História As Fantásticas Aventuras do Zodíaco - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Tags Drama, Revelaçoes, Romance
Visualizações 52
Palavras 1.375
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ecchi, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, pessoal!
Nesse primeiro capítulo, veremos Milo de Escorpião, literalmente pegando fogo. "Hoje eu to daquele jeito".

Capítulo 1 - Variar de Vez em Quando Faz Bem


Fanfic / Fanfiction As Fantásticas Aventuras do Zodíaco - Capítulo 1 - Variar de Vez em Quando Faz Bem


AS FANTÁSTICAS AVENTURAS DO ZODÍACO
CAPÍTULO I
Variar é Sempre Bom
 Ora, depois de muitas batalhas e devaneios, os cavaleiros de Athena receberam o perdão dos deuses e com ele a chance de poderem viver uma vida normal. Athena estava feliz com seus amados cavaleiros, pois todos estavam de igual felizes, poderiam enfim, realizar seus desejos e aproveitarem todos os prazeres que a vida poderia lhes dar.
 Certo dia, Milo estava conversando com Afrodite de peixes. O cavaleiro contava ao companheiro que estava afim mesmo era de se divertir muito. Milo tinha uma imaginação aguçada para diversões e o pisciano já estava mais ou menos descobrindo do que o escorpiano estava falando.
Milo – Bem, a conversa tá boa, meu amigo, mas eu preciso ir. Vou beber um pouco até pegar no sono. Acredita que minhas servas resolveram menstruar todas no mesmo dia? Parecem até que combinaram. (Risos)
Afrodite – Ainda bem que as minhas não. Por isso, já que você tocou no assunto, eu vou me divertir um pouco hoje!
Milo – Ei! Não esqueça que você é responsável pela vigília do Santuário, tá, oh, sabichão!
Afrodite – Pode deixar, Milo! Eu vou cuidar direitinho de todos vocês. Num bom sentido. Fui!
 Milo então, seguiu para sua casa. Ele estava se sentindo como se fosse pegar fogo. Um tesão súbito tomou conta de si e correu e tomou um gole de wiski para se acalmar.
Milo – Justo hoje, essas meninas foram ficar naqueles dias. DROGA!
 Passou o tempo e Milo já estava com a garrafa pelo meio. Foi quando entrou um de seus soldados rasos. Um belo jovem chamado Menelau. Menelau era muito belo, tinha vinte anos e também era muito forte. Detentor de um belo corpo e um rosto sedutor. O jovem entra na casa de Escorpião, onde atuava como guarda.
Menelau – Vai precisar de mim para alguma coisa, mestre Milo?
Milo – Não, Mene...
 Milo, já um pouco bêbado, olhou para o jovem que havia se curvado em reverência e pediu para que o rapaz se levantasse.
Milo – Você não precisa fazer mais nada, meu rapaz. Já pode se retirar.
Menelau – Obrigado, mestre!
 Quando jovem virou as costas, Milo olhou para suas nádegas e a maneira com que andava o rapaz. E sentiu tesão, sorrindo de maneira bem safada.
Milo – Menelau! Volte aqui, por favor!
Menelau – Sim, senhor! Em que posso ajudá-lo!
Milo – Sente-se e beba comigo.
Menelau – Será uma honra, senhor!
 Milo não perdeu tempo e foi logo perguntando ao rapaz o que ele achava do sexo. Menelau respondeu que adorava fazer sexo, não importava com quem. Somente gostava de sentir prazer. Milo então se anima.
Milo – Pois eu penso a mesma coisa, Menelau. O que você prefere? Loiras, morenas, ruivas...
Menelau – Todas! Assim também como louros, morenos, ruivos... desde que me façam sentir prazer... adoro todos! (Risos)
Milo – Você pensa como eu, Menelau. Sabia que nos tempos mitológicos, os mestres faziam sexo com seus aprendizes? Era uma regra a ser cumprida.
Menelau – Sabia sim. Estudei muito sobre isso! Bom mestre, eu já vou indo. Foi muito bom conversar com o senhor.
Milo – Tudo bem!
 No momento em que Menelau se levantou e andou na direção da saída, ele se esbarra em Milo, que o segura pela cintura. Os dois se olham fixamente. Milo já está com seu pênis pulsando de tanta vontade, ele segura forte Menelau e põe as mãos em suas nádegas.
Milo – Sabe, Menelau! A gente podia repetir nossos antepassados dos tempos mitológicos! O que você acha?
Menelau – Senhor! Confesso que estou surpreso com seu pedido! Mas, eu também pensei o mesmo, senhor. O senhor é um homem extremamente misterioso e belo. Aguças a imaginação de homens e mulheres, inclusive a minha! (Respiração ofegante)
Milo – Então você quer!
Menelau -Sim, quero!
 Milo começa a acariciar o corpo de Menelau, que está vestido em um exomide curto, na altura de suas coxas. O cavaleiro vira Menelau de costas e desliza por seu tronco com as mãos. Menelau geme baixinho. Milo então, põe a mão entre as nádegas de Menelau começa a fazer carícias. Menelau acaricia a nuca de Milo, que beija seu pescoço.
Milo – Que delícia, que corpo, que bunda você tem! Gostoso de mais!
Menelau – Sou seu, mestre!
 Os dois estão cada vez mais envolvidos, podia sentir o tesão no ar. Milo vira Menelau de frente e olha em seus olhos. O cavaleiro é mais alto e mais forte do que o rapaz e por comanda tudo. Ele o vira novamente de costas, põe a mão dentro de uma vasilha com óleo e em seguida, introduz um dos dedos no ânus de Menelau. Ele faz movimentos circulares dentro do jovem que geme de prazer. Enquanto o penetra com os dedos, com a outra mão, Milo massageia o pênis de Menelau.
Milo – Está gostoso?
Menelau – Sim! Por favor, senhor, não pare! Por favor! Ahh Ahh!
 Milo então, introduz dois dedos em Menelau. O pênis do cavaleiro pulsa e dele sai um líquido viscoso. Milo geme!
Milo – Ai! Quero você agora, Menelau! Abra bem suas pernas, vou entrar gostoso em você!
 O cavaleiro introduz o pênis devagar em Menelau. O jovem sente o pênis ereto de Milo entrando em seu ânus, ele começa a gemer e Milo começa a fazer movimentos para frente e para trás. Ele começa devagar, mas vai acelerando aos poucos. Quando Menelau já está à vontade com Milo, O cavaleiro acelera os movimentos e começa a gemer.
Milo – Nossa, que bunda gostosa! Ai que delícia, Menelau! Por que eu fiquei com você antes? Você é bom demais! Ah! Ahhh! Eu não vou deixar você sair daqui hoje! Quero fazer a noite inteira!
Menelau – Ah! Senhor Milo! Que delícia, seu pênis é delicioso, entrando e sando de dentro de mim! Que delícia! Por Athena, que delícia!
 Os dois seguiram transando noite a dentro. Milo com um apetite voraz e o guarda, que apesar de ser apenas um soldado raso, era um homem com um cosmo elevado e muito vigoroso. Ele também se entregava vorazmente a Milo que não parava de penetrá-lo. Menelau fica de quatro, o que deixa Milo ainda mais tarado, ao ver o bubum do rapaz empinado esperando por ele. Milo não pensa duas vezes e o penetra de uma vez só. Menelau geme alto. Milo segue com movimentos rápidos.
Menelau – Ah! Ah! Que gostoso, mais, mais! Ah!
Milo – Que delícia! E assim de quatro, ficou mais gostoso ainda! O que está achando mim, Menelau? Do meu corpo, do meu pênis dentro de você?
Menelau – Maravilhoso! Parece que vou me desmanchar de tanto tesão!
Milo – Pois se desmanche! Por que eu não vou parar!
 Milo seguia penetrando Menelau, que de tanto sentir prazer, um líquido escorria de seu ânus, que juntamente com a penetração, fazia um barulhinho que Milo adorava ouvir!
Milo – Que gostoso! É assim que eu gosto, bem molhadinho, com esse barulhinho! Como sua bunda é gostosa, Menelau! Meu pênis adora! Ah!
Menelau – Ai! Senhor, eu vou gozar, eu vou gozar!!! Ahhhhh!
Milo – Goza! Goza gostoso pra mim, vai!
 Enquanto Menelau gozava, Milo intensificava seus movimentos, deixando o rapaz ainda mais cheio de tesão.
Milo – Eu também vou gozar! Dentro de você! Ahhhhh!!!!! DELÍCIA!!! AI, QUE BOM! COMO ISSO É BOM! AHHH!
 Após ter gozado, Milo respirou fundo. Menelau deitou-se na cama e os dois começaram a sorrir.
Milo – Isso foi, maravilhoso! Não imaginava que você tivesse uma bunda tão gostosa!
Menelau – Nem eu, que seu pênis fosse tão espetacular! Sempre que me quiser, estarei à sua disposição!
Milo – E pode ter certeza que eu irei requisitá-lo novamente! Mas antes de você sair, quero fazer mais uma coisa. Vire de costas!
 Ao deitar-se de buço, o jovem sentiu Milo deitando-se por cima dele. O rapaz sentiu o pênis do cavaleiro penetrá-lo mais uma vez. Ele geme.
Menelau – Senhor! Ainda quer mais?!
Milo – Isso é só uma despedida, ou melhor, um até breve!
 Milo fazia seu pênis pulsar dentro de Menelau, porém não se movimentava. Depois ele retirou seu órgão de dentro do rapaz e se levantou. Menelau vestiu suas roupas e foi para o alojamento dos soldados. Aquela noite para ele, seria inesquecível.
Milo – Ah! Agora poderei dormir mais aliviado! Mas que bundinha gostosa aquele garoto tem?! Acho que vou chama-lo mais vezes! Isso foi muito bom! (Risos)
 


Notas Finais


Bom, pessoal, é isso! Até a próxima aventura! Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...