História As Crônicas do Fogo - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~Fairy_Mavis

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Zeref
Tags Nalu
Exibições 129
Palavras 1.083
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oe! Tasaino da jaula mais um capitulo!
Boa leitura õ/

Capítulo 10 - Capitulo X


Depois de uma longa e exaustiva viagem para Álvarez, finalmente o tão esperado destino está a sua frente e o país era na verdade surpreendentemente paradisíaco, com uma grande e variada fauna nativa, montanhas com picos nevados no horizonte, era uma península realmente deslumbrante. Apesar de toda sua beleza, algo não se encaixava com a paisagem que se percebia mesmo estando a algumas milhas¹ de distância: Um perigo imensurável; para magos com sentidos animalescos como os Dragon Slayers era algo ridículo pela intensidade que essa sensação de perigo constante passava.

- Oe, Natsu você também está sentindo, não é? – Pergunta Gajeel com certo nervosismo –

- Sentindo o que? A única coisa que dá para sentir é a maresia e a brisa. – Diz Gray irritado –

- Estou, é como se.... Algo estivesse lá, chega a ser surreal essa presença é tão potente, mas não tem nenhum mal nela é como se fosse a natureza em si.

- Só pode ser brincadeira, lá vem vocês dois com esse papo estranho. Como se não bastasse estarmos à beira de uma guerra contra Álvarez.

- O que querem dizer com “a natureza em si”? – Pergunta Levy –

- Não sei, tem uma presença assustadora naquela península, mas ela não emana nenhuma intenção ou emoção é simplesmente “pura”.

- “Pura” é bem vaga essa descrição, pode ser tanto no bom quanto no mau sentido.

Depois de algumas horas eles ancoram o navio na ilha, todos desceram e prepararam um pequeno acampamento para passarem a noite e no dia seguinte começar o teste. Foi uma noite muito agradável, depois de brincadeiras e um jantar a beira-mar com uma paella² de frutos do mar pescados lá mesmo, Natsu e Lucy montaram sua barraca um pouco distantes dos demais quase adentrando a mata um pouco mais densa, no meio da madrugada Natsu acorda de supetão sentindo uma forte pulsação vindo de dentro da floresta como se o chamasse para adentrar e desvendar os seus mistérios, ele se senta dentro da tenda e percorre o corpo de Lucy com os olhos e observa seu rosto com cuidado memorizando cada traço do seu rosto, ele se acalma ao ver que Lucy está bem e dormindo do seu lado e isso o acalmou um pouco. O garoto já ia saindo da tenda então lembrou-se que trouxera os pequenos cetros que E.N.D lhe deu tanto para canalizar seus poderes quanto para aumentar sua concentração em um ponto fixo no espaço.

Natsu vai para perto do mar e se senta com as pernas cruzadas e os braços sobre as coxas com os cetros em suas mãos, ele fecha seus olhos e começa a se concentrar primeiro na própria respiração, na sua inspiração e expiração até se esquecer do mundo a sua volta e deixar seu poder fluir lentamente criando inicialmente uma onda de impacto sobre a areia fofa, assim criando uma circunferência a sua volta, mas sua concentração se esvai quando Lucy começa a se aproximar.

- Você deveria estar dormindo. – Disse por cima do ombro –

- Eu que deveria dizer isso não? – Responde zombeteira –

- Touché. – Responde rindo –

- Ei, o que é isso nas suas mãos? – Olha para os estranhos objetos com fascinação –

- Isso? – Diz gesticulando com os bastões – são Vajras.

-Vajras? – Responde mais confusa ainda –

- Isso mesmo. Vajras são cetros usados por guerreiros na antiguidade e representam o poder e a eternidade, dizem que os deuses antigos as usavam para ampliar seus poderes nas batalhas.

- E como você os achou? Se esses cetros são tão antigos, no eles deveriam estar perdidos por aí. – Pergunta desconfiada –

- Eu estive um ano fora lembra? Eu fui a tenroujima, mas não estive somente lá. Eu viajei por muitos lugares, ilhas, países e alguns reinos tribais e numa dessas andanças eu encontreiuma ruína e consequentemente essas Vajras.

- Hum.... Interessante saber que meu namorado é um homem viajado e vivido. – Disse sussurrando –

- Você não viu nada amor. – Disse com malicia no olhar -

Então ela se senta ao lado do garoto e começa a observa-lo com certo interesse, afinal que poderia imaginar que em um ano o Natsu bobalhão e infantil viraria um homem, mas esse momento reflexivo dura pouco pois o rosado a puxa para seu colo e a abraça, afagando seus cabelos e puxando-a para um beijo carinhoso, profundo e cheio de reciprocidade quando o ar se fez presente – para a infelicidade dos dois jovens – eles se separam dando vários selinhos e juntando as testas e se olhando.

- Vamos dormir, está ficando tarde. – Disse a pegando no colo estilo noiva e a levando para a tenda –

- Sim senhor! – Disse debochando do garoto gerando risadas por parte dele –

Os dois se deitam em sua tenda e se beijam por uma última vez antes de cair no sono.

Na manhã seguinte, depois de fazerem suas higienes matinais e tomarem café da manhã eles se reuniram em volta da fogueira apagada para ouvirem as devidas instruções do mestre:

- Bom dia pirralhos! Bom, não preciso explicar o porquê de estarmos aqui, não é? – Todos os participantes e suas respectivas duplas responderam com um maneio de cabeça negativo – Ótimo, vocês devem adentrar nesta mata e chegar ao labirinto como primeira parte do teste, nada demais nessa floresta então não se preocupem, mas a chegarem no labirinto vocês devem entrar dupla por dupla e seguirem por rotas diferentes. No centro do labirinto há uma grande construção protegida por um guardião a mando do rei de Álvarez, não abaixem sua guarda NUNCA. Após pegarem o cristal que está dentro dessa construção vocês devem retornar o mais rápido o possível para fora do labirinto.

- E como vamos saber que alguém chegou a construção, E SE chegou, conseguiu pegar o cristal? – Pergunta Levy conveniente –

- Sempre ao ponto Levy. Se virem! Vocês estão em um teste de classe S, não em um passeio a Hargeon. – Disse ríspido – Agora vão!  

Dito e feito Gajeel e Gray correram junto de Juvia e Levy para a mata, tentando chegar ao labirinto mais rápido o possível enquanto isso, Natsu permaneceu sentado observando os quatro correndo igual doidos para terminar a tarefa, assim gerando certa surpresa em Lucy.

- Achei que você seria o primeiro a correr para dentro da floresta, e você está aqui o mais calmo que se pode estar.

- Isso não é uma corrida é um teste de sabedoria e paciência, fora que a vida de milhares estão em nossas mãos devemos prosseguir com a maior cautela possível.

 


Notas Finais


Yo! Vocês devem ter visto duas marcações na fanfic, certo? Eu fiz para poder explicar aqui nas notas finais.
Paella é um prato tipico espanhol feito com arroz e tipicamente com frutos do mar e Chorizo (Linguiça de sengue espanhola)
Imensurável é um modo de intensidade usado para mensurar algo que não se tem noção de sua extensão. EX: Esse tsunami causou mortes e destruição imensuráveis
Milhas é um termo usado por marinheiros para mensurar uma distância ou velocidade ( Se não me engano)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...