História As Cores do Céu - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 3
Palavras 844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Ficção, Magia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


No Capítulo Anterior...

Amanda acabou sendo humilhada por alguns colegas da escola, com isso acabaram despertando uma raiva nela que a transformou em uma criatura mágica alada, depois que se acalmou sua mãe a expulsou de casa

Capítulo 5 - Abandono


Fanfic / Fanfiction As Cores do Céu - Capítulo 5 - Abandono

Estava em meu quarto guardando algumas roupas em minha mochila, meus olhos estavam cobertos pelas lágrimas que insistiam em cair, não conseguia acreditar, expulsa de casa, o que eu ia fazer quando saísse daqui? Estava prestes a pegar uma mala quando minha mãe entra no meu quarto:

      M - Nem pense nisso, você só pode levar o que a sua mochila aguentar, e nada de magia para aumenta-la, eu vou checar

Ela sai e tiro tudo que peguei para rever cada coisa, resolvi colocar dinheiro, um pouco de comida, duas garrafas de água, duas peças de roupa e alguns objetos e meu diário,  sorte que coube tudo, sai de meu quarto e antes de fechar a porta olhei ao redor lembrando de tudo que vivi lá dentro, sai fechando a porta com meu coração bem apertado, quando cheguei na sala minha mãe pediu para checar a mochila logo depois todos me acompanharam até a porta, enquanto me afastava da minha ANTIGA casa ouvia a minha irmã:

     I - Pra onde a Amanda vai? Eu quero ir com ela

Já estava começando a soluçar, minhas lágrimas não queriam cessar, o que eu vou fazer agora? Para onde eu vou?

Duas semanas depois...

Já estou ficando preocupada, já faz duas semanas desde que fui expulsa, a comida está acabando, nem lembro mais com essa intenção de deitar numa cama me cobrir com cobertor vou ter a sensação de sentir a água do chuveiro escorrendo pela minha pele, de dois em dois dias costumo passar por lá para espiar através da janela, quando vou lá escuto e vejo algumas broncas da minha mãe, risadas, mas já faz 3 dias que não vou lá, eu vi algo que mecheu comigo, eles adotaram um garota, eles tem outra filha, quando vi aquela cena sai correndo, não consegui dormir direito, quando fechava os olhos via  aquela cena que me fazia chorar muito, eles a abraçando, além de que dormir na rua é perigoso e desconfortável
Depois de passar quatro dias de caminhada chego em um local que mais parecia uma floresta, já estava amanhecendo, ouvia barulhos que me assustavam até que chego em uma avenida, ela não estava movimentada, ando mais um pouco e chego em outra cidade, nossa andei tanto na mata dia e noite que nem notei que cheguei no interior, como cheguei aqui sem perceber? Começo a andar pela cidade até que sinto um cheiro de pão caseiro, não tenho usado a minha magia pois foi por causa dela que fui expulsa de casa, então comecei a me comportar como uma pessoa normal, não queria que ninguém soubesse que tinha magia, aquele monstro que vive dentro de mim podia surgir novamente, passo reto pela padaria até que vejo uma placa meia borrada apontando para uma estrada que ia para o meio da floresta novamente, como sou muito curiosa acaba seguindo pela mesma, depois de uns vinte segundos de caminhada chego em um estacionamento (nem sei como consegui fôlego para continuar andando, talvez seja mais uma das "maldições" que recebi),  o estacionamento estava deserto, ando por ele até que vejo uma placa que diz:

     ACAMPAMENTO EVERFREE

Entro no mesmo e me deparo com uma jovem, ela aparentava ser dois anos mais velha do que eu me encarando com um sorriso amigável no rosto:

     XXX - Seja bem vinda ao Acampamento Everfree,meu nome é Mônica, em que posso ajuda - lá?
     A - Olá, meu nome é Amanda, eu só queria dar uma olhada, eu estou de passagem, com licença, não vou mais te incomodar
     Mô - Você não é incomodo algum, me parece que você não se alimenta a dias, não se alimenta, nem dorme ou toma banho

Contei minha história para ela, ela ficou com uma expressão dúvida no rosto, mas logo mudou para a surpresa e alegria quando demonstrei o que podia fazer, ela ficou triste com o fato de eu ter sido expulsa, de ter que me cuidar sozinha e da minha decisão de sem uso de magia:

     Mô - Bom estamos com muito poucos funcionários aqui no acampamento e isso está nos prejudicando, então o que me diz? Quer se juntar a equipe Everfree?
     A - Eu vou precisar usar meus poderes?
     Mô - Estava pensando em você usa-lo apenas em emergência, ninguém além dos funcionários precisam saber sobre isso

Ela pisca para mim depois me leva para conhecer o resto dos funcionários, são todos muitos gentis, agora somos 5 pessoas trabalhando no Acampamento Everfree, logo depois ela me levou para onde seria meu quarto, ele era bem aconchegante, tomei um banho, troquei de roupa e finalmente pude dormir, no começo pensei em tudo que passei, mas logo depois essa lembranças sumiram e vinheram sonhos e esperanças do que eu teria ali, afinal aquela era a minha nova casa, eles me aceitaram por ser jovem e saber um pouco como eles pensam para fazer cada grupo de estudantes se divertirem durante a sua estadia aqui, é um novo capítulo da minha vida, essa folha em branco finalmente terá uma história boa para se escrever.


Notas Finais


Obrigada por lerem
Até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...