História As escolhidas. - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Diane, Dreyfus, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gilthunder, Gowther, Griamor, Guila, Hauser, Hawk, Helbram, Hendriksen, Jericho, King, Liz, Margaret, Meliodas, Merlin, Personagens Originais, Veronica, Vivian
Tags Ban X Diane, Elaine X Ban, Escanor X Merlin, Guila X Gowther, Meliodas X Elizabeth
Visualizações 51
Palavras 1.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Iai? Galera! Tudo bom com você? Espero que sim.

Aqui estou eu,com outro capítulo de atrasado de "As Escolhida".

Enfim, não vou encher vocês com desculpas.

Vamos, logo para capítulo.
Bjs ^3^
Até lá em baixo

Capítulo 14 - A Primeira Batalha: Mandamento da Verdade


Fanfic / Fanfiction As escolhidas. - Capítulo 14 - A Primeira Batalha: Mandamento da Verdade

"Não terás falso testemunho sobre seu próximo"

-Narração Terceira Pessoa-

Chapéu de Javali, um lugar calmo e que lhe fez sentir preocupação nenhuma e mesmo que esteja cheio de pessoas bêbadas, continua sendo um ótimo local para se sentar e conversar. Bem, seria se não estivesse desmoronando agora. 

Pois é, um terremoto pegou os 7 pecados capitias de surpresa e agora eles estavam fazendo o máximo possível para acalmar as pessoas que estava naquele pequeno local. Muitos que estavam dentro do local, se perguntavam o por que de estar tendo um terremoto já que isso nunca havia acontecido na antiga vila.

Mas as  pessoas de fora sabiam exatamente a explicação para essa dúvida. Um ser feito de um armadura verde, magro quase como esqueleto e com um enorme machado estava a andar tranquilamente pela a vila, e seu machado que arrastava no chão era a causa do terremoto que aterrorizava todos daquela pequena vila. 

Quando aquele enorme ser  parou de arrastar seu machado o terremoto cessou e todos que estavam ali presentes não pensaram duas vezes em correr. Pegaram seus filhos e membros da família, e correram em uma única direção, a direção oposta do monstro. 

O mesmo que estava parado procurou com o olhar seu alvo, que seria o pequeno bar que trazia tanta alegria e calmaria. Quando o avistou, deu passos calmos até o local e voltou a arrastar seu machado.

Aqueles que estavam no Chapéu de Javali já haviam fugido, deixando apenas os 7 pecados capitais e o belo Rei Arthur a espera do monstro. E as três garçonetes? Você talvez se pergunte. Elas estavam a guiar as pessoas ao caminho certo a seguir para ficarem longe daquela grande luta que ocorreria.

Galan: 7 pecados capitais! - ele gritou a caminho da cabana - Vim para acabar de vez com vocês! - ele gritou, e levantou seu machado apontando na direção do Chapéu de Javali. 

Rei Arthur: Pois sabia, que nós que vamos acabar com você. -ele gritou para a o mandamento da verdade, que deu uma risada sarcástica.

Galan: Isso é o que veremos, reizinho - ele disse e correu em grande velocidade em sua direção ao bar.

Ban: Droga, precisamos que elas esvaziem a vila primDiane.Não podemos lutar agora. - ele disse e olhou com cara feia para o Rei Arthur. - Obrigado, vossa alteza - ele disse sarcástico, e fez com que o jovem rapaz sentisse raiva e culpa.

Meliodas: Vamos tentar acalma-lo. Galan só fica louco quando começa a batalhar. - ele disse sério, olhando para o humanóide que correia em sua direção - Não falem nenhuma mentira em sua presença, se não iram virar pedra na hora. Sendo o mandamento da verdade, uma mentira é inaceitável para ele.

Esse fato que o capitão dos 7 pecados capitais havia comentado, fez muitos presente se perguntarem como ele sabia de tal fato. Mas por conta do momento não fizeram pergunta em voz alta.

Enquanto, eles estavam a espera do mandamento da verdade, duas garotas em meio a pressa e ao medo, estavam tentando guiar os habitantes daquela vila.

Marilyn: Vamos! Vamos! Sigam a trilha azul, elas os levará para um lugar seguro! - ela gritava as instruções que havia recebido de Merlim.

    Annabeth: Lá haverá água e comida, não se preocupem com nada! Os 7 pecados capitais iram resolver isso! - ela gritava para acalmar o povo que estava a comer rápido por conta do medo - Será que Elizabeth está bem sozinha? - perguntou a Marilyn que estava ao seu lado, mostrando caminho para as pessoas sem gritar.

Marilyn: Acredito que sim, ela está apenas recebendo as pessoas. Nós que estamos fazendo  a parte mais difícil e perigosa. - ela disse e deu um sorriso.

Annabeth: Deixa disso,Mari! Todos nós estamos fazendo coisas importantes e difíceis. - ela disse de um modo doce, e ajudou uma senhora a se levantar , já que mesma havia caído em meio a correria. - Vá com calma, nada mau vai acontecer. Os 7 pecados vão proteger vocês - ela disse para a senhora que deu um sorriso e começou a andar em seus passos devagar com ajuda de seu possivel neto.

Marilyn: Você me chamou de qque? -perguntou depois de racionar a afirmação da morena.

Annabeth: De "Mari", não pode? Você não gosta? -perguntou com receio. 

Marilyn: Não, pode sim. Eu adoro que me chamem desse jeito. - ela disse com um doce sorriso, tal apelido a fazia lembrar de sua melhor amiga que era tão parecida com a doce garota.

Ao ver a vila já estava vazia, correram para ver se em algum lugar havia alguém preso ou até mesmo perdido sem saber para onde ir.  Enquanto ela estavam a vasculhar, os 7 pecados capitais faziam o máximo para "entreter" o humanóide. 

Meliodas: Olá. Galan. Faz um tempo, né? - ele disse do seu modo de sempre, com aquele sorriso que demonstrava preocupação nenhuma.

Galan; É, e se fosse por mim não passaria muito tempo, Traidor. - ele disse com um sorriso sádico.

King: Esse é um termo muito forte parao capitão receber - ele falou calmo, enquanto estava deitado sobre o seu tesouro sagrado,

Galan: Ah, vocês não sabem nada sobre o seu "capitão" - ele disse de modo irônico,. - Como o mandamento da verdade, é inaceitável para mim ouvir que você mentiu para eles, "capitão" -ele disse apontou o sue machado na direção de Meliodas.

No momento em que os 7 pecados capitais estavam tento uma conversa "calma" com Galan, duas garçonetes tentavam mandar um sinal dizendo que a vila já estava vazia e que eles já poderia começar a lutar. Mas ninguém estava a olhar para elas,

Annabeth: Já sei - ela disse ao olhar para uma casa que era maior que as outras, 

Marilyn: O que irá fazer? - ela disse ao  ver que a morena, tentava subir no telhado da casa com uma escada que por concidencia estava próxima. 

Annabeth: Chamar a atenção deles! - ela disse e subiu no telhado, e tomando cuidado começou acenar com as mãos para o alto chamando atenção de Diane que estava a olhar para a vila naquele momento.

Diane:  Capitão, o sinal. -ela disse calma,e começou a voltar para o seu tamanho normal. O tamanho de um gigante.

Meliodas: Faça - ele disse e apenas com um palavra fez com que Diane desse um soco naquele ser, que voou para um direção em alta velocidade.

Assim como ele voou para um lado seu machado também o fez, e ele foi um direção em que os 7 pecados capitais não esperavam. Foi em direção a Annabeth.

Vendo que o machado vinha em direção de sua amiga, Marilyn gritou em desespero. 

Marilyn: Desce já dai, Annabeth! - ela gritou para a garota que ainda estava em cima do telhado, e por um momento parecia que o tempo passava devagar.

Mesmo com o aviso de sua melhor amiga, Annabeth infelizmente não conseguiu sair a tempo e foi levado, junto com o machado em uma velocidade absurda e cada choque com uma casa a fazia gritar de dor. 

Quando finalmente o machado perdeu seu velocidade, Annabeth ficou entre a parde da igreja e o cabo do machado. Estando completamente empressada, ela mal conseguia respirar e os ferimentos a fazia sangrar.

Marilyn; Calma, eu vou tirar você dai. -ela disse e puxou inutilmente o cabo do machado.

Ban: Deixa que eu faço isso. - ele disse e com apenas um puxão, afrouxou o suficiente para que Annabeth saísse. - Saiam daqui rápido, se não quiserem morrer. -ele disse colocou Annabeth apoiada em Marilyn, que saiu dali sem olhar para trás.

Annabeth: Você viu? Quem disse que Deus é fraco? A igreja foi a única que suportou o peso do machado. - ela disse em tom de brincadeira.

Marilyn: Como pode brincar nessa hora? - perguntou chocada ainda carregando a garota que abriu um pequeno sorriso.

Annabeth: Sou otimista. -ela disse deu uma pequena risadinha.

Galan: Que imensa força e poder você tem, jovem gigante. - ele gritou e deu um sorriso sádico para Diana

Ban: Se você gosta de força,então sente essa aqui! - ele disse e socou o mandamento da verdade que novamente voou para longe.

Diane: Venham vou levar vocês para um lugar seguro! - ela disse colocou as duas garotas em suas mãos as levando para a tenda aonde todos estavam.- Não saim daqui. -ela disse e as colocou na tenda especial que merlin havia feito.

Com aquelas palavras, Diane saiu a caminho de sua primeira batalha contar um dos 10 mandamentos.

Elizabeth:O que houve Anna? - ela disse vendo os machucados que a morena possuia, 

Annabeth: Apenas me machuquei um pouco. - ela disse com um sorriso descontraido.

Marilyn: Agora você entende o porque eu disse que pegamos a parte mais perigosa? - ela perguntou e Annabeth deu um sorriso enquanto estava sendo curada por Elizabeth.

Mas elass sabiam que aquilo, que aquela convivência na "pequena" batalha, seria a primeira a de muitas que elas iriam participar.


Notas Finais


Isso ai galerinha. Gostaram? Espero sim

Bjs (^3^)
Fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...