História As Garras de Hunter - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Guerra, Lobisomem, Lobo, Lycan, Medieval, Monstro
Visualizações 15
Palavras 777
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


É a minha primeira história que vai ter romance, então não esperem muita profissionalidade...

Capítulo 1 - Entre dois mundos


Fanfic / Fanfiction As Garras de Hunter - Capítulo 1 - Entre dois mundos

 O fogo se alastrava pelas casas ao norte. Um garoto de cabelo ruivo observava o incêndio da janela de sua casa. Hunter morava sozinho, e não tinha parentes para defendê-lo. Ele estava com uma adaga em mãos, pois um ataque de lobos estava em andamento. Os guerreiros do reino de Stormbridge defendiam a vila dos lobos, que não se cansavam. Eram bestas insaciáveis, e não eram as das lendas, que podiam se transformar nas noites de lua cheia. Sempre estavam na forma monstruosa, prontos para dilacerar seus inimigos sem piedade. Hunter observava os guerreiros caírem, alguns decapitados. Um lobo se aproximou da casa de Hunter, mas uma flecha o atingiu no peito. Lá estava a jovem Virginia, da mesma idade de Hunter, empunhando um arco de madeira e voltando a pegar uma flecha na aljava. Hunter decidiu não ficar mais parado ali, e saiu da frente da janela para ir abrir a porta. Ele saiu, e Virginia o viu, mas não disse nada pelo fato de que os lobos continuavam aparecendo. O garoto escutou um barulho de passos pesados em correria, e se virou. Um lobo estava avançando em sua direção. Ele desviou, e a criatura atacou o ar com suas garras afiadas. Hunter aproveitou que estava de frente para as costas do lobo e cravou a adaga nelas, fazendo-o gritar. O lobo caiu sem vida no chão, e o jovem tirou a adaga das costas da carcaça.

 Virginia atirava mais e mais flechas com agilidade e destreza. Era habilidosa, sem dúvida, um prodígio da arquearia. Seus cabelos louros balançavam a cada movimento. Alguns guerreiros chegaram no local, e ajudaram no combate às feras. Em alguns minutos, não havia mais lobos atacando. Haviam desistido da invasão os poucos que ainda estavam vivos. Mas os homens também haviam sofrido perdas. Hunter observou várias mulheres sentadas ao lado dos corpos, chorando. "Isso não está certo", pensava o garoto. No meio daquela guerra interminável, ele era o único que não queria que os lobos e as pessoas continuassem se matando. Claro, ele havia matado alguns dos monstros, mas era pela defesa pessoal. Tinha que haver um jeito de evitar que um dos lados fosse genocidado pelos adversários.

 _Olá, Hunter. - Disse Virginia, perto dele. - Que dia longo, não?

 Hunter não havia notado, mas a lua já aparecia no céu. Estava perdido em sua mente ultimamente, refletindo sobre tudo o que vira.

 _Sim... Por quê não janta comigo hoje?

 Virginia sorriu. Hunter sabia que ela também morava sozinha, um pouco longe dali, e que a solidão a capturava em noites como aquela, após as cenas de morte que caíam sobre Stormbridge.

 _Claro. -disse Virginia, sendo acompanhada pelo garoto até a casa dele.

 Naquela noite, Hunter e Virginia comeram juntos, e Hunter sentia algo estranho acontecendo. Ela estava estranha. Não queria conversar muito, evitava olhar para ele.

 Após terminar seu prato, Virginia se levantou da mesa de jantar.

 _Está ficando tarde, é melhor eu ir embora. -disse a garota, com o olhar baixo.

 _Não vá, Virginia. Ando me sentindo tão solitário nesses últimos dias... Me faça companhia, eu lhe imploro. - disse Hunter, também se levantando.

 A arqueira olhou ruborizada para Hunter, mas antes que pudesse responder ele foi até ela e a beijou.

 Seus lábios eram quentes, e ela permitiu que a língua dele entrasse. Eram apenas os dois, na casa de madeira iluminada por velas. A noite lá fora era fria e melancólica, mas ali, junto com Hunter, Virginia se sentia tão mais confortável. Ela colocou os braços sobre os ombros dele, e ele a agarrou pela cintura. O gosto doce da boca da garota era viciante para Hunter, que ficava mais feroz. Subitamente, eles afastaram suas bocas, olhando um para o outro apaixonadamente. Virginia tirou os braços dos ombros do garoto, e assumiu uma postura formal, ainda com as bochechas rubras.

 _Desculpe Hunter, eu realmente tenho que ir...

 O meio-lobo a olhou tristemente, mas permitiu que se fosse. Enquanto ela ia embora, Hunter a observava pela janela. Então ele viu uma idosa passar por ali, carregando uma cesta. A lua amplificava o lado bestial de Hunter, e isso ficava evidente enquanto ele salivava com os olhos amarelados. Estava ficando faminto, e havia uma presa fácil por perto. O garoto agarrou sua cabeça e a escondeu entre as mãos, desabando no chão em desespero. "Vamos, apenas um pedaço de carne não faria mal. "-dizia uma voz em sua mente, num tom sarcástico.

 Hunter se conteve, e decidiu ir logo dormir. Suas garras já apareciam, mas logo sumiriam se ele se acalmasse. Então ele apagou as velas e se dirigiu ao quarto. Virginia estava certa, aquele dia havia sido longo.


Notas Finais


No original a história se passaria no mundo moderno, e envolveria um amor proibido entre lycan e vampira no submundo dos monstros. Mas eu vi que é difícil pra mim escrever histórias nesse ambiente, então decidi usar meu cenário favorito, o medieval.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...