História As Gêmeas komori - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Diabolik Lovers, Gemêas, Romance
Exibições 20
Palavras 2.401
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Foi o que saiu kkkkkkkk beijos pra todos❤

Capítulo 2 - Gêmea?


Fanfic / Fanfiction As Gêmeas komori - Capítulo 2 - Gêmea?


      

Ela vê ayato lamber os lábios e começa a recuar, yui corre os deixando pra trás na tentativa de se esconder. Porém em seu subconsciente ela já sabia que agora, ninguém pararia eles.
 

 Risadas chegam até seus ouvidos, e ela sente um calafrio lhe percorrer a espinha. Ela não sabia exatamente pra onde correr, não que isso fizesse diferença, só ia atrasa um pouco o inevitável.
 

 Não consigo mais correr- pensa ela sentindo as pernas amolecerem. Yui para levando suas mãos aos joelhos, tentando recuperar o fôlego. Ela entra num cômodo em que a porta estava aberta, lá estava completamente escuro mas mesmo assim se adentrou ali e se abaixou atrás do que parecia ser uma poltrona.
 

Tirou sua mochila das costa e ficou quieta imaginando quanto tempo teria até eles a pegarem quando a luz se acendeu num passe de mágica revelando os três ali a encarando.

Laito: pronta pro seu castigo, bitch-chan- diz ele fechando a porta atrás dele com um sorriso largo.

Yui: n-não...- diz amedrontada.

   Kanato gargalha chamando a atenção da garota e a encara com uma expressão terrivelmente assustadora. Sem que ela pudesse ao menos ver, ayato aparece por trás, agarrando seu braço direito e a levantando num puxão brusco.

Yui: a-ai... Ta doendo- diz de olhos fechados, se referindo ao braço que ficou vermelho no mesmo instante.

Ayato: vou te ensinar o que acontece com quem irrita o deus ayato.- diz ele falando de si mesmo na terceira pessoa, se yui não estivesse tremendo de medo iria achar engraçado.
 

 Ayato ri e a puxa para perto, cravando sem dó e nem piedade em seu pescoço, de forma tão violenta que a fez gritar. Com lágrimas nos olhos, ela levemente abre suas pálpebras e vê kanato se aproximando.

Kanato: ei, eu também quero- diz ele cravando suas presas do lado do pescoço em que estava vago.
 

 Laito apenas observa e senta na outra poltrona, que ficava de frente da mesma, analisando a expressão de dor que yui fazia no rosto, aquilo o empolgava de uma maneira incrível.

Yui: p-par... em... Por f-favor- diz com a voz falhando e fraca. Suas lágrimas caiam sem cessar e já se sentia meio zonza.
   

Depois de intermináveis minutos, yui não aguenta mais e desmaia caindo no chão, ayato e kanato não se importaram em a segurar, fazendo assim cortes em seu pescoço. Kanato desaparece sorridente e ayato a fita sem expressão alguma por uns instantes e em seguida, desaparece também.

 

 ~Laito~
 

Laito: Que irmãos mais irresponsáveis eu tenho- diz ele rindo irônico- largaram nossa cachorrinha no chão- fala jogando a garota inconsciente em sua cama.
 

 Tirando uma corda da gaveta, ele a amarra no pescoço inchado dela e se senta em uma cadeira, aguardando ansiosamente.
 
 

...

   

Após algumas horas yui acorda respirando pela boca e com falta de ar, ela vê Laito sentado do lado da janela e tenta entender o que estava acontecendo.

Yui: Laito... O que...- diz fazendo pausas pra respirar.
Laito: que bom que acordou- diz levantando.
   

Yui não entende nada mas se assusta quando ele se aproxima e puxa a corda, dando uma pontada no seu pescoço que queimava numa dor agonizante, junto com uma dor de cabeça insuportável.

Laito: bitch-chan, sua desobediente- diz achando graça da sua expressão de dor.- hora do castigo.

Yui tenta tirar a corda de seu pescoço desesperadamente e então Laito puxa a corda novamente, só que agora seus rosto ficou vermelho e ela puxava o ar como se o mesmo estivesse acabando no mundo, com toda a força usada seu corpo foi junto com a corda e ela caiu se encontrando no chão. Depois de uns instantes consegui recuperar o fôlego.

Yui: por favor Laito- diz rápida e desesperada.- não faz isso, por favor...
 

 Ele se abaixa e agarra seu queixo com força.

Laito: ah... mas eu adoro fazer isso- ele diz abrindo um sorriso malicioso e agarra sua cintura, colando e prendendo ela nele.- se quiser te faço gritar- diz sussurrando em seu ouvido.

Yui: não...- diz corada e tentando evitar o calor que sentia com seu corpo colado nele.
 

 Ele solta um risinho em seu ouvido  e então morde com força próximo a região onde estava as outras marcas, na intenção de fazer doer muito mais. Yui chora e engole um grito mordendo seus lábios.
   

Depois de instantes yui sente seu corpo fraco demais, ainda estava acordada mas não consegui mexer direito seu corpo. Laito desgruda de seu pescoço lambendo o canto da boca.
 

 De pé, ele agarra a garota e lhe joga em suas costas. Calmamente sai de seu quarto e começa a andar naturalmente.

Yui: o que vai fazer...- diz quase não saindo.

Laito: ora cachorrinha... não pode dormir dentro de casa.
   

Já fora da mansão e passando direto pelo imenso jardim, ele abre a porta de uma pequena cabana, lá se guardavam materiais de jardinagens, materiais de construção e até mesmo de limpeza. Ele a colocou ali e amarrou a corda num cano grudado na parede.

Yui: não pode ...

Laito: não posso o quê?- diz a cortando com uma expressão de desentendido porém sério. O mesmo se vira e vai em direção a porta- boa noite bitch...- fala saindo.
   

Yui naquele momento se descontrolou e começou a chorar, vários pensamento transbordavam de uma só vez a deixando cada vez mais sensível, não sabia com o que deveria se preocupar primeiro, com o fato de ter descoberto sobre a existência de uma possível irmã gêmea ou com sua própria dor física que sentia naquele momento, seu pescoço latejava e sentia vontade de o rasgar com as mãos a própria pele, a agonia e a angústia predominavam sobre si, a dor de cabeça só aumentava e podia sentir que a qualquer momento sua mente explodiria.

Yui: porque tudo na minha vida é tão estranho...- diz tentando parar de chorar.
  
           Conseguindo afrouxar a corda em seu pescoço, ela a retira e se escora na parede. Havia uma prateleira cheia de vasos, sementes e  ferramentas, yui se segura nela tentando ir em direção a porta, porém uma sensação de tontura a invadiu e em sua visão só havia borrados, a prateleira que já estava muito debilitada e rangendo, começou a soltar alguns ruídos, quando ela se apoiou  a madeira de baixo cedeu caindo tudo em cima da mesma  que desmaiou em seguida.



      Mansão sakamaki... 11:06 


 

Reiji entra num cômodo e vê ayato deitado no sofá.

Reiji: ayato, sabe onde está a yui?-diz sem nenhum rastro de expressão no rosto.

Ayato: talvez- fala desinteressado.

Reiji: tenho que avisa-lá que a partir de hoje terá algumas "tarefas" para serem feitas, como vimos ontem ela têm bastante tempo sobrando.

Ayato: vou fazer ela cozinhar pra mim- diz rindo.

Reiji: enfim, sabe ou não?

Ayato: não a vi desde ontem...- fala sorrindo ao lembrar de quando cravou suas presas nela.
   

Reiji dá as costa e sai.


        Em outro lugar... 


             O quarto se encontrava completamente escuro quando Bill entra abrindo as janelas, deixando a claridade preencher o espaço.

Bill: bom dia.

Lili: não...-diz sonolenta.

Bill: acorda princesinha.
 

 A mesma afunda a cabeça no travesseiro e joga a coberta por cima. Bill sorri indo em sua direção puxando a coberta.

Lili: o que foi?- fala irritada.

Bill: vai, levanta.
 

 A mesma o faz emburrada e caminha em direção ao banheiro, se trancando lá por aproximadamente meia hora enquanto o loiro se retira de seu quarto. Quando saí já está pronta, usando um lindo vestido azul claro rendado até os joelhos. Em seguida, desce as escadas e se encontra na cozinha, pegando qualquer coisa é devorando no mesmo instante.
 

 Após tomar "café da manhã" no almoço, sai rumo explorando mais uma vez a casa, andando sem destino ou razão.
 

 Quero fazer algo divertido hoje -pensa ela indo em direção a porta principal é a abrindo, preste a sair pra fora.

Bill: o que é isso no seu cabelo?- diz ele chegando de surpresa e a fazendo dar um pulo de susto.

Lili: ah... Isso?- diz apontando pro seu cabelo todo desgrenhado- não pentiei- e dá um sorriso.

Bill: mas como que você é sem noção-diz ele suspirando.- vamos.

Lili: pra onde?- diz com os olhos brilhantes esperando algo realmente surpreendente.

Bill: pro seu quarto.

Lili: que decepção- diz ela sumindo com toda empolgação.

Bill: você esperava o que?- diz ele rindo.
  

  Que você me convidasse pra sair...- pensa a garota suspirando.

Lili: nada...
  
 

 ~yui~

 

 Minha cabeça dói tanto, parece que fiquei horas batendo a mesma na parede. Abro os olhos e devagar retiro tudo que estava caído em cima de mim. "Dor". Essa era uma palavra que me definia nesse momento. Doía tudo.
 

 Após sair debaixo daquele monte de entulho, saí pela porta passando pelo enorme jardim e entrei pelos fundos da mansão. O sol já estava fraco, o que significa que "dormi" demais.
   

Nem sei ao certo o que fiz de errado, poxa só cheguei um pouquinho...  Tarde. Eles vão acabar me matando algum dia- pensa tristonha.
 

 Já em seu quarto e em direção ao banheiro, yui mergulha na banheira relaxando e limpando seu corpo. Estava cheia de cortes feito pelos vaso que se quebraram.
 

 Saindo de lá, usa uma calça legue preta e uma blusa comprida rosa claro. Já se passará das 17h00.
 

  Descendo as escadarias, Reiji aparece em sua frente olhando-a com reprovação.

Yui: Reiji... Eu- tenta dizer quando foi cortada.

Reiji: não me interessa o que você faz no seu tempo- diz encarando- mas agora você vai ter bem mais coisas pra fazer.

Yui: o que?

Reiji: agora você também faz a limpeza na mansão- diz subindo- comece amanhã.
 

 Ele vai embora e yui fica sem reação, mas se apressa e vai atrás dele.

Yui: espera... Ontem eu descobri algo importante.

Reiji: continue- ele diz ainda sem a olhar.

Yui: eu tenho uma irmã...
   

Ele para, não muda sua expressão mas parece pensar.

Reiji: tem certeza. Nunca ouvir dizer que seu pai tinha duas filhas.

Yui: t-tenho, tem até alguns documentos que comprovam. Eu vou pegar.
 

 Yui sai e volta na sala onde kanato e ayato a morderam, pegou a mochila detrás da poltrona e batendo duas vezes na porta do quarto de Reiji, entrou. Ele estava em pé com um livro.

Yui: aqui- diz entregando os papéis com o diário.
 

 Reiji coloca seu livro na mesa e analisá as folhas.

Reiji: de fato... Parece que você tem mesmo uma irmã- ele para no final do diário e diz- tem um nome... Kaiser.

Yui: o que é isso?

Reiji: saia - diz ainda olhando as folhas.
 

 Yui fecha a porta atrás de suas costas e por alguns segundos para, analisando e imaginando " como será que ela é? Se somos gêmeas, ela deve ser igual a mim, não?". Ela desce as escadas pensativa e na sala, senta numa poltrona fitando um ponto no chão.
 

 Ouvindo barulho de alguém, yui olha em frente e vê Shu do outro lado da sala. Ela o olha e só então percebe que todos estavam ali, exceto Reiji e Subaru.

Ayato: Ei - diz se levantando da poltrona ao lado dela- tenho sede.

   Yui ainda estava pensativa e acabou que falou sem pensar.

Yui: agora não.
 

 Isso surpreendeu ayato, o mesmo não gostou nem um pouco e fechou a cara.

Kanato: quem ela pensa que é?- diz debochando.

Laito: parece que ela não aprendeu nada...- diz sorrindo e provavelmente lembrando do que fez noite passada.

Shu: calem a boca.- diz abrindo os olhos e encarando o teto.
 

 Com uma mão, ayato agarra o pescoço da garota e ela com medo grita.

Reiji: Ayato - diz ele descendo a escada e fitando os olhos do ruivo.

Ayato: o que é?
   

Reiji o ignora completamente e direciona seu olhar a yui.

Reiji: aquele nome...  Não encontrei nada sobre ele. Porém, Kaiser é um termo alemão que significa 'imperador', e com esse significado creio que seja alguém de grandes  posses, o que me leva ao recente político Gregório Corad, ele é um empresário notório, dono de diversas empresas pelo mundo e em sua maioria são de fabricação de metais, extração de minério e explosivos, o tornando ainda mais recorrido por fabricar armas de grande porte para o exército, milícia e países estrangeiros.- ele faz uma pausa e fita profundamente os olhos da garota- No mesmo ano em que você nasceu ele foi considerado o um dos homens mais poderosos no comércio crescente, e nomeado "imperador" diante dos representantes das empresas do mundo todo, além de ser o mesmo ano de nascimento da sua filha.
 

 Yui fica cada vez mais confusa, tentando entender a relação que esse homem teria com sua irmã.

Yui: mas o que isso tem a ver com...

Reiji: Liliana Corad. 

Yui: você acha que...    Mas porque ele adotaria ela...- diz ela piscando várias vezes, se forçando a acreditar.

Reiji: não há fotos dela... Porém as informações legítimizam a filiação.

Ayato: que droga, do que estão falando - Diz soltando a garota.
 

 Yui não consegue dizer mais nada.

Reiji: aparentemente, yui tem uma irmã.
 

 Todos se surpreenderam, até mesmo Shu olhou em sua direção.

Reiji: não temos como provar- diz voltando-se para yui, que chocada observa o chão.- mas tem grande chance dela ter sido adotada por esse político. Algumas informações se encaixam, porém outras se dissipam.

Ayato: desde quando você tem uma irmã?- pergunta meio ameaçador a garota- porque escondeu?

Laito: ora, mas que surpresa- diz sorrindo.

Reiji: creio que somente yui sabe que tem uma irmã.- diz indo em direção as escadas.

Kanato: então significa que vamos ter mais uma boneca- diz rindo com vontade. E por uns instantes todos pararam e analisaram o que ele disse... 
 

   Em outro lugar novamente...
 

   Estou muito feliz, acabei de jantar e comi uma sobremesa com muito chocolate, me sinto beijada por um anjo.- ela boceja e continua caminhando pelo corredor.

   Chegando a pisar no primeiro degrau da enorme escadaria, alguém vem rapidamente em sua direção.

Bill: Lili - diz bem apressado.
   

Ela apenas observa e desce da escada se aproximando.

Bill: seu pai quer te ver.

Lili: ele já chegou? Não tinha viajado ontem?- diz ela abrindo um sorriso de orelha a orelha com a afirmação que recebeu.- pensei que fosse demorar.
 

 Sozinha, ela começa a andar pelos corredores, até que para em frente ao escritório de seu pai, bate na porta uma única vez e escuta uma voz dizendo:

Gregório: entre.
 

 Ela entra e fecha a porta...


   





  



   











   



 
   

   





 


Notas Finais


Kkkk espero que tenham gostado, tchau ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...