo com as atitudes estranhas que ele estava tendo.

“Você por acaso comeu droga?” Praticamente gritou com Chanyeol, o empurrando para longe “Está me usando para que? Fazer alguma garota cair aos seus pés?” Gritou com o mesmo, se ele queria fazer Baekhyun de empregado, tudo bem. Mas ficar usando carinhosamente era demais.

Se ele continuasse com aqueles carinhos, não se responsabilizaria por seus atos.

“Eu não gosto de garotas, apenas de homens.” Confessou “Estou fazendo isso pelo meu bem é claro, mas é por conta do meu pai, pois ele meio que quer que eu me case logo e diz que na minha idade ele já tinha dois filhos.” Riu ao comentar, Baekhyun sorriu minimamente, era a quantidade de filhos que queria ter.

“Ainda não é justificativa e não me sinto confortável agindo dessa forma.” Respondeu sério “Ainda mais porque a gente nem deveria se falar, você me pressionou por conta do carro.” Falou na lata.

“Ignore isso, eu tirarei um pouco da sua dívida. Apenas seja carinhoso, não é como se eu gostasse de te tratar assim, sou cheio de não me toque.” Continuou falando sobre si, fazendo Baekhyun respirar fundo e caminhou até o carro luxuoso do rapaz, o vendo desligar o alarme. Entrou no mesmo instante e tentou relaxar, assim seria fácil.

“Vamos logo.” Se rendeu, passando seu endereço para Chanyeol assim que o outro entrou no carro. O garoto sorriu abertamente para si e deu partida “Talvez eu aceite isso, mas saiba o que você fará em público.” Baekhyun resmungou, não poderia ser tão ruim, certo?

 

 

Jongdae estranhou quando leu a mensagem de Minseok em seu celular — ele estava pedindo para o outro lhe acompanhar no almoço caso não fosse almoçar com Chanyeol e é claro que aceitou. Sem pensar duas vezes.

Por estudarem no mesmo bloco, não foi difícil se encontrarem ao saírem do seus devidos cursos. Cumprimentaram-se timidamente e foram em passos lentos até o refeitório, era estranho o modo que estavam se aproximando.

“Você ainda não descobriu qual classe você é?” Minseok indagou curioso.

“Não, é estranho… Principalmente por eu já ter vinte e dois anos.” Respondeu cabisbaixo “Tão vergonhoso… Dizem que eu posso ser um beta, já que não tenho cheiro forte o suficiente.” Comentou passando seus dedos no cabelo, os penteando para trás.

“Entendi, mas tenta não ligar muito. Betas controlam o rut do alfa.” Se deixou rir por um momento, principalmente ao ver o rosto corado de Jongdae “Onde está o seu amigo?” Perguntou rapidamente.

“Ele falou que não almoçaria comigo, nem sei onde ele foi…” Resmungou ao falar, sabia que Chanyeol estava aprontando algo.

 

Descobriram isso ao ver Baekhyun e Chanyeol chegarem abraçados no refeitório, aquilo foi um choque completo para Minseok e Jongdae que nem ao menos estavam sabendo daquilo.

“Eles…” Minseok cerrou os punhos ao ver a cena nada agradável, principalmente por saber que Chanyeol deveria estar o forçando a andar daquela forma consigo.

“Relaxa, depois eu pergunto para o Chan o que houve.” Jongdae pousou sua mão na de Minseok, que o encarou tímido por um momento, tentando evitar ficar envergonhado na frente do rapaz. Suspirou levemente e voltou a olhar para o amigo, este que lhe olhou no mesmo minuto.

Não conseguiu se segurar, teve que lhe mandar uma mensagem perguntando o que estava acontecendo ali, mas claro que percebeu o outro apenas visualizar e logo o ignorar, revirou os olhos e guardou o celular novamente.

“O certo é nós almoçarmos sem eles.” Jongdae comentou, ainda estranhando o fato de Chanyeol estar tendo contato tão íntimo na faculdade com alguém, por mais que soubesse o que estava por trás disso tudo.

 

 

Baekhyun suava frio — principalmente ao ver os tios em frente a sua casa, — mordeu os lábios fortemente e tocou o pulso de Chanyeol, tentando impedi-lo de se aproximar, mas ao notar o desespero do outro, sorriu maliciosamente, pisando no acelerador, indo para a calçada da casa do Byun que limpava o suor que escorria de suas têmporas.

“Obrigado.” Baekhyun disse trêmulo, tentando sair do carro, antes de Chanyeol ser mais rápido e se desvencilhar do cinto de segurança e abrir a porta com pressa, correndo para o outro lado do carro, abrindo para Baekhyun, atraindo os olhares dos dois adultos próximo a casa — tinha certeza que aqueles eram os tios de Baekhyun.

“Tios…” Byun resmungou cabisbaixo ao ver os tios sorrindo de lado para si “Boa tarde…” Mordeu os lábios novamente.

“O nosso Baek está crescendo.” Haera cutucou o esposo e sorriu de canto, fazendo o esposo rir.

“Vejo que tem outro amigo da cidade, além de Minseok.” Comentou.

“Prazer, eu sou Park Chanyeol, um amigo próximo do Baek.” Falou num tom animado, curvando-se para os tios do garoto, que lhe cumprimentaram “Eu não queria deixá-lo pegar um ônibus a esse horário e me ofereci a trazê-lo, ele queria que eu parasse no meio da estrada, acredita?” Tão cínico… Suspirou levemente e colocou a mão sob a cabeça.

“Isso só poderia ser coisa do Baekhyun. Você fez muito bem em trazê-lo aqui.” Seu tio falou, botando a mão na cintura e balançando a cabeça negativamente pela atitude do sobrinho.

“Vocês estão namorando, não é? Consigo sentir a aura de vocês dois e se o Baek quis que você não viesse aqui, é porque tem algo a esconder, certo?” Ela disse num tom sugestivo “Não precisam ter vergonha, só peço que se cuidem e nada de filhotes agora, entendido?” Disse num tom brincalhão, fazendo Chanyeol corar feito um pimentão.

“Tia, por favor… Ele não é nada meu.” Baekhyun tentou acabar com o mal entendido, mas a mulher parecia não dar importância.

“Eu finjo que acredito, você está tão magrinho, quer entrar pra tomar café da tarde conosco?” Perguntou segurando os braços de Chanyeol que sorriu abertamente ao encarar Baekhyun, que fazia sinais para ele ir embora.

“É claro, eu estou morrendo de fome.” Arrastou sua voz para mostrar o quão com fome estava, pouco tempo depois se viu sentado na mesa junto com eles, sentindo o cheiro forte de café impregnar o local, sorriu. Fazia algum tempo que não bebia café caseiro.

Era a segunda vez no dia que queria enfiar seu rosto no asfalto — se perguntou como que seu tio e Chanyeol ficaram próximos em apenas dez minutos de convívio. — Revirou os olhos e se levantou pedindo licença.

É claro que fugiria para o seu quarto e não sairia de lá tão cedo.

 

Baekhyun passou pelo corredor e logo abriu a porta do seu quarto, aspirando o cheiro doce que havia nele. Pulou em sua cama e fechou os olhos, aconchegando-se em seu travesseiro — estava com saudades de sua casa e do próprio cheiro.

Aproveitou que estava sozinho e tirou sua camiseta e logo a calça que Minseok havia emprestado, iria tomar banho e fazer seus trabalhos da faculdade, mas antes tiraria um cochilo. Deitou-se de bruços e se aconchegou novamente em sua cama, mordendo os lábios levemente e pensando em qual cardápio tentaria ajudar sua tia hoje.

Sim, Baekhyun e ela tinham um livro com alguns pratos para dias especiais, não que fosse um, mas adoraria ter uma janta diferenciada.

“Wow, não estava esperando por isso.” Uma voz rouca tomou conta do quarto, Baekhyun nem ao menos se mexeu, seus sonhos sobre o que comeria a noite estava melhor, o suficiente para evitar acordar “Eu não sabia que você era desses safadinhos.” Chanyeol riu ao falar, se aproximando ainda mais do garoto que estava deitado, tirou sua camisa — pelo calor que estava fazendo — e sentou na cama, observando a curva da coluna do Byun, sem ao menos perceber passou a dedilhar a mesma, passando seus dedos delicadamente pela espinha alheia, até chegar na barra da cueca de Baekhyun, riu por ela estar com um pequeno furo no elástico.

Se aproximou o suficiente para puxar o ar da pele do ômega e só naquele momento conseguiu ver Baekhyun como um homem ômega — ele tinha um cheiro tão doce quanto a melhor fragrância das flores. — Deitou-se na cama e passou a observar o garoto cochilando, mordeu a bochecha do mesmo e riu pela expressão fofa que havia feito, o puxou para mais perto, fazendo Byun usar seu braço como travesseiro, pouco tempo depois sentiu as mãos quente do garoto retribuir o abraço.

Não soube por quanto tempo permaneceu daquela forma, mas foi o suficiente para ouvir murmúrios e risos de mais pessoas, apesar de tudo Chanyeol tinha um sono leve.

Até que ficar próximo a ele não era tão ruim como havia imaginado.

O que fez o alfa despertar num pulo. Logo observou Baekhyun se remexendo na cama e em sua frente estavam seus tios com sorrisos cúmplices. Seu rosto havia corado no mesmo instante, apenas queria sair correndo e fingir que nunca esteve ali.

“Vocês estavam demorando demais… Aí subimos para ver o que tinha acontecido.” Sua tia falou num tom malicioso, vendo o sobrinho coçar os olhos e se dar conta do que estava acontecendo.

Baekhyun havia gritado, e gritado muito, o que assustou todos os presentes no quarto, no mesmo instante que gritava, montava em cima de Chanyeol lhe desferindo tapas entre socos fracos, enquanto xingava-o de tarado, pervertido, que ele deveria queimar no inferno por ter visto seu corpo nu e até mesmo o tocado — soube disso pela tia, que comentou que estavam dormindo de conchinha.

 


Notas Finais


Vou dar um toque, o Baek é bem decidido, não é só porque o Chano meio que trata ele diferente que ele vai ser impedido de sentir atração por ele, até porque a carne é fraca KKKKKKKKK. Espero que tenham gostado e até o próximo, comentem comigo o que acharam <3
Minha nova chanbaek mpreg: http://socialspir.it/7189017


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...