História As Duas Faces - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amnesia, Ao Haru Ride, Tokyo Ghoul
Personagens Futaba yoshioka, Kou Mabuchi, Personagens Originais
Tags Amnésia, Amor, Ao Haru Ride, Drama, Hentai, Insanidade, Romance, Tokyo Ghoul, Traição
Exibições 5
Palavras 2.242
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E aí pessoal? Desculpem eu havia desistido de escrever. Mas cá estámos, com ânimo. Kkkkkk postando pelo cel, não deu tempo de corrigir, e eu vou fazer isso depois. Boa leitura pessoal.

Capítulo 10 - Nova Amizade.


FLASHBACK OFF
- Eu estava dizendo para o professor da Sakuraba, pra por ela no nosso grupo aquele dia.
O sinal já tinha batido, Yoshioka e Sakuraba estavam uma do lado da outra quando Yahura chegou.
- Oi Yahura. Que legal, eu nem havia pensado nisso.
- Grupo pro trabalho que o professor estava dizendo.
- Sim, esse mesmo.
- Onde vamos fazer?!
Perguntava Sakuraba.
- Bem...eeerrr... Não decidimos ainda.
- Pode ser na minha mesmo Yahura.
- Combinado então.
- Vai ser hoje?
- Aham Sakuraba.
- Depois a gente podia ver um filme.
Propôs Yahura.
- Ótimo idéia. Eu levo a pipoca.
- Gente temos o trabalho.
- Calma Futaba-Chan. Vamos terminar hoje rapidinho, aí assistimos. Amanhã é sábado.
- Ok, mais você vai ter que dormir em casa Sakuraba, seus pais deixam?
- Sim deixam sim.
- E eu? Não vai me convidar?
Yahura fez bico e uma cara feia.
- Você também Yahura.
Yoshioka virou os olhos.
Eles atravessaram a ponte e se separaram.
***
A campainha tocará. Yoshioka estava indo para o banho. Sua casa era um pouco grande, havia dois quartos no 2° andar, os dois com suíte.
- Oi Sakuraba... Yahura?!
- Sim, eu fui até a casa dela, já que não sabia o caminho, eu há trouxe.
- Entendi... Bom, eu estava indo pro banho, o jantar está pronto se vocês quiserem se servir.
Disse dando um sorriso.
- Futaba-Chan, eu sei que é chato, mais eu não tomei banho ainda... Meus pais iam saindo quando cheguei.
- A sem problemas Sakuraba. Vem eu te mostro.
As duas subiram, logo depois Yoshioka desceu.
- Yahura fica a vontade, vou tomar banho.
- Pode ir meu anjo.
Ela corou e subiu pro quarto meio envergonhada.
Já no banho pensava em sua vida, qual rumo tomar.
Yoshioka~ Yahura me deixa tão confusa... Kou se afastou de novo, está fora de questão abrir seu coração, ele não me deixa entrar, e se eu esperar em vão?...
Na banheira cheia de espumas ela se aprofundou mais ficando só com os olhos para fora. Estava frio, mesmo sendo primavera. Depois de refletir tanto pegou a toalha e saiu com os cabelos molhados.
- Y....
Ela paralisou e quis gritar, mais foi impedida.
- Shiiu, vai querer que ela descubra que estou aqui.
Sussurrou em seu ouvido.
Ela ficou vermelha como pimenta.
- ...
- Você está linda...
Disse ele arrumando aqueles cabelos molhados e acrescentou:
- Você sabe que sair de cabelo molhado da resfriado. Se cuida.
Ele abraçou aquele corpo molhado, sem esperar pegou há no colo e pôs na cama. Como um leão, ele subiu na cama ficando em cima de Yoshioka.
- Ya...Ya...
- Você me enlouquece...
Segurou aquele queixo delicado, aproximou as duas bocas. Começou com um beijo devagar, depois aprofundou segurando o braço da morena. Mesmo confusa aquele beijo fazia ela sentir bem.
- Yahura...
- Diga...
Entre beijos ela tentava perguntar.
- Por quê?...
- Não resisto há você, é como um imã, me enlouquece, me faz sorrir, me deixa preocupado. Se tornou tudo na minha vida.
Seus olhos tremeram, ela não queria ficar confusa, seu coração ardia e ao mesmo tempo se fechava.
- ...
Ele continuou dando-lhe beijos fortes, chupando o lábio de Yoshioka.
- P...pa...
- Ninguém vai saber.
O quão excitado Yahura estava não ia parar por ali. Yoshioka podia sentir aquele volume enorme escondido nas calças.
Eles ouviram algum tumulto fazendo Yahura se acalmar, a porta abriu com toda força.
- NOSSA! CARA VOCÊ NÃO PERDE TEMPO.
- TSUMI O QUE VOCÊ FAZ AQUI?.... E COMO OUSA ENTRAR DESSE JEITO?!
- Achei que estava rolando uma festa e você veio sem mim. E agora vejo quem você é garanhão.
Ria com elegância.
Yoshioka empurrou e saiu correndo, se trancando no banheiro.
- Sai daqui agora.
Yahura estava muito bravo, fechou a porta e trancou.
- Desculpa Futaba-Chan... Eu não sabia que ele havia me seguido...
- Eu quase tive um ataque do coração... E ele viu agente daquele jeito. Aí, droga...
Conversavam entre a porta do banheiro.
Ela começou a chorar de vergonha e nervoso. Yahura sem exitar abriu, vendo aquele corpo quase nú. A morena estava prestes a tirar a toalha. Mais logo arrumou em seu corpo.
Recebeu um abraço carinhoso.
- Não precisa chorar. Põe a roupa vou te esperar aqui na porta. E se eu fui longe demais, me perdoa.
- ... Eu...eu... Não foi longe demais. Eu correspondi.
Ele há soltou e olhou naqueles olhos que brilhavam.
- Então eu farei de novo.
- ...
- Termina de por sua roupa.
Disse saindo do banheiro.
***
- Qual o seu nome?
- Não te interessa... Onde já se viu estrar na casa de outra pessoa assim?
Sakuraba e Tsumi discutiam na sala. O garoto estava sentado no sofá e a garota em pé olhando aquele folgado.
- Meu irmão mora aqui praticamente, sendo a casa dele eu posso fazer o que eu quero.
Ele dizia tranquilamente olhando Sakuraba.
- E dai? Isso não te dá o direito. Além de contar o clima.
Ela batel a mão na testa e virou os olhos suspirando.
- Eu sei, não achei que meu irmão era de dar o bote. E você fica linda brava.
- ...
Ela ficou toda vermelha, virou o rosto e foi pra cozinha.
- Qual seu nome?
- ...Sa...Sa... Sakuraba.
- Que nome sedutor. Assim como você.
Fez um olhar malicioso.
- O que você está fazendo aqui Tsumi?
Soou irritado.
- Vim conhecer sua casa, e sua namorada é claro.
- Não te dá o direito de entrar no quarto dela assim. Batesse na porta educadamente e esperasse.
- A desculpa, você ia perder a virgindade.
- Cala essa boca!!!
A sorte de Tsumi era que Yoshioka estava descendo as escadas, e logo parou a briga.
- E você é muito linda maninha.
Dirigiu-se a Yoshioka.
- Ela é sim... Tira os olhos.
- Não da.
- Para vocês dois... Mesmo que você tenha entrado assim em casa, bem vindo. Nós vamos fazer o trabalho e depois assistir filme, se quiser esperar!
- Opaaa. Claro que quero, esse cheiro está me dando fome. Sua comida parece ser boa maninha.
- O...obrigado. Vem comer Yahura, se não o trabalho vai ficar de lado.
- Já vou indo.
A cozinha ficava perto da sala, o balcão separa os dois cômodos, a copa ficava em uma porta perto das escadas.
Ele virou e encarou o irmão.
- Você se comporta, não quero que fique me retratando como trouxa na frente dela.
- Calma mano. Você sabe que Kou não vai gostar se souber daquela parada na cama.
- Que? A você já sabem... Ele não pode nem imaginar. Vai me matar. Então mantenha segredo.
- Mantenho se você me apresentar pra aquela garota linda ali.
- Tá bom, então não se faça de trouxa também.
- Putz! Quanto sermão.
Já na mesa grande da copa ninguém dizia uma palavra.
- E aí maninha? A quanto tempo vocês estão juntos?
Tsumi se revelou.
Yoshioka quase entrou debaixo da mesa.
- Tsumi... Para com isso.
- Tudo bem. E Sakuraba, você é amiga da maninha a quanto tempo?
- Faz só um dia que entrei na escola.
- Queria estar na mesma escola que vocês.
Tsumi fez cara de triste.
- A escola é legal. Mais se não fosse Yahura e Yoshioka eu...bom não teria feito amizade.
- A Yoshioka mesmo sendo tímida, adora conversar, e ela sabe como você se sente. Há algum tempo atrás, uma menina tentou bater nela, só porquê viramos representante de sala, então você chegou e agora ela fez uma nova amiga. Isso é bom.
- Minhas ex amigas teve inveja, de Yahura e de eu ser representante.
Eles conversaram, comeram, e logo depois foram pra sala sentaram no tapete e começaram o trabalho. Era sobre coisas no mundo que não entendemos ou não sabemos que existem.
- Qual o tema?
Perguntava Sakuraba.
- Incompreensão.
- Desse assunto eu entendo bem!
Sussurrou Yoshioka em seu canto.
- E aí Futaba-Chan... Quer conversar sobre o assunto?
- ... Não...
- Você é inteligente, então vai começar por você, cada um vai dizer um pouco.
Yoshioka fez bico mais pensou um pouco, ela nunca havia se abrido totalmente para Yahura, ainda se sentia incomodada do fato de não entender nada sobre aquela família, sobre ela mesma.
- Tudo bem.
- Pode ir dizendo, eu vou escrevendo.
- Muitas coisas acontecem sem a gente compreender, temos um passado trágico, e ficando sozinha eu percebo que, o mundo é cruel, e temos que sobreviver nele.
Quando encontramos algo difícil de lidar, sabemos que não dá pra avançar ou pensar sobre o assunto, então não sabemos de nada e continuamos não sabendo. Há tanta coisa no mundo pra ser descoberto, mais acredito que é melhor que não saibamos... Ninguém compreenderia, e por causa desse motivo, o equilíbrio ia se desfazer. O mundo está melhor como é.
Acho que só.
Ela estava encolhida, olhos trêmulos e um pouco pálida, fazendo cara de choro.
Sakuraba caiu na real.
Sakuraba~ Ela mora sozinha. Só agora fui perceber. Deve ser tão difícil.
Yahura~ Vendo ela dizer isso... Faz meu coração doer... Ela não sabe de nada, apenas tenta conviver com fatos sem compreender.
- Ok. Isso já está bom. Sua vez Sakuraba.
Yahura tentou quebrar o clima, mais não dera certo. Depois dos dois darem suas opiniões foram assistir um filme. Era de romance vampiro.
Todos estavam no sofá maior. Yoshioka na ponta, Yahura do lado dela, Tsumi do lado de Yahura e Sakuraba na outra ponta.
No filme a garota pedia pra ser transformada em vampira, só assim eles poderiam ficar juntos. Mais o garoto se recusava, sabia que seu poder era amaldiçoado.
Yoshioka comia sem parar. Quando estava nervosa precisava comer.
- Gente eu tô subindo, comi demais e estou passando mal.... Gomenasai... Boa noite pra vocês. Até amanhã.
Fez um sorriso forçado e subiu.
- Esse filme é tão bom. Ela vai perder.
Ressaltou Tsumi.
- Gente eu também vou subir.
- Espera... Onde eu vou dormir?
Tsumi era atrevido.
- Se não for incômodo, ele pode dormir no seu quarto Sakuraba? Se não, você vai embora mocinho.
- Não tem problema, onde tem colchão?
- Não faço a mínima ideia. Ele pode dormir no chão, não vou incomodar Yoshioka. Boa noite.
- Boa noite.
- Ótima noite maninho...
- Sem malícia, Baka.
Yahura subiu, a porta do quarto estava fechada, talvez Yoshioka não tinha a intenção de dormir com ele, ou estava chorando.
Ele abriu de vagar, e vendo o quanto ela soluçava na janela, fez aquele coração frio doer.
Entrou devagar e trancou a porta, indo em direção pra aquela morena que parecia tão vazia.
- Yahura... Eu...eu não tenho nada... Não sei de nada...
Ele abraçou aquele corpo gelado, e seus olhos tremeram, enchendo de lágrimas.
- Só agora eu percebo... Eu tento fazer esse mundo normal... Mesmo não sendo... Eu vi meus pais morrerem... Vi Kou quase morrer... O mundo é injusto. E eu sou humana... Não posso ficar minha vida inteira ao lado de vocês dois...
E voltarei a ser sozinha... Morrerei sozinha... Eu não tenho vida... Não tenho escolhas.... Não sei quem sou eu...
- Chega... Se está tão confusa, tente achar o seu verdadeiro eu, o mundo realmente é injusto, não vai mudar, e você nunca mais vai ficar sozinha. Aquele filme que te fez pensar nisso? Nós também envelhecemos, mais demora até isso acontecer. É fácil dizer, nosso poder é algo pior Futaba-Chan, mesmo que eu ou Kou fizesse você se transformar, seria injusto, é uma maldição. É uma dor... Se isso te consumir, não vai ter mais nada de você. Eu vou te perder... Pra sempre...
Nesse momento ele apertou há mais forte.
- Eu sei... Eu sei... Por isso que não quero ficar sozinha... Eu quero viver... Não importa se é maldição ou não... Vocês vão viver com isso o resto da vida, é como se aliar a isso. Isso é vocês. E não vai mudar...
Yahura ouvirá, e perceberá a grande verdade.
- Futaba-Chan... Você tem razão... Vou te contar, tudo, o que aconteceu com nosso clã.
Na sala Tsumi estava de olho na garota ao seu lado.
- Sabe, me deu sono. Vamos dormir?
- Vai você. E o chão é seu.
- Não seja maldosa, eu prometo me comportar.
Aquele olhar sedutor fazia o corpo dela se arrepiar todo.
- Talvez, deixa o filme acabar e resolvemos isso.
- Sem problemas.
O filme acabará, os dois subiram.
- Onde eu vou dormir?
- Na cama... Comigo...
Sakuraba corou e completou:
- Se comporta.
- Eu vou... Mais você é irresistível.
Ele empurrou devagar ela na parede e sussurrou:
- Até parece que você não quer isso... Prometo ser bonzinho.
Ele olhou nos olhos dela.
- ...
- De você resistir eu paro...
Ele foi em direção aquele lábio fino porém sedutor. Segurou sua nuca e a beijou com tanta força. Ela não resistiu.
Quando ele tirou a blusa e ela viu aquele corpo sarado e gostoso, ficou ainda mais vermelha.
- Não seja tímida...
Ele segurou há com força e pôs na cama, não bastava ser sedutor ele chupava cada parte daquele pescoço branco.
Depois de arrancar toda roupa. Tsumi pode ver que aquela garota tímida escondia um corpo detalhado e seios grandes.
Ele explorava cada parte, estava tão exitado que há mordeu por impulso. Ela gemeu baixinho.
- Você gosta?
Ele perguntou assustado.
- S...sim...
Era sadomasoquista foi o que ele pensou. Então continuou mordendo em partes não visíveis.
Tsumi~ Ela parecia ser santa, mais de santa não tem nada.
Ele penetrou devagar. Ela gemia cada vez mais.
Era virgem, e mesmo assim estava se dando bem.
No quarto de Yoshioka, Yahura contava a história de sua vida, a morena chorava.
- Então é isso.
- Gomenasai...
- Não precisa se desculpar, você pode chorar e se abrir comigo quando quiser.
- Yahura?!
- Sim?
Ela olhou no fundo daqueles olhos verdes.
- Você me vê como?
O rapaz corou, mais ela já tinha a resposta.
- Não se preocupe, não é como se você fosse minha presa... Eu gosto de você, e quero tê-la. Basta você me querer...
Ela corou e olhou pra baixo, estava confusa, um rapaz doce que sempre esteve ao seu lado ou o rapaz que mantinha a distância.
Antes de responder viu um vulto na janela, o vento soprou naqueles fios ônix em câmera lenta, e a luz da lua brilhou o mesmo.


Notas Finais


Espero que gostem, não deixem de por as opiniões, é importante para vocês e para mim. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...