História Às Cegas - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias K.A.R.D
Personagens B.M, J.Seph, Jiwoo, Somin
Tags Bmin, Jwoo, Krystal, Romance
Visualizações 119
Palavras 1.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


*Entra de mansinho*
Oi, não me matem por favor, eu sei que ultimamente eu tô postando quase que a cada duas semanas ao invés de um capítulo por semana, e me desculpem por isso, de verdade, as semanas tão meio embaçadas pra mim e eu não consegui escrever :(
Bom, leiam o capítulo e nos falamos nas notas finais certo? Não vou ficar tomando muito o tempo de vocês.
Boa leitura~

Capítulo 7 - As coisas que eu penso em te dizer


-Me deixa ver se entendi. –Jiwoo mantinha os olhos fixos no lanche, mas fazia uma careta-. Você tá esperando ele marcar um encontro com você e nem pensou em perguntar da caralha do desenho?

Somin abriu a boca para novamente se explicar, mas Jiwoo continuou.

-E mais! Quando você ia me contar que estavam conversando tanto assim por mensagem? É por isso que você andava demorando tanto para responder as minhas mensagens? Eu não aceito isso!

Somin queria, de verdade, levar Jiwoo a sério, mas era difícil quando a loira parecia ter se esquecido de que ainda estava com um sanduíche na mão e o apontava em sua direção como se fosse uma arma.

-Tá bom, tá bom, me desculpe pela minha falta de raciocínio rápido, mas para de me ameaçar, tô com medo desse sanduíche voar na minha cara. -Somin ergueu as mãos em sinal de rendição e Taehyung começou a rir discretamente-.

Jiwoo fez uma careta.

-Até parece que eu ia desperdiçar meu sanduíche com a sua cara. Eu tô com fome e não sou idiota.

-Também te amo amiga. -Somin revirou os olhos, assoprando a franja para longe dos olhos com impaciência-.

-Você é um doce amor. -Taehyung balançou a cabeça negativamente-.

-Bom... -Somin pigarreou-. Eu vou pra biblioteca, minha cabeça tá doendo um pouco e quero ter ânimo para a próxima aula.

Jiwoo levantou também e puxou Somin discretamente pelo braço. Ela encarou a amiga intensamente.

-Min, você não ficou brava com o que eu disse não né? Eu peguei pesado? -Os olhos que sempre eram alegres ou afiados agora tinham uma expressão preocupada, e tudo que Somin pôde fazer foi sorrir docemente-.

-Te conheço Woo, não tô chateada com você, eu realmente só preciso descansar um pouco. -Ela sorriu brincando com os fios loiros, que já começavam a mostrar a raiz, mas conservavam a maciez graças à hidratação que era feita de tempos em tempos-.

Sorriu docemente ao ver os pelinhos no braço de Jiwoo se arrepiarem. Carinho no cabelo era um dos pontos fracos da amiga, mas era um verdadeiro gesto de carinho entre elas, pois desde pequenas era o que faziam quando queriam mostrar, de verdade, que não estavam chateadas.

-Vou ficar com ciúmes. -Taehyung disse casualmente fazendo a loira corar e a morena começar a rir-.

-Thau casal vinte. -Somin acenou e disparou em direção a biblioteca, sua cabeça doía e ela queria um pouco de silêncio-.

Eram pequenos momentos assim que faziam com que ela se lembrasse de qual era o verdadeiro tamanho de sua amizade com Jiwoo, a garota que era cheia de Swag, mas que morria de medo de deixar a amiga de tantos anos chateada.

Assim era Jeon Jiwoo.

Somin colocou o celular para despertar quando o sinal batesse e adormeceu com um sorriso pequeno nos lábios.

Ela sonhou um conjunto de imagens desconexas, mas que traziam um sentimento de paz que era difícil explicar, aquele tipo de sonho que te deixa com uma sensação muito boa, mas que com certeza sumiria, deixando só o sentimento quando ela acordasse.

Mas em várias partes do sonho, tinha uma carta de baralho, com o símbolo do rei. E Somin sabia que era ele tomando seus pensamentos, mesmo que ela estivesse pensando em Jiwoo e não nele quando adormeceu.

Acabou que não foi o alarme que a acordou, mas sim a notificação de uma nova mensagem. Mesmo com um pouco de sono ainda, o coração acelerou, por causa da expectativa de ser o King.

E realmente era. O coração que já estava acelerado pareceu subir até a garganta.

King: Eu demorei?

BJ: Um pouco, confesso.

Somin mordeu os lábios, pensando se deveria ou não colocar os pensamentos em palavras, coisa que o coração queria até demais, mas a cabeça se recusava a colaborar.

BJ: Eu senti sua falta.

Somin quase afundou o celular na mesa por causa da força com que o abaixou. Foda-se, pelo menos tinha falado.

Quantas coisas eu penso em te dizer na hora que eu te vejo.

Na minha cabeça é uma confusão.

Bate um descontrole no meu coração.

King: Eu realmente não esperava que você dissesse isso.

King: Sei lá, parece idiota sabe?

King: Mas...

King: Eu estou tão, tão feliz de você me dizer isso.

King: Eu quero que nos encontremos logo.

Uma série de batidas de coração.

BJ: Eu queria falar tanta coisa sabe? Por mais que eu tente eu não consigo criar um diálogo da forma que eu quero.

King: Você tem medo?

Tenho medo de criar uma situação tão estranha que você suma e acabe com todas as esperanças que eu acho que tenho.

BJ: Eu não sei, talvez sim.

King: Por que Baby?

Porque eu te amo e eu nem sequer sei como é o seu rosto, isso pode ser considerado como algo muito estranho?

BJ: Eu não sei.

Me tremendo a noite toda.

Mesmo quando você está comigo.

Tenho medo que você possa sumir.

Sem chance.

Não me deixe sem se despedir, eu tenho medo.

King: Você quer me ver esse fim de semana?

BJ: Eu quero muito.

King: Eu vou estar em uma festa... Vou pedir pra um amigo meu te levar até lá.

Os dedos de Somin tremiam tanto que ela conseguiu apenas dar uma resposta curta, sentindo a realidade cair em cima de si como uma verdadeira bomba, jogando tudo para os lados sem deixar sobrar nada.

Porque agora era oficial. Tudo. Os sentimentos, o encontro, tudo. E Somin só sabia pensar se ia ter forças ou não para o que quer que estivesse por vir.

Minha paixão é muito profunda, sem limites.

Seja a minha princesa, eu vou te dar o meu tudo.

Assim eu serei o que você quiser que eu seja.

Vou fazer cada momento brilhar lindamente, isso é tão perfeito.

Você pode me perguntar qualquer coisa, eu vou ser o seu lar.

Em sua casa, o dito King sorria como um bobo para o celular, ele sabia que o que tinha em mente não seria muito comum, mas ele esperava que ainda assim fosse agradar Somin.

Abriu uma nova conversa.

King: Vai ser nessa festa.

Tae: Demorou pra caramba cara. Eu tava quase desistindo de te ajudar.

King: Só faz a sua parte Taehyung.


Notas Finais


Bom, eu fiquei bastante chateada por causa da demora, então essa semana que vai entrar eu vou postar dois capítulos certo? Um capítulo na quinta, dia normal, e um capítulo no domingo, okay?
Nos vemos em breve então?
XOXO~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...