História As Long As You Love Me - Segunda Temporada - Capítulo 61


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Chaz Somers, Christian Beadles, Demi Lovato, Justin Bieber, Miley Cyrus, Pattie Mallette, Ryan Butler
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Demi Lovato, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Miley Cyrus, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Amor, Drama, Romance, Separação
Visualizações 193
Palavras 1.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiii, não demorei muito dessa vez ein!!!
Espero que gostem desse capítulo e vou tentar postar o próximo mais rápido (e maior) se tiver bastante comentários!!!
Boa leitura!
Love ya
XoXo

Capítulo 61 - Stay with her and form a family with her


Fanfic / Fanfiction As Long As You Love Me - Segunda Temporada - Capítulo 61 - Stay with her and form a family with her

Anteriormente...

"- Esse cachorro é uma pestinha ein! – Minha mãe falou rindo.

Peguei todas minhas roupas do chão, jogando dentro de qualquer gaveta para depois arrumar. Recolhi os cabides, os guardando também.

- Ele está com alguma roupa na boca. – Meu pai disse apontando.

- Me dá! – Estiquei minha mão e ele andou para trás.

Peguei um pedaço da blusa e ele rosnou.

- Ele vai te morder! – Jaxon disse rindo.

Juro que eu estou ficando cada vez mais puto!

- Mustin! – Falei sério.

Depois de muito sacrifício ele acabou soltando. A estiquei e vi que é uma blusa dela...

- De quem é isso? – Meu pai perguntou.

- Da Aly, de quem mais? – Minha mãe falou.

Bufei, amassei a blusa e joguei dentro do meu closet.

- Depois me livro dessas coisas. – Falei.

Mustin reclamou, choramingando.

- O que foi? – O olhei.

Ele olhou para onde joguei a blusa e olhei junto.

- Acho que ele está sentindo falta da mamãe dele... – Jazzy disse e suspirei.

Peguei a maldita blusa e joguei para ele.

Sai do meu closet e eles também saíram. Peguei meu celular sobre a mesa e fui para o meu quarto, ligando para Chaz.

Ligação ON

“ – Alô? – Ele atendeu.

- Pode sair agora? Preciso conversar com alguém...”"

Depois de falar com Chaz, sai de casa, sem dizer para aonde eu iria.

Agora estou caminhando até o Starbucks mais perto da minha casa para encontrar com Chaz.

Entrei e logo o avistei sentado nos bancos altos junto à bancada.

- Eai. – Ele disse e fizemos um toque.

Sentei ao seu lado e pedi um chocolate quente médio para a atendente.

- Então, o que aconteceu? – Ele perguntou sendo direto.

Expliquei tudo o que tinha acontecido no dia anterior e hoje à tarde. Chaz ouviu tudo atentamente, sem me interromper.

- O que você acha? – Perguntei após terminar.

- Eu? – Assenti. – Cara, eu não tenho que achar nada. – Falou. – O que você acha? – Apontou para mim e suspirei.

- Eu a amo... – Ele me cortou.

- Não perguntei isso. – Falou. – Eu sei que você a ama, mas o que você acha disso tudo que aconteceu entre vocês? – Perguntou. – Estou falando desde que vocês se conheceram. – Ele disse tomando um gole de seu café.

- A Alyssa foi uma das únicas, se não a única, que eu realmente gostei pra caralho. – Comecei. – Há quatro anos o que a gente tinha era único e maravilhoso. Tínhamos dezoito anos e estávamos completamente apaixonados um pelo outro e isso era mais do que nítido em nós. – Falei. – Claro que nós sempre brigávamos, mas a gente conseguia se entender em poucas horas. – Molhei meu lábio. – E quando ela voltou todo sentimento que eu guardei durante esses anos por ela apareceram novamente e eu não pude escondê-los de ninguém. – Disse. – Mas eu não sei o que aconteceu, porque toda vez que estamos juntos, a gente briga e não é como aquelas brigas que nos resolvíamos rápido... – Suspirei. – Quanto mais a gente discute, mais insuportável nosso convívio fica. – Admiti. – Eu tento negar para mim mesmo, porque o que eu mais queria é ficar com ela e formar uma família com ela. – Suspirei triste. – Quando conversamos ontem à noite e eu disse que não queria mais vê-la, ela disse que não sabia o que iria acontecer com nós dois depois que ela voltou para o Canadá, mas que ela sabia que se ficássemos juntos ela se sentiria a garota mais sortuda do mundo de novo, mas que ela não sente mais isso comigo... – Desviei meu olhar por um tempo. – E que ao invés disso ela se sente triste e confusa. – Voltei a olhar Chaz. – Eu também me sinto assim, o tempo todo, e eu não quero me sentir mais assim... – Admiti.

- Por que você não a perdoou logo? – Perguntou. – E não venha falar que “Não consegue” porque isso não cola comigo. – Falou sério. – Você a ama e ela te ama e vocês só estão se sentindo assim porque se sentem inseguros e isso é normal! – Ele falou. – Eu entendo muito vocês serem tão inseguros assim. Vocês ficaram separados por quatro anos, seguiram em frente e conheceram outras pessoas e agora que finalmente vocês estão juntos, vocês têm medo de qualquer coisa, por mais que seja mínima, que possa separar vocês, porém vocês mesmo estão se separando por causa dessa insegurança. – Suspirou. – Não a deixa ir embora da sua vida de novo, não a perca mais uma vez, Justin! – Assenti.

- Você tem toda razão! – Concordei. – Eu não posso desistir assim tão rápido do amor da minha vida. – Ele sorriu assentindo. – Obrigado Chaz! – Agradeci.

- Não tem o que agradecer! – Falou sorrindo.

- Mas, o que eu faço agora? Ela nem deve estar querendo ouvir meu nome. – Falei e ele riu.

- Liga para ela! – Falou e assenti.

Tirei meu celular do meu bolso, disquei seu número, o chamando.

Ligação ON

- Alô? – A ouvi falar.

- Oi... – Quase sussurrei. – Sei que você não quer nem me ver pintado de ouro, mas podemos conversar?

Alyssa P.O.V

Sai do apartamento do William e enquanto dirigia para minha casa, pensei em tudo o que aconteceu hoje.

Quando cheguei em casa, estacionei meu carro rápido e entrei em casa correndo.

- Eita, que pressa! – Megan disse quando entrei.

- Any, meu quarto, agora! – Falei rápido e subi as escadas correndo.

- Nossa senhora! – Ouvi Gabriel lá de baixo.

Entrei no meu quarto e fiquei andando de um lado para o outro, com a mão em meu rosto.

- O que aconteceu? – Any perguntou preocupada, entrando no meu quarto.

- Eu fiz merda! – Falei.

- Que merda? – Perguntou fechando a porta do meu quarto. – Tem a ver com Justin? – Assenti. – Meu Deus Alyssa... – Falou indo sentar na minha cama.

- A gente estava indo bem essa tarde, mas ai começamos a brigar quando ele veio nos deixar em casa e fiquei muito irritada com ele. – Disse a olhando. – Ai eu tirei todas as coisas que me lembravam dele do meu quarto, guardei meu anel e meu colar, tudo... – Falei. – Ai acabei indo para o apartamento de William e eu meio que me “declarei”. – Fiz aspas.

- Como assim se “declarou”? – Me imitou.

- Eu disse que agora tinha certeza que amava ele e mais ninguém e que estou preparada para fazer nós darmos certo. – Disse. – Ai ele me pediu em namoro e... – Ela me cortou.

- QUE? – Gritou surpresa. – Pelo amor de Deus, o que você respondeu? – Perguntou.

- Que sim... – Quase sussurrei e ela arregalou os olhos.

- Qual o seu problema? – Perguntou.

- Eu não sei! – Disse. – Foi coisa do momento e agora quando estava voltando para cá, pensei na merda que eu fiz... – Falei. – Eu nem esperei o Justin terminar comigo e... – Ela me cortou.

- Amiga. – Me chamou e a olhei. – Você ama o Justin, não podia ter dado esperança para o coitado do William. – Concordei.

- Eu sei, eu sou uma idiota. – Falei.

Ouvi meu celular tocar em meu bolso e o peguei.

“Meu vagabundo”

- Meu Deus... – Falei virando o visor para Any.

- Atende! – Falou.

- Não posso! – Disse.  – Como vou falar com ele depois de isso tudo ter acontecido? – Perguntei.

Any puxou o celular de minha mão atendendo e o colocou em meu ouvido.

Ligação ON

­- Alô? – Falei tentando não gaguejar.

- Oi... – O ouvi dizer. – Sei que você não quer nem me ver pintado de ouro, mas podemos conversar?

- Conversar? – Minha voz quase falhou e Any me olhou assentindo. – Podemos, agora? – Perguntei nervosa.

- Não... – Falou suspirando. – Amanhã passo na agência e a gente conversa, pode ser? – Perguntou.

- Pode sim... – Falei.

- Então combinado. – Ele disse. – Até amanhã, beijos! – Falou e sorri fraco.

- Beijos! – Falei e desliguei.

Ligação OFF.

- Eai? – Any perguntou curiosa.

- Ele quer conversar amanhã na agência. – Falei. – Eu estou tremendo, meu Deus! – Mostrei minhas mãos.

- O que será que ele quer conversar? – Perguntou.

- Não faço a mínima ideia. – Falei e me joguei na minha cama. – Eu estou ferrada! – Admiti. – O que vou fazer? – Perguntei a olhando.

- Ser verdadeira! – Falou.

- Isso, vou ligar para o Will e explicar que eu estava com raiva do Justin, mas... – Falei me sentando e ela me cortou.

- NÃO! – Ela gritou arrancando meu celular de minha mão. – Ele não merece isso Aly! – Falou. – Você vai esperar até amanhã, vai conversar com o Justin e depois você vai pensar no que fazer com o William, mas com calma, para não deixar ninguém magoado com isso. – Falou séria e assenti.

- Eu sou muito idiota! – Falei me deitando novamente.

- Não fica se matando! – Falou deitando ao meu lado. – Você faz as coisas no impulso, mas eu estou ao seu lado e vamos pensar algo juntas para te tirar dessa confusão toda! – A olhei e sorri.

- Obrigada! – Falei e peguei em sua mão. – E o meu afilhado? – Perguntei me apoiando ao meu braço.

- Está me deixando enjoada todos os dias. – Fez uma careta e ri.

- Você precisa marcar um médico... – Falei preocupada e ela assentiu.

- Eu sei e preciso contar para todos, até meus pais... – A cortei.

- Você não contou para eles? – Perguntei surpresa e ela negou.

- Eles vão pirar! – Falou. – Vão querer vir até aqui e obrigar o Gabriel a se casar comigo e eu sou muito nova para casar Aly! – Falou.

- Eu entendo eles e concordo! – Falei e ela me encarou séria. – Amiga desculpa, mas eu acho melhor vocês casarem antes de terem o bebê, já pensou na loucura que vai ser ter uma criança? – Perguntei e ela assentiu.

- Penso nisso toda hora. – Suspirou. – Eu só tenho medo... – Confessou.

- Você é minha melhor amiga e vou estar aqui para te apoiar em qualquer decisão, mesmo que eu não concorde. – Falei. – Mas que eu estou feliz em ter um afilhado, eu estou! – Rimos.

- E se for menina? – Perguntou.

- Vai ser minha afilhada então! – Disse sorrindo.

- Como tem tanta certeza que vai ser a madrinha? – Brincou.

- Porque sou a melhor amiga dos pais dessa criança e acho muito bom eu ser mesmo a madrinha. – Ela riu.

- Claro que vai, isso não tem nem discussão! – Sorri.

Continuamos a conversar um pouco sobre o bebê e sobre o nosso futuro. Sim, voltei a falar sobre Justin, porém Any está fazendo de tudo para eu me esquecer disso pelo menos por hoje...

Eu estou perdida e confusa, por favor, alguém me dê uma solução...


Notas Finais


Eai, o que acharam???? Aly viu que fez merda!!!! O que será que ela e o Justin vão conversar?? E o Will? Alguém pode ajudá-la? Tadinha!
Espero que tenham gostado!!
Obrigada por ler!
Até o próximo
Beijones
fahv


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...