História As crônicas do paraíso Mágico - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjo, Bruxas, Céu, Demônio, Drama, Encantadas, Encantos, Fantasia, Feiticeiras, Feitiços, Ficção, Inferno, Magia, Mestre, Origem, Protetoras, Revelaçoes, Romance, Sobrenatural, Submundo, Suspense
Visualizações 2
Palavras 819
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Entre a luz e as sombras


Entre os séculos XVI e XVII, houve uma grande guerra que causou pânico e terror em todos que moravam na Europa. Com o tempo, militares comandados pelo inimigo dominaram todas as cidades. Ao anoitecer de cada dia, várias pessoas se reuniam no subsolo de uma casa abandonada para combinar um plano de fuga. E assim, todos decidiram fugir na mesma noite com suas roupas e comida suficiente para dez dias ou mais.

Chegando no Porto Rotterdam, todos se reuniram em um navio do inimigo e cobriram seus rostos para não serem reconhecidos. Os militares que ali passavam não perceberam a fuga em meio a uma imensa escuridão. Trinta dias se passaram e todos enfrentavam a chuva, o calor, a fome e o cansaço até encontrarem uma ilha enorme que hoje é conhecida como Paquetá. Paquetá é uma ilha que fica perto do Rio de Janeiro, um dos maiores estados do Brasil.

Todos chegaram exaustos sem barracas ou abrigos para se esconder e dormir à noite. Os rapazes que tiveram treinos de escoteiro quando pequenos se ofereceram para buscar materiais de construção natural e ajudar as moças com seus filhos e crianças de colo. Os homens ficaram há mais de três horas construindo cabanas de madeira talhada e acendendo a fogueira para assar a comida. As moças esperavam sentadas em folhas de bananeira que serviam como tapete, uma vida totalmente selvagem e tranquila, diferente da vida isolada e perigosa.

Anoitece na ilha e todos entram em suas cabanas para dormir, enquanto um jovem caminha pela floresta sem perceber para onde vai. Não demorou muito tempo até o menino se perder na mata e ouvir barulhos estranhos. Uma chama de esperança despertou no menino quando ele viu uma luz forte e dourada brilhar há dez minutos de distância. O menino caminhou até a luz e sentiu algo que nunca havia sentido antes, um arrepio incomodante, mas ao mesmo tempo bom.

Uma árvore enorme e detalhada, escorria um líquido amarelo que a deixava toda dourada, suas folhas, seu tronco, suas raízes e seu corpo também eram dourados. A árvore se aproximou do menino e conversou com ele um assunto muito importante.

Árvore Dourada:_ Aproxime-se menino dos olhos cinzas.

Eric:_ Você está falando comigo?

Árvore Dourada:_ Não tenha medo, não irei machucá-lo.

Eric:_ O que você quer de mim?

Árvore Dourada:_ Quero que cuide dos meus três filhos assim que eles crescerem. Primeiro envie cada um para uma moça diferente, elas serão as mães que cuidarão de meus filhos. Depois que todos completarem doze anos, reúna todos eles e façam com que eles acreditem na história que irei contar a você. Há muito tempo atrás, antes das guerras começarem pela primeira vez, eu vivia como uma jovem comum nessa ilha e visitava sempre uma árvore enorme durante o dia. Certo dia, caçadores estavam procurando por comida e sem querer atiraram em mim. Eu fiquei presa e cega por um momento, mas assim que despertei, eu reparei que não estava mais na ilha e sim em outro plano físico.

Eric:_ O que seria o plano físico?

Árvore Dourada:_ O plano físico é dividido em seis dimensões, cada um servindo para um propósito diferente. O primeiro é este, onde os humanos e os animais vivem, o segundo é onde os mortos vivem, assim como eu, o terceiro é habitado por criaturas místicas, o quarto habitado por fadas e outros seres que protegem a natureza, o quinto é habitado pelos protetores e o sexto é conhecido como o Submundo, onde os demônios vivem. Todos podem subir para o primeiro plano físico, mas não podem burlar as regras.

Eric:_ E qual a relação entre essa história com os seus filhos?

Árvore Dourada:_ Eles precisam saber de onde vieram os poderes que se escondem dentro deles. Assim que eles completarem doze anos, os poderes de cada um irão despertar e se manifestar. Eu quero que você os proteja, pois há muitos perigos lá fora.

Eric:_ Nem me diga, eu fugi de uma guerra horrível, mas a minha irmã e meu pai foram mortos quando os fizeram de prisioneiros.

Árvore Dourada:_ E tudo depende de você agora, não deixe que esta ilha vire um campo de batalha. Esconda os segredos dos meus filhos e os proteja.

Amanhece na ilha e a árvore misteriosa desaparece de vista. O menino acorda no meio da vila ao lado dos três filhos da árvore dourada.

Eric:_ Não foi um sonho, eles realmente existem! A árvore dourada existe.

Eric faz exatamente o que a árvore pediu, deixando cada um em frente a uma cabana diferente.

As moças de cada cabana abrem as portas da frente e se surpreendem com o presente. Ambas eram moças inférteis, ou seja, úteros com problema de fertilidade sem a possibilidade de engravidar. Eric apenas observava o olhar das moças prestes a se tornarem mães.

Os anos se passaram e todos os três irmãos completaram os doze anos de idade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...