História As Long As You Love Me - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Amor, Aposta, Dança, Justin Bieber, Musica, Namoro, Nerd, Novela, Rejeição, Romance
Exibições 100
Palavras 2.757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ooieee!!! Tudo baum? Pessoal, eu sei, eu demorei pra cibola! Mas, tá aí o capítulo tãooooo esperadooo!

Espero que gostem...

Capítulo 8 - Te amo!


    

Justin podia sentir seu coração quebrando em pedacinhos, e o sorriso falso que tinha em seu rosto só o fazia ficar mais pequeno, pequeno diante de tudo aquilo. Por mais que sua cabeça não quisesse mais aceitar, ele não queria aquilo, mais insistia em ir até o fim.

- Isso não é maravilhoso? - o sorriso de Manuela o cegava cada vez mais, ela estava feliz e ele podia sentir seu coração palpitando.

- É...- sorriu de lado, sentindo as lágrimas surgirem. O garoto tentou conter, mais sentia sua vista embaçada e sua saída foi esconder o rosto.

- Justin, o que foi? - Manuela avançou um passo.

- Nada! - ele exclamou. - Eu tô muito feliz, muito mesmo!

- Sua voz mudou...- ele negou de costas. - Mudou sim! Justin, o que foi?

- Eu preciso ir, mas eu falo com você depois. - ele não esperou a garota responder. Apenas adentrou o carro e saiu em alta velocidade.

Todo mundo um dia vai se apaixonar, e vai se julgar se é bom o suficiente, ele se achava pequeno demais, pequeno demais diante de toda nobreza que Manuela obtinha. Ele sabia o quanto poderia ser atencioso, paciente com Manuela, mas ela iria querer?

Justin praticamente jogou o seu carro na garagem, seus passos foram apressados para dentro de casa fazendo sua mãe que estava assistindo um jornal se assustar.

- Filho? - Pattie se virou vendo o garoto subir as escadas rapidamente. - Justin! - gritou não ouvindo a resposta do filho.

- Tá tudo bem! - o garoto bufou, batendo a porta do quarto, chorando baixinho, com medo de sua mãe escutar.

- Filho...- suas mãos foram rápidas ao alcançar a maçaneta trancando a porta. - Justin, abre!

- Não mamãe, eu tô bem. - sentiu o muco acumulado em sua garganta.

- Então abra.

- Me deixa sozinho um pouquinho, por favor. - pediu baixinho, vendo a sombra de sua mãe debaixo da porta se afastar.

- Eu estou preocupada com você Justin Bieber...- seu olhos se arregalaram ao ouvir a voz de sua mãe. - Eu não vou sair daqui filho. - mesmo não vendo, ele pode sentir sua mãe se sentar, encostando-se na porta. - Você está a semanas assim.

- Eu não quero falar sobre isso mãe...- o garoto respondeu baixo.

- É aquela garota que você falou? - Justin sentiu cada parte de seu corpo gelar. - O que aconteceu?

- Mãe...- ele gemeu manhoso. - Eu não quero mais tá apaixonado. - sua mãe riu negando, intendendo o motivo do choro.

- E o que quer fazer filho? - ela pergunta.

- Eu criei um plano, mãe, ela não é minha...- sua mãe franziu o cenho. - ela gosta muito de um garoto, e eu amo ela. - Pattie sentiu seu coração se apertar, Justin não era do tipo pegador, mais não poderia imaginar seu filho tão preso por uma garota. - Mais não o que sempre dizem? Que queremos o bem de quem amamos?

- É meu amor...- Justin sentiu as lágrimas brotarem em seu rosto deixando um soluço escapar.

- Eu pensei que entregando ela a ele eu ficaria melhor. - sua voz estava embargada pelo choro e o corpo de Justin ao chão clamavam por carinho. - Mas eu me sinto destruído!

- Oh, meu amor. - sua mãe abriu a porta, Justin se assustou ao ver sua mãe com uma chave na mão. - Tenho a chave de todos os quartos. - ela riu se abaixando logo tendo Justin em seus braços. - Porque você fez isso?

- Pra ver ela feliz.

- E porque você não poderia fazer ela feliz?

- Porque ela não me ama! - Justin arregalou os olhos.

- Mas você a ama. - sua mãe justificou.

- Ele a chamou pra sair, eu não estou entendendo nada.

- Mais, você juntou os dois.

- Mãe, ele não ama ela, e ela não me ama.

- A questão é, ele merece ela? Ou você merece ela?

- Eu não mereço. - sua mãe nega.

- Qualquer garota gostaria de te ter, você é um garoto lindo.

- Mamãe, eu não quero ser só lindo. A Manuela não merece um garoto só lindo, eu não quero ser só lindo para Manuela, eu quero ser tudo pra ela mamãe! Eu quero ser só dela... - a mãe sentiu um lágrima escorrer pelo seu rosto, era tão bom ao mesmo tempo estranho ouvir seu filho falar daquele jeito. O celular de seu filho vibrou dentro da bolsa, Justin o pegou arregalando os olhos. - Mamãe! Sai! - Justin se levantou.

- O que foi?

- A Manu tá me ligando. - Justin se viu desesperado limpando o rosto. - Mamãe sai!

- Tudo bem...- sua mãe sorriu vendo o desespero do garoto logo saindo do quarto.

- Justin. - a voz doce da garota fez Justin suspirar.

- Oi...

- Preciso da sua ajuda. - o garoto morde os lábios, sentindo seus cílios molhados piscarem rapidamente.

- O que foi?

- Você pode ir me pegar em frente à praça?

- Que horas?

- Na verdade não sei, não sei que horas eu e o Austin vamos acabar.

- Você e o Austin? - ele pergunta fraco. - Quer que eu te pegue depois do seu encontro com o Austin?

- É, você pode? O Austin está sem carro. - Justin franze as sombrancelhas achando aquilo estranho.

- Eu vi o Austin hoje, ele estava com carro. - a garota fica em silêncio por alguns segundos. - Manuela?

- Oie! Bom, ele me disse que estava sem carro. Você pode ou não...? Por favor!

- Tudo bem - respondeu com o peito dolorido, sentindo os sentimentos se aflorarem por sua pele.

• • •

- Justin! - Manuela entra no carro, Justin fecha os olhos sentindo o perfume da garota adentrarem suas narinas.

- Vim assim que me ligou...- ele a olhou, seu corpo estava desenhado em um vestido branco florido. - Você está muito bonita.

- Obrigado. - ela agradece, Justin engole a seco, ligando o carro.

- Como foi o seu encontro com o Austin? - pergunta, Manuela o olha, sorrindo de canto.

- Incrível...- ela delicia as palavras. - Ele é sensacional, não sei o que falou a ele, mais foi bom. - Justin sorrir, lembrando de sua conversa com Austin, ele esperava que ao conhecer Manuela,Austin mudaria. - Nós...nós dois...- ela se enrola nas palavras, Justin a olha, sentindo o peso das palavras da garota. - Nos beijamos Justin! - Manuela sorrir olhando Justin, analisando cada feição do garoto.

Justin suspira soltando um sorriso, sentindo seu coração falhar nas batidas.

 - Isso é maravilhoso!

Manuela o olha, não acreditando em suas palavras.

- Eu não acredito! - ela rosna. - Para. 

- O que? - Justin a olha, com os olhos arregalados.

- Para o carro, agora! - ela se exalta, Justin para o carro se perguntando o que deu na garota.

- O que foi? - ela nega, saindo do carro, Justin bufa indo atrás da garota. - Manuela! - ele a alcança.

- Como você pode?

- Pode o que? - sua voz sai cansada.

- Eu disse que eu beijei o Austin! - ela grita. - Não tá bravo?

- Porque eu estaria?

- Porque você gosta de mim!

Depois daquele banho de água fria, Justin tinha paralisado seu olhar na garota que o encarava.

- O que? - Justin rir. - Tá doida?

- Não...- ela nega. - Você tá...- afirma. - Justin eu sei...

- Não Manuela! - ele nega. - Você não sabe.

- Sei, eu reconheci, a sua letra quando sentamos juntos, o seu cheiro quando me abraçou naquele dia. É você que joga aquelas bolinhas de papéis em mim, é você...Um dos poucos que sabe o meu nome? - Manuela recuou um passo, tirando de sua bolsa um papel. - Esse desenho...São os meus olhos.

- Não são! 

- É sim, você disse que não dava pra ver meus olhos através dos óculos.

- Isso não quer dizer nada!

- Porque você tá negando?

- Porque você gosta do Austin. - Justin sente as lágrimas brotarem em seus olhos.

- Bom, eu poderia estar com ele agora. - ela sorrir de lado se aproximando do garoto. - Você tava com ciúmes do Austin, foi por isso que ficou daquele jeito na festa?

- Não...- ele limpa as lágrimas. Manuela o abraça, sentindo o perfume do garoto. - Para! - ele a afasta. - No final de tudo eu vou acabar sozinho e você com o Austin.

- Para de ser bobo. - ela rir.

Justin mais uma vez nega, Manuela sem paciência, ou ao menos sem contar os segundos puxa Justin contra seus lábios. Justin se assusta arregalando os olhos, ele sente as mãos da garota em sua nuca.

- E se eu não gostar do Austin? - ela o olha. - E se for coisa da minha cabeça, porque a algumas semanas, se me perguntassem, o primeiro garoto a vim na minha mente seria o Austin, mas agora, só vem você. Eu, eu, acho que, todas garotas tinham alguém para admirar, e eu criei uma coisa pelo Austin, na minha cabeça, pra de alguma forma me igualar a elas, mas não sentir nada quando o Austin estava por perto. - Manuela olha Justin, ainda em seus braços. - Fala alguma coisa!

- O quer que eu fale? - ele pergunta baixo.

- Aquilo que sempre quis! - ela sorrir, Justin sorrir junto a ela. - Não acredito que passou todo esse tempo sem me contar isso.

- O que? - ela rir.

- Ryan me disse. - Justin arregala os olhos. - Ele achou o jeito que você estava se comportando estranho. - Eu não acredito, você gostando de mim? É inacreditável! E eu gostando de quem não gosta de mim.

Manuela sente suas bochechas queimarem no momento em que Justin alarga mais o seu sorriso, ele era tão lindo. 

- O Ryan sabe?

- Que você me ama? Sabe! - Manuela anda até o carro. Justin sorrir, sentindo tudo aquilo estranho demais. Ele anda até o carro onde entra nele.

- Eu não estou entendendo. - Manuela revira os olhos.

- Eu comecei a juntar as peças naquela noite em que você me deixou na rua. Perguntei algumas coisas as garotas e liguei os pontos, Ryan me procurou, foi tão estranho falar com ele. - ela rir sem graça. - O seu comportamento também anda meio estranho, e essa ideia de me juntar com o Austin, foi na conversa no jardim que eu tive confirmação. Aí, eu inventei que o Austin tinha me chamado pra sair, me desculpa ter te feito chorar.

- Espera...- Manuela rir ao ver o rosto confuso do garoto. - Então quer dizer que não saiu com o Austin?

- Só ouviu isso?

- Não beijou o Austin. - Manuela nega. - Então, aquele beijo lá fora.

- Foi seu! - Justin abre um sorriso, sentindo seu coração inquieto.

- Meu? - Manuela assente, vendo o garoto se aproximar. - Todinho meu?

- Todinho seu! - ela rir iniciando um beijo calmo. Justin sente cada músculo de seu corpo rígido, aquele frio na barriga parece muito maior.

- Desculpa...- Justin se afasta. - Eu não consigo nem te beijar de tanta felicidade.

- Você precisa soltar o que estar aqui dentro. - ela aponta para o peito do garoto.

-Meu coração? - ele pergunta brincalhão. - Você quer ele? - Manuela assente. - Promete que vai cuidar dele?

- Prometo.

- Te amo! 


• • • 

- Nossa...- a garota suspira sorridente. - Você demorou. 

- Pois é...- o menino suspira cansado enquanto a olha. - O que você queria? 

- Queria te ver... Faz tanto tempo que não ficamos juntos. - o garoto tomba a cabeça pra o lado, revirando os olhos. 

- Faz mesmo. - ele concorda falsamente, sentindo o corpo da garota o abraçar. Ele tosse a empurrando. - Que merda! Você tem mania de usar esse perfume.

- Eu acho ele bom. 

- Não, é enjoativo, dá vontade de vomitar! - a garota o olha sem jeito, se encolhendo ao seu lado. 

- Vou mudar. 

- Você sempre fala isso...- ele revira os olhos. 

- Mas você gostava. - ela diz baixa. 

- Não significa que eu goste agora. - ele bufa. 

- Calma amor...Não fica estressado. - ela deita no ombro do garoto. - Olha como a lua tá hoje. 

- Igual a todo dia. - ela rir. 

- Não, hoje tá mais iluminada. Acho que é por que nos encontramos.

- Cê acha mesmo que a lua tá brilhante só por causa disso? - ela assente o fazendo mais uma vez revirar os olhos. - Já fez meu projeto de Química? 

- Você precisa ir lá em casa. - ela fala. - Tem algumas coisas...

- Me manda por mensagem. - a garota suspira. 

- Posso levar o projeto quando terminar lá na sua casa. 

- Não precisa, eu vou na sua e pego.

- Por que eu não posso ir na sua casa? - a garota se afasta o olhando.  - Por que nada que inclua você eu posso? 

- Não é isso amor - ele se aproxima da garota. - Só não quero te dá mais trabalho. - a garota nega. 

- Você tem vergonha de mim? - ele suspira. 

- Para de besteira. 

- É claro que tem...- ela se levanta. Onde pega sua mochila. 

 - Espera, eu, eu posso...- ele olha não vendo mais a garota. O garoto bufa, chutando o ar. - Se eu ficar sem meu projeto, eu acabo com essa quatro olhos. 

• • • 

Dançar era tudo aquilo que completava Júlia, o ritmo, a batida se apoderando por cada músculo de seu corpo, era maravilhoso, ela poderia dançar a vida inteira se pudesse. 

- Você tá indo muito bem...- seus passos pararam quando percebeu que Zayn a olhava. 

- Obrigado. - ela não sabia distinguir as batidas de seu coração. Era pelo tempo dançando, ou pelo sorriso de Zayn?

- Eu posso, dançar um pouco...Com você. - ele dá um passo a frente. 

- Acho que o Justin não vai gostar muito, ele é o que geralmente dança comigo. - ela rir tomando um pouco de sua água. 

- Acho que ele não vai saber...- ele se aproxima mais da garota. - Se você não contar, é claro. 

Ela rir, deixando sua garrafinha de lado e pegando na mão de Zayn. 

“- Eu poderia dançar o dia todo com você - o garoto sorrir.”

Os lábios de Júlia chegavam a tremer, era sempre tão novo estar perto dele, ela sentia o mesmo olhar de quando eles eram mais novos, mesmo que as atitudes de Zayn tenham mudado, e muito.

Não tinha quem guiava, não era música, não era o Zayn e muito menos a Júlia. A garota queria sentir todo aquele momento, e a música só constituía para que tudo trouxesse lembranças passadas. 

Os olhares dos dois se cruzaram e Zayn se perguntou o momento que tinha se perdido nos olhos da garota, ele estava perdido, ele queria se perder. 

Não tem como explicar o momento em que os lábios dos dois se chocaram, nem um dos dois pensaram em muita coisa. 

Júlia só sentiu seu corpo ser empurrado  bruscamente. 

- Mais que droga! - Zayn exclamou. 

- Me desculpe...- ela pede baixo. 

- V-você me beijou. - ele diz a olhando. 

- Não, foi nós dois, porém eu não deveria, você tem namorada, me desculpe. - Zayn nega. 

 - Fez de propósito. - Júlia nega. - Eu só pedi pra dançar, vem cá! Cê acha mesmo que a gente vai voltar? 

- Não! - ela  gesticulava as mãos. - Eu não fiz por querer, você, você sabe...Eu não quero...

- É claro que quer! Você acha que vou trocar Pierre por você? - ele gargalha. 

- Zayn por favor...Eu não queria te beijar, mas...

- Prefiro dez mil vezes o beijo da Pierre, da de mil em você. - Júlia suspira sentindo as lágrimas brotarem em seus olhos.

- Então vai atrás dela...- ele a olha, seus olhos pareciam ter estrelas de tanto que brilhavam por conta das lágrimas. 

- Muito melhor. - ele anda até a saída, deixando a garota em pedaços, como sempre fazia. 

Ele passa a língua entre os lábios, sentindo o beijo da garota. 

- Eu tava com tanta saudade. - agora os dois tinham estrelas nos olhos. Por que choravam ao mesmo tempo. 


     Ele sentia tanta saudade...




Notas Finais


E aí?? Vocês gostaram? Como estar? Tá muito chato? Me falemmm!!

Tá meio confuso, eu sei, mas logo, logo, tudo vai se esclarecer...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...