História As cronicas do mundo velho - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Anime, Drama, Lutas, Mangá, Romance
Visualizações 4
Palavras 1.996
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Josei, Kodomo, Lemon, Lírica, Luta, Magia, Mecha, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Super Power, Super Sentai, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Vao ter mais capítulos assim explicando coisas do passado mas o proximo ja volta ao normal, era pra ter lançado no sabado mas estive sem tempo

Capítulo 6 - Meu passado...


Fanfic / Fanfiction As cronicas do mundo velho - Capítulo 6 - Meu passado...

Dez anos atrás. . .

Estava sentado em uma das mesas do Bar do Jonas, numa cadeira ao meu lado se encontrava Mary a vampira imortal, mais conhecida também como namorada do meu tio som/samu. O movimento no bar era pequeno às vezes alguém entrava ou saia era uma sexta-feira no final da tarde e aquele dia eu tomaria uma decisão que mudaria minha vida para pior ou para melhor, lembro-me que ela vestia um longo vestido laranja florido, seus longos cabelos pretos desamarrados, seus óculos sobre a mesa e a mesma expressão de que podia fazer qualquer coisa, que nada a afetaria, talvez isso fosse verdade graças ao fato dela ser imortal, ela me olhou com seus grandes olhos negros e sua expressão mudou, era como se me enxergasse dentro de um caixão e disse:
 

Mary: Tem certeza de que quer fazer isso?

Eu: Vai dar tudo certo!

Eu estava confiante demais e talvez fosse isso que tenha me levado a fazer besteira mas não me importo.

Mary: Tem certeza que não quer falar com Som? Eu posso convencê-lo a te ajudar e...

Eu: Ele tentaria me impedir e você sabe disso, a única pessoa que deve saber sore meu plano é você porque caso algo dê errado você vai saber o porquê.

Mary: Você é louco!

Eu: Eu sou alguém que quer algo e vou lutar por isso.

Dito isso subi as escadas e fui para o meu quarto, não era muito grande nem nobre, tinha apenas uma janela um guarda roupa, um banheiro e a minha camba, me joguei nela e fiquei olhando para o teto. Pensando no que tinha feito nos últimos anos. Eu era um assassino e depois de muito tempo nesse ramo tinha sido contratado para assassinar meu velho pai Jonas, Porem eu levei uma surra e sai do mundo dos assassinatos, eu comecei uma vida simples e pacata no mundo velho trabalhando no bar ate a skay war. Mas depois disso comecei a pensar demais no passado, não no meu passado como assassino e sim no meu passado verdadeiro, quando lutei durante a primeira grande guerra ao lado de Jonas , de quando ganhamos a guerra, mas mesmo assim, mesmo estando do lado vencedor eu havia perdido, havia perdido alguém que eu amava e estava na hora de ir atrás desse prejuízo, mas como?

É totalmente contra as leis naturais ressuscitar alguém, e além do mais não existe nenhuma magia capaz de fazer isso, dizia Jonas mas no fundo sabia que isso era mentira então , um dia durante uma festa em Sky, fiquei sabendo do tio tempo que existia alguém que podia trazer os mortos a vida, a própria morte. E eu claro sempre com ótimas ideias resolvi ir atrás dela e manipula-la, mas eu a odiava.

A três mil anos atrás eu e minha irmã agua havíamos recebido a missão de parar os mensageiros da morte e durante essa missão agua acabou morta, lembro-me de quando Jonas chegou ao campo de batalha e viu ela morta em meus braços, e de como se o tio Som não tivesse interferido teríamos matado cada um dos mensageiros.

Eu me culpava pela morte dela e quando descobri que existia alguém que podia traze-la de volta eu simplesmente decide que iria manipular a morte, a morte era uma garota bonita e eu me aproximei dela, ganhei sua confiança e virei seu namorado e naquela noite eu iria chegar ao meu objetivo final, eu iria burlar as leis da natureza, iria trazer minha irmã de volta a vida , e naquele dia eu não queria ninguém falando comigo que eu não podia fazer aquilo que isso ou aquilo, é estranho dizer isso mas a Morte me amava de maneira cega e eu tinha absoluta certeza de que ela realizaria meus desejos.

Naquele dia sai mais cedo, estava anoitecendo olhei o corredor e soube que aquele lugar teria um novo morador, ou não, m e despedi de Jonas e de Mary que me olhou como se eu fosse um homem morto, mas disse que levaria Big Berta comigo.

Lembro-me de complementar o sétimo, que é um velho amigo meu, e não ele não era um mensageiro da morte quando minha irmã foi morta, lembro-me do imenso castelo negro da morte e de como ela estava linda em seu vestido negro, sua pele pálida, seu corpo escultural, é , ela era perfeita , e talvez durante esse processo de me aproximar dela e ganhar sua confiança, o seu amor eu tinha me apaixonado por ela, ela era bondosa ao contrario de quem eu sempre fui, ela era oposta a mim e mesmo assim eu havia traído, eu so persistia naquela manipulação por causa da culpa que eu sentia por ter deixado agua morrer, mas tanto faz eu havia chegado muito longe, não podia desistir.

Lembro-me de estarmos no quarto dela que era bem grande, era luxuoso e refinado, o teto de fogo grego que queimava e nos esquentava , iluminando o quarto com luz levemente verde, sua grande cama extremamente fofa, seu guarda roupa e o chão negro como seus olhos, lembro-me de estar deitado beijando ela quando disse as seguintes palavras:

Você me ama?

Morte: Claro, porque não amaria.

Eu: E você faria tudo por mim?

Morte: Claro amor? Tem algo que deseje?

Eu: Tem sim.

Ela deu um sorriso pensando algo estranho e disse:

Morte: Apenas fale no meu ouvido.

Pulei da cama e disse:

Eu: Quero que você ressuscite alguém que você matou no passado.

Eu não sabia se sentia medo de dar tudo errado, se sentia alegria por ter chegado ate ali, ou se sentia ódio ou amor pela morte, mas eu sabia o que tinha que fazer, então continuei.

Eu: Durante a primeira grande guerra você matou alguém, matou a minha Irma, você pode revivê-la não pode? Eu sou feliz com você, mas, se ela estivesse viva me sentiria mais feliz ainda.

Desculpe raio, mas não posso realizar o seu pedido.

Foi o que ela me disse com um rosto triste.

Morte: Eu não posso simplesmente ignorar as leis da natureza, na pratica seria algo fácil mas eu não posso, os mensageiros e todos os elementos naturais seriam contra e isso poderia estourar um guerra, me desculpe amor mas eu realmente não posso...

Eu: Mas os mensageiros...

Morte: Eles são um caso diferente, são meus cervos diretos, espero que me entenda Pedro.

Naquele momento meu mundo foi destruído, eu não tinha pensado na possibilidade de algo assim, eu podia ter dito ok e voltado para a cama mas eu estava mal, meu plano tinha falhado , a morte tinha errado no passado e agora ela não podia concertar esse erro , o mais puro ódio subiu em minha cabeça e eu disse:

Eu: Não acredito que perde tanto tempo pra isso.

Morte: O que quer dizer com isso?

Eu: Não esta claro? Eu te manipulei, mas você não tem mais utilidade.

Eu estava desesperado precisa ficar sozinho precisava descontar aquilo em alguém.

Ela começou a chorar agarrou minha capa e disse:

Morte: Para não tem graça.

Eu: Não estou brincando, agora você é inútil para mim!

Como eu disse, não sou uma pessoa boa, e me arrependo de muitas coisas que fiz, eu podia ouvir o choro dela e ate voltaria atrás mais eu era orgulhoso, estava ferido, não queria admitir que tinha sido fraco no passado e não consegui proteger minha Irma, não queria admitir que durante o processo eu me vi apaixonado pela morte, então abri a porta do quarto dela e sai.

Mas não acabou por ai, Realmente acha que ela deixaria isso barato?

Saindo do castelo encontrei duas sombras negras uma com um 1 tatuado no pescoço e outra com um 5 tatuado também no pescoço, eles foram para cima de mim, mas eu havia gostado daquilo, precisa descontar meu ódio e me lembro de ter assassinado os dois, o que de forma inconsciente me deu um pouco de tempo.

Sai correndo e cai em mim mesmo, o que eu tinha feito? Eu sou um idiota, mas não havia tempo para chorar, cheguei rapidamente a capital onde encontrei o bar aberto avistei Mary e disse:

Deu tudo errado.

Acho que isso é um adeus.

Então sai correndo, precisava passar de forma rápida pelas fronteiras do Mundo Velho e desaparecer, lembro das sombras aparecendo ao meu redor ate que me vi cercado, parei e avaliei um pouco minhas chances de sobreviver, e pra ser sincero eram bem baixas, então um cara apareceu ao meu lado, alguém que eu sempre carregarei comigo, o espantalho.

Espantalho como o próprio nome diz era um espantalho criado pelo Jonas, ele fora criado para cuidar dos serviços de Jonas enquanto o mesmo estivesse fora ele tinha uma força semelhança a de seu criador o que eu não sei como era possível, eu e ele éramos amigos a muito tempo mas não senti aliviado ao velo ali, seus botões no rosto me encaram e ele disse:

Espantalho: Seu plano deu errado, não deu parceiro?

Ele também sabia dos meus planos, ele deveria ser considerado uma mera maquina uma ferramenta mas por algum motivo eu sempre considerei ele um amigo e me lembro da dolorosa frase que ele me disse:

Vá em bora cara eu vou segurar eles

Eu: Você não precisa fazer isso, eles estão fazendo o que é o certo além do mais...

Espantalho: Certo ou errado somos amigos, não posso deixar que morra assim , além do mais fui criado para substituir Jonas e ele faria o mesmo se estivesse aqui, eu tenho os poderes dele vou ficar bem...

Eu me sentiria melhor se tivesse morrido ali, mas naquele momento fui covarde, e deixei espantalho lutar por mim enquanto eu fugia, pensava em como as coisas tinham acontecido de forma tão rápida e de como a alguns minutos atrás eu estava sendo mimado por uma bela garota, se eu tivesse sido mais forte, se eu não fosse covarde nada disso teria acontecido, mas fui , um dia ouve dizer que os assassinos eram todos covardes como eu, e naquele dia percebe que aquilo era verdade.

Lembro-me de quando cheguei no meio dos destroços e vi o portal reluzindo com luz rocha, olhei para traz para a floresta e vi alguém se aproximar, fiz com que um trovão estourasse no céu e então começou a chover, percebe que quem se aproximava em meio as arvores era o tio Som com sua bermuda jeans e uma camiseta, ele não estava em um traje que representava quem ele era mas isso não importa, então ele disse:

Som: O Espantalho, esta morto. Essa chuva porque dela?

Eu: Porque achei que não notaria minhas lagrimas se estivesse chovendo. Eae vai dizer o que?

Som: Nada você já teve o suficiente.

Para onde você vai?

Eu: Vou atrás do homem que me colocou nessa situação, do tio Tempo. Aquele mentiroso traidor ira pagar caro

Som: E depois?

Eu: Eu nunca sai do mundo velho, vou conhecer o vasto mundo talvez em algum lugar além do horizonte deve ter algum lugar bonito para viver em paz.

Som: Certo, acho que isso é um adeus.

Eu: Espera você ainda me deve um favor.

Som: Sim eu devo por quê?

Eu: Então lance as seguintes palavras ao vento:

Não importa quanto tempo demore eu vou te encontrar e você vai morrer pelo fio dessa espada, da espada que você mesmo criou, da Big Berta.

Lançar palavras ao vento é uma magia na qual se consistia em falar palavras e fazer com que o vento as carregue ate alguém.

Som: Certo elas chegarão ate ele, algum dia você vai voltar não vai?

Eu: Talvez os ventos do Sul me tragam aqui novamente e então nos reencontraremos, mas ate lá, obrigado por tudo.

Som: Certo vou esperar que volte ao mundo velho, algum dia...

10 anos se passaram então eu não consegui derrotar o Tempo, não o encontrei, então resolvi voltar...


Notas Finais


Pedro foi um idiota, mas não posso julgá-lo também fiz coisas idiotas como rei mas ir atras dele para que me ensinasse a usar a Big Berta não foi uma delas...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...