História As Garotas Selvagens - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Banda, Celebridades, Comedia, Concurso Musical, Drogas, Fama, Famosos, Musica, Reality Show, Rock And Roll, Romance
Exibições 8
Palavras 4.757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Demorei mas cheguei, espero que curtam.
Boa leitura e super beijos.

Capítulo 4 - Três


- Então vocês receberam o telefonema na mesma hora? - perguntou o entrevistador.

- Basicamente, nós recebemos no mesmo dia - respondeu Hayden.

- Na verdade, todos os participantes receberam no mesmo dia. Acho que eles queriam que tivesse o mesmo impacto para todos. - Amberly gesticulava bastante e olhava constantemente para Hayden, afim de ver se a amiga concordava com suas falas.

- E vocês tinham ideia sobre o que era essa ligação?

Elas se entreolharam.
- Não! - responderam ao mesmo tempo e sorriram espantando um pouco do nervosismo.

O entrevistador exibia um sorriso brilhante.
- E garotas, acho que vou saciar a curiosidade de muita gente com essa pergunta. - ele sorriu deixando a pose de lado -  Como foi quando chegaram lá? Ocorreu tudo do jeito que vocês esperavam? Vocês ficaram amigas desde o início do reality?

 

30 de Outubro
       
  Hayden Wilde

Os dias após a audição passaram corridos. Hayden saía todos os dias no mesmo horário e passava a maior parte do tempo na casa de Warren, só saindo à noite para as costumeiras festas. Algumas pessoas já haviam recebido e-mails com o feedback ou ligações dos produtores da Major TV. Seus pais nem desconfiavam, Hannah nem sequer imaginava que a irmã havia feito aquela loucura e Luke, estava furioso por achar que todo o tempo que passara com os pais no dia da audição fora uma perda de tempo. Até mesmo ela, que sempre fora confiante, estava insegura. E se não passasse? Teria que encontrar um emprego, estudar Medicina, e viver como Hannah.Não queria nem se imaginar numa faculdade de Medicina.
E ela definitivamente não estava tendo uma boa semana. Dougie fora até a casa dos Wilde alguns dias após a audição da namorada - que agora era dizia não querer nada com ele - e pediu desculpas pelo modo grosseiro como a tratou, culpando certas substâncias que usava frequentemente. Após ouvir o ex-namorado dizer que a amava, ela não conseguiu resistir por muito tempo e perdoou o garoto. No entanto, fora em vão, eles brigaram novamente no dia seguinte. Mas dessa vez, ela não iria dar o braço a torcer. Dougie tentava falar com ela nos ensaios da 'Lost Boys' mas a garota sempre o ignorava. Demonstrara estar arrependido e ela se esquivou em todas as tentativas de reaproximação. Mas ele não desistiria tão facilmente. 
Então ela parou de ir aos ensaios com a esperança de que aquela loucura tivesse fim, mas o celular tocando a cada vinte minutos, oito vezes por dia, mostrava que aquilo não teria fim nem tão cedo.
Ela já deitava para assistir seu filme preferido ao lado de Warren quando seu celular tocou novamente. Pegou o aparelho e quase rejeitou a ligação. Quando viu o número desconhecido, lhe passou pela cabeça a ideia de que Dougie poderia estar ligando do celular de alguém, mas ela sabia que ele não ficaria desesperado a tal ponto. Para sua alegria, não era ele.

Amberly Hough

Talvez Amy não passasse nas audições e tivesse que voltar para sua cidade natal, e sendo essa uma possibilidade muito real, ela se sentia triste e decepcionada. Mas por outro lado, quando em sua vida ela estaria em Los Angeles novamente? Talvez em um futuro bem distante, talvez nunca. Mas do que importa pensar no futuro quando se pode aproveitar no presente? Durante o tempo que esperou pelo resultado, ela e a mãe não pararam no quarto do hotel. De dia visitaram lugares como Walt Disney Concer, Hall & Downtown, Rodeo Drive, Farmers Market e The Grove, Venice Beach, - onde ela expôs seus fartos seios em um biquíni preto e chamou atenção de alguns rapazes californianos - e obviamente, Beverly Hills e Hollywood. Em todo lugar que ela ia, seu sorriso aumentava mais. As pessoas eram diferentes daquelas com quem ela convivia desde pequena. Nenhum garoto que passou por ela deu uma risadinha fina e irritante com os amigos, e nenhuma menina empinou o nariz e a olhou com desprezo. Talvez ela devesse aproveitar bastante Los Angeles, e eu te digo com certeza que ela aproveitou, até porque, ela passou por lugares onde haviam sido filmados cenas de Sete Luas, mas em todo momento, o medo de voltar para El Paso lhe antigia em cheio como uma flecha, e lhe espalhava desespero. Talvez ela tivesse exagerando, talvez não. Mas quem saberia? Ela não gostava de se abrir com ninguém. Nem mesmo sua mãe sabia sobre os pesadelos que a filha viveu na adolescência. Aquilo passaria sim, mas sempre haveria algo para lembrar.
O pouco tempo que estava passando em Los Angeles lhe faziam ter mais certeza de que aquele era o seu lugar. Além do mais, ela estava no lugar que serviu de cenário para o livro favorito dela, Sete Luas. Ela até quis, e implorou para dar uma passadinha em Compton, residência do Clã Cinza, onde a maior parte dos mistérios aconteceu, e até conseguiu convencer sua mãe que lhe disse que veria como elas fariam para chegar lá no outro dia, mas infelizmente, ou felizmente, o celular tocou.

 

31 de outubro

O dia das bruxas era sempre a mesma coisa: Hayden e Luke batendo de porta em porta no fim da tarde, repetindo a tão famosa frase Gostosuras ou Travessuras?, e quando Luke estivesse com as sacolas transbordando de doces, ela o deixaria em casa e iria para alguma festa. Mas após uma ligação que recebera dias antes, seu dia das bruxas seria diferente. Depois de implorar que Warren acompanhasse Luke em seu lugar, ela conseguiu chegar ao local onde foram realizadas as audições.
Agora, parada na frente da Staples e em meio a tanta gente, era fácil reconhecer algumas pessoas. A garota com quem conversara na primeira vez em que esteve ali. Um moreno alto que achara bastante atraente e uma garota que lhe parecia ter saído da capa de uma revista de moda gótica. Uma ou duas pessoas se aproximaram afim de dar início a uma conversa, dentre elas, uma baixinha que ela julgou muito irritante, mas Hayden repeliu qualquer tentativa de interação. Não queria falar com ninguém, só queria saber o motivo de ter sido chamada.

Além dos participantes, também haviam os fãs do programa. Todos gritavam animados e algumas garotas já tinham camisetas com fotos de seus participantes favoritos, mas eles não poderia se aproximar por causa das grades que foram colocadas no local e a quantidade de seguranças que tomavam conta.
Hayden tentou pedir explicações ao segurança que guardava os portões do local mas não conseguiu arrancar uma palavra sequer do homem.
Como se soubesse que ela estava quase desistindo do silêncio, o moreno se aproximou e ela o achou ainda mais bonito quando ele lhe sorriu simpático.

- Olá - ele se pronunciou e ela sorriu - Você é a Hayden, estou certo?

- Já nos conhecemos? - ele sorriu ainda mais , se é que isso é possível, ao ouvir a voz rouca da garota.

- Assisti sua audição pela internet, você foi incrível - ele explicou. Ela já sabia que os vídeos das audições estavam disponíveis no site do programa, e era um alívio que nenhum conhecido lhe havia reconhecido ou tenha assistido. No entanto, ela não se deu ao trabalho de assistir as audições de seus concorrentes, mas era ótimo saber que alguém já reconhecera a quão boa ela era.

- Hayden Wilde, e você? - ela deu um sorriso presunçoso.

- Scott Russell - ela reconhecera o sobrenome de imediato.

- Scott Russell? - os olhos dela quase saltaram do lugar - Assim como Dylan Russell?

- Ele é meu primo - o garoto respondeu em voz baixa dando um sorriso constrangido logo em seguida.

- Cara, você só pode estar brincando comigo. - ela falou divertida e Scott achou que ela agiria exatamente como as outras garotas quando descobriam seu parentesco com alguém famoso. O que ele não sabia era que Hayden não é como as outras - Você só pode ser muito idiota mesmo. - as palavras da garota o deixaram surpreso - Tá sabendo que as garotas vão cair em cima de você, não é? Você não vai ter paz. Está cavando sua própria cova.

- Também não é assim. - ele riu - É o meu sonho em jogo, não posso desistir por causa disso.

- É bom que você saiba mesmo lidar com isso tudo. Se já te vêem como um pedaço de carne só de ouvir seu sobrenome, eu tenho medo do que pode acontecer se você chegar às finais ou ganhar o programa. - ela riu - Por falar nisso, - seu rosto retomou a expressão habitual: tédio - você tem alguma noção do porquê de nos chamarem aqui?

- Não faço a mínima ideia. Aqui fora tá muito calor e eles não nos deixaram entrar nem para beber água. - reclamou - Mas seja lá o que for, não vamos demorar para descobrir - ele apontou para o fim da rua quando avistou no fim da rua um ônibus como os usados em turnês.

Os mais curiosos se aproximaram, os mais discretos ficaram em seus lugares apenas olhando. As especulações sobre o porquê daquele ônibus estar ali se foram tão rápido quanto tiveram início. O veículo parou na frente do estádio e os seguranças se aproximaram fazendo uma barreira quando a porta se abriu.
A primeira a descer foi motivo de gritos de muitas pessoas e olhares admirados, inclusive dos fãs. Skylar Hailstorm, ex integrante da girlband britânica Girls Almighty, jogou seus cabelos loiros por cima dos ombros mas foi momentaneamente esquecida quando um homem alto e magro desceu logo em seguida. Usando uma camiseta preta simples e calça jeans, Bryce O'Callaghan afastou os óculos escuros do rosto e deu uma boa olhada nos participantes. "Aquele é o vocalista do American Dangerous", foi o que ela ouviu Scott dizer antes de Ronald Trinity deixar o ônibus. Os cabelos cacheados e o jeito galanteador eram sucesso entre as garotas e garotos do mundo inteiro. 
Dessa vez Hayden não seria uma exceção. Ela ficou o olhando por tanto tempo que só notou que outra pessoa desceu do ônibus quando os gritos aumentaram. A mulher de cabelos azuis parou na frente das outras celebridades e se virou para os participantes com um sorriso. Todos aguardavam o momento em que algum deles diria algo.

- O que estão esperando para se aproximar? - ela colocou as mãos na cintura - Nós não vamos morder nenhum de vocês.

- Fale por você. A Skylar está me assustando com essa expressão de serial killer - disse o vocalista da American Dangerous fazendo todos rirem. A voz dele era rouca e ele tinha um belo sorriso, Hayden observou.

Amy estava se sentindo inquieta sentada em uma cadeira desconfortável. Uma garota gordinha com cachos loiros não parava de olhar para ela, como se quisesse conversar. A ruiva do dia das audições conversava com um rapaz bonito. Esperta. Cansada de ficar no escuro, sem saber o que fazia naquele lugar, ela sorriu para a menina sabendo que ela viria ao seu encontro. Bingo! A cachinhos dourados sorriu de volta e andou até Amy. 

- Oi, tudo bem? Meu nome é Rachel Voguel! - ela não respirava para falar, e seu sorriso era gigante. Será que era assim que as pessoas a viam? Amy pensou.

- Meu nome é... - ela foi interrompida pela garota.

- Amy. Eu sei, eu te vi no dia das audições e o seu vídeo na página do programa. Eu sou muito perceptiva e curiosa. - se gabou e cruzou os braços. - Na escola eu sabia tudo sobre todos, mas ninguém me conhecia. Quer dizer, eles vinham até mim para pedir informações, mas eles zombavam de mim. - Por um momento Amy sentiu pena da garota, e pode ver certa tristeza em seus olhos. Mas assim como veio, a tristeza se foi, e a menina sorriu novamente - Mas eu estou aqui agora, né?!

- Então você sabe o que estamos fazendo aqui? - o rapaz que lhe encarou no outro dia passou por trás de Rachel.
Amy percebeu que as pessoas começaram a se agitar, então levantou e andou, parando ao lado da ruiva.

- Não, mas eu posso descobrir... Hey, o que houve? - a menina perguntou, mas finalmente se calou, olhando com os olhos brilhantes para as celebridades que sorriam e faziam poses para as câmeras.

Um grito prendeu-se na garganta de Amy, e apenas com a boca aberta e os pés agitados como se estivesse quente, ela segurou o braço de Rachel que estava do mesmo estado que ela e a olhou como se as duas fossem melhores amigas realizando um sonho.
- Eu não acredito, é a Lily Blue! - ela abriu um sorriso animado e sentiu que suas bochechas iriam se abrir.

- Skylar Hailsthorm! Eu adoro ela, tenho tipo, todos os cd's dela, e já fui em cinco shows! - comentou Rachel com seu jeito falante.

Quando elas olharam novamente, nenhuma das celebridades estava ali, e as pessoas pareciam perdidas, sem saber o que fazer. Alguns funcionários do programa orientaram para que eles entrassem e sentassem perto do palco. 
Amy sentou ao lado de Rachel, e as duas olhavam sorridentes para todos os cantos, pareciam irmãs. O rapaz que a observava no outro dia, sentou ao seu lado.
- Nervosa? - perguntou sorrindo de forma tranquilizadora.

- Como você sabe? - ela questionou com os olhos arregalados.

- Você não para de mexer no cabelo. - ele apontou para o dedo dela que enrolava os fios dourados freneticamente - Minha mãe sempre faz isso quanto está preocupada - sorriu,
Amy fazia isso desde pequena. Ela sempre teve paixão por seus fios, adorava fazer penteados, cuidar e não gostava de deixá-los curtos, sempre na mesma altura. Dependendo da ocasião, ela nem percebia que sua mão se enroscava nas madeixas.

Todo o murmurinho acabou quando Skylar caminhou até o centro do palco, fazendo um baque toda vez que seu salto encontrava o chão.
Ela era bonita, inteligente, e uma das maiores cantoras pops da atualidade. Cantava e escrevia suas músicas desde os 15 anos, quando fazia parte da girlband Girls Almighty.

- Bom dia! Creio eu que todos me conhecem... - ela sorriu assim como outras pessoas. O sotaque britânico dela era irresistível e a deixava ainda mais sexy.

- Skylar Hailsthorm fazendo piada? - Amy se surpreendeu.

- Shhhhi! - Rachel colocou o dedo indicador na frente dos lábios.

- Acho que alguém é fã... -comentou o garoto ao lado, exibindo dentes brancos ao sorrir.

- ... Bom, para quem é fã de outro gênero musical, eu sou Skylar Hailsthorm e sou cantora - Rachel aplaudiu animada e recebeu olhares de quase todos que ali estavam. Amy se encolheu no assento junto com o novo colega.
Skylar continuou:

- A produção me contou que vocês não sabem o porquê de terem sido chamados, então eu serei a portadora de boas notícias. - ela olhou para cada um criando um clima de suspense. Provavelmente, todos já sabiam o que era, mas queriam uma confirmação - Todos vocês serão os vinte primeiros participantes de As feras da música.

Todos começaram a ovacionar ao mesmo tempo. Amy levantou a mão direita e virou para Rachel, que escondeu a mão dela na de Amy fazendo um high-five. Já o menino ao lado demorou um tempo para entender o que Amy pedia, e a deixou por alguns segundos com a mão estendida até finalmente bater na mão dela. 
Hayden quase pulou da cadeira, mas se limitou a morder os lábios com força para conter um grito. Ter sido selecionada não era uma surpresa, porém, comemorar é sempre bom.

- Vocês serão divididos em quatro casas, cada casa tem um nome, um mentor e cinco participantes. Como podem imaginar, no final "ganha" o mentor da casa vencedora. Eu ainda não sei com que casa eu vou ficar, mas eu tenho esse envelope - ela mostrou o envelope pequeno e vermelho - onde está o nome da casa por qual serei responsável e dos cinco participantes. Conforme eu chamar, vocês podem se levantar e vir até aqui na frente que vão lhe designar à sala onde vocês ficarão. Vamos lá?

- Tomara que eu fique com ela! - Rachel cruzou os dois dedos e fechou os olhos.

- A minha casa é a Wolfs, e serei mentora de Mason Crenshaw, - um garoto negro com o cabelo raspado levantou e caminhou até um funcionário que o esperava - Justin Félix, Heloise Garrywood, Mary Jane Tunner e Damian Ramirez! - Um menino com os cabelos brancos, uma menina com traços indígenas, uma menina baixinha e um rapaz bonito levantaram respectivamente. Rachel fechou a cara e cruzou os braços como uma criança birrenta.

- Relaxa, Rach, aposto que vai ficar em uma casa muito legal.

O próximo a subir no palco foi Bryce O'Callaghan. Ele se apresentou, fez algumas brincadeiras, e então anunciou sua casa: Bears. Mesmo fazendo piadas, o vocalista da American Dangerous não tirava os olhos de Hayden e a mesma estava torcendo para que ele apenas chamasse seus participantes e deixasse o palco. Era tentação demais.
Ele levou consigo três meninas irrelevantes, um loiro bonito e simpático que sorriu para todos enquanto passava cujo o nome era Liam Stewart, e Cole West.

- Bem, esse sou eu - anunciou o rapaz ao lado de Amy e se levantou.

A loira observou o menino ir, e nem percebeu que Lily Blue estava no palco. Restavam apenas dez participantes, e os dedos dela já se enroscavam nos cabelos. Rachel mexia a perna direita inquietamente.

- Pelo menos estamos no programa - Amy tentou encorajar Rachel e a si mesma.

Lily era da casa Eagles, e levou quatro garotos, incluindo o garoto bonito que conversava com a ruiva e a menina gótica.

Ronald Trinity subiu ao palco. Hayden estava ansiosa mas preferia que ninguém soubesse. Por isso, tratou de manter a expressão impassível e observar atenta.

- Eu sou responsável pela casa Tigers, e bom, como podem imaginar, vocês cinco são os participantes escolhidos.

Ronald Trinity era um cara estranho. Sério. Ele não era lindo, mas tinha seu charme e tinha um certo estilo. Era aquele que aparecia em premiações usando chinelo, não escondia seu amor por maconha e inclusive, deu várias entrevistas sobre a influência da planta. Por outro lado, ele era um gênio. Seu pensamento sobre o mundo e a sociedade viravam frases que as pessoas sempre repetiam. Suas músicas românticas geralmente acompanhadas de apenas um violão com clipes simples e suaves, viravam hits instantaneamente. Vários artistas, incluindo Mr.Diamond já cantaram músicas escritas por eles, e quase todas eram um sucesso. Por isso, quando Amy soube que seria orientada por ele, se sentiu feliz e esperançosa por estar com alguém tão experiente.

Hayden aguardou até que dois funcionários deram instruções sobre o caminho que eles deveriam percorrer. Caminharam por todo o corredor e já no fim, uma das garotas encontrou uma porta e a placa ao lado com a palavra TIGERS lhes dizia que era a sala correta. Quando as cinco meninas entraram na sala, cinco profissionais lhe esperavam ao lado de cadeiras de couro preta de frente para uma penteadeira com um espelho grande e produtos de beleza enfileirados.
Sem que pedissem, cada uma se dirigiu à uma cadeira e deixaram que os respectivos cabeleireiros e maquiadores fizessem seus trabalhos. O rapaz chamado Erwin que ficou com Amy, lhe explicou que como era Dia das bruxas, eles fariam maquiagens artísticas referentes ao grupo em que elas ficaram. Ele pediu que ela retirasse seu batom rosa, e após prender os cabelos dela em um coque, trabalhou com o rosto dela.

Os cabelos ruivos de Hayden foram presos em um coque apenas para que a maquiagem fosse feita. Depois de pronta, começaram a trabalhar em seu cabelo. Segundo Darcy, a pessoa responsável pelos fios ruivos, os cabelos de Hayden não dariam trabalho. A garota aparentava uma personalidade forte e apenas soltar e bagunçar seu cabelo já foi de grande contribuição com a fantasia e lhe deixara sexy.

Quando o cabelo e maquiagem de Amy estavam prontos, foi a vez de escolher a fantasia. Erwin e ela acharam que um vestido tomara que caia, curto, preto e marcando a cintura fariam jus ao seu corpo e destacaria seus cabelos e maquiagens. Ficar de calcinha na frente de todas aquelas pessoas foi a parte chata. Amy gostava de seu corpo, de verdade, e nem sempre se importava em ficar se lingerie perto de mulheres, mas naquele momento , por algum motivo, ela se sentiu desconfortável. Ela retirou toda roupa feliz por não estar usando calcinha com ursinhos, e lembrando a si mesma de que todas elas teriam que fazer o mesmo. Infelizmente, ela só descobriu que havia como fazer isso de um jeito privado quando Erwin trouxe um sutiã sem alça do seu tamanho.

Já com a maquiagem pronta, Darcy pediu que Hayden continuasse com o cabelo preso. A roupa escolhida fora um macacão justo e com estampa de onça. Sem hesitar, assim que ouviu Darcy dizer que elas trocariam suas roupas ali mesmo, ela se desfez das suas e logo estava em sua fantasia. Nunca teve medo de se expor e não seria naquele momento que começaria a ter. Esperou que arrumassem seu cabelo e já pronta, foi a segunda a ser encaminhada para uma sala ao lado. Um homem ajustava a posição da câmera e do tripé no meio da sala.

Mesmo que pequeno, era um bom espaço para se trabalhar. O moreno sorriu quando Hayden entrou e pediu que a mesma se aproximasse.

- Você vai ser a primeira. Nervosa? - perguntou e a mesma apenas balançou a cabeça dando uma resposta negativa - Ótimo. Meu nome é Jean-Luc e...

- Eu sou Hayden. O que eu tenho que fazer? - perguntou ignorando o homem e pegando-o de surpresa pela atitude. 
É apenas mais uma wannabe, ele pensou e revirou os olhos. 
Mas ela não planejava ser rude, ao menos, não daquela vez. Queria começar logo, e terminar logo. Nenhuma das outras concorrentes estava ali, logo, ela poderia demonstrar um pouco de sua ansiedade.

- Fique ali na frente. Nós vamos começar com uma coisa bem natural. Você pode apenas olhar para a câmera e ser você mesma. - Jean-Luc sorriu quando captou a primeira imagem - Isso mesmo, assim está ótimo - ele falou e a garota encarou a câmera com um sorriso. A porta se abriu e Scott Russell adentrou o local, como sempre, sorrindo. Ele estava sem camisa e seu corpo pintado, totalmente caracterizado como os outros de sua casa - Ah, aí está você! - Jean-Luc falou quando seguiu o olhar da garota e viu o participante dos Eagles ainda parado na porta - Venha. Vocês terão que posar juntos para algumas fotos. O moreno concordou e foi para perto de Hayden. Sem saber o que fazer, ambos olharam para o fotógrafo. - Vocês já se conhecem? - perguntou e os outros dois assentiram - Ótimo, isso ajuda muito. Primeiro, vocês terão que posar juntos mas ainda assim, separados. Ajam como se outro não estivesse ao lado.

Hayden ouvia os cliques mas não estava tão focada assim. Scott a olhou de cima em baixo fazendo-a rir incrédula quando reproduziu o som de um miado.
- Idiota - ela deu um tapa no braço dele.

- O que? Sua fantasia é legal. - Scott se defendeu - E ficou bem no seu corpo, quero dizer, você tem um corpo muito legal também.

- Legal demais pra você garoto águia - ambos riram do apelido e se aproximaram quando Jean-Luc gritou algo.

- Se é o que a gatinha pensa - ele riu novamente da fantasia.

- Vamos lá pessoal, Hayden você é uma leoa faminta e o bonitão aí é sua presa. Não fora preciso muito para imaginar que ela seguiria o conselho do fotógrafo. Se ele queria que ela agisse como uma leoa, Scott Russell seria sua presa, e ela não o deixaria escapar.

Antes que Amy pudesse entrar na sala onde as fotografias seriam tiradas, Rachel apareceu vestindo um kigurumi de tigre (aqueles macacões de bichinhos, super fofos e grandes). Os cabelos dela brilhavam em cachos grandes e definidos, e a maquiagem era simples o suficiente para deixar aquela baixinha tagarela fofa.
- Espera por mim! - Rachel a alcançou, e então perguntou com um olhar envergonhado - Estou muito ridícula?

- Que? Meu Deus, você está muito fofa, tenho certeza que quem ver sua foto no site vai adorar!

Na hora em que entraram no estúdio, um homem gritava enquanto tirava fotos de Hayden e o tal Scott. Amy ponderou se estava nascendo o primeiro romance do programa, e até pensou em comentar com Rachel, mas antes que isso acontecesse, Rachel se juntou a eles e ela percebeu que o fotógrafo as chamava.

- Vamos tirar uma foto grupal. O propósito era com todos os participantes, mas assim também fica bom. Quando as fotos forem ao ar, os telespectadores já vão ter o que pensar - disse o fotógrafo.

- Ué, como assim? - perguntou Rachel.

- Fotos em conjunto passam a ideia de que vocês estão se divertindo, sem muita rivalidade além da necessária - explicou um rapaz sentado em frente ao computador. 
Provavelmente era responsável por editar e postas as fotos no site.

- Mas isso aqui não é uma "selva"? Qual sentido? - Perguntou Scott.

- Sim, mas vocês são predadores, os mais fortes - respondeu o fotógrafo.

- A turma mais popular do colégio - disse Amy sorrindo e causando risadinhas nos outros.

- Sim, você pegou a ideia. Aliás, eu sou Jean-Luc, responsável pelas fotografias do programa.

- Rachel.

- Amberly.

- Scott.

- OK, depois digam o nome e sobrenome artístico de vocês para o Louis ali - apontou para o rapaz do notebook - Para a primeira foto eu quero algo simples, apenas sorriam. - eles obedeceram ao pedido de Jean e então a sala brilhou com o flash.- Agora eu que... - a porta foi aberta e Cole apareceu com um sorriso tímido.

- Desculpa, eu estou atrasado.

- Sim, sua "turma" já passou faz tempo. Mas tudo bem, se junte à eles. - pediu Jean.
Cole vestia apenas uma calça marrom felpuda. O maquiador havia feito sombras em seu corpo, no peito havia uma marca de garras de urso e seu cabelo havia sido bagunçado.

- Ok. Quero todos sérios por favor... Isso... Ótimo! Agora façam caretas... Ok, por último ajam de forma feroz para representar o grupo de vocês... Magnífico. Agora meninos, por favor, deixem elas que são do mesmo grupo.

Jean-Luc pediu que os meninos saíssem e Scott relutou um pouco até Hayden notar que a mão dele esteve sua cintura desde que o outro garoto entrou na sala. Quando ele se afastou, o fotógrafo tirou uma foto das Tigers, depois uma foto individual começando pela ruiva. Quando Scott assumiu a frente das câmeras, Hayden foi até Louis para informar seu nome artístico. 
- Então... Qual o seu nome? - O garoto dava o máximo de si para olhar em nos olhos da ruiva e não o decote da fantasia.

- Hayden Wilde - ela respondeu.

- E qual vai ser?

- Hayden Wilde. - ela sorriu para o garoto que a olhou confuso - Acha mesmo que preciso mudar algo? - ela apoiou na mesa dando a ele uma visão melhor.

- Não, assim... Assim está ótimo.

- Foi o que pensei - ela piscou para ele e se afastou.

Enquanto posava para a câmera de Jean-Luc, Amy sentiu os olhos de Cole a observando. Depois de tentar se segurar, ela falhou e gargalhou de nervosismo. Incrivelmente, Jean aprovou o descontrole.
- Isso! Espontaneidade! - gritou animado enquanto eternizava as poses dela.

Quando Amberly se dirigiu à Louis, foi a vez de Rachel ser fotografada.

-Ok, me diga o seu nome artístico - ele pediu.

- Amy Hough! - respondeu prontamente. 
Não restavam dúvidas para ela de que o mundo deveria lhe conhecer assim.

Jean-Luc bateu palmas animado dizendo que era o fim do photoshoot.
Aquele fim significava o começo de algo muito maior e Hayden estava feliz por isso.
Aquele era apenas um pequeno passo, e as fotos haviam sido tão divertidas, que Amy tinha certeza de que era aquilo que ela queria para sua vida. Podia não ser totalmente real, mas ela estava pronta para a fama.


Notas Finais


E então? Gostaram?
Os novos boys magias apareceram e é uma pena que eu não direi quem são hahha
Pra saber, só acompanhando a fic.
Deixem-me saber a opinião de vocês. Eu vou adorar <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...