História As crônicas de uma semideusa - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Revelaçoes, Romance, Yaoi, Yuri
Visualizações 5
Palavras 806
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Fluffy, Harem, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu acho a Serinuma Kae (a moça da capa rs) muito fofa, então a Marie vai ter a aparência dela, talihado?

Capítulo 1 - É difícil ser eu


Fanfic / Fanfiction As crônicas de uma semideusa - Capítulo 1 - É difícil ser eu

Capítulo Um

× É difícil ser eu ×

Eu sou Marjorie Elisabeth Beaumont. Talvez este seja um nome estranho e você pesquise ele no Google. E então me peça para falar francês porque este é um nome francês, Marjorie. Mas estas são as desvantagens de ter nascido no interior da França e ter se mudado para os Estados Unidos com um ano de vida. Você é francesa mas não sabe falar a sua língua materna. Você não lembra como era o país onde nasceu e às vezes tem de ouvir sua mãe xingando no idioma do amor, sendo que a única frase em francês que você conhece é "mon amour", que talvez não possa ser considerada uma frase.

Enfim, me chamo Marjorie e sou uma falsa francesa de 14 anos. Em breve 15, obrigada. E apesar de meus quase quinze anos na cara, eu não tenho - tinha - um celular. Você sabe o quanto isso é triste, tristeza, depressão? Não, não sabe. Eu sei que não e que você provavelmente está lendo isso em um celular também.

Então, eu disse que não tenho um celular, certo? Será que devo explicar mais alguma coisa? Porque eu acho que isso é sofrimento o bastante para que o nome do capítulo seja "É difícil ser eu". Porque é muito frustrante você ver inúmeros adolescentes da sua idade conversando sobre, sei lá, um vídeo viral de um gatinho caindo de um muro(?). E você estar com aquela cara tipo "QUE" porque você não entende merda nenhuma do que eles dizem. Ou melhor - pior -, estar louca para assistir aquela série maravilhosa que só tem na Netflix e não ter a porra de um celular ou um fodendo notebook.

Calma, respira fundo, Marjorie. Isso, muito bem. Acalme-se. Enfim, digamos que é bem frustrante não ter um aparelho eletrônico em casa, além da TV, claro. Isso é pela minha mãe, Derisé Beaumont, odiar coisas tecnológicas e dizer que não fazem bem para ninguém. E ainda ter criado um apelido óbvio e sem graça para mim. Marie, meu apelido. Obrigada, mãe.

Bem, eu tinha que descarregar minhas frustrações em algo, não é? E eu já conhecia o Wattpad e o Spirit por causa das minhas fanfics gays que eu lia no celular da Jade - minha melhor amiga, depois eu apresento, acho. Então eu pensei "Eu devia criar uma conta e postar sobre a minha vida". Certo, foi uma ideia simplesmente muito óbvia - cof cof e idiota cof. Ou isso ou um diário. Mas bem, para realmente despejar meus problemas nos outros, eu precisava que alguém lesse. Então aqui estamos nós.

Bem vindos à história da minha vida. Talvez você não acredite em porra nenhuma do que está escrito aqui, talvez você só queira ver um Boy's Love maroto. Ou realmente tenha se interessado pelas palavras na sinopse. No final, não importa o motivo pela qual você começou a ler. Apenas saiba que isso aqui é real e que eu nunca quis ser o que sou - tá' bom, talvez um pouco. Mas se você é um de nós, feche essa aba agora - a do My Reading Manga também -, pare de ler imediatamente e reze para que eles não te encontrem. Viva na ignorância o máximo que puder e nunca, de forma alguma, deseje ser o que eu sou

A não ser que seja um suicida, aí eu até entendo o por quê do pedido. Afinal, ser a filha de um deus da mitologia grega e ter habilidades sobrenaturais pode parecer legal - e realmente é. Mas apenas quando você não é caçada por monstros imortais que querem te comer e sai em missões mortais profetizadas por uma garota ruiva com fumaça verde na boca e no nariz. O que quase nunca para de acontecer, a não ser que tenha muita sorte, muita mesmo. E, bem, infelizmente a palavra sorte não entra no meu vocabulário desde que venci uma certa corrida há quase 15 anos. Bons tempos aqueles, até choro ao lembrar. Dias de glória!

Se eu sou dramática? Eu mesma, a maior Drama Queen que você vai conhecer.

Agora, se você for curioso como eu sou, você irá conhecer a história de como eu descobri minhas origens e quase morri várias vezes. Isso em apenas algumas semanas. Não que a quantidade de tempo realmente importe, porque quando se é uma semideusa, sua vida nunca, nunca mesmo, ficará monótona. Palavras de uma profissional no assunto, vulgo eu, eu mesma, Marjorie Elisabeth Beaumont. Que está enrolando até agora apenas para que o capítulo não fique tão curto. Claramente fracassando.

Bem, é isso. Adeus e até o próximo capítulo, que é quando eu contarei detalhadamente como eu descobri que era um meio-sangue. E isso vai custar, por que sabe? Missões, deuses, monstros e a hora de escrever são difíceis de organizar.


Notas Finais


Eu nem sei oq eu tô fazendo com a minha vida
E sim, todas as personagens originais femininas das minhas histórias são baseadas na minha personalidade e vida aaaa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...