História As lavadeiras do zodíaco - Capítulo 61


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Aldebaran de Touro, Bian de Cavalo Marinho, Camus de Aquário, Dohko de Libra, Geist de Serpente, Hyoga de Cisne, Ichi de Hidra, Ikki de Fênix, Io de Scylla, Isaak de Kraken, Julian Solo, June de Camaleão, Kanon de Dragão Marinho, Kanon de Gêmeos, Kasa de Lymnades, Kiki de Appendix, Krishna de Chrysaor, Marim de Águia, Marin de Águia, Mascára da Morte de Câncer, Miho, Miro de Escorpião, Misty de Lagarto, Mu de Áries, Nachi de Lobo, Poseidon, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shaina de Cobra, Shaina de Ofiúco, Shaka de Virgem, Shion de Áries, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shunrei, Shura de Capricórnio, Sorento de Sirene, Thetis de Sereia
Tags Cdz, Festa, Fofoca, Hentai, Lemon, Orange, Romance, Saint Seiya, Yaoi, Yuri
Exibições 178
Palavras 2.573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora, meus amores... Nossa, eu tô tomando um remédio que me dá um sono infeliz... Ain 😫😫😫

Bom, espero que gostem!

Boa leitura!

Beijos

Capítulo 61 - Quem se faz de cordeiro, será comido pelo lobo


Fanfic / Fanfiction As lavadeiras do zodíaco - Capítulo 61 - Quem se faz de cordeiro, será comido pelo lobo

Dohko viu aquilo, já imaginando o que tinha acontecido ali e fechou a porta. Assim que calçou as sapatilhas, seguiu para sua casa em silêncio.

Já não era a primeira vez que presenciava coisas “suspeitas” entre os dois, contudo, aquilo foi o cúmulo para ele. Resolveu então deixar o ariano procura-lo para esclarecer suas dúvidas e dependendo da resposta, pediria para ele tomar uma decisão.

– S2–

No dia seguinte…

Aiolia abriu os olhos devagar, ao sentir um feixe de luz sobre seu rosto e o virou para o lado. Se mexeu na cama e só então, lembrou que não estava em sua casa.

O leonino virou parcialmente o corpo, espiando por cima dos ombros e viu Mu dormindo sentado na cadeira. Em seguida, se deitou de barriga pra cima e pôs as mãos sobre o rosto para bocejar em silêncio. Assim que voltou o olhar para o louro, o viu na mesma posição e sentou na cama, pensando no que faria dali por diante.

Aiolia se levantou e pegou o ariano nos braços com cuidado. Depois de ouvir alguns murmúrios, o deitou sobre a cama e o cobriu com o lençol para que não sentisse frio.

Olhou para ele, por alguns instantes e procurou por um papel e caneta. Assim que achou o que procurava, escreveu um bilhete e deixou em cima do criado. Dali, seguiu para sua casa.

– S2–

Na casa de touro…

Aldebarán acordou feliz da vida, depois da noite que teve ao lado do cavaleiro de prata.

Procurou a samba canção que estava atirada no chão, junto das roupas espalhadas e a vestiu. Olhou para o louro que ainda dormia sobre sua cama e soltou um sorriso.

Aquela noite havia sido longa para os dois, porém, o brasileiro não estava cansado. Muito pelo contrário, estava super disposto e como era um romântico nato, resolveu fazer um agrado para o francesinho.

Assim que recolheu as roupas do chão, deixou sobre a cadeira e foi até o banheiro.

Ao deparar com o seu reflexo no espelho, passou a mão sobre o queixo e já reuniu os produtos para fazer a barba.

“Tenho que estar apresentável.” - pensou, enquanto espalhava a espuma pelo rosto.

Depois de fazer a barba (com cuidado para não se cortar e ficar com marcas), entrou no chuveiro e tomou seu banho.

Assim que saiu do banheiro, olhou para a cama e constatou que ele ainda estava ali. Sorriu e foi até o closet para se vestir.

Ouviu a voz do cavaleiro de leão pelo cosmo e soltou um suspiro, pensando no que teria acontecido em áries. Por mais que tivesse tido uma noite maravilhosa com o louro, seu coração ainda pertencia ao seu vizinho.

“Pode passar, Simba.”

“Obrigado.” - disse e seguiu para gêmeos.

Aldebarán terminou de se vestir e foi para a cozinha preparar o café da manhã. Imaginou pelos cuidados que o francesinho tinha consigo mesmo, que deveria se alimentar saudavelmente. Não que não tivesse o mesmo hábito, mas sempre preferiu coisas que lhe dessem mais condições de manter a massa corporal.

Colocou alguns pães, frios, frutas e duas jarras, sendo que uma continha suco e outra leite. Arrumou tudo bonitinho e caçou uma margarida do pequeno canteiro que havia em sua casa, para dar um ar ainda mais romântico.

Assim que colocou a tampa por cima da bandeja, sentiu um cosmo se aproximando de sua casa e se deu conta do problema que teria, quando o outro soubesse de tudo.

“Senhor Lollo?? Posso entrar?”

“Puta que pariu! Fodeu! O que eu vou falar pra ele, quando ele descobrir que eu peguei o “crush” dele?” - pensou e coçou a nuca.

“Senhor?”

“Entre, Kiki. Estou na cozinha.”

“Tá.”

Aldebarán se sentou na mesa e aguardou pelo ruivo, vendo-o aparecer na porta em seguida.

– Bom dia. - sorriu. – Eu passei na casa do senhor Mu, mas ele tava dormindo ainda. Acho que está doente.

– Bom dia… - mal olhou porque estava sem jeito. - Ah, é? Hum… duvido muito.

– Ué, porquê? - perguntou e começou a analisa-lo, pois o taurino estava se comportando diferente do habitual.

– Porque ele estava com o Aiolia. - disse e cruzou os braços.

Kiki colocou a mão sob o queixo e ergueu uma sobrancelha. Voltou o olhar para o maior e estava para lhe fazer uma pergunta, quando percebeu a bandeja sobre a mesa. Como não era nenhum bobo, sorriu de canto, chamando a atenção do mais velho e se levantou, apoiando o corpo sobre a mesa.

– Quem?

– Hã? - respondeu, pois estava distraído com os pensamentos.

– Quem passou a noite com o senhor? - disse e olhou maliciosamente para ele.

– A-ah… É… Kiki, você não quer voltar mais tarde? É que lembrei que tenho umas coisas para fazer agora…

Kiki soltou um riso e voltou a ficar de pé.

– Certo, já entendi, senhor… - disse e se virou para sair dali. – Volto depois para conversarmos melhor. - piscou o olho e saiu dali, para o alívio do maior.

Assim que o ruivo saiu de touro, se levantou e seguiu com seu plano de surpreender o louro ainda dormindo. Pegou a bandeja e foi até o quarto, constatando que o ele ainda estava dormindo. Porém, mesmo dormindo, não deixava de ser provocante.

O brasileiro parou na porta do quarto, observando o corpo nu do outro que estava de bruços e mordeu o lábio. Deu dois passos, fechando a porta com o pé e seguiu até a cama, deixando a bandeja sobre o criado.

Depois de sentar na cama, tocou nos cabelos ondulados e se inclinou, falando baixinho em seu ouvido.

– Bonjour, mon ange.

Misty se virou para o lado dele e abriu os olhos devagar, soltando um sorriso, ao vê-lo.

– Bonjour, ma chérie.

Aldebarán retribuiu o sorriso e pegou a bandeja, colocando-a na frente do cavaleiro.

– Preparei pra você. Deve estar com fome, depois de ontem… - soltou um riso.

– Hum. Estou mesmo. Você sugou todas minhas energias. - sorriu de canto e se inclinou para dar um selinho.

Debas sorriu sem jeito e o observou comendo um cacho de uvas, o que lhe deixou com mais desejo.

Misty inclinou a cabeça de propósito para comer os grãos e fechou os olhos, soltando um gemido.

– Ah! Que delícia… - disse e passou a língua nos lábios, tornando a olhar para ele.

O brasileiro que já estava de pau duro de ver aquilo, afastou a bandeja e surrupiou o cacho de sua mão, tomando as rédeas da situação. Se levantou e inclinou o cacho de uvas no alto, já vendo o francês prontamente se colocar de joelhos e inclinar a cabeça para morder um grão.

Debas se excitava cada vez mais com as provocações, a cada grão capturado e devorado pelo louro. Misty degustava a fruta, não tirando os olhos do brasileiro. O viu já com a mão próxima do mastro já perceptível por dentro da calça apertada e sorriu maliciosamente para ele.

– Me deixe provar outra coisa agora… - disse e engatinhou até a ponta da cama e abaixou as calças, vendo aquele membro grande molhado de suas provocações.

Olhou para ele e sorriu, já tomando o falo para si e começando a lhe “boquetear” gostoso.

O brasileiro gemeu e se agarrou nos cabelos do outro, sentindo aquela boca tão ágil lhe dar o prazer que tanto sentia falta. E aquilo seria só o começo…

– S2–

Shura dormia tranquilamente, quando sentiu algo roçando em suas nádegas. Mordeu o lábio involuntariamente, já sentindo a glande úmida passar pela sua pele e inclinou a cabeça para trás, ao ter seu falo capturado pela mão do italiano.

– Gio… - sussurrou e levou a mão para trás, puxando a nuca do amigo que já lhe beijava o pescoço.

– Tão gostoso… - sussurrou ao pé do ouvido dele, mordiscando o lóbulo em seguida.

O moreno subiu a mão pelo peito e tocou o bico do mamilo com a ponta dos dedos. Gemeu, ao ter o pescoço beijado, sugado, marcado por aquela boca deliciosa. Se virou, não aguentando mais aquelas provocações e o beijou lascivamente.

Mask puxou o quadril dele contra o seu e segurou sua nádega, enquanto sentia uma ereção roçar na outra. Continuou as carícias, marcando seu pescoço e ombros, descendo os beijos até seus mamilos.

Shura fechou os olhos e passou as mãos, sobre os cabelos do italiano, puxando-os de leve. Se arrepiou a cada estímulo naquela área, já sentindo latejar, tamanho era o seu tesão.

DM continuou descendo, fazendo uma trilha com a língua até a pélvis do amante e olhou para ele. Shura retribuiu o olhar, enquanto arfava e se apoiou nos braços, vendo o outro já se acomodar entre suas pernas.

– Ah, Gio. Hummm. - disse e gemeu manhoso, ao ter seu membro engolido pela boca do outro.

Shura arqueou o corpo e novamente se deitou, passando a se agarrar nos cabelos grisalhos do amigo. Mordeu o lábio, fazendo alguns movimentos contra a boca do italiano e olhou para ele, ofegante.

– Madre de diós… Ahhh sus lábios, italiano… Ah! Por Zeus! Ah!

DM continuou chupando e olhando para ele, enquanto deslizava as mãos por aquele abdômen perfeito. Shura por sua vez, apenas gemeu, pois o italiano estava levando-o ao delírio.

– Puta madre! Ah! Gio! Voy a… a… Ahhh! gemeu e se derramou por completo na boca do outro.

Depois de engolir tudo, o italiano se aproximou e o beijou carinhosamente. Shura retribuiu e se colocou de bruços, porque aquilo ainda não havia acabado.  

DM passou as mãos pelas costas dele e se inclinou, pegando o tubo de lubrificante. Pôs um pouco sobre os dedos e depois na entrada do outro, deixando o gel ali perto. Espalhou sobre a entrada, ouvindo o gemido do amigo e logo introduziu um dedo.

Shura fechou os olhos e se agarrou nos lençóis, passando a empinar o bumbum pra ele. Assim que recebeu o segundo dígito, gemeu mais alto e instantes depois, acabou relaxando.

Mask beijou suas costas e passou a estoca-lo, arrancando mais e mais gemidos dele. Shura empinou o máximo que pôde e olhou para seu amigo.

– Venga! Meta en mi culo, ahora! Me haces tuyo… - disse e sentiu o italiano retirar os dedos e se acomodar atrás dele.

DM pegou o tubo, espalhando mais gel por todo mastro e um pouco mais sobre a entrada e largou ali do lado, passando a meter devagar no espanhol.

Shura fechou os olhos e apertou ainda mais os lençóis, sentindo um pouco de dor, mas logo relaxou. Mask começou a estoca-lo um pouco mais rápido, mas logo parou, ao ouvir a voz do amante.

– Mask… quiero ver usted…

– Sì. - disse e saiu de dentro dele, vendo-o se virar e o chamar com as mãos.

– Besame…

Mask sorriu e voltou a lhe introduzir, deitando devagar sobre o seu corpo. Tomou seus lábios em um beijo calmo e passou a lhe estocar mais rápido.

Shura gemeu entre os beijos, já sentindo o seu membro despertar e roçar contra aquele abdômen cabeludo. Gemeu mais, passando a cruzar as pernas contra o quadril do italiano e o sentiu entrar fundo, levando-o a um êxtase sem igual.

Assim que “chegou lá” pela segunda vez, soltou um gemido (mais alto que os outros)

e se apertou, acarretando no orgasmo do outro.

Ofegantes, trocaram um beijo carinhoso e ficaram deitados por um tempo, segurando a mão um do outro, em silêncio.

– S2–

Kanon despertou e soltou um sorriso, ao sentir o corpo abraçado. Pensou no italiano, pois ainda estava sonolento e se virou. Levou a boca até a do cavaleiro, ainda de olhos fechados e assim que abriu os olhos, deu um pulo para o outro lado.

– Ahhhhh!

Saga se sentou na cama e esfregou os olhos, pois também estava sonolento.

– Que gritaria… por isso não durmo com você. - disse e se levantou, expondo toda sua nudez e saiu dali.

– Nojento! Pervertido! Como ousa se deitar comigo pelado, seu cretino?! - gritou e acabou se sentando na cama, frustrado.

“Não quero sentir sua falta, DM! Não quero!” - pensou e foi até o banheiro para tomar uma ducha fria.

– S2–

Pouco a pouco, os cavaleiros foram aparecendo na arena, como foi o caso de Aiolos e Aiolia.

Chegando lá, viram alguém deitado sobre a arquibancada e se cutucaram.

– Olha lá, mano! - apontou. - Tem alguém deitado no degrau. - disse Aiolos.

Aiolia pôs a mão rente a testa e tentou ver quem era, mas estavam longe demais para poderem enxergar.

– Vamos ver quem é… eu nunca vi alguém dormir na arena. - disse, Aiolia.

– Sim, vamos.

Os cavaleiros foram caminhando em direção à arquibancada e conforme foram chegando mais perto, enxergaram uma longa cabeleira lisa e negra que se estendia pelo degrau abaixo.

– Ih! Olha lá? É o Shiryu! - disse Aiolos.

– Hum… - analisou a roupa e o bumbum da pessoa misteriosa. - Acho que não. Mano, você tá precisando de óculos, hein? É uma mulher. Não tá vendo o tamanho da…

– Bunda! Sim. A italiana tem um bumbumzinho perfeitinho. Claro que o meu é mais bonito, mas não vou ser injusto. - disse e mordeu o lábio, analisando melhor.

– Afrodite???? Hoje, resolveu acordar homem?? - disse Aiolia, ao soltar um riso.

– Rapaz… mano, vamos avisar os outros, que algum deus deve estar querendo sequestrar a Deusa Chathena de novo. Digo, Athena.

– Engraçadinhos vocês… - deu um tapa estalado na nuca de cada um.

– Ai, Rosa! Isso dói! - Aiolia resmungou.

Com o burburinho que se formou nos degraus abaixo, a amazona abriu os olhos e espiou os dourados discutirem entre si. Revirou os olhos e se levantou, descendo os degraus devagar até a arena.

Distraídos com a discussão, nem perceberam que a garota havia saído dali, o que a deixou aliviada.

– S2–

June abriu os olhos e sorriu, pensando que Shun estaria ali, mais para sua infelicidade, estava sozinha na sala.

Levantou do sofá, sem a menor vontade de sair para treinar e seguiu até o seu dormitório.

Chegando lá, seguiu para seu quarto e viu o de Geisty aberto, porém não estava lá. Achou aquilo estranho, mas deu de ombros, pensando que a amiga devia ter saído mais cedo para os treinos.

Pegou a toalha que estava estendida no biombo do quarto e foi até o banheiro para tomar um banho.

Encostou a porta e ligou o chuveiro, enquanto se livrava de suas roupas. Tirou os acessórios de seu cabelo e entrou no box, sentindo à água fresca batendo em seu corpo, proporcionando uma sensação relaxante.

Enquanto isso…

Geisty caminhava pelo corredor, cumprimentando alguns aspirantes que passavam e entrou em outro, que dava acesso ao seu.

Abriu a porta e entrou, ouvindo uma cantoria vinda do banheiro. Fechou a porta, devagar e deixou os sapatos ali mesmo, seguindo os passos silenciosamente até o banheiro.

Viu a porta encostada e se aproximou, vendo a loura cantar Roxette, enquanto usava o escovão como microfone.

Sorriu com a cena e só depois, deu uma bela olhada no corpo da amazona de camaleão. Seios fartos, cintura fina e quadril na medida certa. Mordeu o lábio, imaginando o que não faria e saiu do transe, ao ouvi-la chamando seu nome:

– Geisty??? O que faz aqui???



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...