História As herdeiras dos dragões - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Banguela, Personagens Originais, Soluço
Tags Como Treinar Seu Dragão, Família, Hiccstrid, Romance
Visualizações 69
Palavras 5.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Saga
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá lindezas! 💜
Bom, eu estou um pouquinho decepcionada com a quantidade de comentários do capítulo anterior! Eu sei que o capítulo foi pequeno e vocês esperavam notícias da morte da Lynae, mas é que isso desanima um pouco a gente a escrever.... 😓
Mas tudo bem eu supero e somente espero que vocês gostem desse bônus! 🙃
Ps: não sei os créditos da capa do capítulo, se souberem avisem por favor!
Obrigada e boa leitura💜

Capítulo 31 - Reunindo a boa e velha gangue.


Fanfic / Fanfiction As herdeiras dos dragões - Capítulo 31 - Reunindo a boa e velha gangue.

Kirsten abriu a porta de casa, respirando fundo. Por um segundo era só ela e a casa. Por um segundo ela quase pode ver a si mesma e sua irmã, por volta dos 7 anos correndo pela casa e rindo. Por um segundo Lynae estava onde ela deveria estar. Ao lado da sua gêmea. Bem, uma das suas gêmeas.
Kristen sentiu uma mão em seu ombro, Erick, ela se virou e o encarou com lágrimas nos olhos.
— Ainda pode dormir lá em casa! — disse Alexandra, atrás deles.
Kristen fez que não com a cabeça.
— Vocês podiam ficar! — sugeriu a ruiva colocando sua mão por cima da de Erick.
— É claro! — Erick a abraçou.— nós podemos ficar! 
Banguela entrou atrás do casal, junto com Alexandra, ronronando, e com dor na perna machucada pela fuga.
— Vamos arrumar essa perna direito Banguela! — disse Alexandra se abaixando na altura da mesma e tirando a faixa que tinha colocado lá. 
Erick encarou a namorada, que olhava em volta perdida. Ele abriu a boca pra falar algo quando alguém bateu na porta. Torresmo.
— Você veio.. — disse Erick forçando um sorriso pro amigo. Torresmo acenou com a cabeça.
— Oi! — Alexandra o encarou.— escuta sobre mais cedo...
— Você praticamente salvou a vida de todos nós! — Torresmo abaixou a cabeça.— eu não estava pensando direito..
Alexandra o encarou com pena, antes de assentir e voltar a cuidar de Banguela.
— Torresmo, me desculpe por não te deixar falar com ela naquela manhã! — disse Kristen, limpando uma lágrima teimosa.
Ele deu de ombros, entrando na casa.
— Você não sabia! 
— Eu sinto muito que tenha a perdido sem pedir desculpas! — completou a ruiva.
Ele se sentou no sofá, inclinado pra frente é encarado seus pés.
— Acha que ela me perdoaria? — perguntou o loiro.
— Sim! Deuses! — Kristen segurou um soluço olhando pra cima.— ela te amava muito! 
Torresmo começou a chorar, a ruiva se sentou ao lado dele o abraçando, enquanto Erick e Alexandra os encarava com tristeza. 
— Eu também a amava muito! — sussurrou o loiro, fazendo Kristen o abraçar com mais força, agora soluçando.
Foi questão de tempo até seus outros dois amigos se juntarem ao abraço. Mas não importa mais quantas pessoas os abraçassem, iria sempre sobrar um buraco de uma linda flor azul.
*
Na manhã seguinte eles acordaram com alguém abrindo a porta com força.
— Me digam que aquela carta estava brincando! — disse Heather entranhado na casa e acordando os adolescentes na sala.
— Mãe? Pai? — Alexandra se levantou indo abraçar a mesma, assim como Erick.
— Eu recebi uma carta muito estranha e.. — a morena olhou em volta.— cadê o Soluço e a Astrid, cadê a Lynae? — perguntou a morena, lembrando do conteúdo da carta.
Todos desviaram o olhar, segurando um choro.
— Lynae.. Esta morta.. — anunciou Kristen, com dificuldade.
Heather deu um passo para trás, tampando a boca com a mão, o coração acelerando, e a mente com dificuldade de aceitar os fatos, ela encarou Perna de Peixe que estava igualmente chocado. Ela balançou a cabeça pra não se prender em seus sentimentos no momento, ela tinha amigos pra salvar.
— Escuta, agora precisamos salvar seus pais! Podem avisar todos os nossos aliados do que está havendo? — perguntou a morena.
Eles concordaram, menos Kristen, que manteve os olhos colados no chão.
— Kristen! — Hether acarinhou até a garota e se abaixou na frente da mesma.— eu vou voltar com seus pais! E depois Viggo pagará pelo o que fez! 
— Pode apostar que vai! — Daghur entrou na casa, socando a própria mão.— estou cheio daquele cara! Vamos matá-lo! 
— Quem é você? — perguntou Alexandra.
— Essa é minha sobrinha?! — Daghur deu um pulinho.— você se parece tão destruidora quanto sua mãe!
— Crianças! Meu irmão, Daghur! — disse Heather.
— Ele não tinha morrido há anos, quando vocês moravam no Domínio? — perguntou Torresmo.
— Eu voltei! — disse o ruivo, com um sorriso velho e insano.
— Confia nele? — perguntou Alexandra com uma sobrancelha levantada.
— Sim! Aconteceu algumas coisas e vou contar um dia! Mas agora precisamos salvar os pais da Kristen! — disse Heather.
— Como sabe de tudo isso? — perguntou Kristen, franzindo o cenho.
— Recebi uma carta misteriosa! — Heather pegou a mesma e entregou a afilhada.
— nenhum de nós mandou isso! — disse a ruiva.
— É uma armadilha! — disse Alexandra.
— Temos que tentar! — disse Daghur.
— Não vão sozinhos! — disse Torresmo.
—Não crianças! Chega dessa guerra pra vocês! — disse Heather.
— Quem falou de nós? — perguntou Torresmo.— está na hora de reunir a velha equipe! 
Heather e Dagur sorriram com a idéia.
***
— Cara isso seria tão animado se a Lynae não tivesse morrido ontem..— murmurou Cabeça Dura.
Cabeça Quente jogou uma pedra no irmão.
— Torresmo está arrasado! Eles tinham tido uma briga antes de tudo acontecer! — murmurou Melequento.
— Espera! Deixa eu ver se entendi, seu filho e a filha do Soluço? — Daghur riu alto.— as coisas mudaram muito enquanto estive fora!
— Onde você estava afinal? — perguntou Cabeça Quente.
— Viajando, tirando umas férias, procurando papai, que na verdade estava em casa.. Me casando.. Perdendo a esposa..— Daghur suspirou.— essas coisas! Achei que ninguém me queria!  
— Na verdade não, mas confiamos em você agora! — disse Perna de Peixe.
— Será que Soluço e Astrid sabem? — perguntou Heather, voltando ao assunto de Lynae.
— Eles não contaram direito o que aconteceu! — murmurou Eret, em cima de Quebra Miolos, que ficara com ele desde a segunda morte de Stoico.— não sabemos...
— Ok galera! Hora de focar no que é importante! Hicstrid! — disse Melequento.— qual o plano? 
— galera, acho que vai ser no estilo gêmeos! — Heather sorriu.
— Vamos explodir tudo? — perguntou Perna de Peixe, um pouco nervoso.
— acertou! — Heather sorriu para o marido, animada, enquanto os gêmeos comemoravam.
— Deuses! Qual é o estilo gêmeos? — perguntou Eret.
— Você vai descobrir meu caro amigo! — disse Cabeça Dura.
*
 Algumas horas depois eles estavam sobrevoando a ilha.
— aquilo me parece uma cadeia! — disse Heather.— paredes anti-dragão? Flecha está lá! 
— Eu vou! — Eret acariciou o antigo dragão de Quebra Miolos.— Vamos quebrar as grades! 
— Não! — Heather analisou o local.— qualquer coisa menos o óbvio! Conhecem Viggo! 
— Ela tem razão! Eret, Melequento venham comigo, vamos procurar na floresta! — disse Perna De Peixe.
— E quanto a nós? — perguntou Cabeça Dura.
Heather olhou para o centro da ilha.
— Estão vendo o que estou vendo? 
— Aquela senhora ridícula? — perguntou Cabeça Quente.
— Não é só uma senhora ridícula! — Heather avançou entre as nuvens, ainda tentando não ser vista. Era um dia nublado, graças aos deuses.— É a Leila! Eu reconheceria aquela vadia em qualquer lugar! 
— O que está atrás dela? — perguntou Daghur.
— É.. Um cavalo? — Heather olhou pro irmão.— um cavalo com assas? Isso é possível? 
— Eu não sei! Mas eles estão com algo que nós queremos! — o ruivo apontou pra elas novamente com a cabeça.
Heather seguiu o olhar, uma garota negra, com os cabelos longos e bem armada pegou uma pessoa coberta por peles e jogou no centro da ilha, logo em seguida tirou o capuz, mostrando ser Astrid.
— Olha só! Quem diria! — Leila sorriu.— Astrid! Você foi a escolhida pra dar uma volta pela ilha! 
A loira tentou gritar, mas sua boca estava amarrada, assim como braços e pernas.
— E olha pra este lugar! — Leila riu, insana.— Oh! Está vendo aquela mancha de sangue! — Astid olhou pra mesma, forçada por Daniela.— é o sangue da sua filha! Aquela que está morta agora! 
Astrid tentou se levantar, lutar ou gritar. Mas Byff ainda controlava um pouco a loira, logo, pelo menos alguns movimentos dela.
— Eu vi o sangue da minha filha derrubado no grande Salão no dia em que suas filhas nasceram! Agora me diga a sensação Astrid! Me diga a sensação de não ser mais mãe! 
Os olhos da loira começaram a lacrimejar, seu peito doer novamente, a respiração ficar pesada novamente.
— Me diga se está queimando por dentro, se está doendo! — Leila apertou as duas bochechas da sobrinha, com força.— me diga qual a sensação de não ter mais Lynae nesse mundo! 
Neste momento algum lugar perto delas explodiu. 
Heather apareceu no meio da fumaça, descendo de Tesoura de Vento, mas Daniela a impediu de chegar a Astrid, atacado a morena, depois de três golpes na luta Heather derrubou Daniela, mas ela parou de repente, como se sentisse mal caindo de joelhos. Leila, sorriu olhando pro cavalo enquanto Daniela se levantava, pronta pra matar Heather, colocando uma faca na garganta da mesma.
— Pronta pra ver sua amiga morrendo na sua cara também, Astrid? — perguntou Daniela, sorrindo.
— Não toque na minha irmã! — gritou Daghur descendo e começando a lutar contra Daniela também.
Tesoura de Vento e Mestre Estilhaço começaram a lutar contra o cavalo, que acabou não tendo outra opção a não ser fugir, levando Leila.
Daniela sorriu, chutando Daghur para poder se afastar do mesmo, ela encarou os dois irmãos Berserkers.
— Não é a última vez que nos vemos! — disse a morena, antes de pegar seu cavalo no ar, com Leila praguejando a sobrinha do mesmo. 
 Heather se virou pra Astrid, tirando as cordas, enquanto Daghur voltava aos dragões preparado para outro ataque. Heather se abaixou, abraçando a amiga com força, Astrid deixou algumas lágrimas caírem.
— Está tudo bem! — sussurrou a morena.
— Heather.. — começou a loira, sentindo seu estômago embrulhar.— como.. Daghur ...? 
— vamos falar sobre tudo isso depois! Agora temos que achar o Soluço! — disse a morena.
Astrid concordou com a cabeça, tentando tirar Lynae dos pensamentos. 
— Aí! Deveríamos atrasar eles pra não chegarem ao Viggo, certo? — perguntou os gêmeos do ar.
— Deveriam?! — gritou Heather.— vão! 
— Acho que sei onde o Soluço está! — disse Astrid, limpando as lágrimas e montando em Tesoura de Vento.
Quando Heather estava montando em sua dragão aconteceu uma explosão na floresta. O plano sigiloso fora pro espaço.
— Vamos! Estamos ficando sem tempo! — gritou Astrid.
Mais explosões à frente. 
O plano estilo gêmeos estava começando a entrar em pratica.
*
— Quem diria! — murmurou Heather entrando na prisão anti dragão, segurando uma tocha.— não era uma total armadilha afinal! 
— Soluço? — gritou Astrid, a prisão era grande e escura, ela não conseguia ver nada.
— Hey! Paradas! — gritaram dois Vikings vindo na direção delas.
Elas pegaram seus machados, os dois guardas ivestiram uma primeira vez e os machados se chocaram, o golpe em seguida foi idêntico da parte das duas,virar os braços deles é fazê-los largar suas armas, em seguida elas os desmaiaram com uma cotovelada na cabeça.
— Astrid? — chamou Soluço, de uma das celas.
Elas correram até a mesma, Heather se concentrou na porta, enquanto o casal davam as mãos pelas barras.
— Você tá bem? — perguntou a loira.
— Vou ficar! — Soluço olhou pra fechadura, que Heather derramou gel de Tranformasa mas não surtiu nenhum efeito.
— Mas que diabos... — começou Astrid quando alguém entrou correndo e ofegante na prisão, as duas prepararam seus machados.
— Tente isso! — disse a voz feminina, encapuzada chegando até eles, e estendeu a chave. Não dava para ver o rosto com o escuro daquele lugar sem janelas.
Heather pegou a chave, sem tempo pra pensar se era uma armadilha e abriu a cela.
Soluço saiu abraçando a esposa com força, ela enterrou a cabeça no pescoço dele, respirando fundo.
— Adoro reencontros, mas temos que ir! — chamou Heather.
A garota encapuzada correu para saída ao lado deles, mas chegando na mesma ela se virou para esquerda pra fugir, mas Soluço segurou o braço da mesma.
— Espere! Quem é você? — perguntou o ruivo.
— ninguém importante! — respondeu a garota, sem se virar pra ele.
Tempestade parou ao lado de Astrid e a mesma abraçou a amiga.
— Vamos Soluço! — murmurou Perna de Peixe, percebendo que alguns rugidos de dragões estavam se tornando próximos.
— Por favor! Você nos ajudou! — insistiu Soluço.— me deixe retribuir! 
— Não preciso de nada! 
— Soluço! — gritou Daghur irritado.
Todos estavam em posição de ataque e içando voo, menos Astrid com Tempestade.
— Nos diga pelo menos quem você é! — pediu a loira, atrás do marido.
A garota respirou fundo e se virou pra eles tirando o capuz. Idum.
O casal congelou.
— Agora sabem! Vão! — insistiu a ruiva.
Melequento acertou um primeiro dragão que tentou acerta-los.
— Não! Você tem que vir conosco! — disse Soluço.
— Está brincando! Agora vão me raptar?! — disse Idum.— deveria deixá-lo na cela! 
— Não vamos raptar ninguém! — Astrid se assustou com uma explosão causada por uma troca de fogo.— queremos explicar! Nos de uma chance, Idum!  
A ruiva passou os olhos pelos dois.
— eu.. — ela respirou fundo.— eu vou até vocês! Agora vão! 
Astrid e Soluço trocaram um olhar rápido antes de subirem em Tempestade, saindo voando logo atrás de seus amigos.
*
— Cadê o Banguela? — perguntou Soluço, assim que os dragões de Viggo paparam de atacar.
— Está em Berk! Tudo bem! — disse Perna de Peixe.
— Não conseguimos pegar Flecha! Desculpe pessoal! — disse Eret, suspirando.
Soluço suspirou, cerrando os pulsos.
— Daghur? Como você está vivo? — perguntou Astrid.
— Eu sempre sobrevivo, mas tirei umas férias da última vez, encontrei com minha irmã há pouco tempo! — respondeu o homem.
— A ilha dos Beserkers também têm suas surpresas! — murmurou Heather um pouco à frente. 

— A sua perna está bem? — perguntou Soluço, no meio da viajem quebrando o silêncio, ele estava sentado atrás da esposa.
Astrid assentiu. 
Ele suspirou, encostando a testa no ombro dela, ambos estavam pensando na mesma coisa, mas não sabiam como falar sobre aquilo.
— Soluço.. — Astrid respirou fundo, Tempestade ficando mas para trás que os outros dragões.— ela se foi na frente dos nossos olhos! 
Ela sentiu o ruivo a abraçando mais forte e soluçar, assim ela soube que ele estava chorando, então não pode se segurar também.
— A culpa é minha! Eu devia ter matado a Leila.. Eu devia.. — o lábio da loira tremeu, sem a deixar terminar a frase.
— Não é sua culpa milady! — ele levantou a cabeça, limpando as próprias lágrimas.— Era nosso trabalho protegê-la! Não o contrário! Eu ainda não sei direito o que aconteceu! 
Astrid soltou as rédeas, e passou os braços por cima dos dele em sua cintura, entrelaçando os dedos.
Todos passaram o resto da viajem em silêncio.
*
 Eles pousaram na frente do Gande Salão, de onde Kristen e Alexandra estavam saindo. A ruiva correu até os pais.
— Mãe, pai! — ela recebeu um grande abraço apertado dos dois.
Soluço beijou o topo da cabeça dela com carinho, enquanto Astrid enterrava a cabeça no pescoço da filha.
— Você está bem? — perguntou Astrid se afastando e a encarando nos olhos.
Kristen engoliu o choro.
— Eu preciso contar uma coisa a vocês.. — disse a ruiva, respirando fundo.— fui eu quem matou a Lynae..
Pela segunda vez no dia os dois ficaram paralisados, encarando a filha.
— Está tudo bem, se quiserem me matar, ou... — Kristen foi interrompida por mais um abraço.
— Está tudo bem queria! — sussurrou Astrid com voz grogue.
— Estava tentando nos protejer, filha! — disse Soluço.— Não foi culpa sua! 
— Mas.. 
— Shh..— Astrid apertou o abraço.— o importante é que ainda temos você! 
Kristen suspirou, sentindo algumas lágrimas vindo aos olhos.
Banguela os encarou com tristeza e se aproximou para receber um grande abraço de Soluço.


Perna de Peixe se virou pros filhos.
— têm certeza que não vêm? — perguntou o loiro.
— Todas as vezes a mesma pergunta! — disse Erick enquanto ele e Alexadra abraçaram o pai.
— Não custa tentar! — disse Perna de Peixe, retribuindo o abraço, agradecendo aos deuses por seus filhos estarem bem.
— Berk é nossa casa! — disse Alexandra sorrindo.
Heather abraçou a filha.
— Sabem que um dia vão ter que ir pra lá! Um dos dois! — disse Daghur.
— Daghur! — Heather forçou um sorriso.— só vamos nos preocupar em treinar um deles depois da sua morte! 
— É vai demorar crianças! Fiquem tranquilos! — disse o ruivo abraçando os sobrinhos pela primeira vez. Os dois acharam estranho mas aceitaram.
— Eu amo vocês! — disse Heather abraçando Erick e Alexadra com força logo depois do irmão.
Os dois forçaram um sorriso retribuindo o abraço.
— A sua mãe chora todo dia de saudade de vocês dois! Podiam nos visitar mais vezes, danadinhos! — disse Perna de Peixe bagunçando o cabelo do filho.
— Nós vamos! — Erick forçou um sorriso.
— Até parece que sou eu quem fica chorando! — disse Heather, rindo e beijando o topo da cabeça de Alexandra que sorria.
A morena se virou pra família Haddock.
Soluço estava abraçando Banguela enquanto Astrid ainda estava abraça a Kristen, com os olhos vermelhos e segurando um choro.
— Hey! Mandei as crianças chamarem nossos aliados! — disse Heather se aproximando. — precisamos dar um jeito na situação! 
— Eles vêm daqui uma semana! — disse Kristen.
— Ótimo! — Heather avançou abraçando Astrid.— vou estar de volta em uma semana! Fique bem! 
Astrid forçou um sorriso apertando o abraço.
Perna de Peixe se aproximou abraçando Soluço por sua vez.
— Eu sinto muito! — sussurrou o loiro.
— Obrigado Perna.. — disse Soluço, suspirando.
O casal se afastou dando espaço para Daghur abraçar o casal, depois todos subiram em seus dragões indo embora.
Soluço passou o braço pelos ombros da esposa.
— Vamos pra casa? — perguntou ele.
Ela assentiu apoiando a cabeça no ombro dele.
— Eu alcanço vocês! — disse Kristen indo até o namorado.
*
Soluço girou a maçaneta devagar, o rangido da porta se abrindo ecoou pela casa enquanto os dois entravam na mesma. Astrid apertou a mão do marido, sentindo as lágrimas queimarem seus olhos.
Eles entraram, Astrid e Soluço foram para o quarto  enquanto Banguela se encolheu em algum canto.
Astrid se sentou na camas deles em silêncio, encarando sua perna enfeixada, ela desamarrou a faixa branca com uma careta, mostrando um ferimento ainda fundo e um tecido cheio da sangue.
— Hey! — Soluço pegou o pano das mãos dela.— deixa eu ajudar! 
O ruivo rasgou o tecido e correu para molhar o pano branco, ele limpou o ferimento e o enfaixou novamente.
Astrid soltou o ar devagar depois que ele terminou.
Ele se sentou na frente dela respirando fundo.
— Obrigada.. — disse a loira, tirando suas botas, com a intenção de tomar um banho.
Soluço levantou o olhar suspirando.
— Algo sobre as vozes? — perguntou o ruivo.
— Estou bem! — disse ela, tirando sua blusa, para entrar no banheiro.
Soluço ouviu ela tomar banho em silêncio, ainda abaixando na cama com a cabeça encostada na mesma, olhos fixos no chão.
Ela saiu embrulhada na toalha, com cabelo solto,olhos e boca vermelhos.
— Você vai.. — começou ela enquanto o marido se levantava e caminhava até a mesma, Astrid foi surpreendida por um beijo, que ela correspondeu prontamente.
Soluço levou uma das mãos ao pescoço dela, molhado e passou o outro braço pela cintura dela, enquanto Astrid passava os braços pelos ombros dele.
— Eu te amo! — sussurrou o ruivo, quando eles se separaram.
— Também te amo! — sussurrou Astrid passando o polegar pela bochecha dele. Merda de lágrimas que iam e voltavam sem parar.
Soluço a beijou rapidamente de novo antes de se afastar, tirando a roupa e se caminhando para o banheiro.
Depois que o ruivo terminou ele desceu e sentou ao lado da esposa no sofá, assistindo o fogo crepitar. 
— A nossa garotinha não vai voltar.. — sussurrou Soluço, uma lágrima escapando, depois de algum tempo que eles estavam em silêncio.— nem ao menos vimos o barco dela sendo queimado. Eu deveria ter atirado... Era.. Era minha garotinha, Astrid... 
Astrid soluçou, ela soltou um grunhido, o choro subindo por sua garganta.
— Uma vez ela me perguntou se doia morrer.. — a loira limpou uma lágrima que atingiu seus lábios com um gosto salgado.— foi quanto minha mãe morreu, as duas tinham 7 anos, Lynae não conseguia dormir por isso! Eu disse que não sabia, mas imaginava que era rápido e indolor! — a loira forçou um sorriso com mais lágrimas descendo.— Ela sorriu e disse "então sei que a vovó está bem e todos nós vamos estar quando chegarmos em Valhalla!" — Soluço envolveu ela com os braços chorando também.— Não era pra ela ter chagado lá antes de nós! 
Soluço suspirou, assentindo. 
Eles não puderam fazer mais nada além de ficar por volta de meia hora, chorando, abraçados, lembrando de cada fase da pequena vida de Lynae.
 Algumas horas de silêncio, choro e lembranças mais tarde, Kristen ainda não tinha voltado, os dois tinham decidido que iriam procurá-la quando alguém bateu na porta. Astrid suspirou descendo as escadas correndo.
— Você quase.. — a loira parou encarando quem estava do outro lado da porta. Idum.
— Oii..— murmurou a ruiva, seu dragão grunhindo atrás de si.
Astrid finalmente voltou a respirar, a loira avançou abraçando Idum, a ruiva correspondeu o abraço, um pouco relutante.
— Aí Meus deuses! Você veio! — Astrid forçou um sorriso.— entre querida! 
Soluço desceu as escadas encarando a Idum. Ele sempre ficava atônito ao ver a filha. Não sabia o que pensar, falar ou fazer.
— Idum! — ele forçou um sorriso, ela acenou com a cabeça. 
— Eu vou ouvir vocês! — anunciou a ruiva, sem encara-los.— pela Lynae! Ela se sacrificou por mim! E não posso retribuir.
Astrid limpou a bochecha, tinha uma lágrima teimosa por lá.
— Sente-se! — disse Astrid indicando o sofá para garota, que obedeceu, a loira se sentou ao lado da ruiva, mas um pouco distante, e Soluço permaneceu em pé.
— Bem, eu acho que você já sabe que somos seus pais verdadeiros, o problema é que nós não sabíamos da sua existência também! — começou Soluço.
— Sobre isso.. — Idum suspirou.— a culpa é minha! Eu devia ter obedecido meu pai, deixado a carta, assim não a daria para deixá-la com Lynae e.. — pela primeira vez ela levantou o olhar para o casal. Os olhos de cores diferentes, sempre impactantes.
Astrid mordeu o lábio, tentando se manter forte, Soluço suspirou.
— Você sabe! Não é sua culpa! — disse o ruivo, se aproximando.— por ter sido pega quando nasceu e..todo resto! 
Alguém abriu a porta, devagar e lentamente.
— Mãe, pai! Desculpa.. Eu estava..— Kristen levantou o olhar depois de jogar um peixe para trás do ombro e não sentir Violeta o pegar.— Viole..— ela se virou par fora e encontrou sua dragão encarando o dragão de Idum com relutância então se virou bruscamente para seus pais, até seus olhos se encontrarem com os da outra ruiva. — O que você...
Kristen preparou seu machado e correu até Idum, a mesma se levantou do sofá.
— Kristen, não! — gritou Soluço, ao mesmo tempo que a ruiva ergueu o machado para acertara irmã, ela não parou.
Mas Idum se defendeu com os próprios braços. Kristen a encarou surpresa quando o som do metal estalou na sala. 
Astrid se levantou, surpresa, Idum tinha braceletess de ferro Gronkel. Era incrível. Ela empurrou Kristen para trás.
— Kristen... — começou Astrid, mas a ruiva investiu contra Idum novamente, a mesma desviou.
— Era pra ter sido você! — disse Kristen cortando uma parte do sofá. 
— Kristen! Pare agora! — gritou Soluço avançando.
Kristen arremessou o machado em Idum, a mesma escapou por pouco e o machado ficou cravado na parede.
Soluço segurou o braço da filha.
— Enlouqueceu? — perguntou o ruivo.
— Ela deveria ter morrido! Não a Lynae! — gritou a ruiva.
— Você está bem? — perguntou Astrid se aproximando de Idum.
— Se ela e o pai morressem nossos problemas acabariam! — gritou a ruiva.
— Kristen! Pare com isso! — disse Astrid.
— Não até matar a irmã certa! — Kristen uma adaga na bainha, apontando para Idum.
— Kristen! Abaixe isso! — gritou Soluço.
Os olhos azuis da ruiva refletiam pura raiva, vingança e culpa. Bem isso até seu pai gritar aquela frase.
Há alguns dias aquela mesma cena tinha se repetido, mas era Lynae que estava na sua frente. Ela estava brigando com a sua outra irmã. Ela encarou Idum nos olhos, e de repente ela se parecia muito com Lynae. De repente a raiva se esvaziou e Kristen acordou, soltando a adaga.
Soluço foi o primeiro a voltar a respirar.
— Kristen.. — começou Astrid, mas a mesma já estava subindo as escadas.
Idum respirou fundo, tentando recuperar o fôlego.
— Eu sabia! Eu não..
— Não é sua culpa! — Astrid colocou uma mão relutante no ombro da ruiva.— ela ainda não superou! — a loira engoliu em seco.— nenhum de nós superou! Mas você precisa saber que não tem culpa de tudo que lhe aconteceu! 
Idum a encarou com duvida, olhando relutantemente para porta.
— Idum! Fique conosco! Por favor! — pediu Soluço.— nós perdemos você no começo mas podemos mudar isso agora!
A ruiva olhou para Kristen subindo a escada. 
— Eu acho que..
— Lynae queria que você ficasse! — disse a ruiva no final da escada.
Idum engoliu em seco.
— Três dias! — disse Idum tirando um pequeno sorriso do casal. 
Kristen somente terminou de subir e se trancou no quarto.
*
 Idum acordou com o barulho de ferro, ela levantou a cabeça e sentiu a dor nas costas, ela estralou o pescoço, fazendo o um "crek". 
— Não queria te acordar! — disse Kristen, terminando de arrumar sua armadura.
Idum acabou dormindo na antiga cama de Lynae. Mais ou menos. Ela se negou a fazer isso e acabou dormindo na escada para cama, com o antigo travesseiro da loira.
— Você não me matou enquanto eu dormia! — observou a ruiva, fazendo uma careta para levantar.
Kristen suspirou.
— Desculpe.. 
— O que? — perguntou Idum surpresa.
— A culpa foi minha! Eu só.. Não consigo aceitar! — murmurou a ruiva com os olhos cravados no chão.
Idum engoliu em seco, ela teve vontade de contar sobre o "cavalo controlador de mentes" de Daniela, mas se segurou.
— Eu ia matar seus pais! Você não tem culpa! — Idum alcançou a ruiva na escada.
Kristen a olhou nos olhos e ela pode ver lágrimas nos olhos da mesma.
— Bom dia! — disse Astrid entrando no quarto, ela encarou Kristen.— seu pai tem coisas pra resolver e eu também.. Pode mostrar a ilha pra Idum? 
Kristen deu de ombros. Astrid suspirou e se aproximou da filha.
— Hey, temos que ser fortes, ok?! Eu te amo! — sussurrou a loira abraçando a ruiva.— sei que não estamos dando a atenção que você precisa, mas as coisas vão voltar ao normal.. 
— NUNCA VAI VOLTAR AO NORMAL MÃE! — disparou a ruiva se afastando.
Astrid a encarou, com certeza se segurando para não chorar. Soluço subiu as escadas, com Banguela atrás.
— Opa! Hey! — ele viu a filha chorando.— está tudo bem! — disse o ruivo a abraçando.— vamos lá Kristen! Precisa esquecer isso! Pelo menos um pouco! — sussurrou ele.
Astrid encarou Idum parada no fim da escada e se aproximou.
— O que acha de trocar de roupa? — perguntou a loira.
Idum deu de ombros.
Soluço continuava abraçado a Kristen que chorava em seu peito, ele estava sussurrando alguma coisa enquanto passava a mão pelo cabelo da ruiva, Idum podia jurar que vira lágrimas nos olhos dele também.
— Vamos! Arrumar um banho pra você! — disse Astrid, passando a mão pelo ombro de Idum e a levando pra fora do quarto.

Quando Idum saiu do banheiro, já com outras roupas, ela deu de cara com Kristen.
— Vamos! Serei sua babá hoje! — murmurou a ruiva, a fuzilando com os olhos azuis inchados.

Elas chegaram a academia, a mesma estava mais triste que costumava. Torresmo estava sentado em um canto encarando a parede, Alexandra estava conversando com a parede, tentando fazer Oculto aparecer provavelmente e Erick estava arrumando alguns papéis, com os olhos vermelhos.
— O que está fazendo? — perguntou Kristen se aproximando.
— O que ela está fazendo aqui? — perguntou Alexandra.— desculpe, Idum! 
— Meus pais a convenceram a ficar! — murmurou Kristen.
— Então! Tenho que levar os projetos da.. sua irmã para o seu pai! — disse Erick.— quer vir comigo? 
— Eu.. Vou ficar bem..— murmurou Kristen.
Erick se aproximou e beijou a testa dela, quase derrubando alguns livros, Kristen soltou uma risada contida, o que o fez sorrir. 
— Como eu amo esse sorriso! — disse ele, teclando seus lábios.
— É nesses momentos que eu acho que vou acabar casando com uma vela! — disse Alexandra.— Oculto! Aparece! Eu quero sumir também! 
Kristen sorriu para amiga, entrelaçando os dedos nos de Erick, e beijando a bochecha dele.
— Nos vemos mais tarde então! — disse a ruiva, enquanto ele saia.
Idum parou de encarar a parede depois que o clima parou de ficar estranho. 
— Então, o que fazem de legal por aqui? — perguntou a ruiva, prendendo o cabelo em um coque.
— Treinamos! — murmurou Torresmo se levantando do chão.
— Poderíamos fazer algo diferente hoje! — murmurou Alexandra— para relaxar a mente.. Ou ocupa-la!
— Ocupamos com treino! — disse Kristen, pegando um machado.— me dá a honra, Torresmo? 
Ele se virou para a ruiva e deu a primeira investida, que ela correspondeu. 
 Alexandra parou ao lado de Idum. 
— Fico feliz que vá ficar conosco agora! — disse a morena.
Idum suspirou.
— Três dias! 
— Isso é sério? Mas..
— É eu sei! Não sei pra onde vou depois! Voltar para o meu pai? Ele vai me jogar na prisão! Mas eu também não posso ficar aqui! Kristen nunca vai aceitar isso! — explicou a ruiva.
Alexandra colocou uma mão no ombro dela.
— Dê um tempo a ela! Você é bem vinda! Sério! Olha tínhamos dúvidas se você é mesmo uma Haddock, mas isso não importa! Se nos quiser como sua família, será bem vinda! 
Idum suspirou, encarando a "irmã" lutando contra Torresmo.
*
A noite Kristen estava tirando a armadura quando encarou Idum, elas estava lendo algum livro que Lynae deixara aberto na mesa.
A ruiva se aproximou, colocando a mão por cima do livro.
— Você não vai substitui-la! Ok? Não sei o que pensa que está fazendo, mas você nunca vai ser minha irmã! 
— Não quero substituir ninguém! — retrucou Idum.
— Não pense que não reparei como você olha pra tudo que ela tinha! Pros amigos dela, para os pais e pra mim! Mas você não merece o que era da minha irmã! — gritou a ruiva.
— Eu não vou mentir pra você! Talvez eu queria o que ela tinha! Já percebeu quanto de amor você tem aqui?! Não cresceu em uma ilha onde todos te odeiam! Não sabe como é ser julgada e mal tratada pelas pessoas que supostamente te amariam! — devolveu Idum, se levantando, irritada.
 Kristen a encarou por alguns segundos, pulsos cerrados, depois respirou fundo. 
— Ok, me desculpe! Eu só..— a ruiva se jogou em uma cadeira.— me desculpe Idum! 
— Prometo que nunca mais vai me vez daqui a três dias! — a ruiva suspirou.— quer saber, melhor hoje! Eu vou pegar o Fogo Selvagem e ir embora pra qualquer outro lugar! 
— Não! — Kristen se levantou.— não pode desistir assim! Você vai ficar! E vai dar uma chance a essa família! Pela Lynae! Eu posso não suportar você, mas ela deu a vida por você! Então é bom a senhora ficar por mais que três dias!  
 Idum a encarou com uma sobrancelha levantada. 
Kristen grunhiu, se afundado na cadeira.
— Desculpe! Eu ando estranha! — murmurou a ruiva.
Idum coçou o braço.
Kristen encarou a cama de Lynae, onde supostamente Idum iria dormir.
— Você pode dividir a beliche comigo! — disse a ruiva.— pode dormir na parte de cima! Eu só preciso tirar minhas armas! 
Idum forçou um sorriso, enquanto Kristen se levantava para arrumar a cama.
— Cheguei! — gritou Astrid, subindo as escadas.— como foi o primeiro dia? — perguntou a loira.
Idum deu de ombros. 
— Não foi ruim! — disse a ruiva. 
— Kristen, o que você tá fazendo? — perguntou Astrid, pegando um arco que caiu no chão com a limpeza da ruiva.
— Idum vai dormir aqui! — explicou a ruiva.
Soluço bateu na porta.
— Oi! Idum, posso falar com você? — perguntou Soluço batendo na porta, a ruiva deu de ombros e o seguiu. 
Astrid subiu as escadas para ajudar a filha.
— Obrigada! Você  sabe, por ser forte! — disse Astrid.
Kristen deu de ombros.
— Não é culpa dela! — disse a ruiva.
Astrid abraçou a ruiva.
— Obrigada filha! — disse a loira, enterrando a cabeça no ombro da filha, quando a mesma correspondeu o abraço.
*
— Onde está me levando? — perguntou Idum, seguindo Soluço e Banguela.
— É só um lugar especial pra gente! — explicou Soluço, eles pousaram.
— Uma enseada? — perguntou Idum.
— Passamos por bastante coisa nessa enseada! — disse Soluço descendo do Fúria da Noite.
— Por que me trouxe aqui? — perguntou a ruiva.
— Eu trouxe minhas filhas aqui! Quando elas fizeram quatorze, foi um aniversário especial! Só nós quatro, e o primeiro voo no Banguela, sem nós! Lynae pilotou, sozinha! — ele fungou e passou as costas da mão na bochecha.— eu só queria te mostrar esse lugar e perguntar se você não quer dar uma volta no Banguela! 
Idum se lembrou do seu aniversário de quatorze anos, foi bem diferente, Viggo tinha feito uma festa gigante, onde ninguém era da idade da ruiva, a mãe dela não apareceu (como sempre) e a noite acabou com ela tomando sua primeira bebida alcoólica  e se arrependendo pelo resto da vida.
— Quer que eu voo no seu dragão? — perguntou ela surpresa.
— Por favor, milady! — disse Soluço se afastando.
Idum revirou os olhos e subiu em Banguela, ela pegou as rédeas e o dragão disparou.
 
Ela tinha que admitir foi um voo incrível, Banguela voou pelo por do sol e pelas nuvens, e por toda ilha de Berk.
Quando eles voltaram para enseada ela não podia tirar um sorriso do rosto.
— Como foi? — perguntou Soluço se levantando do lado de Fogo Selvagem.
— Incrível! — ela desceu pulando.— Banguela você é incrível! — a ruiva abraçou o dragão que correspondeu o abraço com um sorriso.
Soluço sorriu encarando os dois.
— Que bom que..— ele ficou paralisado quando ela o abraçou.
— Obrigada! Foi muito legal! — disse Idum, enquanto Soluço correspondeu o abraço.
— Não foi nada, filha! — disse ele, depois que se deu conta do que disse o ruivo se afastou.— quer dizer..
— Tudo bem! — Idum deu um passo para trás, desviando o olhar.
— É melhor voltarmos pra casa! — disse Soluço, fazendo carinho em Banguela.
— É..— concordou ela, subindo em Fogo Selvagem.
***


Notas Finais


Finalmente uma notícia da família Haddock Hãn?!
O que vocês acharam? Kristen devia ter batido mais na Idum? Soluço se derreteu e está apaixonado pela filha em meia hora juntos? Como vai a vida de Lynae em Valhalla? Astrid vai matar a Leila? Gangue vai passar mais tempo juntos e fazendo as bobeiras de antigamente?
Kkkkk
Até a próxima sexta feira, lindezas 💜💜💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...