História As Garras de Hunter - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Guerra, Lobisomem, Lobo, Lycan, Medieval, Monstro
Visualizações 8
Palavras 996
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Revelação


Fanfic / Fanfiction As Garras de Hunter - Capítulo 3 - Revelação

 Um lobo avançou contra seu alvo. Ele rosnava e babava, mirando suas garras no jovem ruivo que permanecia parado, com as mãos na bainha, sem retirar a espada. Justo no momento em que iria finalmente atacar o garoto, sentiu uma dor imensa e o sangue espirrar contra seu focinho. O jovem agora estava com a espada fora da bainha, em postura de luta, logo após acabar o corte no inimigo. Foi rápido, ele não pode reagir ao golpe. Então, o lobo caiu na grama seca, grunhindo de dor.

 _Hunter, cuidado! Atrás de você!

 O garoto se virou e avistou outra fera correndo contra ele. Ele lembrou de quando esperou um lobo vir e desviou, apenas para acertá-lo pelas costas. Tentou repetir o movimento, mas foi em vão. Assim que desviou, o lobo também mudou de direção, fazendo suas patas levantarem poeira, e arranhou o peito de Hunter. Felizmente, a cota de malhas o protegia, e ela impediu qualquer ferimento de ser feito. Hunter murmurou, e tentou recobrar a postura, mas o ataque continuou. O lobo tentava destruir a cota de malha, e seu avanço impedia que Hunter usasse a espada. Por sorte, Virginia estava ali para ajudá-lo, e uma flecha foi disparada na cabeça da besta, que caiu sem vida.

 Hunter olhava a sua volta, vários guerreiros lutavam, mantendo todos os lobos ocupados. O ruivo se sentiu observado, e olhou para as montanhas que cercavam Stormbridge. Lá estava uma criatura enorme, um lobo maior do que os demais. Tinha a pelagem branca, e seus olhos vermelhos fitavam Hunter. Ele sabia que já tinha visto aquele lobo antes, mas não recordava como ou por quê.

 O lobo branco guiava as tropas invasoras contra o reino, notou o garoto. Ele havia lido algo sobre os líderes militares daquelas feras. Chamavam-se alfas, conquistavam o posto através do assassinato do antigo alfa. 

 Havia outra fera diferente acompanhando o alfa. Era um lobo de pelagem cinza, magro e risonho. Parecia mais um coiote ou uma hiena. O lobo branco falou algo para o cinzento, que afirmou com a cabeça e desceu a colina, indo em direção aos outros invasores. Ele corria mais rápido que todos, e parecia querer chegar até Hunter. Aquilo não fazia o menor sentido. Estaria o alfa interessado no jovem? Será que ele sabia o segredo de Hunter?

 O barulho de patadas contra o solo cessou quando o lobo cinzento parou em frente ao ruivo, ainda sorrindo.

 _Você é um dos nossos!

 Hunter sentiu medo. Se alguém na vila tivesse ouvido aquilo, e descobrisse a verdade sobre ele, Hunter teria que deixar sua casa e fugir o mais rápido possível. Não haveria mais lugar para ele naquelas terras.

 Virginia estava próxima, e atirou uma flecha no lobo. Ele abaixou e agarrou a flecha ainda no ar. Depois a despedaçou com o punho, e olhou para a menina, que voltou a pegar uma flecha na aljava. Aí estava o problema, não tinha mais flechas.

 O lobo cinzento já ia atacar a loira, mas Hunter colocou a espada no caminho, bloqueando a passagem.

 _Quem é aquele lobo branco sobre a montanha?

 _Nosso chefe, Garmer. Ou melhor, seu pai.

 Hunter congelou. Pai dele? Ele sabia que sua mãe tinha namorado um lobo, mas não sabia que era justo o alfa. 

 _Junte-se a nós. Podemos te dar um lar em Ravyr, você não estará mais sozinho. Largue esse lugar imundo.

 Hunter o encarou, enraivecido. Virginia havia começado a entender o que estava acontecendo.

 _Meu lar é aqui. Eu não sou como vocês. Pelo menos os humanos não atacam e devastam suas casas.

 _Não me faça rir, garoto. Stormbridge já nos invadiu centenas de vezes. Você ao menos sabe o real motivo disso tudo estar acontecendo?

 Hunter pressionou a lâmina ainda mais contra o peito da fera. Virginia começou a se afastar dali.

 _Pelo visto, não sabe. Garmer e sua mãe, Sarah, não foram os primeiros lobo e humano a se relacionarem. Na verdade, quem iniciou isso foram Shauna e Falner, lobo e humana, o que enojou sua raça estúpida.

 Hunter ia responder o lobo cinzento, mas o barulho estridente de ossos quebrados ecoou no local. Atrás da besta, estava Mark, com uma clava em mãos que havia acabado de destroçar a coluna do lobo. Ele ainda levantou o outro braço, que segurava um machado, e cravou o machado no crânio do lobo.

 _Então o menininho chorão é uma aberração?

 O que Hunter temia havia acontecido. Os lobos já se dispersavam, alguns guerreiros olhavam para o ruivo com nojo.

 _Temos um monstro entre nós!

 Hunter olhou para a colina, vendo o lobo branco dar de costas e ir embora. Depois olhou para Virginia, que expressava confusão e pavor. O lobo cinzento estava certo, Hunter estava sozinho. O único meio-lobo vivo, provavelmente. E agora os homens sabiam disso. Era inatural, uma anomalia da natureza. O que o reino faria quanto a ele?

 _Acalmem-se, companheiros de armas. Ele pode ser um lobo, mas tem a mente de um de nós. Com certeza, poderia ser útil na guerra. -falou um dos soldados sorrindo maliciosamente.

 Hunter o reconheceu. Era o pai de Mark.

 _Com certeza, pai. Que tal aprisionarmos ele? Um pouco de treino, e ele vira um cãozinho de estimação.

 Hunter ficou furioso, mas não podia fazer nada contra Mark, o exército inteiro iria ir para cima dele se ele tentasse algo. Então uma voz feminina gritou, chamando a atenção de todos. Hunter sabia que era Virginia, que havia saído de perto. Era aquele o momento para fugir, ninguém o impediria por causa da distração.

 Hunter liberou seu lado lobo, e uma pelagem escura assumiu seu corpo. Com a velocidade aprimorada, ele saiu correndo antes que alguém pudesse atacá-lo. Ele não sabia qual caminho pegar, havia perdido a razão. Então ele viu a ponte de Stormbridge, aquela que nomeava a cidade. E ele correu pela ponte, sem olhar para trás.

 Hunter agora era um fugitivo, e sua única esperança seria se juntar ao bando de feras...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...